- »

setembro 03, 2013

Tabu

_De qualquer forma, eu achei que isso fosse meio mito – a Mia deu de ombros e riu, trocando olhares com o Gui –, não?

Logo vi que os dois se dariam bem e enquanto minha relação com aquele imprestável era algo que me trazia grande satisfação, eu só podia pensar maus frutos ao ter ela ao lado daquele desbocado. Mas a ideia me divertia.

_É. Médio – argumentei – Acho que é um pouco lenda, sim. Em parte porque, na real, lésbicas precisam bem menos de paus do que a sociedade gostaria de acreditar. E algumas simplesmente se recusam a praticar qualquer coisa que lembre, ainda que remotamente, a pornografia hétero.
_Nossa, mas isso não é meio...? – a Mia estranhou, sem entender o princípio.
_Ah, vá! Por favor, o corpo humano GOSTA de penetração... vocês gostam. E nós gostamos. Todo mundo gosta! Ninguém aqui é menos bicha só por isso. Isso é ridículo! – o Du se intrometeu, achando graça; os demais amigos deles nos olhavam como se fossemos loucos teorizando sobre cintaralhos em meio a um festival gratuito de jazz.
_Bom, tem gente que não gosta... – contestei e ele mostrou a língua, em desaprovação.
_Deixa disso. Apresenta para mim que eu resolvo, meu bem... – o Gui fez uma mímica de baixo nível com as mãos, em frente ao quadril; e a Mia riu.
_Mas, é. Só por que os héteros pegaram primeiro, não quer dizer que eles inventaram a porra do prazer todo...
_Não mesmo. Isso fomos nós... – o Du me complementou e olhou para a Mia, cochichando – ...casais gays não menstruam.
_Ah, mas espera lá! – aumentei o tom da minha voz, me divertindo com o tema –, esse era justamente o meu OUTRO ponto! Por que metade pode até ser lenda, mas a outra metade é pau no cu dessas minas também, né.
_Não literalmente, você quer dizer...
_Não, óbvio que não – ri da gracinha da Mia e ela colocou a pontinha da língua entre os dentes, meio na minha direção; a noite seguia agradável (e imprópria) no Ibirapuera – Mas é sério: tem um problema com o prazer aí. Eu não sei de onde diabos surgiu agora essa onda conservadora no meio sapatão! Mano, juro, de cada 10 mulheres que eu pego parece que 9 são frescas. Puta merda! Na boa. Não era assim, não... – balancei a cabeça, rindo.
_É. Tem mesmo essa leva estranha que tem medo de competir com um vibrador; ou um consolo. Nós temos isso também, BEM INFELIZMENTE.
_O que é ridículo! Ridículo! – revirei os olhos, concordando com o Du  – Tipo, qual é? Porra! Você já é bicha, mano, dá mais dois passos pro lado de cá e se liberta de vez, caralho! Gente tosca! Eu não entendo sapatão reaça, não entra na minha cabeça. Mina que quer “fazer amor” estilo papai e mamãe por toda eternidade, cara, como me dá nos nervos. Argh.
_Né? Alô, alguém avisa a cidadã que NÃO TEM “PAPAI”!!
_É, meu!! Que TÉDIO. É sempre uma em cima e outra embaixo e quase sempre a mesma merda. E ainda te olha como se você fosse uma aberração por querer fazer qualquer porcaria diferente de uma comédia romântica com a Jennifer Aniston, mano. Que ódio. Na boa, dá vontade de gritar no ouvido da garota: “caso não tenham te informado, você já é uma anomalia pra metade do mundo, ok. Pode parar de seguir as regras deles”.

Pisquei imprestável para a Mia, ao comentar, e ela sorriu. Ela ouvia a discussão atenta, com interesse, e se entretinha.

_Bom, e daí tem ainda as pessoas como nós, né... – o Gui me olhou – Que somos porraloucas e não temos dinheiro para comprar nada disso.
_Exatamente – eu comecei a rir, colocando um cigarro na boca.

O resto da roda também gargalhou – e a minha intuição me diz que esse risinho nervoso de vocês todos aí é um indício de culpa no mesmo crime, pensei, me divertindo ao percorrer o olhar ali, em pé à esquerda do palco. “Tem vezes que é foda ser ator”, o Du brincou em seguida, sobre seu salário esparso, e o Gui emendou uma piada pronta sobre o fato dele, ao menos, poder se apropriar de itens de figurino e cenário. Eu ria do rumo da conversa.

_Não. Não, gente. Mas a Mia tem grana – fiz um gesto com a cabeça, na sua direção –. Ela pode comprar a cinta pra mim...
_Hum. E quer dizer que, se ela comprar, você deixa ela usar? – o Gui me provocou.
_Não. Óbvio que não. Eu uso! Do outro jeito não rola.
_Ah, mas... Nem se eu quiser muito? – a Mia embarcou no sarro, arqueando a sobrancelha para mim.
_Pára, não. De jeito nenhum.
_Ih. Achei que não existia esse negócio de “passiva” e “ativa”, hein. Você que me falou...
_E não existe. Ou não pra mim, na maior parte do tempo... – respondi, entre tragadas, ela se divertia e o Gui me encarava com um olhar acusador, como se eu envergonhasse ali mesmo todo o movimento dos LGBTs cabeça-abertas –. Não se trata disso! Eu só não, n-não... sei lá. Ia ser estranho demais, com você. Acho que cruza uma linha que eu não quero cruzar, saca...
_Que linha?! – o Du riu da minha cara – Só se for a dos ovários, né...
_AAAAAAAAHHHH! Não. Não fala isso! Pára. Chega, não, NÃO DÁ!! – só a ideia me causava estranhamento suficiente para fechar os olhos em constrangimento, gritando; eu ri – NO FUCKIN’ WAY! Eu faço qualquer outra coisa.
_Bicha! VOCÊ É MUITO BICHA!
_Ah, bonita, vai. A gente acha uma pequenininha pra você...
_Pára! Esse não é o problema – retruquei para a Mia, toda engraçadinha de repente, sentindo a roda inteira me observar; aquilo era culpa do Guilherme, as pessoas se sentiam livres para falar merda do lado daquele maldito, toda vez era assim –. Não é isso. Na sua mão, tudo bem! A minha questão não é com a penetração. O lance é com a parada lá, manja, atracada no seu corpo. ISSO não dá. Você compra e eu uso: fim de papo.
_Olha, se eu fosse você, eu revia isso aí. Vai que você usa e ela começa a lembrar do macho, a chamar o nome dele na cama... – o infeliz ainda comenta, completamente fora dos limites, para fechar com chave de ouro.

