- »

julho 07, 2013

Afagos

O apartamento estava diferente de quando a Marina o deixara, algumas horas antes. O Du levantara as cadeiras – mas ainda restavam discos e um caos de papelada espalhados pelo chão. Da região do corredor à parte de trás do sofá era a pior. Foram quase cinquenta minutos até a Marina vir da Vila Madalena para a Frei, entre pagar a comanda no bar e atravessar o trânsito de São Paulo naquela quinta-feira. Quando enfim entrou pela porta, o Du estava ao meu lado no sofá, me consolando um tanto sem saber o que fazer.

Eu tinha os olhos escondidos nas mãos. Não falava uma palavra sequer e as lágrimas ainda corriam pelo meu rosto. Em silêncio. Os meus batimentos cardíacos pareciam ter passado de acelerados à beira do catatônico, agora completamente esparsos. Os meus pensamentos eram lentos e sofridos. Eu me odiava. Não queria mais existir ali. Os dois – a Marina e o Du – conversaram então perto da porta, em tom baixo. Não levantei a cabeça para ver.

Algum tempo depois, a Marina se sentou ao meu lado; e ele pareceu seguir até a cozinha. Ouvi apenas os seus passos. Em um ritmo cuidadoso, a mão dela começou a acariciar o meu cabelo. Eu não ouvia o que dizia. Se é que dizia algo. Não havia ânimo para conversar, eu não queria me mover. A sua presença ali, todavia, por mais estranho que isto soe, já ajudava. Eu só não quero ficar sozinha. Não podia conceber uma vida sem o Fernando ali. E destrui-lo me destruíra de volta, sem precedentes. O que eu faço agora, Má? As palavras mudas ressoavam dentro da minha cabeça. A sala toda em silêncio, permanecemos assim por algum tempo. O sentimento, a atmosfera eram pesado. Os minutos se passaram.

_Olha... – o meu celular começou a tocar e ouvi a voz do Du surgir por detrás do sofá – ...é a quarta vez já.
_Deixa que eu atendo – a Marina disse –. Só, fica aqui?

Ela se levantou então. O meu telefone havia sido confiscado pelo Du, ao fim da última ligação atendida, e agora ele o carregava no bolso, bem longe das minhas mãos. Pouco tempo após ouvir a Marina atendendo, escutei a porta da frente abrir e se fechar. A sua voz sumiu. Não sabia se era o Fernando ou a Mia – o Du o ignorara e eu não a atendera. Não conseguia ouvir a conversa. E àquela altura, sequer queria. Continuei prostrada sobre mim mesma, ambos os pés sobre o sofá e os joelhos dobrados na altura do rosto, escondendo as minhas mãos e as lágrimas que corriam.

Mais uma eternidade se passou – quinze, talvez vinte minutos. Até que ela voltou:

_Ele disse que vai parar de ligar.

O meu coração acelerou novamente. Ergui a cabeça:

