- »

novembro 09, 2013

A tal da Isa

Mas que diabos...? A Mia já tratou de olhar na minha direção, esperando a explicação mais descarada do mundo. E eu me perdi por um instante – Isa? –; vasculhando a minha memória, confusa.

_Quem é essa?! – me empurrou com o corpo e eu ri da reação dela.
_Pára! Não sei, meu... Conheço um monte de Isa, só não uma que fosse me ligar assim, agora. Du, tá falando aí se é Isabela ou Isadora?
_Não. Só tá “Isa” aqui...
_Isa? – eu repetia para mim mesma, murmurando.

E me veio então à cabeça uma garota com quem saí algumas vezes no ano anterior. Na minha fase autodestrutiva de depressão não-assumida, depois de um fora federal da Mia. Antes da Clara, da Patti, do rolo todoQuando as minhas saídas andavam aleatórias. Ou isto; ou era uma amiga da Lê, que eu também já tinha pegado uns anos antes. Essas eram as duas únicas a quem eu chamava pelo apelido e não pelo nome todo. Nenhuma das duas, entretanto, estaria me ligando hoje. Estranhei. 

A dinâmica era até que comum, volta e meia algum antigo casinho meu me mandava mensagem, do nada, como eu fizera com muitas delas no passado. Só que agora eu simplesmente ignorava. Geralmente estava longe da Mia quando recebia algo do tipo, muito esporadicamente – apenas uma mensagem ou cutucada. “Deixa aí na mesa”, pedi para o Du antes que ele saísse para a sala, “depois eu ligo de volta”. E o agradeci. A Mia imediatamente se opôs, indignada.

_Não vai ligar para ninguém, não! Como assim?! – riu.  
_Por que não? Se está marcado na minha lista, deve ser alguém.
_Exatamente... – ela disse, com certa razão, e eu comecei a rir junto.
_Tá. Pode ser, mas você não está minimamente curiosa em saber quem?
_Não.
_Eu estou...

Desliguei a torneira, enxugando as mãos, e caminhei até a mesa para pegar o celular. “Você tá me tirando que vai ligar mesmo, né??”, ela secava as suas na própria camiseta, meio achando graça e meio ofendida. E não – eu não ia ligar. Isto pareceria muito sério. Só queria mandar um SMS inofensivo e ver se descobria quem era e qual era a dela; comecei a digitar. A Mia se aproximou, espiando por de cima do meu ombro. Eu ri – “sai pra lá!”. “Estou fazendo carinho”, zombou. E me abraçando pelas costas, esticou o pescoço para ver. “Deixa de ser besta! Não é ninguém, meu...”, argumentei, já  enviando o SMS, “faz uma cara que eu nem falo com mina nenhuma! Com ninguém, aliás. Cê vai ver, deve ser uma parada nada a ver...”.

O meu celular logo vibrou com a resposta. “É a Isa, da Chilli” – droga. Era a primeira das duas Isas. Saí com ela quando não estava com a Mia. Era uma garota magnífica, meio louca e fascinante, tatuada, com alargadores e dreads até a metade das costas; nós tínhamos saído duas vezes num mês e outra uns meses depois. Isto é, não chegamos de fato a ir para lugar algum. Eu fui na casa dela e nós desistimos, todas as três vezes, de sair. Ficamos na cama, no chão, em diferentes lugares. Ela era amiga de um ex do Gui que, como a maioria da população sapatão de São Paulo, trabalhava na Chilli Beans. Eu sequer lembrava dela àquela altura! Acho que tinha uma namorada ou algo assim; por isso não saímos muitas vezes mais. Ou provavelmente porque fui uma babaca – naquela época da minha vida, admito, eu era uma babaca com todas as pessoas. Deve ter terminado o namoro, presumi. E outra mensagem chegou, em seguida.

Como vc. tá... ainda solta pela vida? ;)”. Assim que li, confirmando a minha teoria recente, senti um tapa por cima da minha cabeça. Da Mia – “essa tosca está dando em cima de você!”, disse indignada. “Não tá”. “Está, sim!”, ela riu. Encarei os seus olhos castanhos, por cima do meu ombro. “É só uma amiga...”, brinquei, sem verdadeira intenção de que aquele comentário fosse interpretado como sincero. E choveram tapas nas minhas costas. “Mas eu não fiz nada, porra!”, me defendia, sob aquele ataque injusto. “Manda essa menina pro inferno, pode escrever de volta aí!”, a Mia reclamou, praticamente ordenando. “E fala pra ela que cê não tá ‘solta’ coisa nenhuma”, completou. “Ah, não... é?”, virei na sua direção, largando o celular na mesa. Seguia achando graça na sua reação desproporcional.

