- »

janeiro 04, 2014

Are you nuts, are you nuts?

_É como, sei lá, se... – amassei os fios na minha cara e os tirei, encarando o Du em seguida – Eu fico fora de mim, perco a cabeça. Chega a ser ridículo. Eu lembro de vezes em que eu cheguei perto de chorar. CHORAR, mano! Acredita? Porque, sei lá, porque o meu corpo não sabia mais o que fazer, não tinha como lidar; eu tava literalmente explodindo e eu precisava me expressar de algum jeito, deixar sair de mim, dos meus poros; é brutal, mano. BRUTAL.
_Eu me sentia assim com o Martin... – o Du começou a rir, como se lembrasse de algo – Uma vez, na casa dele, eu disse que tava com vontade de devorar. Ele, de engolir os pedaços todos. E tava mesmo, de verdade! Ele estava morto, querendo dormir depois de trepar. E eu em cima dele, mordendo, lambendo, apertando, chupando cada centímetro. Frustrado por não conseguir meter ele pra dentro, mastigar, não sei, velho... Ele também não entendia porra nenhuma. Só que não é pra entender, meu, NÃO FAZ SENTIDO!
_É! Não faz! É só... um sentimento absurdo pra caralho. E forte, físico. Dá umas ideias surreais, mano, mas muito, muito reais ao mesmo tempo – peguei o cigarro de volta, tragando –. É uma desgraça. Toma completamente conta de você.
_É, meu. Desesperador.
_É... – soltei a fumaça no ar.
_E o foda é ficar aqui, sem os dois e falando deles.
_Gênios. A gente devia ir dormir, você tem ensaio amanhã e eu preciso acordar cedo, mano, ir trabalhar... Já tá tarde, cacete.
_Não. Vamos ficar mais um pouco, preguiça de levantar...

E assim, ficamos. Mas por algum motivo o assunto morreu, restamos ali em silêncio. Os dois. E o cômodo se aquietou; não havia rádio ou televisão ligados para interferir em nossa brisa embriagada, apenas o som dos nossos pensamentos ecoando isolados nas nossas cabeças. A minha imaginação voou perigosamente até aquele quartinho em Buenos Aires e refez com pesar as curvas e o corpo da Clara, aquela mulher; como se a pudesse tocar. Relembrava tudo, a forma como ela sorria, ali bêbada, comigo. E me veio na boca o gosto do vinho, que eu lambia da sua pele. Hum. Respirei fundo. E passei a mão no rosto, os olhos fechados. Me tornando afobada. Imaginei de uma vez todas as vezes que a comi no seu quarto claustrofóbico, com panos nas paredes, em Pinheiros; ou no meu. Não. Para com isso, porra. Traguei e expirei toda a fumaça, frustrada. Maldita. O cigarro já estava quase no final.

Olhei com o canto do olho para o Du, que encarava o teto, compenetrado em seus pensamentos e deitado ao meu lado. E virei o rosto na direção oposta, metendo-o no encosto do sofá. A posição me forçava a ficar com os olhos fechados, amassados contra o tecido. Que inferno. Suspirei. A minha tática para não pensar demais em uma, era pensar em todas. Todas elas. O que obviamente me dava vontade de comer tudo que viesse pela frente e agora – já. Me forcei a pensar nos beijos da Marina, nas mãos da Roberta, nas coxas da Patti. No ego da Dani. Numa sucessão nostálgica de todas as camas por onde eu passara, em toda a minha vida. Os meus fracassos amorosos e insignificâncias. Até ela. Até a Mia. Ah – a Mia. Aí ficou realmente difícil. De respirar. E suportar, sozinha, as lembranças daquela última segunda-feira à tarde continuavam vívidas. As suas pernas em mim, o seu gosto. Seus pelos arrepiados. O corpo todo. Caralho. Preciso ligar para ela. O seu suor, os sussurros. Os meus pensamentos me faziam contorcer. É quinta de madrugada, porra, que espécie de animal liga para alguém a essa hora? Mas, ah, a sua língua – ah, a sua boca, o seu jeito, a forma como corria os seus lábios na minha pele. Por que diabos tínhamos que falar de sexo?