_Era o Fer??!? – exclamei, num susto – V-VOCÊ DISSE QUE SABIA??!??
_Não. Não falei nada. Calma... – ela veio na direção do sofá, para perto de mim, e se sentou de novo – Nós conversamos um pouco, eu disse que sabia que vocês tinham brigado só. Mas que tinha acabado de chegar...
_E O QUE ELE DISSE??!? E-ele te contou????
_Contou, flor. Ele está muito mal.
_P-POR QUE??!? MAL COMO??!??
_Ah, linda. A voz dele, as coisas que ele disse. Mas eu falei que você estava sofrendo muito. Vocês precisam se acalmar, os dois, sabe. E se acertar direto... Vai dar tudo certo.
_Onde ele tá, Má??! – eu me desesperava.
_Não agora, linda. Dá um tempinho. Ele não está com a cabeça no lugar ainda...
_MAS ELE FALOU ONDE ELE TÁ??!? ELE AINDA TÁ NA AUGUSTA??!?
_Não sei. Eu não sei mesmo, flor.
_NÃO! V-VOCÊ NÃO CONHECE ELE, VOCÊ NÃO SABE COMO ELE É!! MÁ, E-ELE VAI SE MACHUCAR!! ELE VAI ENCHER A CARA, VAI FAZER MERDA!!
_Fica tranquila. Vai ficar tudo bem, nós conversamos; não vai acontecer nada.
_V-VOCÊ ACHA QUE ELE CONVERSA COMIGO??! E S-SE EU FOR COM VOCÊ?!??
_Não, linda, calma. Não vamos por aí, a g...
_E-eu PRECISO falar com ele, Má! EU PRECISO!!! E-ele... – eu chorava, agora olhando para ela – ...ele saiu daqui me, e-ele m... ele me odeia, eu n... É O FER! O QUE EU VOU FAZER SEM O FER, PORRA?!??
_Calma, flor. Ele acabou de descobrir, é assim mesmo. Você já sabia que ia ser assim.
_Não, Má. Não. É o Fer. É O FER! Esse moleque é A MINHA VIDA!! E-eu não sei o-o q-que é EXISTIR sem ele, porra, e-ele... – as lágrimas desciam pelas maçãs do meu rosto – ...estava lá d-desde a minha pré-adolescência, desde n-não sei nem quando!!! E-esse tempo todo, caralho. E-ele não pode sair daqui m-me odiando, e-eu preciso dele. EU PRECISO CONSERTAR ISSO, MÁ!!  E AGORA!!! EU PRECISO FALAR COM ELE!!!
_Você vai ter que ter um pouco de paciência, flor. Não vai adiantar nada você falar com ele do jeito que ele está agora... – eu enxugava os olhos e balançava a cabeça, me recusando a esperar – Escuta, por que você não passa lá essa semana? Tenta sentar com ele, explicar tudo com calma. Se desculpar. É a namorada dele, linda... ele gosta muito da Mia, não é fácil para ele. E o Fer gosta muito de você também, você sabe. Senão não estaria ligando.
_E-ele só está ligando para me dizer o-o quanto ele me despreza, Má, a-as coisas que ele m-me disse h-hoje... – tudo voltava à minha cabeça e me feria de novo; e de novo.
_Me escuta, por favor. Te garanto que ele não estaria ligando s-se não... – os olhos da Marina marejavam, em uma empatia doída – ...te amasse muito ainda. Ele não te detesta; ele só está machucado, flor. E v-você tem que entender, tem que dar um tempo pra ele. Se ele te detestasse de verdade, ele sairia daqui e não se daria ao trabalho de falar mais nada.
_E-eu fui uma escrota; eu... e-eu SOU A PIOR AMIGA DO MUNDO!!
_Não é... – ela deslizava o dedo pelo meu rosto, limpando as minhas lágrimas com carinho – Todo mundo erra, linda. Você não tem culpa por se apaixonar por ninguém, vocês foram acertando o caminho de vocês aos pouquinhos...
_Às custas dele, Má!! ÀS CUSTAS DELE!! O FER É MEU AMIGO, CARALHO!! EU SOU UMA IMBECIL!!! COMO??? C-COMO EU POSSO ESPERAR QUE ELE ME PERDOE??!? EU NUNCA MAIS OLHAVA NA MINHA CARA!! E-EU...
_Calma. Ele só precisa de um tempo, mas ele vai entender, flor... – desta vez, eu não tinha certeza se a Marina tinha razão – A sua amizade é importante pro Fer, é muito importante. Dava pra sentir só na forma como ele falava. É só que...
_N-não é assim, Má...
_Escuta. Se você for falar com ele daqui uns dias, eu sei que v-vocês podem se entender melhor – a Marina quase chorava junto comigo –; vale esperar um pouquinho e tentar. Ele só está magoado.  
_M-mas... – nisto, o telefone voltou a tocar no colo dela e eu a encarei – ...É O FER?!??

26 comentários:

Anônimo disse...

eu quero que a fm se entenda com a mia só hahaha to sendo mt pau no cu por querer isso?

Anônimo disse...