_Não.
_Hmm... – abracei-a por cima dos seus braços, aproximando o meu rosto do seu – ...eu adoraria ouvir você explicar o quão solta eu não estou, então...
_Você vai responder para ela ou não?! – continuou, revoltada.
_Não – disse, rindo – que se dane essa mina aí, ela vai se tocar se eu ignorar. Agora – ameaçava beijá-la –, não acha que devíamos estabelecer então as regras dessa nossa nova...
_Nova...
_...situação.
_Ah, devíamos? Achei que você não gostasse de regras, meu...
_E não gosto. Só quero saber quais são para eu poder quebrar, todas elas – e antes que a Mia mandasse eu me foder, prossegui, imprestável –, aí quem sabe você me dá uns tapas de verdade.
_Filha da... – ela me segurou o rosto e beijou, colocando os braços ao redor do meu pescoço logo em seguida.

Subi um dos meus antebraços por debaixo da sua blusa, pressionando-a contra mim. Nos beijávamos ali, em pé. Pus a outra mão em seu rosto, por um instante. E a olhei. Encostei a minha face na sua.

_Hein, o que você acha... De nós duas juntas – sussurrei; os meus lábios agora quase colados na lateral da sua bochecha – desses tempos pra cá; você solteira, eu solteira...
_Você não está solteira... – ela respondeu, aos cochichos comigo, e riu.
_Não? – eu a segurava, envolvida – E você, hein... está?
_Eu, talvez. Mas você, não...
_Ah, e é assim? – falávamos baixinho e eu sorri – Acho que vou ligar pra essa Isa, então, por as novidades em dia...
_Não vai, não...
_Vou. Vou contar pra ela que tenho uma amiga solteira...
_Cala a boca... – ela sussurrava, abraçada com carinho em mim, no meio da cozinha.

21 comentários:

Anônimo disse...

***** cinco estrelas

Anônimo disse...

Eu queria poder cmpartilhar imagens aqui porque to simplesmente VOMITANDO ARCO-ÍRIS COM ESSAS DUAS *--*

Anônimo disse...

Ai, sá porra vai ficar séria! <33

Liv disse...

Nossa nossa nossa!
Um pedido de namoro está a caminho, só acho! <3

Anônimo disse...

Awn cheente!!! <3

Anônimo disse...

Ganhei o final de semana...

Anônimo disse...

Quanta boiolice, desse jeito vão acabar casando!
Mas essa fase das duas está mesmo uma delicinha <3

Ianca' disse...

Que adolescente, aff <3 lindo, que vontade de mordê-las! HAHAHAHA

deia disse...

demasiado fofissss!!!

Anônimo disse...

Anão, que lindaaas *-*
bem que podia rolar um eu te amo aí em? Meio difícil, mas podia.

Anônimo disse...

Aawnnn q fofas, to sorrindo feito besta aqui ♡

Anônimo disse...

meu, a mia parece tanto com a mina que eu amo <3

Anônimo disse...

Sempre me perguntei o que aconteceu com a famosa lista telefónica da FMe fiquei satisfeita de ver que ela está ignorando as outrs. E que as coisas estão indo tão bem com a Mia!!

Anônimo disse...

Todo mundo se cagando pela tal de Isa no post anterior, mas nesse todas agradecendo por ela ter aparecido! hhahahaha. Adorei o post. FM romantiquinha, qm diria? haha

Anônimo disse...

Que lindas! <333333
Ps. Quero uma Isa pra mim hahahaha

Lu disse...

Q meigo! <3

Anônimo disse...

Bc
Aaawwnnn *----------* olhos brilhando... A cada post fico mais encantada por essa história... Cade a Mia na minha vida, Mel?

Bárbara Leão disse...

Adooooro essas conversinhas q rolam quando a gente se abraça.
Sussurrando meio na boca, meio na orelha!
Aaaaii!
*_____*

Anônimo disse...

Esse post <3

Juliana Nadu disse...

Ta namorando! Ta namorando! Ta namorando!

Patricia Corrêa disse...

Ai meu coração, é amor demais da conta.