A minha cabeça estava tonta, girava no lugar, dentro de si. Embriagada. Numa sensação familiar demais para aquele sofá. Eu perdia a noção de onde estava. Quando senti a mão do Du me abraçar, a deslizou lentamente pela minha cintura. Se aproximando do meu corpo; com os olhos fechados, completamente bêbado. Mas que porra você está fazendo?, eu olhei para trás. Mas numa preguiça alcoolizada de me mover. Só o observei, de perto. E ele me olhou de volta, como se fizesse algum sentido, e foi descobrindo a minha cintura; sentia os seus dedos levantarem o tecido da minha camiseta, tocando a minha pele. Pronto para de fato ir pra cima de mim.

_Du, vai dormir, vai... – eu sussurrei e ri, bêbada.
_Por que não, meu? – insistiu, num suspiro murmurado, sem pensar racionalmente; com a boca já a meio milímetro do meu pescoço.
_Só vai dormir. Cê não tá pensando isso direito...
_A gente não precisa pensar... – ele insinuava a ideia para mim, completamente bêbado –. Ninguém precisa saber, meu... Só estamos eu e você aqui.
_Você está seriamente me sugerindo isso?
_Por que não? – ele fez graça, deitando a cabeça de volta no sofá – Você tem alguma coisa melhor pra fazer? Não significa nada. É só putaria, meu. Toda essa conversa sobre o Martín, você com a Clara, a Mia. Porra, cê vai me dizer que não tá com tesão?

Eu ri. E me ergui no sofá, sentando no apertado espaço entre o seu corpo e o encosto. Prendi o meu cabelo meio de qualquer jeito com o elástico que tinha no pulso. A minha cabeça girava, internamente. Bati nas suas pernas para que ele as tirasse do caminho. E eele as encolheu, me deixando passar.

_Eu ainda sou sapatão, Du – comecei a levantar, achando graça – Melhor você ir dormir.
_Que sem graça você, meu... – ele resmungou e sorriu, bêbado, com as tatuagens expostas.

Eu dei de ombros. E ri, indo em direção ao corredor:

_Veremos, amanhã, quem vai estar com ressaca moral...

56 comentários:

Ianca' disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
que susto, mano. Juro que achei que ela ia perder a estrela agorinha.
Ri alto, esse Du é um safado mesmo.

Ana disse...

"É só... um sentimento absurdo pra caralho. E forte, físico. Dá umas ideias surreais, mano, mas muito, muito reais ao mesmo tempo - peguei o cigarro de volta, tragando -. É uma desgraça. Toma completamente conta de você."

ISSO, ISSO, ISSO! Mil vezes ISSO!

Anônimo disse...

POOOOOOOOOOOOORRA, SE ELA DESSE PRO DU EU IA FICAR SERIAMENTE BOLADA!

Que susto!!!

Anônimo disse...

Du apelando FEIO. Credo!

Anônimo disse...

Caralho meu! Mel de verdade quando a Karla argentina patife,me ordenou a ler o F.M eu jurava que ah só mais uma história de uma mina querendo comer outra e bla,bla,bla.Eu como pseudo hetero machao sexista que teve que ~aceitar~ ela como Lesbica é foda acompanhar e ver como as diferenças somos nós que impomos grosseiramente e achamos que o convencial é o certo,de boa até ler a parte do cara contando o que ele SENTE por outro homem me derrubou,ontem mesmo foi motivo de conversa no bar entre todos nós e é isso aí voce é incrive por fazer um bando de narmanjo discutir sim sobre a riqueza da sexualidade humana,falar mesmo porra tenho mó orgulho da minha amiga/irma sapatao,agora é continuar fazendo esse bem mesmo que indiretamente pra um bando por esse mundo!

