- »

março 20, 2014

(2, 3) Na cama

Meus lábios aproximaram-se das linhas em sua pele. Logo atrás dos seus joelhos. Estava deitada na minha cama, esparramada sobre um travesseiro. Tinha as pernas de fora numa calcinha de temas náuticos e a regata amanhecida, mexendo no celular. “Nem tenta”, a Mia resmungou, assim que beijei suas pernas. Mas eu a ignorei. Escalando-a, pausadamente. Dos seus joelhos a uma pintinha escondida, intermediária, em uma de suas coxas. Beijo atrás de beijo – até a curva do seu quadril. Bem ali, na linha que marcava o fim de suas pernas magníficas e antecipava todo o tecido, suavemente curvado sobre seu corpo e costurado entre âncoras azul-marinhas. Encostei a boca naquele algodão desgastado e a beijei. Chegando tarde no quarto. Dez, vinte minutos depois da nossa briga, com o rabo já entre as pernas.

_Você é uma idiota – a Mia murmurou, sem virar para me ver ali.

Encostei o rosto sobre a curva das suas costas e respirei fundo – eu sei. “Me desculpa”, pedi. Com o pouco de vergonha que restava na minha cara lavada. Minutos antes tomara uma bronca da Marina na sala. Ergui os olhos, acompanhando o contorno do seu corpo, e observei o seu rosto, escondida por detrás dos seus ombros. “Não funciona assim”, ela falou, ainda desconfortável. “Não é só falar ‘desculpa’ e tudo bem...”.

_Eu sei. É só que... – murmurei, com vergonha de mim mesma, praticamente afundando a boca na sua cintura para que não escutasse as minhas palavras – ...ainda é difícil falar dela... da Clara.
_Por q-que diabos você...
_Eu tô tentando ser sincera, porra.
_E o que isso quer dizer?
_Não quer dizer nada. Não é como se eu ainda amasse ela. Eu só, sei lá... n-não esperava ouvir o nome sair da sua boca, foi muito do nada. E a gente, a gente não terminou numa boa, meu... ainda é recente e... não sei por quê, m-mas essa merda me afeta demais. Me perdoa. É uma bosta, de verdade, que eu tenha transferido isso pra você. Mesmo – concluí, encarando os seus olhos, ainda que me evitassem – Desculpa, linda.
_Por que você não quis me contar o que aconteceu hoje?
_Eu não dis...
_Disse, sim – me interrompeu –. Você disse que não queria conversar e que queria ficar sozinha.
_Tá. Mas eu ia te contar, eu só tava puta na hora. Não queria falar com ninguém...
_Não precisava ter sido grossa.
_Mano, eu já pedi desculpas – me estressei –, o que mais você quer que eu faça?
_O que era?
_O quê?
_Hoje, mais cedo. O que aconteceu?
_O... – suspirei, hesitante – ...o Fer veio aí.

Aqui? – a Mia me procurou por um instante, apenas com o canto do olho, sem dizer nada. Senti que quis disparar uma multidão de perguntas na minha direção. Mas então tornou a encarar o colchão, deitada de barriga para baixo. Me estiquei ao seu lado, com a cabeça apoiada sobre um dos meus braços, encarando o teto. O olhar da Mia tornou a me espiar. Em silêncio. Eu agora a observava de volta – fala alguma coisa. Por favor? Era justamente essa a reação que eu temia: um grande nada. Uma dúvida infinita de como reagir à notícia. À proximidade repentina do sujeito. Do Fer. Do seu ex. Receava ver nela o que ela vira em mim, minutos antes, trancada naquele banheiro. Inquietação, ao mero soar do nome. Dele. Dela. Da Clara. Do Fer. Dos nossos fantasmas. De verões e idas e vindas passados. De tantas brigas e ciúmes; expectativas frustradas, sentimentos traídos. O mesmo de sempre. Ela pôs a mão no meu rosto. Mas agora era – era? – diferente.