15 comentários:

Anônimo disse...

hahahahah pqp,totalmente sem nocao o ultimo comentário dele!!!

Anônimo disse...

A FM é mt DIVA nas respostas!!! e a mia dando corda pro gui kkkkk <33

Anônimo disse...

Maaaano, morri de rir!!
Melzita sempre surpreendendo, ameei o poste <3 hahahaha

Cris F Santana disse...

Nossa xD
Sem noção é pouco pra esses meninos! Hihihi

Juliana Nadu disse...

kkkkkkkkkkkkkk nossa! não esperava isso da FM na moral!!!

Camyla disse...

kkkkkkkkkkkkkkk Gui <3

Anônimo disse...

caralho, que mancada! D:

Anônimo disse...

caralho! muito amor por esse post. Não sei nem por onde começar comentando.. calma, deixa eu me organizar!

Acho q nunca ri tao genuinamente assim por aqui.. Porra, eu gargalhei com o "cruzar a linha dos ovários". HAHAHAHA.

O "colocou a pontinha da língua entre os dentes" me lembrou um post do OBC que é o meu preferido, "O Feriado". Sério, muito amor por ele! Eu acho ele TÃO incrível! Já mostrei pra tan-ta gente e TODOS, sem exceção, amaram. Enfim, essa parte me trouxe um sorriso.

Outra coisa que me chamou a atenção foi o vocativo q a Mia usou pra falar com a FM ali no final.. "bonita". since when isso dae? hahahaha

Agora finalmente, comentando sobre o tabu em si. Cara, esse é um tema q eu tenho vontade de colocar pra debate no grupo há tempos, mas mais especificamente esses últimos dias. Achei muita sintonia vc abordar a questão. =)

O q se passa cmg é q a minha namorada é - até hj - a única pessoa com quem fui pra cama. Ela já esteve com outras pessoas, mas penso q sou muito mais, ahn.. "open mind" do q ela. Ela nao curte penetração, do tipo, AT ALL! E isso é algo q sempre me incomodou, pq cara, eu tenho MUITA vontade de, de fato, come-la. hahaha.. Ela tem orgasmos através do clitóris e isso parece satisfazê-la 100% pelo q ela diz, pq sim, já conversei diversas vezes sobre essa minha frustração. Ela alega sentir dor, imagino q por ainda ter hímem, mas eu tento explicar, dizer q é normal, q é assim mesmo, q eu tbm sentia muita dor, mas q dps passou e agora é só felicidade. hahahaha.. mas nao adianta, nao há argumentos q a convençam.

Eu ainda sinto muita, muita vontade! Mas diante de tantos 'nãos' e 'assim tá machucando', hoje em dia eu lido com isso de uma forma melhor. Procuro entender q o corpo é dela e ela tem todo o direito de me dizer até onde posso ir, e, se ela sente prazer como as coisas estão, então eu devo respeitar.

Diante disso, dividi esse "não curtir penetração" com as minhas amigas - todas ex-heteros (hahaha), o q não é o caso da minha namorada - e nenhuma delas entende "como pode"... O q me fez pensar num cenário lésbico geral e querer saber: o quão comum é não curtir penetração NENHUMA??

Anônimo disse...

Mas que criatura bocuda hahahahaha

Anônimo disse...

Esse post me deu uma ajudada, minha namorada tbm é daquelas que curtem penetração 0 e ela foi minha primeira, eu como boa curiosa já quis fazer de tudo. Mas a penetração em si é toda uma negativa. Acho que é comum no cenário lésbico.

Anônimo disse...

Ai, Mel, eu ri aqui no meio da aula "cruzar a linha dos ovários" hahaha mto bom ;)

Pathy disse...

O Gui totalmente sem limites. hahahahah Eita comentário infeliz, meu.

Devo concordar com o Anônimo das 02:10 e levar essa "discussão" lá pro grupo. HAHAHAHAHHA

Anônimo disse...

Naaaaaao, comentem aqui, tragam a discussão pra cá! Acredito q vá atingir mais pessoas assim, q podem se manifestar anonimamente. Relatem casos de "uma amiga minha..." haha.. Quero mt conhecer outras histórias, outros casos, saber o q essas pessoas sentem, como é pra namoradas... Enfim. Super me abri aqui, não me deixem no vácuo, pfvr. Hahaha. =)

Obs. Sou eu de novo, anônimo das 2:10.

Mari Silva disse...

Acho que todas tem um amigo gay metido a Gui, incrivelmente desbocado e sincero. Rsr.
Amando essa liberdade, climiinha das duas <3

Anônimo disse...

mas que bixa bocuda hein? Pqp!