- »

abril 22, 2014

Estômago

Puxei para baixo as mangas da camiseta que eu vestia. Era vermelha, xadrez, e tinha as mangas compridas. Colocara-a segundos antes de sair do apartamento, ao ir atrás da Mia. Por cima de uma regata branca e aberta. Escondia agora as tatuagens no meu antebraço e no meu pulso. Respirei fundo. O caminho até o portão do prédio parecia não acabar mais. Eu caminhava, sozinha – com o coração na mão. Apertei o meu cabelo dentro do elástico, jogando os fios por cima do ombro. Sobre os botões da gola na minha camiseta. “Você está bem assim”, a Mia me disse instantes antes, com os olhos ainda marejados de chorar, e deslizou os seus dedos sobre o rabo-de-cavalo que pendia – curtinho e loiro – pela lateral do meu pescoço. Ela me beijou e sorriu. Ficando para trás.

Quando, pensei, conforme segurava as barras do portão para abri-lo, quando passaria por isso? Se eu não fosse eu? Se eu não fosse mulher? A injustiça me incomodava. E aquela não era a primeira vez em que me via numa situação dessas. Chega a ser praxe. Tentava imaginar o Fernando marchando para fora daquele mesmo prédio, indo se explicar para os pais da sua namorada, como eu fazia. Os olhos da mãe da Mia encontraram os meus na calçada – indignada.  Maus namorados são, geralmente, antecipados por maus pressentimentos. Más atitudes, intenções duvidosas. Uma segunda esposa, um vício; amigos perigosos.

Bichas e sapatões não. Esses são maus.

Por definição. Por mera existência. Travestis então são piores ainda. E passamos a vida assim, nos explicando, nos desculpando. Por demonstrar demais. Por dar pinta. Por nos vestir assim. Por agir assado. Por ter falado aqui, ali. Na frente dele, dela. Das crianças – tudo menos as crianças! –, dos idosos. Por não ter avisado. Na escola, no trabalho. Na rua. Por beijos e mãos apertadas. Pelos dedos entrelaçados. Por quem amamos. Por quem namoramos. Por quem chamamos para as festas de família. Por ir a público. Por ir à porra do shopping. À delegacia. Ao banheiro. Por protestar. Por querer casar, adotar. Por tudo. Por como fazemos a merda toda, cada segundo das nossas vidas. Como uns adolescentes, mesmo que aos 25 anos. A idade não importa, nunca importou. A imagem, sim. Trabalhando, estudando, comendo... e pedindo permissão. Da nossa babá – a sociedade e a família das pessoas que amamos. Por vezes, a nossa própria. É. A injustiça me esmagava.

O que eu te fiz, mulher, para você me odiar? 

A mãe da Mia tinha as pernas torneadas, vestidas numa calça social bege e uma blusa preta de seda metida cintura adentro; um cinto extravagante com pedras turquesas por cima. Era perua. Digna de Higienópolis e das suas aulas superfaturadas de ioga. Cabelo e salto impecáveis – eu não tinha qualquer chance naquele meu modelito lenhadora-da-Baviera. As minhas mãos tremiam.  

_Eu estou esperando a minha filha – ela disparou, assim que pisei na calçada –. Você fala para ela vir até aqui, por favor.
_Ela vai vir. Mas eu queria falar com a senhora antes – pedi, mantendo a calma –, se não tiver problema...
_Eu não vim falar com você. Eu sei que a Mia desceu, que ela está aqui. Você volta AGORA para dentro e traz ela aqui, que nós vamos para casa!
_Olha, não estamos tentando arranjar nenhum tipo de confusão. A Mia só se chateou por que viu o pai no carro, ela foi lavar o rosto. Ela estava chorando. Já vai vir... – a verdade é que eu não tinha certeza disso – Mas eu queria conversar com você antes, se eu puder...
_Você tem mesmo muita coragem de vir até aqui, mocinha, e ficar parada na minha frente...

Ela veio na minha direção, já em tom de ameaça.