Anônimo disse...

hahahah mas que bixa safada!

( the girl fucking Mia ) disse...

Nossa, fiquei super feliz com o seu comentário. Mesmo! Todos temos sexismo internalizado, é difícil ver além do que a sociedade nos coloca como "normal", especialmente se você está do lado favorecido. É como dizem, o privilégio é invisível. E fico feliz que o blog tenha te ajudado a entender a sua amiga, principalmente, e os sentimentos dos outros. Estava falando esses dias sobre como odiava quando me falavam "e a sua parceira?", sentia que todos que não são héteros estão condenados a ter seus relacionamentos deslegitimados. Não namoramos ou casamos, é visto como algo diferente, menos. Mais sexual do que emocional (por isso "parceira"). O que é realmente injusto. Mesmo no meio LGBT os gays são tidos como puramente promíscuos e incapazes de se relacionar, de amar, de terem sentimentos complexos. Como muitos caras héteros também fazem com casais de meninas, sexualizam e se intrometem de uma forma como não fariam com um casal hétero. Nossa! Divaguei, perdão. Enfim, só para dizer que acho essa discussão muito importante e achei o máximo que ela esteja saindo do blog e entrando na mesa do bar e entre vocês. Obrigada por comentar :)

Anônimo disse...

"Me forcei a pensar nos beijos da Marina, nas mãos da Roberta, nas coxas da Patti. No ego da Dani" RI ALTO!!! Era msm p mais atraente nela =p

Anônimo disse...

Admito que é estranho imaginar a fm dando pro du, mas imaginar ele tocando nela foi... bem legal; if you know what i mean :D

Cris FSantana disse...

QUE SUSTO!
Sério.. Ia ser muito estranho. Não que fosse uma coisa absurda e tal, mas não a FM! Não faz sentido na imagem mental que tenho dela =x

Anônimo disse...

Apesar de ter odiado pensar na fm com um cara, foi engraçado e me despertou curiosidade '-' Tô menos lésbica?

Anônimo disse...

Eu gosteido jeito q rolou e acho dificil a fm ter tido outra reacao q nao essa.

Mas eu ja me peguei com um amigo viado uma vez voltando bebada da balada e nao me acho menos sapata por isso kkkk foi divertido esoh...

sAS disse...

'Eu ainda sou sapatão' IASHDIOUASHDUSAH

Anônimo disse...

Credo! Se essa bicha tivesse comido a FM, confesso que ia ficar um bom tempo sem ler a história, até não ler mais, de fato.

( the girl fucking Mia ) disse...

Nossa, vamos maneirar na homofobia? Gente. Qual a necessidade disso?

Anônimo disse...

Juro que se a FM não estivesse com a Mia nem com ninguém (mas principalmente a Mia) ia achar bem engraçado/divertido se eles se pegassem. Amigos são pra essas coisas hahaha. Mas nessas circunstâncias foi ótimo o que aconteceu.

Anônimo disse...

Só eu não vi nada de zoado com a cena? Achei coisa de bêbado, a FM tirou um sarro dele ainda. Não foi pesado, foi engraçado...... Relaxa ai galere!

Anônimo disse...

foi coisa de bêbado excitado. fm continua sendo uma gold star. du continua sendo bi. post que segue.

Bárbara Leão disse...

Bêbados, SOMOS sempre tão legais assim!
Adorei a atitude dela de tirar com a cara dele!
Eu faria o mesmo!

Anônimo disse...

Diria Shane... http://makeameme.org/meme/Sexuality-is-Fluid-4swlbq cada um com a sua =))

Anônimo disse...

Cara.. eu sou lésbica, 77% ativa. Amo mulher mais que tudo, mas as vezes tenho vontade de sentir a pega por um cara. Mas ser pega sem que ele peça, ou anuncie, só quero ser pega. E isso nao significa que vou dar pra ele.

