- »

junho 24, 2013

00:42:19

_Ahhh... – a Marina se desmanchou, em meio ao meu apartamento naquela quinta – ...vocês podiam ir morar juntas! Na casa que ela desenhou. Não seria LINDO?!

Revirei os olhos, rindo, e fechei a imagem com o desligar do celular – “aham, não viaja, Marina!”. Não era pra tanto assim. Ela então me abraçou – contra a minha vontade –, imersa em um acesso de fofura desprezível. Fiz com que se afastasse da minha pessoa. Ela resmungou: “você não saberia o que é romantismo, cara, nem se te atropelasse”, achando graça do meu mau humor toda vez que eu me retraía, dados seus ataques de empolgação.

_Não é isto. Eu sou perfeitamente capaz de apreciar. Fiquei feliz. Não preciso sair pulando e desenhando mil arco-íris na parte de trás do meu caderno, preciso? – ri, tragando um cigarro aceso minutos antes.
_Pois eu, que sou normal, achei adorável da parte dela. Você devia estar mais animada com as suas conquistas, a Mia parece enfim estar vindo na sua direção...
_Eu estou... – resta saber se o acidente vai ser maior, agora.

Nós cozinhávamos. Minha adorável ex-namorada checava, no forno, o progresso das panquecas que eu mais cedo improvisara. Era um fim de tarde gostoso. Os recheios variavam entre queijo e carne moída comprada pronta. Eu zombava deliberadamente da Marina, que agora abria a sua segunda latinha da chá gelado, conforme eu iniciava a minha terceira cerveja. “Não vai exagerar, hein...”, eu ria. E ela revirava os olhos para mim. “Como você é tonta!”, reclamou. Beijei a sua testa então e me abaixei novamente para checar as panquecas. Levariam mais alguns minutos para ficarem prontas. E quando ficaram, nos sentamos na mesa da cozinha – a Marina controlava o horário para sair incessantemente. Encontraria a Vivian na porta do show, na saída dali.

_Tenho um anúncio a fazer...
_Hum. Diga – a encorajei, enquanto cortava o primeiro pedaço.
_Vou fazer uma tatuagem!
_O quê?! VOCÊ?!? – ri.
_É. E uma grande...
_Ahm. Sei – eu ria, ainda – “Grande” quanto?
_Tá. Média. Mas ainda assim, você não está orgulhosa de mim?
_Muito... – achei graça, ela me olhava com uma expressão vitoriosa de quem-é-a-certinha-agora e eu tomei mais um gole da minha cerveja – Tá. Mas conta aí, o que você vai fazer? Já sabe onde?
_Não sei. Preciso que você me indique um estúdio! Não consigo pensar em nada, meu! E nem onde fazer. Eu não quero que fique exposto demais, nem que... doa muito...
_Má, vai doer.
_Eu sei. “Não muito”, eu disse.
_Faz na coxa. Ou nas costas, no antebraço. Sei lá.
_Na costela dói, não?
_Dói – ri.
_Ai, está vendo?! Não fala isso, eu estou com medo. Estou quase mudando de ideia, decidi ontem e hoje já estava surtando no telefone com a Vi, eu morro de medo da dor. Mas não queria fazer meia estrelinha, queria alguma coisa bonita.
_Não é tanto assim, vai... – eu me divertia com a ideia da Marina sendo tatuada por algum dos meus amigos brutamontes – Dá pra aguentar. É só não fazer na costela, oras. Faz em outro lugar. Quais são suas ideias?
_Ah. Não sei. É muito bobo fazer um bicho? Eu pensei numa frase, mas não sei se quero escrever nada. Aí pensei em fazer uma coruja.
_Uma coruja?
_É. O meu animal favorito, lembra? – ela me repreendeu – Ex-namorada do ano você, hein.
_Que foi? – me defendi, indignada com a indireta – Me diz, por que diabos eu ia lembrar disto? Se você algum dia me falou, faz anos. Você só fica guardando essas informações – ri – pra se vingar de mim, na boa.
_É. Isso mesmo. Você gosta de libélulas, tá, EU sei. E pra sua informação, eu não só te “falei” isto anos atrás, você me deu também um colar. Que por sinal eu guardo até hoje!
_Ah, é... verdade – eu sorri, meio amarelo.
_Sério. O que eu via em você?
_Não é de propósito. Eu só... fumo, muito. Mas não é como se fosse pouco caso – ri, de novo –. Na época eu sabia, tá vendo? Você mesma confirmou aí. E tenho certeza de que você não lembra de tudo! Fala, qual minha cor favorita?
_Verde.
_Tá – merda –, e então... minha comida favorita?
_Lasanha.
_Que saco, hein. Ah! Com quantos anos eu dormi com a primeira menina?
_Dezesseis.
_Quinze!
_Mas seu primeiro namoro foi com dezesseis...
_Dezessete. Eu peguei ela com dezesseis, uma vez. Fomos namorar só no outro ano, tá? Tá vendo? Você não sabe de tudo. E eu sei quantos anos você tinha na sua primeira vez... – brinquei, sem jogar limpo.
_Engraçadinha, assim não conta.
_Nossa! Que péssima ex-namorada que você é, Marina, meu deus.
_Ah, é. Então, vai! Fala: quantos anos eu tinha quando dormi com você? – ela me desafiou no meu próprio jogo – Vamos, Sra. “Eu Sei Quantos Anos Você Tinha Na Sua Primeira Vez”, quero ver.

