- »

fevereiro 16, 2012

Noite-a-noite (1)

_Pára! – murmurei.
_Hum...
_Páára! Tá me arrepiando, meu – reclamei mais uma vez, já rindo.
_Mas é gostoso... – a Clara retrucou, afundando novamente o rosto na curva entre o meu pescoço e ombro.

Dane-se, porra, faz cócegas. Reajeitei-me uns cinco centímetros mais para a esquerda, a fim de cessar a sessão-ternura. Encontrávamo-nos naquele estado preguiçoso, meio aglomeradas uma na outra e afundadas na cama, após quase quatro horas intensas de sacanagem. A descarga de endorfina já surtia o seu efeito em nossos corpos, amolecendo-nos. Após a minha leve afastada para o lado, ela me olhou por alguns instantes, como se pensasse algo. Os lençóis estavam bagunçados ao nosso redor. Encarei-a também por um breve segundo, de volta, mas depois fixei o olhar no teto. A cabeça em branco, vazia.

_Posso te perguntar uma coisa? – disse, acomodando-se no meu braço – por que... você chorou aquele outro dia?
_Hein... Que dia? – respondi, distraída.
_Na sua casa, quando a gente jogou pôker.

Ah, este dia. Meu primeiro impulso foi não responder. E a minha mente retornou, bem pouco confortável, ao corredor e à briga de semanas antes. Ela sabe. Talvez não por quem, mas a Clara sabia que havia uma garota – fosse no meu pensamento àquela hora ou ali mesmo, no apartamento. Porque ninguém chora assim, tão do nada, a não ser que tenha um óbvio motivo e qualquer outro, que não uma garota, eu não teria evitado com tanta persistência. Ótimo, e agora eu digo o quê?! Talvez os cinco centímetros lhe tivessem remetido àquilo, de novo. Não queria, todavia, lhe causar desconforto e menos ainda ter que mencionar a Mia, trazê-la para dentre aquelas quatro paredes.

Estava agradável ali, sem ela.

Eu e a Mia andávamos estranhas – ela melancólica, eu ignorando-a. Algo estava prestes a acontecer e eu não sabia o quê. Acabei não respondendo nada, levantei num suspiro contido e busquei o meu maço de cigarros, sentada ao eu lado na cama. Ela poderia ter insistido, mas não o fez. Não perguntou mais nada. E eu levantei então para acender e fumá-lo na janela – já a Clara ficou quieta por algum tempo, ainda deitada. Um ou dois minutos depois, ergueu-se animada de joelhos na cama e alcançou um par de óculos na cabeceira. Vestiu-os, destes imensos e quadrados, sem grau e de aro grosso, que andavam na moda.

_Olha o que eu comprei hoje! – sorriu, mudando de assunto – Achei muito, muito barato lá perto da Calixto!

Me virei para olhá-la e comecei a rir na mesma hora, sozinha.

_Você é muito paga pau hipster, cara...
_Ah, cala a boca! Ficou lindo em mim, não?
_Qualquer coisa em você ia ficar... – ri ainda, falando suave, e observei por um instante o prédio ao lado, através da janela; e comentei – ...eu gosto de garotas que usam óculos.

Me veio à cabeça a Marina, por um acaso. A época em que namorávamos. Onze meses inteiros, pensei comigo mesma. Fazia tempo que não namorava. Em todo edifício ao lado, apenas uma luz estava acesa. Talvez eu sinta falta, concluí então o raciocínio anterior. Numa sala de estar branca e sem qualquer personalidade, indiferente; alguém assistia TV no prédio vizinho – já era madrugada em São Paulo. Não sabia bem que horas, exatamente; meio perdida naquele quarto bagunçado e surreal, fora da noção comum de tempo e espaço. Sabia, porém, que em breve teria de ir trabalhar. Dormiríamos umas duas horas, quem sabe três, e eu sairia com a mesma roupa do dia anterior. Minha chefe. Meu pensamento foi diretamente a ela e ao que diabos, merda, ela vai pensar de mim quando me vir.

_Bom, e existe algum tipo que você não gosta? – a Clara riu, continuando o assunto.

14 comentários:

Monica disse...

o dom de ser escrota que a FM pratica fervorosamente... aiaiai

T disse...

"Talvez eu sinta falta..."
É UMA ARMADILHA DE SATANÁS, FM. Corre!

(Nossa, Os Incompreendidos ali em cima. <3)

Anônimo disse...

ah muito bom, post saido do forno, fresqinho. ;) . O don de enrolar as mulheres, fm domina. Essa umlher ahaza demais.

Bibi disse...

Danger! Danger! Danger!

Anônimo disse...

Melancolia detected!

Pathy disse...

E volta a Marina ♥.. Mel, Mel.. vê la hein!! hahahhahahahaha


FM é uma safaaadaaaa.. ;)

P.S.: Percebeu que em um único post vc falou de quase todas as "mulheres importantes" da FM?! Mia, Marina, a chefe e a clara (que faz farte do cenário todo).. engraçado u.u

Ianca' disse...

Mariiiiiiiina ♥
Ah mia, tô com saudade do contato delas Mel... Mas e essa súbita carência? Vai dar em alguma coisa? Hummm... Adorei!

lu disse...

Pq tem um (1) após o título? :/

Anônimo disse...

Que post gostosinho de ler, eu gosto da Devassa e da Clara juntas. Acho até que a Mia poderia desaparecer por mais tempo, rs.

Lívia disse...

Lu, é porque ainda tem a parte dois.

Depois que eu vi o clipe de Siempre me quedará, eu só imagino a Clara, como Bebe, hahaha.

Anônimo disse...

achei foda o penultimo parágrafo e toda a descriçao sobre o que estava passando pela cabeça da protagonista durante esses segundos entre a fala dela e a da clara. é muito assim mesmo.. =)

lu disse...

Pois é, Lívia, não é interessante?! Ela (Mel) só usou isso em A Festa (1,2,3a, 3b e 4) - que era decisivo; no trágico Ponto Final 1 e 2; e no longo (quero dizer dava pra ver q ia rolar outro) After Party I e II ?!?!
Do jeito q tá o post, tá ótimo...
O que tem mais pra acontecer!?! :|

B. disse...

"Bom, e existe algum tipo que você não gosta?"
Aiiiin essa argentina sempre arrasa...
E qnd ela "desiste", muito facilmente, de saber da vida da FM, ela me mata de orgulho.
Não precisa saber da vida, tendo o sexo garantido tá ótimo!
Amo/sou MEEEEESSSMO!!!
Torço por essa amizade ever!

Babaloodeuva disse...

também gosto de meninas de óculos kkkk
provocando lembranças na FM aiaiai
e essa chefe hein babado