Anônimo disse...

meeeeel, divulga pra gente lá no grupo umas estatísticas legais do blog? tipo top 10 dos posts mais acessados do blog inteiro, os mais comentados, os mais acessados do mês, os seus preferidos, melhores barracos, melhores putarias. sei lá.. dá pra fazer tanto ranking legal! hahaha o que acha? =)

Anônimo disse...

"77% ativa"
WTF??????? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA.

Anônimo disse...

Sentir vontades não te faz menos lésbica, mano. Você é o que quiser.

( the girl fucking Mia ) disse...

Hahaha, confesso que eu também fiquei curiosa par saber de onde surgiu o número, tipo, porque "77" e não "70". O que configuraria esses específicos 7% hahahaha Mas é isso aí, como alguém disse lá em cima, a sexualidade é fluida e muito particular de cada um. Eu gosto disso. E de momentos bêbados dos quais nos arrependeremos no dia seguinte <3

Sobre as estatísticas: acho a ideia LINDA. Prometo fazer! Já tenho a lista dos mais acessados e com mais comentários; os outros preciso ver ou pensar um pouquinho! Vocês podiam participar também, o que acham? Fazemos uma enquete para votarem em diferente posts selecionados de acordo com o tema :)

Gente, amo quanto os comentários enchem de opiniões e experiências pessoais. Obrigada por participarem <3

Anônimo disse...

SIIIIIIIIIIIIM!!! tinha pensado em fazer enquetes também! <3

e ainda to rindo até agora do "77%" HAHAHAHAHA. adorei o número.

Ianca' disse...

Tem gente que gosta de números quebrados, gente. Xô preconceito. Deixa a mina dos 77 <3

Anônimo disse...

Na real achei o tal comentário polêmico das 23:19 mais heterofóbico do que homofóbico.

Anônimo disse...

Mas o "essa bicha" como pejorativo, meio agressivo incomodou tbem... Eu pelo menos..

Anônimo disse...

Também quero as enquetes! O meufavorito é um que a fm tá lavando louça e a Mia senta na pia do lado dela, um bem antigo... S2

Anônimo disse...

Ñ sei porque mas essa imagem ficou na minha cabeça pra SEMPRE!

Juliana Nadu disse...

Só eu fiquei torcendo pra Du comer a FM?!?!?!?!? Adoro situações polêmicas, principalmente aquelas que fazer aflorar em nós os nossos pré-conceitos e fobias!! É quando nos damos conta das nossas limitações... Eu já falei e tenho sempre digo a evolução humana caminha para o fato de se sentir atraídxs pelas pessoas e não pelo sexo delxs... Eu ainda me considero lésbica e ultimamente tenho me sentido extremamente limitada por isso (apesar de não ver problema em ter outras experiências), mas mesmo assim tenho um milhão de limitações e gostaria sinceramente de não tê-las.

Que possamos ser livres sexualmente para que o "mundo" que conhecemos não seja levado tão a sério!!!

Anônimo disse...

Noss, umas das melhores cenas de todas <3

Anônimo disse...

Me poupe desse mi mi mi. Querem ser comidas por uma bicha ou um cara hetero num momento bêbadas, vão em frente. P/ mim é uma coisa ridícula e ponto.

( the girl fucking Mia ) disse...

Mas, cara, primeiro que sequer rolou. Segundo que não dá para entender a raiva contra a livre expressão da sexualidade alheia. As pessoas têm direito de dar para quem quiserem, não? O tesão é natural, não racional. Se você quer que respeitem o seu, tem que respeitar a fluidez dos outros :)

Eu (autora) particularmente me identifico como pansexual, me atraio por todos os gêneros e acho essa fluidez extremamente sexy. Mas a não é o caso da FM, por isso não rolou, porque não faria sentido pra ela. Mas faz para outras pessoas, oras. Por que seria ridículo?

