- »

março 05, 2014

Tato

“Eu nã...“, a minha cabeça pendia sobre a pia, os braços esticados na lateral. A minha respiração acelerou, sobrepondo-se ao restante da frase. Vai embora. MERDA. Não podia ignorá-la, pensei, com as mãos na porcelana fria. “Abre aqui” – a sua voz falava, constrangida, do outro lado da porta. Podia imaginá-la com a testa suavemente encostada na madeira, em pé no corredor. As pernas de fora em uma das minhas camisetas. Mas – argh, não. “Deixa eu falar com você, meu...”, a Mia insistia, murmurando, trancada do lado de fora.

Inferno. Estiquei a mão e virei a chave.

Ainda que não quisesse – e não queria – ter aquela conversa. Mas dane-se. A porta abriu-se cuidadosamente, apenas uma fresta. E os olhos da Mia encontraram os meus inquietos, no reflexo do espelho. Ela sabia que tinha algo de errado. E hesitava. Sem entrar ou abrir mais a porta. Encostou a lateral do rosto no batente e me perguntou – “o que acontece, hum?”. Falando baixinho. Ainda me olhando pelo reflexo. Tinha medo de lhe falar que era o Fer, que ele tinha estado ali. Desencostei as minhas mãos da pia, dando alguns passos para trás. “Desculpa se te acordei”, me limitei a responder, cruzando os braços. E apoiei na parede atrás de mim.

_Não tem problema. Eu já tinha levantado...
_Hum.
_Onde você tava?
_Eu não quero conversar, Mia.

Ela empurrou o que restava da porta, deslizando para dentro, e a encostou atrás de si. “A gente não precisa falar”, disse carinhosamente, fechando-nos sozinhas no banheiro. E sorriu. Usava a mesma regata da noite anterior, de algodão, preta, agora amassada contra as suas curvas; e uma calcinha antiga, dessas com as laterais mais largas, num vermelho desgastado. Estampada com mini-âncoras azul-marinhas. Apoiou uma das mãos sobre a pia. E ficou ali, me observando. Tinha os pés descalços contra o ladrilho e os cabelos bagunçados, estava uma graça.

_Na boa, cê não precisa ficar aqui...
_Eu não tenho nada melhor para fazer... – ela sorriu e subiu o corpo, sentando-se na pia.

Olhei-a, com as agora pernas soltas no ar, e achei graça por um instante.

_Desce daí, vai.
_Por que? – me encarou, como de brincadeira.
_Cê vai quebrar essa parada...

Ahm, ela riu. “Quer dizer que...”, me provocou ao descer, se aproximando deliberadamente de mim, “...sou grande demais para sentar ali?”. Apoiou então as mãos sobre os meus ombros. Indignada. E eu ri. “Provavelmente”. Encostou o seu corpo no meu e a olhei de cima a baixo – “com esse tanto de coxa e bunda aí” –, completei. Agora imprestável. Continuava todavia com os braços cruzados, observando-a. “É?”, ela sorriu. E deslizou os lábios pelo meu maxilar até beirar a minha orelha, “achei que você gostava”. Falei o contrário, por acaso, garota? Os seus dentes pressionaram a pontinha da minha orelha, me fazendo arrepiar. 

Porra. Agora? Senti o quadril da Mia encaixar-se no meu. E as suas mãos me percorrerem a cintura, “me conta o que aconteceu, vai”. Era tentador. Mas me desvencilhei, ainda sentindo o meu coração acelerado desde a calçada da Frei.

_Não. Me deixa um pouco – pedi –, quero ficar sozinha...
_Espera. Você tá falando sério?! – ela não gostou.
_Tô, ué. Por que?
_Nossa... – deu de ombros, de repente ofendida – Achei que fosse uma besteira qualquer.
_Mas, meu... É-é besteira.
_Sei – cruzou os braços – Isso tem a ver com a Clara?

QUÊ?

_Com a CLARA?! – levantei a voz, sem entender.
_Foi uma pergunta.
_Não, meu. DE ONDE CÊ TIROU ISSO??
_Sei lá! VOCÊ me explica por que tá me afastando, por que não quer falar...
_Ok: Mia, não – resmunguei –, não tem a ver com a porra da Clara.
_Por que você está sendo grossa??
_Eu tô sendo grossa?! – me irritei – Por que você tá trazendo ela pro meio dessa merda, meu? Eu não troco uma palavra com a Clara desde o meu aniversário, caralho! Já faz meses.
_Ótimo! Era só responder a pergunta.
_A Clara... – eu ri, murmurando comigo mesma.
_Que foi? Algum problema?
_Não...

