- »

abril 30, 2013

We can break the pattern, we can change the color!

...it’s just a little sacrifice” – La Roux


Ela soltou os cabelos antes de terminar de prendê-los. E apoiou então as mãos na beirada da pia, fechando a expressão. Ainda usava a minha camiseta velha, descalça sobre o piso frio, e me ignorava. O silêncio cresceu desconfortável. Eu a observava, ainda em pé na porta entre o corredor e o banheiro. A lata de Coca na mão. A sua ausência de reação me agitava, inquietando o meu peito e os meus pensamentos, acelerados. Por que eu fui abrir a porra da boca?­ – agora era tarde para voltar atrás. Respirei fundo. “Eu estou falando sério, Mia”, reafirmei. E ela abaixou a cabeça por instante, num suspiro relutante.

_Tá bom... – retrucou, erguendo novamente o queixo – ...se você quer, eu vou embora então.

Veio na minha direção, na da porta, sem me olhar. Como se eu a tivesse ofendido ou mandado ir. A meio passo de onde eu estava, coloquei a mão sobre o batente impedindo a sua passagem e dei um passo adiante, fazendo-a recuar. Fechei a porta atrás de mim. “Escuta”, segurei o seu rosto por um segundo e ela logo se desvencilhou. Inferno –  por que fui começar esta merda logo a esta hora? Tudo o que eu não queria era discutir com ela. O álcool da noite passada ainda martelava na minha cabeça, na dela provavelmente também. As olheiras denunciavam as nossas poucas horas de sono.  

_Mia...
_Por que? Por que isto agora?! – rebateu, ficando nervosa.

A olhei, sem falar nada – porque eu te amo, porra. Porque acaba comigo, toda vez. Encostei contra a porta fechada e agachei no chão, tentando ganhar algum tempo. A Mia me encarava à espera da resposta. Descruzou os braços então. “Isto tem a ver com a Clara, não tem?”, me perguntou e eu fechei os olhos, balançando a cabeça lentamente. Não. “Sei”, ela riu, levemente irritada. E se voltou mais uma vez para a pia, uns metros adiante, apoiando as mãos na beirada fria. Continuei em silêncio. Algum tempo depois ela se sentou também no chão, na parede oposta à que eu estava. Fugindo dos meus olhos – encarava agora, muda, os ladrilhos.

Passados uns minutos, retomei com calma:

_Não foi minha intenção... – murmurei – ...eu não quero te pressionar, eu...
_Eu achei que – ela me interrompeu – ontem tinha sido legal, não, não foi?
_Claro que foi!

Deus, como eu explico isto?

_Então qual o problema, de repente?!
_Este. Este é o problema, Mia. É que foi bom, foi muito bom – aumentei o tom de voz, involuntariamente –, todas estas últimas semanas com você. E caralho, toda vez que for bom, o dia seguinte vai ser sempre um lixo. Não é possível que você não pense nisto, em nós, em você com o Fer...
_É claro que eu penso!
_E isto não te incomoda, meu?!

Aumentei demais a voz. E as minhas palavras ecoaram no banheiro, um pouco mais alteradas do que eu gostaria. Ela se retraiu, ficando quieta em resposta. Isto está se transformando em tudo o que eu não queria que este dia fosse, me arrependi, numa hesitação dilacerante. Parte de mim queria ficar com o que fosse dela, com o pouco ou quase nada dela. Dane-se! – meu coração, as minhas entranhas gritavam. E a minha cabeça doía em contradição, querendo se livrar de vez. Querendo que ela se posicionasse comigo; ou que fosse logo embora.

_Não é como se... – ela então enroscou na garganta, as suas palavras pareciam subitamente marejadas – ...eu, sabe. As coisas estão estranhas faz tempo. Eu já, já pensei em me separar dele. E às vezes eu sinto que não sei de mais nada, não sei, não sei se ainda amo ele. A gente, só...
_Escuta – tentei reconfortá-la, ela parecia ansiosa –, eu sou amiga do Fer. E antes de mais nada, eu amo ele incondicionalmente, Mia. Eu nunca te pediria para fazer nada que o machucasse. Se você me disser agora que quer ficar com o Fer, que quer de verdade, eu me afasto. A gente para por aqui e ninguém fala mais nisso. Desta vez é sério. Mas eu também preciso que você saiba que eu quero ficar com você. E que eu vou ficar, se você também me quiser. A única coisa que eu não posso mais fazer é viver assim, o tempo todo pela metade. Entende? Porque se você acha que isto não me machuca ou que machuca menos ele, você está errada. Nós duas estamos.
_Tá. Mas, cara, você realmente quer que ele saiba? – ela me encarou, com certa razão.
_Eu não sei...
_Então não faz isso. Eu, meu, eu não quero ficar sem você. Não de novo.

Volta atrás agora, caralho – o meu coração implorou aos meus lábios, mudos. Merda! Respirei fundo. E me ergui em pé novamente, indo até ela. Do outro lado do banheiro. Me agachei à sua frente e toquei então os seus joelhos, dobrados junto ao seu corpo. Ela me olhava. Parecia ter perdido o controle dos próprios olhos, das suas emoções.