Anônimo disse...

Bla bla bla. É ridiculo e ponto. Ou é uma coisa ou não é. Não se pode ser várias coisas ao mesmo tempo. E ainda bem que não aconteceu nada entre eles mesmo. Se tivesse acontecido, a bebida seria a desculpa? Por favor, né.

( the girl fucking Mia ) disse...

ps. O post foi inspirado em uma situação real. Eu tento, com o blog, explorar todo tipo de situação do cotidiano não só LGBT, mas da juventude de um modo geral. Muito dessas experiências partem de mim e dos meus amigos, mas também ganham identidade em outras pessoas que lêem. Eu acho isso um barato! E acho que todo mundo é complexo demais para ser julgado de maneira recriminatória. O que você acha? :)

( the girl fucking Mia ) disse...

Demandar que as pessoas sejam "uma coisa ou outra" é impor a sua realidade em cima da sexualidade dos outros. Você acha isso justo? Por que tem que ser uma coisa ou outra? A minha existência como pan é errada então? É inválida? Essa é uma forma muito binária de se pensar o mundo, as pessoas não existem apenas homens ou mulheres, héteros ou homo; o arco-íris tem mais cores. Vamos negar a existência dos outros? Diminuí-la?

Juliana Nadu disse...

nossa senhora!!!! ai é foda ter que se colocar num caixinha e nunca mais poder sair de lá... nem quando se tem vontade! quando a gente nasce já nos colocam num caixinha: ahhh vc nasceu com vagina vc é mulher; ahhh vc nasceu com pinto vc é homem e isso implica em nos colocar em caixinhas: nasceu homem tem que gostar de homem, nasceu mulher tem que gostar de mulher!!! Sério mesmo "Anonima" que vc saiu mesmo dessa caixinha!?

Anônimo disse...

Hum.. vejamos. Coisas que aconteceram com você e seus amigos, ok. Tudo pode acontecer? Sim, pode. Mas o meu ponto de vista, é: se você é lésbica ou gay (vou incluir somentes esses dois), p/ mim, jamais cogitaria uma relação, ou no caso, uma foda de uma noite só por que bebi e me deixei levar pelo tesão. Porra! Tesão eu sinto por mulher e não por homem. Aí vem as outras denominações: bissexual, panssexual como você falou. Meu, p/ mim são pessoas indecisas, isso sim. Ai, eu gosto de tudo e tô aberta ao que aparecer. Sorry! Comigo não rola. E não curto essas situações independente de ser fictício (como aqui) ou na realidade. Sei lá. Eu não tiraria com a cara, mandaria p/ PQP mesmo.
P.S: é o MEU ponto de vista.

Anônimo disse...

Ai... tenho um ladinho passiva.

Anônimo disse...

Respeito e concordo com a opinião da anônima de que não curtiria FM + Du, só acho profundamente desnecessária a agressividade com que ela tem se expressado. Nuca rolou disso por aqui. Existem outras formas mais bacanas de se falar. =)

Anônimo disse...

77 apenas um numero aleatório. Nao gosto dos multiplos de 5.

( the girl fucking Mia ) disse...

Tudo bem. O problema é que o seu ponto de vista desqualifica outras identidades. Você quer dizer que eu estou indecisa há 13 anos fora do armário? Ou que pessoas trans não podem ser amadas por ninguém genuinamente já que não nasceram com o gênero com o qual se identifica. Não é indecisão. E eu peço que você se interesse, que busque ler ou ao menos ouça o meu depoimento como alguém que genuinamente flui entre as sexualidades há mais de uma década. Nós existimos. Não é ridiculo. É a nossa vida e é opressor ouvir alguém que não tem os mesmos sentimentos e não compartilha da nossa identidade nos diminuindo ou invalidando. Muita gente poderia argumentar (e argumenta) que homossexualidade não existe, que somos apenas héteros traumatizados, porque está vendo de fora e não compreende o sentimento que VOCÊ sente. Por que como você se sente com relação à sua sexualidade tem que ser regra para os outros?

