- »

junho 06, 2013

Plano A

Foi um beijo acidental. Ou quase. Destes que tocam o canto dos lábios, aos poucos e logo terminam. E ela sorriu, tornando a se encostar contra o banco de madeira, deitada. Esparramou os cabelos morenos pelas vigas. Seus pés descalços agora deslizavam pelo meu colo e sobre os meus antebraços – eu a observava, quieta. Ali, à minha frente. Contorcendo-se, como uma proposta tentadora que se desdobrava sutil. E eu me segurava. Os seus calçados largados aos pés do banco, ela estava meio embriagada. Uma semana inteira sem tê-la.

A nossa aventura isolada no terraço do Flamingo – o primeiro beijo realmente em público – havia sido um pouco mais faminta que esta última; e continha o meu verdadeiro espírito naquela noite. Ansiava por ela, de todas as formas. E ainda assim não ia levá-la para casa comigo depois. Em partes por não querer que a Marina me enchesse no dia seguinte, noutras por pura convicção. As garotas conversavam ao nosso redor, na varanda do segundo andar, mais comportadas que antes. E a trilha sonora seguia pelos anos 60 norte-americanos.

_Estou entediada – a Mia sentou-se ao meu lado e sussurrou, em meu ouvido.

O meu primeiro pensamento foi me trancar com ela no banheiro – óbvio. E, ah, como seria bom. Mas já havia escancarado as portas da integridade com aquele um beijo e meio, não precisava de uma ressaca moral ainda pior na manhã seguinte. Então sugeri que saíssemos dali; “vamos descer a Augusta”. Ela sorriu. E logo topou. “Me liga quando forem”, avisei a Lê e a Ana, que mais tarde iriam para o meu apartamento passar a noite. Ou esperar o metrô reabrir – ambas moravam longe. A Mia foi adiante pagar.

_E... – a Marina me perguntou em um canto, ao se despedir – ...afinal, o que achou dela?
_De quem? – fiz como se não a tivesse entendido e ela me encarou indignada, lançando um olhar de relance na direção da Vivian, que estava sentada a uns passos de nós – Eu sei... – suspirei, pouco disposta – Ah, sei lá, Má. O que você quer que eu diga? Vocês parecem se dar bem, oras...
_Mas você acha que ela tá afim de namorar? Ou... não sei, o que você sentiu dela?
_Linda, na boa, não conheço ninguém que não namoraria você. E ah, ela parece o tipo de gente que, sei lá, gosta dessas coisas que você gosta. Sabe, toda certinha e tal.
_Eu não sou certinha!
_Não, que é isso... – comecei a rir, irônica – ...realmente, bem mais porra-louca que eu.
_Por que?! Só por que eu quero um relacionamento sério?
_Isto, sim. E casar, e formar uma família, e construir uma carreira. Economizar dinheiro antes dos 30, essas coisas. E não faz essa cara aí, não estou dizendo como se fosse ruim, é só, sei lá, você. Eu acho legal. E a Vivian aí também... – ri.

Ganhei um tapa de leve no braço e um beijo no lado esquerdo do rosto. Desci as escadas. Já no primeiro andar, a Mia conversava com a atendente incrivelmente gata do Flamingo, a que ficava no caixa e que arrancara elogios da Letícia horas antes. Paguei a minha comanda também para ela. E a Mia conquistou um sorriso antes de sair – achava certa graça em vê-la flertar com outras mulheres. O que vai contra todo bom senso, admito, pensei. Mas era como se a sua atração reafirmasse, de forma natural e não somente falada, as suas preferências.