_Eu, eu quis dizer tudo o que disse ontem – acariciei o seu rosto e ela manteve os cílios secretamente molhados, me encarando direta; as maçãs do rosto ainda secas –. Cada palavra daquilo. E eu sei que eu sou ruim em admitir que te amo – as palavras logo me incomodaram, por dentro –, que eu gosto de você o tanto que gosto. E talvez isto atrapalhe tudo. Mas você tem que entender que eu entrei numa guerra que eu não podia ganhar. Eu vou te perder, Mia; ou eu vou perder o Fer.
_ Ah! Por que? Você acha que é fácil para mim?!
_Não. Eu sei que não. É só que ficou pesado demais agora e, de verdade, eu não consigo mais. Eu não quero mais enganar ninguém.
_Tá bom. Mas eu não posso fazer isto, não assim.
_Mia, se fosse fácil, estaria resolvido dois anos atrás... – eu ri.
_Então você consegue? Olhar para o Fernando e contar tudo?!

Disse séria, me encarando. E eu não soube lhe responder. Eu não conseguiaesta era a verdade; mas isto não resolvia o nosso problema. Eu a colocava numa posição agora de fazer o que eu sequer tinha estômago para cogitar. Grande covarde. Ela abaixou mais uma vez a cabeça, respirando fundo. E eu permaneci ali, calada.  

_Eu preciso ir – ela disse de repente, se levantando.
_Mia... – levantei logo atrás dela, como num reflexo.
_Meu pai já ligou duas vezes. E, e eu tenho que pensar.
_Eu sei. Tudo bem.

Ela deixou o banheiro. Argh. E eu fiquei sozinha ali por alguns minutos, entre aquelas quatro parede ladrilhadas. Frias. Numa tentativa silenciosa de processar tudo o que acontecera. Foi quando ouvi a porta da frente bater. Era ela. E fui tomada pela incerteza de quando a veria de novo, do que diabos eu acabara de fazer. O meu coração acelerou violentamente. Senti uma vontade idiota de desatar a chorar – e liguei para a Marina, em desespero.

_Eu fiz merda, Má. Eu fiz uma merda muito grande!
_O que aconteceu?! Você está bem?!
_O Fer, eu... – minha respiração tremia – ...ah, puta merda.

26 comentários:

Anônimo disse...

FM, migra pro poliamor, cabô problema.

Juliana Nadu disse...

Noooooooossa!! Esperei essa conversa 3 anos mano!!! To ai tudo jogado as claras cada um a seu peso... e não será fácil para nenhuma das partes na moral!

Ps: não queria estar na pele!

Anônimo disse...

Esse "ah puta merda" no final foi tão desesperador. tô com dó da fm, gente!! =((((

Babaloodeuva disse...

FM e sua crise de consciência infinita, parece que as coisas estão mudando, agora a agoina na espera do próximo post.

Muito com Mel

Anônimo disse...

Pelo amor de Deus Mel. Nao faça isso com a gente.
Lendo a caminho do trampo, vou ficar o dia todo desconcentrada pensando no proximo. Que tem que vir logo por favor

Ianca' disse...

Finalmente o peso é dividido conscientemente, e não tenho nem ideia do que virá a seguir. Pq acho a Mia super imprevisível, porra. Que FODA!
Tô tentando ordenar meus próprios pensamentos pra ajudar a FM, pq na minha cabeça ela é minha amiga aflita, nossa mano. VOCÊ É FODA, MEL!

Parabéns, cara. E trás a Marina linda.

Amanda disse...

Melissa, que luz na cabeça da FM! Esse último porre dela foi realmente a solução de tudo. Tava mais do que na hora de essa conversa acontecer. E eu esperava que a Mia fosse ser mais decidida, depois de todas as últimas atitudes dela.
Sdds Clara :(

Anônimo disse...

foi tao bonito ela falando do fer e como ama a mia. amei, amei! pensa logo mia!!

Anônimo disse...

Ai que aperto no coração :(

Anônimo disse...

Ahhhhh Marina is back! Adoro!!!
Espero que o desenrolar dessas duas (FM e Mia)seja o que quero, please!

Anônimo disse...

aaaaaaaaai meu coração não aguenta tantas emoções assim.

Gabs disse...

FM perdeu a Clara, e agora está prestes a perder ou a Mia, ou Fernando. O problema é que a Fm e a Mia são inconsequentes e de um jeito ou de outro sempre acabam caindo em tentação. Então acho que se ela terminasse tudo de vez com a Mia, ia ter que se afastar do Fernando também, dos dois. De qualquer forma, agora mais do que nunca, FM está perdida.

Pathy disse...

Agora sim senti firmeza na FM. A Mia precisava mesmo dessa "prensa" pra tomar uma decisão, e adorei o jeito como a FM fez u.u
Marina, eu sou louca por você <3
HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHAH

Flavs disse...

O que seria da FM sem a Marina?

Anônimo disse...