Arqueei as sobrancelhas, sendo irônica. E ela me encarou. “Você é tão insegura assim?”, comentei, com certa amargura. Mas me arrependi na mesma hora. Bosta. Mal tive tempo de erguer os olhos na sua direção, para me desculpar, e a Mia me mandou à merda. Em alto e bom som.

Seguindo o estrondo da porta.

29 comentários:

Anônimo disse...

A primeira DR delas ♥ sapata eh tudo igual rsrss

Ianca' disse...

Sapatão é tuuuuuuuuuuuuudo igual, pqp kkkkkkk

Anônimo disse...

Da safadeza ao ódio em segundos

isabela rodolpho disse...

ah cara pq tinham que falar da Clara :( mas que merda

Anônimo disse...

Como eu amo essas briguinhas de casal <3

Juliana Nadu disse...

Aff a Fernanda Maria me irrita demais ad vezes!! Ta na hora de começar a lidar com as merdas da vida dela. Toda vez que acontece algo ela se fecha e é escrota com alguém pricipalmente com a Mia

Marta Campos disse...

Hahahaha pq mulher eh tudo louca assim gente?! Nunca entendi nem vou entender..

Anônimo disse...

Me lembra minha adorável namorada hahah bê <3

Anônimo disse...

Poorra velho, tinha que fuder né. Mas que merda, fm. :'(
Porque não falar logo? Porque não falar que era o Fer, logo! Shit!

Anônimo disse...

Dar uns socos na FM satisfaria meu EGO. Sapatão doida!

Anônimo disse...

Ai gente, achei a mia mt mais crazy do role!! Hahahaha to com a fm nessa :P

Karla disse...

Pqp Fernanda Maria cacete de agulha,ôh mulher que fala sem pensar o que não deve ;x

Anônimo disse...

Nadu disse tudo! Elas estão juntas nessa, porra! Por que não contar logo?!

Anônimo disse...

como se a fm fosse o ser que mais inspira segurança em um relacionamento. cara de pau do caralho.

Pathy disse...

MAS GENTE, PQ CêS TÃO REVOLTS COM A FM?! CALMAAAAAAAA..
A louca da vez foi a Mia.. hahahhahahaha Que situação meu

Mariana Pacheco disse...

Mia (sapatão dramática) desenterrando ex... kkkkkkkkkkkkk #amei
Tá q a FM não vai conquistar confiança tão fácil c essas atitudes surtadas!!

Anônimo disse...

Ê Fernanda Maria,tava demorando pra fazer merda..cadê a educação?

Anônimo disse...

Naaaaao Pathy, a Fernanda Maria que pirou o cabeçao rsrs. A Mia ali, toda trabalhada na má intençao e a FM diz que quer ficar sozinha ??? Kkkkkkk

Anônimo disse...

nem tudo na vida é sexo, gente.

Deinha disse...

Atitude normal de quem nao sabe ter relacionamento, passou a vida de galho em galho. Nos momentos importantes de demonstrar confiança fica receiosa e faz essas merdas ae. Eu sei, eu sou assim !!!!

Anônimo disse...

sdds post

Anônimo disse...

Cadê post meu Deus?? Ôh Mel fazendo favor de não matar a gente de ansiedade poste logo nega *-*

Anônimo disse...

Tá, FM! Deixa de bobagem que agora vc tem namorada...nao esquece que ela te escolheu. Vai lá, menina...

Anônimo disse...

Uuuuui, FM! Estou em abstinencia, Mel, que tal dois posts em sequencia hoje mais tarde? ;)

Anônimo disse...

Aaaaai, PRECISO de mais post, Mel! :)

Anônimo disse...

Gente,cadê nossa escritora ..kkk sumiu

Anônimo disse...

MEEEEEEEEEEEEEEEEEL! TÁ VIVA? QUE SUMIÇO É ESSE, MULHER? JÁ PODE APARECER COM POST NOVO. AGRADEÇO!

Juliana Nadu disse...

Kkkkkk pode crer Pathy.. vc viajou...

Juliana Nadu disse...

Só 98% kkkkkkkk