_Mas, e se alguém ver a gente? – a Mia sugeriu, conforme eu acendia um cigarro e saíamos na calçada.
_Não estamos fazendo nada...
_Tá. Mas o Fê não sabe que eu vim.
_E é, qual é a de você dando rolê sozinha sábado à noite? Nem eu entendi essa.
_Não tô sozinha. Estou com você, não conta? – riu.
_Você sabe o que eu quis dizer.
_Ah, nós... não sei. Eu já te disse. Está estranho. A gente se gosta ainda, é só que... se eu te vejo durante a semana, não é legal com ele depois. E nessas semanas que eu fui mais lá no apê, acabei me afastando um pouco... – podia ouvir o Fernando repetindo estas mesmas palavras, todas as vezes que eu e a Mia nos aproximamos nos anos em que namoraram; sem suspeitar o quanto seus comentários faziam pesar uma culpa silenciosa dentro de mim – E aí ele desencana. O Fer é meio cabeça-dura também. Ontem discutimos, por isso. E hoje ele já não me ligou. Eu até que queria não demonstrar tanto – ela brincou –, mas eu não sou como você.
_Eu?! – ri, tragando – Aham, tá. Até parece.
_Bom, você não parece ter problema... – ela me provocou e revirei os olhos, ciente da minha boca maior do que qualquer bom senso existente – E a propósito, você nunca me contou o que aconteceu com você e a Clara...
_Ah! – achei graça – E você quer falar disso aqui?
_Por que não?!
_Não.
_Por que?!
_Porque eu não quero.
_Uhh, “bravinha”. Não precisa ficar toda séria aí.
_Cala a boca, Mia... – eu ri dela e o meu corpo trombou de relance no seu – E esse shorts aí, hein... – a observei – a gente não tinha uma regra pra isso, não?!
_Ah, essa regra só valia para quando você ainda estava com a Clara.
_Que mentira. Claro que não!
_Hum. Fácil, me leva para o seu apartamento que eu tiro, então... – ela me olhou de volta e riu, roubando o cigarro das minhas mãos, bem frente ao Vitrine.

Vai pensando que é fácil assim, vai, garota. O plano agora é outro.

17 comentários:

Ana disse...

Ótima surpresa pra comecar o dia, Mel!!!

Anônimo disse...

"Fácil, me leva para o seu apartamento que eu tiro, então..."
essa continuação ficaria boa com Depeche Mode - Slow... sexo em forma de música

Liz disse...

Preciso de uma mia na minha vida!

Anônimo disse...

Tempos outros esses.
Eu quero ver msm eh o plano da Mia.
Bora lá!

Anônimo disse...

Sinto falta da Clara.

Juliana Nadu disse...

"Me leva pro seu apartamento que eu tiro" |uuuuuuuuhhhuuu meldels!!!

QUEM RESISTE PORRA?!!??

Ianca' disse...

A Mia na bandeja, véi hahahahahahahaha

Pathy disse...

Ela se dá toda meu.. <3
( e pq você me fez lembrar da Clara?! =/ )

Anônimo disse...

ai com essa mia, só quero ver a fm ficar querendo resistir a noite toda kkkkkk. leeeeeeeva pra casa logo!

Anônimo disse...

Mia sua safada! Mas olha, bateu uma saudade daquela argentina ):

Anônimo disse...

TIRA O SHORT PRA MIM, MIA, EU TE TRAGO PRO MEU AP!

Diii disse...

Obrigada pelo post, Mel.

Adorei essa fase da Mia. Team Mia always! !

Anônimo disse...

Mas que saudadea de argentina, nada.
Mia, sua linda! Vai fundo!!
Hahahahaha
Team Mia sempre!!

francielli# disse...

mia tri safadaaa.. e dai vão ou não tirar o tal short ???

Anônimo disse...

Tiraaa... tiraaa... tiraaa...
Adoro a Mia safadinha assim.
Mais Mel... pleaseeeeee!!!
E obg pelo post. Tava c sdd de ler seu texto já.
(ANA CURI)

Anônimo disse...

Obvio que no plano B elas vão acabar na cama...:P

Anônimo disse...

A Mia com atos da FM, FM meio que conservadora como a Marina.... tá uma adorável confusão!

E quero saber como a FM vai fugir dessa proposta! Haahah