Mia imprevisível mesmo! Realmente não imagino a decisão dela, e se a FM vai aceitar... e o Fer, tadinho :(
próooximo post, Mel, #porfa!

post fazendo muito jus ao "fucking mia", no sentido de "maldita" Mia...

@livia_skw disse...

Sinceramente? Acho que a Mia vai ficar nesse "chove-e-não-molha" por um tempinho. O sentimento dela pela FM não é tão intenso, tão definido.
E não acredito que as coisas serão assim, resolvidas pelo diálogo.
Pra mim, o Fer vai descobrir, vai rolar quebra-pau, o triângulo vai lavar roupa suja e todos se sentirão culpados, e pior ainda: magoados.
Confesso que tenho muito medo do fim dessa história.
Mas talvez a Mel seja boazinha e junte os três, numa espécie de poliamor no fuckin' apê (:

Anônimo disse...

Sofrendo aqui com a FM... e com a Mia tbm... "Eu chorei sem disfarçar..."

Anônimo disse...

"Eu,meu,eu não quero ficar sem você. Não de novo."
Aaaai, Mia!
Post MUITO BOM, as responsabilidades e culpas divididas, tudo falado às claras, finalmente.
Só tô com pena de FM, é muita coisa ao mesmo tempo. Ela podia ter esperado um bocadinho mais. Só acho.
Mas confio na Mia. E na Marina. E na Mel! hahahaha

Anônimo disse...

Mia mais sentimentalista, finalmente mostrando uma posição em relação à FM!
Ainda acho que a FM surta com tudo isso... aliás, surta ainda mais! Por mais complicado que seja tudo, não devem falar já pro Fer! Acho que devem continuar aproveitando esse momento delicioso que estão passando, onde as duas assumiram que se amam!

Vamos aguardar cenas do próximo episódio. .. só dona Mel para nos salvar! Hahaha

Anônimo disse...

Creio que entualmente o Fer vai descobrir sobre elas e isso me deixa feliz pelo fato de que a FM e a Mia vao poder ficar jutas, mas por outro sinto medo que uma das duas nao queira por ter magoado o Fer... Mas de qualquer modo, ele precisa saber logo!!

Anônimo disse...

sou a favor do Fer descobrir sozinho. sou a favor do barraco. e de posts em CAPS LOCK! <3

Anônimo disse...

Oi mel,
Então estava querendo saber quando foi q comecei a ler o blog e bom só lembro q o primeiro capitulo q li(antes de perceber q deveria ler de baixo para cima rs)era um no qual a FM estava deitada no sofá e ouvia a mia e o fer conversando na cozinha depois de terem chegado e bom se ñ me engano isso foi na época em q a FM e a mia ainda ñ tinham tido nada.

Sei q ñ é muito porem quem melhor pra me dar uma ajuda do q a autora do blog né rs

E bom este é meu primeiro comentário no blog então sei la prazer meu nome é tayane e bom nem preciso dizer q amo o blog e q ele é tipo muito perfeito né(acabei dizendo)rs

Anônimo disse...

Que dor no coração! Cadê o próximo? Hahaha.
Acho que Fer vai descobrir antes delas conseguirem falar com ele > Mia e Fer terminam > FM e Mia ficam bem por uns dias e então as coisas vão começar a dar errado por causa do Fer (saudade, peso na consciência, whatever) > FM pega a Clara > A confusão recomeça.
Ansiosíssima...
Nunca me canso daqui, Mel. Cê é incrível!

(E além de toda a história, a trilha é perfeita. <3)

( the girl fucking Mia ) disse...

Tayane, muito prazer, sua linda! Amei o primeiro comentário. Obrigada pelo elogio ao blog e pelo comentário em si que também achei fofo <3

Bom, vou tentar ajudar. Eu lembro apenas deste (mas é possível que haja outro em que ela está no sofá ouvindo os dois!). Fiquei na dúvida pois, neste, ela e a Mia já tinham ficado. Inclusive é nos posts seguintes a este que o Fer descobre que a Mia o traiu e rola o maior barraco, a F.M. fala pra Mia que a ama pela primeira vez e Fer termina com a Mia. :P

Veja se acertei: http://fucking-mia.blogspot.com.br/2011/02/as-macanetas.html

Um beijo! E obrigada a todas as LINDAS que deixaram comentários. Vocês são o máximo. Adorei as previsões do que vai rolar com o Fer, a Mia, a F.M., tudo é possível :) hahaha continuem escrevendo, vocês fazem esta blogueira super feliz mesmo!

Anônimo disse...

Meeeeel, pelo amor de Deus, um final feliz pra Mia e pra FM, pleaaaase!

Fernanda disse...

Juro que não consigo ter pena da FM. Ela só faz merda. E na hora de tentar "consertar" algo,só sabe ficar xingando... Tipo de pessoa q eu não teria um pingo de admiração. Conseguir ser feliz com a Mia ou com quem quer q seja dps de ficar anos enganando o melhor amigo? Impossível.
Ai tô com uma implicância infinita dessa garota... Tem mais é q sofrer e ficar sozinha para vê se cresce! Já deu, tá ficando repetitivo já...