_...você acha que eu não sei o que você quer? O que você FAZ? Que eu não sei QUEM VOCÊ É? – não, não sabe, a encarei – Que eu não sei O TIPO DE COISA QUE VOCÊ ANDA COLOCANDO NA CABEÇA DA MINHA FILHA??
_Eu tenho certeza que se você sentar com a gente por cinco minutos, nós podemos te explicar tudo o que está acontecendo. O que estamos passando. De forma tranquila, sabe, sem drama...
_E O QUÊ exatamente vem acontecendo?? Você quer me falar, hum???
_Eu quero falar, sim. Mas a senhora precisa se acalmar...
_Eu não preciso me acalmar! Eu vou me acalmar quando você se afastar da minha filha. AÍ EU VOU ME ACALMAR! QUEM VOCÊ PENS...
_Escuta, por que a gente – a interrompi, em tom baixo – ...não entra e conversa? Com calma. Você conhece a minha casa, os meus amigos; pode até conhecer os meus pais, se quiser. Eu ligo para eles se te tranquilizar. Você vai ver que não tem nada para se preocupar.
_Além do fato de UMA SAPATÃO ESTAR DE GRAÇA COM A MINHA FILHA??? – de graça? – VOCÊ ACHA QUE ISSO NÃO É MOTIVO PARA SE PREOCUPAR?? – tentei não rir – POR QUE VOCÊ ACHA QUE EU ESTOU AQUI? QUE NÓS ESTAMOS AQUI?? – ela gritou comigo e me tornei séria novamente – PARA “CONVERSAR”?? NÃO TEM NADA PARA “CONVERSAR”, A MIA VAI VOLTAR PARA CASA. E FIM DE HISTÓRIA! ISSO NÃO ESTÁ ABERTO A DISCUSSÃO.
_Tudo bem, mas...
_ESSA GRAÇA TODA VAI ACABAR HOJE. HOJE!! A MIA NÃO SABE O QUE ESTÁ FAZENDO E NÃO VAI FAZER COM A NOSSA FAMÍLIA...
_Você não vai nem nos deixar explicar? Ou tentar?! – a encarei, sem abaixar a cabeça ou o nível – Você acha que é certo? Que a sua filha não sabe, e muito bem, onde está? Com quem está? Que ela não tem direito de decidir os próprios passos? NA IDADE DELA??
_NÃO ENQUANTO ELA VIVER DEBAIXO DO MEU TETO. COM O MEU DINHEIRO – pressionou o indicador contra o próprio peito, irritada, com força –, COM TUDO O QUE EU E O PAI DELA DAMOS PARA ELA!! ENQUANTO FOR ASSIM: ELA VAI, SIM, OBEDECER ALGUMAS REGRAS.
_Ok. Eu concordo. Vocês têm todo direito. Mas isso não é uma coisa que ela simplesmente decidiu ou que está fazendo só para aborrecer vocês. Vocês deviam conversar com ela. Tentar ouvir, entender. Saber o que ela está sentindo – eu continuava tentando acalmá-la, sem sucesso . Ela pode estar precisando de ap...
_SENTINDO? ELA NÃO ESTÁ SENTINDO COISA ALGUMA!! EU CONHEÇO A MINHA FILHA! E ELA NÃO É ASSIM!! ELA ESTÁ C-CONFUSA – hesitou por um instante, o tema a abalava; começou então a tentar me atacar, nervosa –. E VOCÊ SE ENGANA MUITO SE ACHA QUE É QUALQUER COISA SENÃO UM STEP MEIA-BOCA. SE ACHA QUE ELA NÃO VAI TERMINAR ESSE “ROMANCEZINHO” DE VOCÊS AÍ NA PRIMEIRA CURVA QUE APARECER, NO PRIMEIRO CARA DECENTE QUE SURGIR.

Caralho. Eu tentava me controlar, como prometera. Mas como eu queria dizer umas verdades para essa desgraçada...

_Talvez – respondi, com toda calma calculada do mundo –. Mas você precisa punir a sua própria filha por buscar o caminho dela? Por se expressar? Por descobrir o que faz ela feliz?
_VOCÊ NÃO É NADA. NADA! EU SEI – afirmou –, SÓ EU SEI O QUANTO ELA AMA O FERNANDO. QUANTAS VEZES EU JÁ NÃO VI ELA CHORANDO POR ELE NO QUARTO? LIGANDO PARA ELE? PROCURANDO ELE?? A MIA NÃO ESQUECEU ESSE GAROTO E DEFINITIVAMENTE NÃ...
_Eu não disse que eu era o que fazia a Mia feliz. Eu só acho que ela tem que ter a liberd...
_NÃO ME DIGA COMO CRIAR MINHA FILHA!! EU NÃO CRIEI NINGUÉM PRA SER DETURPADA E NÃO É AGORA QUE EU VOU COMEÇAR A ACEITAR ESSE TIPO DE COMPORTAMENTO – sic –, EU PREFIRO ELA GRÁVIDA. PREFIRO QUALQUER COISA A ISSO! PREFIRO NÃO TER FILHA NENHUMA...

Arregalei os olhos, como é? No mesmo instante, o barulho do portão se abrindo interrompeu a nossa discussão e a Mia – que aparentemente já nos escutava há algum tempo – surgiu na calçada. “Repete”, ela ergueu a cabeça, “repete, mãe”.

34 comentários:

Anônimo disse...

Mae 0 x fm 1 <333 achei foda como a fm defendeu a mia !!

Anônimo disse...

Eu também!!

Anônimo disse...

Vou encaminhar o link desse post pra mamãe <3

Adorei a parte sobre como precisamos a todo momento nos desculpar.
Triste. =/

Anônimo disse...

Infelizmente existem mães como a mãe da mia. Infelizmente vivemos em uma sociedade de merda que aos seus olhos tudo tem que ser perfeito e do jeito deles, mas a gente sabe que por trás não é essa maravilha idelizada e imposta por eles. Cada um devia ligar o foda-se e tocar sua vida. Simples!
Agora manda a continuação, Mel.

Anônimo disse...