E também a sua reação. Oras, a graça de ser um indivíduo é cada qual reagir ao mundo à sua maneira. Por que não transar com quem der na telha? Por que não encher a cara com um amigo e matar a carência sexual um do outro? Não precisa ser racional. Não precisa ter um motivo e nem ser permanente, é a graça de se estar vivo: não ter que ficar se justificando.

Juliana Nadu disse...

Só digo uma coisa: toda a nossa construção é cultural! Somos pedaços pequenos de tudo o que vemos, ouvimos, gostamos, odiamos, vivemos, queremos, sofremos, etc... desde que abrimos os olhos nesse mundo! Então TUDO absolutamente TUDO pode ser desconstruído!

Só pra dar um exemplo: é o que acontece quando saímos do "armário". É uma prova de desconstrução!

Mylena G disse...

Ô anônima, vc tem o mesmo pensamento das pessoas que marginalizam o nosso modo de amar. Você como lésbica provavelmente ja ouviu que isso "é só uma fase" e as pessoas que dizem isso são aquelas que não te aceitam por não se sentirem do mesmo modo. Isso não significa que você não exista. Não é pq você não sente que eu não sinto. Onde fica diversidade?

Anônimo disse...

Só pq VOCÊ não cogitaria não quer dizer que outras pessoas não cogitaram tbm, ou ainda que seja errado ou feio elas cogitarem. Acho que o rola é um PUTA preconceito com quem é bi, o que é extremamente lamentável. Os bissexuais são marginalizados pelos ht e pelos hm. Triste =/

( the girl fucking Mia ) disse...

E acho que todo mundo concorda que a FM não dormiria com um cara, haha! Isso não rolou e nem está em discussão aqui, hahahahahaha :P

Anônimo disse...

Não sei se eu sou excesso, mas tenho profunda dificuldade em entender o que seria uma lésbica ativa / passiva. Qnd eu transo, rola de tudo com todo mundo. Tudo mundo dá e recebe. Hahaha. Alguém me explica?

Anônimo disse...

*excessão

( the girl fucking Mia ) disse...

Hahaha, eu também faço a linha: "nem ativa, nem passiva... participativa!". O que rolar, rolou :)

(mas nem todo mundo compartilha dessa tática... hehehe)

Anônimo disse...

O que seria "ter um ladinho passiva"? Eu juro que não entendo. É tipo, não curtir penetração, mas às vezes rolar?

Anônimo disse...

Mel vc arrasa..kkkk.. Post sensacional desde a discrição das sensações da FM e do Du até o final surpreendente, polêmico e engraçado.. Se p alguém esse post quase fez parar de ler o blog, saiba q p mim esse é o motivo de eu lê-lo. Respeito a diversidade e ao livre árbitro é c certeza o forte aqui.. Obg de verdade Melzita!
Sem contar q é esse tipo de post q faz a gente ver e pensar como somos humanos totalmente diferentes e lindos.. E q por isso msm a busca pela felicidade não tem roteiro p ninguém...
Nadu (linda) foi perfeito seu coments... <3.. Bora sair da caixinha povo.. Parar de pensar quadrado...
(Mariana Curi)

Anônimo disse...

Então... digamos que eu prefira "comer".
Porque não me sinto a vontade com alguém me tocando. Mas quando eu to com muito tesao ou quando a mina me pega de surpresa e me domina, eu deixo ela fazer o que bem entender.

Anônimo disse...

então quando vc transa com uma menina vc não goza? não é meio, solitário, não sei, monótono? acho que voce deveria (literalmente) se abrir mais! hahaha.. é tão bom dar e receber.

Pathy disse...

Caraca, perdi tudo isso no FDS :(
Em tempo, queria dizer que o Du me mata de rir. hahahahahahahahahahahaha Bicha louca