Senti os seus dedos acariciarem minhas bochechas e então deixarem a minha pele, num suspiro. O seu toque era morno e suave. Tornou a olhar para o travesseiro, sem enunciar qualquer resposta. “E então?”, a questionei irrequieta. “Hum?”. “Você não quer saber o que ele queria?”. “Não”, deu de ombros, como se encerrasse o assunto. Prontamente. Quis beijá-la no instante em que se negou, contendo às custas um sorriso. Que brotava – genuíno – no canto da minha boca. Era uma escolha consciente. A isenção dela. Mais abaixo, a minha mão procurava o pouco de tecido acumulado em sua cintura. Estava usando a mesma regata da madrugada anterior, amassada contra as laterais do seu corpo. O meu corpo se escondia nas mesmas vestes constrangedoras de antes.

Em meio a tudo isso, o meu celular vibrou – de repente, submerso entre os lençóis. Respirei fundo. Estava com preguiça de procurar. Meti a mão de qualquer jeito no emaranhado de tecido entre a Mia e eu. E assim que o encontrei, ele vibrou novamente. Vi no visor – eram duas mensagens do Fer. Com certa hesitação, as abri. “Ñ fui aí pra brigar mas pqp, c é FODA. fdp porra!!”, me xingava a primeira. E segundos depois, às 13:16, a segunda dizia: “saí cuma mina ontem e ela quis ir no mis, ver a parada lá do bowie. Lembrei de vc... foi isso”. Agora que não entendi porra nenhuma mesmo. Fiquei olhando para o celular, incerta do que diabos responder. Então o telefone vibrou, pela terceira vez.

“Mas isso ñ qr dizer nd”, concluiu.

Ótimo. O Fernando tinha sido picado por uma mosquito lésbica. Essa era a única explicação que vinha na minha cabeça para aquela sequencia nonsense de mensagens. Metido em todo um drama emocional e levemente esquizofrênico – muito sapatão da sua parte. Deixei o celular de lado, numa decisão precavida. E afundei o meu rosto na curva do pescoço da Mia por um instante, entre o ombro e os seus fios, colocados atrás da orelha. Estar em meio às suas madeixas castanhas me fazia sentir isolada do mundo, me tranquilizava. Não estava em condições de pensar mais nada – argh. A cota do dia já havia se esgotado.

Após alguns segundos me deitei novamente, agora de lado e virada para a Mia, a admirando. Ela riu – “pára!”. “Quê?”. “De me olhar assim”. “Não pode?”. “Você é besta, velho”, se divertiu. E eu dei de ombros, não tô nem aí. Ela achou graça. E deitou a cabeça no travesseiro, igualmente. “Não sei por que te dou bola...”. “Você me ama”. “Hum?”. “Por isso”. “Eu não di...”, interrompeu-se, fixando os olhos por um instante no vazio, à procura de memórias bagunçadas pelo álcool, “...e-eu disse?”. Comecei a rir. E ela imediatamente enrubesceu, ao se recordar, enfiando o rosto na fronha envergonhada.

_Arrependida?
_Não... – murmurou, me espiando detrás do buraco que praticamente cavara no travesseiro – ...é só, não sei, diferente agora. Sóbria.
_Diferente?
_É. Real.
_Tenho certeza... – me movi em sua direção, me amassando carinhosamente contra seu corpo – ...que você já disse que amava um milhão de pessoas antes de mim.

Ela sorriu.

_Tá. Mas nenhuma delas era menina...

27 comentários:

Isabela Terrini disse...

- já falei e falo de novo..Essa FM tá tão fofa, gente *-*
E a "indiferença" da Mia?

Ain Mel, esse amor das duas ainda me mata do coração ♥

Anônimo disse...

Fer ta voltandi

Anônimo disse...

"Ótimo. O Fernando tinha sido picado por uma mosquito lésbica. Essa era a única explicação que vinha na minha cabeça para aquela sequencia nonsense de mensagens." HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH pô Mel, você é foda!

Anônimo disse...

Minhas *-* tão minhas *-*

Anônimo disse...

ownnn essas duas são lindas demais <3

Anônimo disse...