Que lindo!!
Só não gostei da parte que ela liga pro Fer e tals!!
Será?!

Anônimo disse...

Sentindo a Mia saindo de casa em 3, 2, ...

Cris F Santana disse...

Carai!
Os pensamentos da FM falam tudo que eu já que dizer pra muita gente! E a mãe da Mia aquilo que, certamente, a maioria aqui já ouviu!
Post sensacional Mel! Vou salvar pra vida!

Anônimo disse...

"naquele meu modelito lenhadora-da-Baviera" kkkkk

Pathy disse...

A FM não perdendo a cabeça é tão *---------*
Sociedade hipócrita de merda, ai mano que bosta!
E eu estou passando por isso again.. É Um saco!!!!!

Iully Desiderio disse...

BARRACO!!!
que post TUDO! super.

Karla disse...

Puta soco no estômago o inicio,exemplifica bem como moldam a maneira de nos comportar no cotiado :( ,barraco rolando solto no meio da rua e Mia vai regaçar agora,espero de verdade de essa senhora engula tudo que disse porra velho amargura de ler isso e como nos afetasse diretamente.

marj_bellini disse...

Mano que vontade de socar essa mãe pqp, que fdp, cade continuaçãoooooo pqp pqp pqp

Anônimo disse...

E esse pau bundao que não desce do carro pra falar nada?

Anônimo disse...

Pai*

Lika disse...

quero muito ver o que a Mia vai falar.. deve ter doído mais do que tudo ouvir isso da boca da própria mãe.
tô torcendo pro pai surpreender e aceitar a filha, defender e acolher.

Bárbara Leão disse...

Meu! Que post teeenso!
Tá páreo com a briga com o Fer!
Putz, fiquei sem ar!
E muito orgulhosa da postura da FM!!
Amei!
Quero mais!
Quero a Mia virada no capiroto, descendo a lenha q a FM segurou!
\o/

Anônimo disse...

Eh..,minha mae e assim .. :(

Deinha disse...

Mais realista impossivel, o pior eh se imaginar na cena, ver vc ali!!!!
Acho que mexeu.com.muitas viu Mel!!! Ahazzando sempre!!!!

Anônimo disse...

Aeeeeeee FM! Muito orgulho, segurou as pontas e manteve a classe com a mocréia!!
Continuo com pena da Mia, tendo que ouvir essas barbaridades da mãe. Mas quero ver atitude. Vambora, confio em ti, Mia!
Adorei o post, parabéns!

Anônimo disse...

Que isso, amiga, nem se compara ao barraco do Fer. Eterno em meu coração <3

Anônimo disse...

"O que eu te fiz, mulher, pra você me odiar?"

É isso, vc põe rótulos nas pessoas e decide desprezar sem nem conhecer. Post sensacional! Agora vamos ver a reação da Mia, de preferência LOGO que tow ansiosa aquew!

Anônimo disse...

Eita porra!
Quem sempre!?
u.u

Anônimo disse...

<3

Anônimo disse...

Concordo demais. Creio que tenha mexido com muitas que leram, tanto no papel da Fm, quanto no da Mia.. Quantas com mães assim, não é?
Eu mesma que já ouvi tanta coisa.. Dói muito.. Só imaginando, agora, o que virá da Mia, o que ela irá dizer...
É foda viu.. aiai
Mel, post perfeito. Amei.

Anônimo disse...

Post muito realista! Adorei a forma como a Fm se impôs. E a mia vai soltar os cachorros nessa mãe escrota. Aposto que o pai vai defender a mia, e levar a mãe para casa com o rabinho entre as pernas. Tá de parabéns, Mel. Me senti completamente nessa cena.

Anônimo disse...

Ne 😒

Anônimo disse...

Fm divando *-*

RenataR. disse...

P.June, vc me mandou um email em 2010 que eu respondi em 2014 e o que me levou a lembrar e pensar nele foi esse post...

Se você ainda estiver por aqui, lendo os comentários do blog que nos aproximou, por favor entre em contato de novo.

Caso você não saiba quem sou, sou a autora do DUAL, que na época passava por um grande dilema de escolha de faculdade e brigas com pais.

Seja por aquele email ou por esse. Eu ainda ou a mesma pessoa e gostaria de falar com você.

Mel, desculpa usar os comentários do blog pra isso, mas é algo importante pra mim, eu juro.

PS: mães tem o dom de falar as coisas que mais nos machucam :(

Anônimo disse...

nossa, não sou essa tal de P.June, mas te mandaria um email tranquilamente também, Renata. hahahaha. Achei fofo.

Jefferson disse...

Cadê o próximo, estou há dias ansioso! :S - ps: não me encaixo no grupo de meninas, mas, e daí né?

Anônimo disse...

Acho tão legal saber que homens tbm lêem o blog. Muito amor! <3

Anônimo disse...

Kd post mellllll

Anônimo disse...

Nunca comento, mas tô nervosa...continuação,porrrr favorrrr?!

Anônimo disse...

Hello? Maio, quem sabe post novo e emocionante? kkkkkkkk