Droga. Quanto era mesmo?

_Vamos... fala aí.
 _Dezen... não, VINTE! Vinte!! – hesitei, sem ter certeza –. Vinte?
_É. Mas senti uma engasgada aí, hein?!
_Ok... – eu ri também, abaixando a cabeça e então olhei para ela, surpresa – Caralho, Má, faz mais de seis anos já. Estamos ficando velhas...

Me senti uma bicha por um instante. É bom te ter ao meu lado, garota. O resto do jantar foi tomado por nostalgias. Minhas e dela – não apenas as nossas, juntas, mas outras também. Era bom poder estar com ela assim, sem preocupações. Ela se despediu de mim nem meia hora depois, ao passo que o Du chegava em casa e a tempo de ir encontrar com a Vivian em um barzinho na Vila Madalena, onde assistiriam uma cantora de MPB – provavelmente lésbica. Eu me larguei no sofá, agora sozinha na sala. O Du estava trancado no quarto. E me pus a assistir um filme na televisão, alguma exibição nada inédita do Poderoso Chefão. Não prestei muita atenção, estava quase apagada sobre uma almofada, quando o telefone tocou – era o Fernando.

_E a...
_VOCÊ ESTÁ EM CASA? – ele soava nervoso, eu não entendi.
_E-estou... por que, aconteceu alguma coisa?
_EU ESTOU INDO. FICA AÍ!!

Desligou. E uma ânsia tomou conta do meu estômago.

21 comentários:

Anônimo disse...

KRALHO!!! JURO Q SENTI VONTADE DE VOMITAR NO FINAL!! NAO!! NÃO PODE SER OQ EU TO PENSANDO!!!!!!!!!!! =((((((((((((((((((((((((((((((

Anônimo disse...

ai mel, meu coração </3

Juliana Nadu disse...

Só uma palavra:

PUTAQUEPARIU!!

que dor de barriga............................

Anônimo disse...

nao pode ser oq estou pensando!!!
:(

Anônimo disse...

eu estava tao feliz com a marina linda no post qu nao tava pronta pra isso.... foi um soco na cara !! não quero !!! alguem para o relogio, pfvr ??

Anônimo disse...

Sei q pedi isso mil vezes ,as agora q chegou Ñ QUERO MAIS!!! Faz parar! A amizade dels não pode acabar =/ =/

Cris F Santana disse...

Minha reação instantânea aqui:
AI CARAAALHOOO!!

#nervosa

Anônimo disse...

Lá vem merda!

Estou adorando a Mia e como as coisas estão indo com a FM, não estrague minha alegria Mel. ¬¬

Anônimo disse...

Os títulos são uma contagem regressiva!!!! Hahaha amei esse! Marina maravilhosa, quero uma pra mim! Agora traz logo o Fernando pra desabafar com a fm sobre o pé na bunda q ele tomou da mia. Hahaha

( the girl fucking Mia ) disse...

São! :)
(eu disse que era simples...)

Anônimo disse...

#agorafudeu

Anônimo disse...

PUTA MERDA DO CARALHO!!!!!!!!

eomundojoao disse...

e o proximo post já é hj, né?! pq sacanagem terminar assim e o proximo demorar mais de 24h

Anônimo disse...

~momentos de tensao~

Anônimo disse...

sooo fucking sad. FM ;(

Pathy disse...

Melissa que cê vai fazer, cara?? hahahahah

#Nervosa

P.S.: Essas duas são lindas demais juntas <3

Diii disse...

Assim acho q o Fer sabe q tem alguém na vida da Mia, mas não sabe q é a FM.
Será???

Parabéns, Mel. Mto bom o post

*ansiosa*

Anônimo disse...

Mel, é impressionante como em um único post vc mexe com os nossos sentimentos.
É capaz de despertar várias coisas em poucas linhas!


E por favor, não demora com o próximo! :)

Anônimo disse...

Eu já estava com dor no estomago. Depois dessa então... Mel sempre matando suas leitoras. Kd o próximo plmdds

LU disse...

OK! Agora q eu já sei o que é um post sapatônico - lindamente escrito kkkkk... manda vê no fim do suspense!
:)

Bruna disse...

Aaaiiii.... momentos de tensaoo!!!

Proximo post jaaa!!!