Não, é a Mia...
Ai, que dó da FM, mas claro que só poderia ser assim doído. Muito doído.
Parabéns, Mel, tá passando perfeitamente a angústia e sofrimento deles.

Anônimo disse...

Aaaaaaaai *-* Marina toda linda: "vc ñ tem culpa de ter se apaixonado", aaahhh!!! Quem resiste????

Aléxia Carneiro disse...

É O FER???????????????????????????????????????????????/

Anônimo disse...

Fica cada vez melhor!!!

Anônimo disse...

Eu aposto na Mia. TEM QUE SER A MIA!!!

Anônimo disse...

Comentando pra ter logo o outro post ;3

Anônimo disse...

Isso é mto dificil. Eu tento ver o lado de todos eles e não é facil mesmo =// Deu pra acompanhar o quanto a FM sofreu esse tempo todo e o quanto ela não conseuia deixar de amar a Mia, ao mesmo tempo é foda pro Fer... eu espero mesmo q a Marina esteja certa e q eles encontrem um jeito de se resoler!! A amizade deles é muito incrivel para morrer assim =// TORCENDO!!!

o blog é demais, mel!

Anônimo disse...

Concordo plenamente, tem que ser a Mia, sempre foi pra ser, não tinha como nada ser diferente do que está sendo..

Anônimo disse...

É a Mia!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

A Marina é demais! Eu gosto tanto da fm, quanto do fer e é um sofrimento ver eles assim brigados por ostarem da mesma mulher D: mas gosto da mia tbm kkkk então não, sei! eles vão ter que se ajeitar!!! é meu sonho!

Anônimo disse...

Marina, pra variar, está certíssima!
Falar de cabeça quente só sai merda. Tem que dar um tempo, esperar a mágoa estabilizar (sim, porque pra diminuir demora um bocado) e só aí tentar, talvez, uma reaproximação para conversar, se explicar.
Nem um pouco fácil...porque dá uma vontade desgraçada de ir atrás, de falar. Mas não dá certo...
Mia, sua linda. É você? Atende, FM <3

Anônimo disse...

É a mia, claro! *-*

Anônimo disse...

Próximo post, ráápidooo :x

isa disse...

Sem querer ser chata, mas acho bem feito tomar na cara depois de fazer tuto isso.

Marianna disse...

Ai.. TEM QUE SER A MIA.

Laís Morais disse...

Eu gosto muito da FM, mas acho a Mia um tanto sem sal, sem personalidade. Não me levem a mal, torço muito pela Mia, como nunca torci pela Clara, por exemplo, mas talvez seja agora a hora de a Mia se mostrar um pouco mais.

Anônimo disse...

CADÊ O OUTRO POST??? O.O

Anônimo disse...

Impressionante como a Marina trouxe serenidade e calma... Marina sua linda.. <3
Obg Mel...
(Mariana Curi)

Anônimo disse...

Posta a segunda parte, Mel! Já passou de 10 comments ;)

Anônimo disse...

Chorando junto com a FM ):

Anônimo disse...

Entendo e concordo com a Laís.
Tá na hora da Mia se posicionar melhor. Se bem que só o fato dela ter terminado com o Fer - como a FM pediu, né? - já achei um enorme progresso. Ter falado delas duas...bom, inevitável, uma hora ele ia ficar sabendo.
Agora tem que ir lá ficar com a FM e aguentar o tranco junto. Pelo menos eu acho. E gostaria muito haha

Anônimo disse...

O 1º post que de fato não li completamente. Desinteressante! Quero saber de Mia, apenas.

Pathy disse...

A Marina emane uma calma que me faz sentir mais amor por ela. <3
FM calma, que pior não pode ficar. (Eu acho!)

Diii disse...

Pensasse nisso td antes de se enfiar nas calcas da mina dele, meu amor.
Agora já era. Quis a Mia, agora fica com ela. Fazer td isso e não ficar é pra apanhar até morrer...

Juliana Nadu disse...

Gente, que doçura!! que menina doce!! Nossa Marina te amo!