*-*

Mari disse...

Mel faz aniversario e quem ganha presente somos nos.

Marrie disse...

Ah, que final mais zeeeenn.. adorei.. Agora só falta a Clara voltar, o Fer procurar a Mia e o furduncio reaparecer!!

Anônimo disse...

Picado por um mosquito lésbica. HAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

tbm adorei a calcinha com temas náuticos. Hahaha.

Mas assim, de novo, a mia não disse eu te amo, disse q tava apaixonada. Só eu vejo diferença? Haha

Anônimo disse...

Esqueci de comentar que ela mega ereta egoísta e sincera, assumindo que não queria que a mia tivesse a mesma reação que ela teve ao ouvir o nome da clara, qnd pronunciou o nome do fer. Somos todos FM.

( the girl fucking Mia ) disse...

Hahaha, acho que essa diferença existe mais em inglês... :P

Sabrina disse...

uma mosquito lésbica HAHAHAHAHA
Fer voltando <3

FM e Mia cada vez mais lindassssss

Anônimo disse...

Nossa! Jura? Eu super vejo diferença em portugues tbm. hahaha 

ah, e ali em cima nao era "ereta" (q alias, é uma palavra que me lembra pinto), era "escrota" (que, paradoxalmente, nao me traz pintos à cabeça.) Hahahahahahahahaha.. Enfim, foi o corretor.

Outra coisa, qnt ao título.. É Pq elas mencionaram a clara e o fer na cama, certo?

Priscila disse...

Ain só um post desse pra aliviar meu coração diante das coisas que eu tenho enfrentado *-*
AMEIIIIIII <3

Mariana Pacheco disse...

Ahhh... tem diferença de te amo para tô apaixonada simmmm... E tô doida p ver a Mia falar q ama a FM!
Qto ao Fer ainda estou c o pé atrás.. Quero ver esses dois em paz!!
E parabéns Mel!! Além de outras coisas...Te desejo muita inspiração!! <3

Anônimo disse...

Num vejo a menor diferença...

Karla disse...

Ler post novo lindo assim levemente bebada é foda demais,Ôh escritora mais linda desse mundo parabens,td de bom viu?!Bjo grande e tá lindo,maravilhoso o post *---*

Juliana Nadu disse...

Tem diferença sim senhora!!! Falar eu te amo é pesadaço!!!

" O Fernando tinha sido picado por uma mosquito lésbica..." melhor parte ever do post kkkkkkk

Ps: aiii gente!!! Pago um pau pra quem usa a palavra "paradoxalmente" numa frase ♥

Ana disse...

Tô no time das que veem diferença (e muita!) entre "tô apaixonada" e "te amo"!

Anônimo disse...

Hahahahahaha. Nadu pagando pau pro meu "paradoxalmente" ? Haha. Bjs sua fofa.

Anônimo disse...

Afe mano, se uma mina me disser que se apaixonou nao vou achar menos q te amo.. q mimimi kkkkk eu fico feliz!!!

Anônimo disse...

mas ngm disse que não é legal ouvir, ou que nao ficaria feliz. só disse que não é a mesma coisa. pq, por exemplo, eu amo uma mulher e me apaixonei por outra. e são sentimentos BEM diferentes. ;)

Anônimo disse...

Eu te amo e to apaixonada...é beeeeemmmm diferente

Anônimo disse...

Aiai Fm ta mesmo muito fofa. *---*

Anônimo disse...

Eh simples... "Te Amo" envolve AMOR! Eh mais profundo, intenso... eh o calor no coracao.
"To apaixonada" envolve PAIXAO! Eh mais direto, irracional... eh o calor na xola.
Hahahahahaha

Ianca' disse...

Vim aqui reafirmar a discórdia de que te amo e estou apaixonada é diferente, ein hahahahaha
Fer sapatão foi o melhor, eu só acrescentaria a FM rindo dos sms antes de ignorá-los.

Anônimo disse...

Mel sumiu novamente :(
http://eunaoqueroperdervc.tumblr.com/