- »

maio 05, 2014

E a boiada também

Eu não queria entrar na briga. Não depois do meu fiasco ao telefone com a mãe da Mia, um mês antes. Não posso perder a calma, não posso estragar isso também. Eu precisava ser a porra da voz da razão ali. Não podia permitir que pensassem que eu trazia o pior da Mia à tona. Por mais que meu coração pulasse de alegria a cada “eu amo ela”, a cada palavra dela em minha defesa. A minha expressão não se alterava. Como se não houvesse um grama de maconha dentro do meu corpo, eu encarava aquela perua de Higienópolis como se fosse a droga do Papa. E transmitia toda a minha autoconfiança. Confie a sua filha em mim – os meus olhos diziam.

_ESSA É A MINHA VIDA!! MINHA!! – a Mia, por outro lado, se indignava com a presença da mãe naquela calçada e as suas palavras sobre seu futuro, suas escolhas – VOCÊ NÃO VAI CHEGAR COMO SE FOSSE DONA DE QUALQUER COISA AQUI – colocou o cabelo de qualquer jeito atrás da orelha, continuando na sua direção, em disparada – FAZENDO AMEAÇA, LEVANTANDO A VOZ PRAS PESSOAS QUE EU COLOQUEI NA MINHA VIDA. EU!!! 
_ENQUANTO VOCÊ AGIR COMO UMA PIRRALH...
_Por favor – interferi na discussão, falando num tom mais calmo – Vamos só conversar por um instante. A gente pode fazer isso de forma muito mais tranquila. Se você, sabe, me conhecer melhor – me virei para a mãe da Mia –, se eu puder te falar um pouco sobre como nós v...
_EU NÃO TENHO NADA PARA DISCUTIR COM VOCÊ. O MEU ASSUNTO É COM A MINHA FILHA! NÃO SE INTROMETA!!
_ELA ESTÁ TENTANDO FALAR COM VOCÊ. SABE, COMO UMA PESSOA CIVILIZADA!! – a Mia gritou.
_EU NÃO TENHO NADA PARA FALAR COM ELA E NEM COM NINGUÉM DESSE MUNDINHO IMUNDO – me apontou – TUDO O QUE EU TINHA PARA DIZER, EU TE DISSE! – e se voltou para a filha – VOCÊ ENTRA NO CARRO, MIA, QUE AGORA A CONVERSA É COM VOCÊ!
_NEM A PAU! EU QUERO VER VOCÊ ME OBRIGAR, QUEM VOCÊ PENSA QUE É, VINDO AQUI E...
_VAI, SIM! VAI ENTRAR E O SEU PAI VAI TE DIZER UMAS BOAS VERDADES, NÓS...
_O MEU PAI?? E-ELE TÁ SENTADO NAQUELE CARRO Q-QUE... QUE NEM UM COVARDE!!! – a Mia começou imediatamente a chorar, bastou a mera menção ao pai – ELE SEQUER OLHA NA MINHA CARA!! – a sua voz estremeceu e ela se virou para a rua, na direção do carro, estacionado a metros de onde estávamos – VEM! VEM FALAR COMIGO!!! EU SOU SUA FILHA, PORRA!!!! VOCÊ TÁ DO LADO DELA????

O pai sequer se moveu. Estava a doze ou quinze metros de nós e tinha o rosto abaixado, dentro do carro. Sentado em frente ao volante, com todas as janelas fechadas. Era possível que não as ouvisse, daquela distância, ainda que eu achasse difícil – as duas discutiam em alto e bom som. Parecia se isentar conscientemente de toda discussão. Ausente. Não era homem de se envolver em barracos, desses como aquele, em meio à calçada. A mãe, sim, essa fazia a linha me-importo-mais-com-a-sexualidade-da-minha-filha-do-que-com-a-minha-compostura. Ele não. Ele provavelmente só vai descer o pau em casa, pensei, no conforto do seu reino. E a Mia perdia a cabeça. Podia lidar com a mãe, com as suas loucuras e surtos controladores, como lidara mil vezes antes na adolescência e nas últimas semanas – mas a presença silenciosa dele a machucava.

Deu-lhe dois segundos e começou a marchar em sua direção. Sem pensar. Irritadíssima, já pronta para atravessar a rua. O que você tá fazendo?  Eu me apressei. E me meti na sua frente – coloquei as mãos no topo dos seus braços, quase nos seus ombros, a segurando. A Mia vestia aquela mesma regata preta. E tinha os olhos vermelhos de ódio, de vergonha. Por toda a situação. Havia saído completamente do nosso controle.

_PENSA DIREITO. Pensa no que você tá fazendo, Mia! – pedi – Para quê você quer ir lá?
_E-ele tem que dizer alguma coisa... – ela estava fora de si; meio bêbada de cerveja, meio embriagada com a discussão – ...e-ele não pode me ignorar. Ignorar TUDO O QUE ELA ESTÁ DIZENDO, O QUE ELA ESTÁ FAZENDO COMIGO. NÃO PODE! – olhou por cima dos meus ombros, para o carro e para o pai – FALA COMIGO!! OLHA PRA MIM!! PRA QUÊ VOCÊ VEIO ATÉ AQUI???
_Presta atenção. Não faz isso! Por favor, linda – eu implorava –, a sua mãe tá surtando. Você não quer fazer isso agora, só espera... Espera para ter essa conversa com calma.
_Mas e-ele... sabe, ele tem que saber. ESSA LOUCA SE METEU EM TUDO!! ELA FALOU!!! – se virou, agora para a mãe, que estava atrás de nós na calçada. E começou a gritar de novo – VOCÊ NÃO TINHA ESSE DIREITO!! VOCÊ NÃO TINHA QUE CONTAR!!! ESSA É MINHA DECISÃO, MINHA VIDA. VOCÊ SEQUER SABE DO QUE TÁ...
_Mia, não – falava baixinho para ela, perto do seu rosto.
_...FALANDO!!
_Vem comigo.
_VOCÊ PENSA QUE ELE NÃO SABE? – a mãe retrucou – QUE ELE JÁ NÃO SABIA?? O SEU PAI NÃO É IDIOTA! ELE SABE DESDE O DIA EM QUE ESSAZINHA AÍ PÔS O PÉ DENTRO DE CASA, SABE MUITO BEM QUEM ELA É.
_CALA A BOCA!!
_ELE ME OLHOU E FALOU: “EU NÃO GOSTO DESSA MENINA. ELA NÃO É BOA INFLUÊNCIA”. E ADVINHA?? ELE ESTAVA CERTO!!
_Mia... – eu a segurava, tentando fazer com que me seguisse para dentro – ...vamos entrar, deixa pra lá.
_VOCÊ É UM MONSTRO!! VOCÊS DOIS SÃO! O QUE VOCÊS TÃO FAZENDO AQUI??? VOCÊS VIERAM ME MACHUCAR?? ME OFENDER? OFENDER AS PESSOAS QUE EU AMO??
_VOCÊ VAI SE ARREPENDER DE CADA PALAVRA QUE SAI DA SUA BOCA!! VOCÊ NÃO AMA NINGUÉM. VOCÊ ACHA QUE PODE FAZER O QUE QUISER, MAS ISSO NÃO VAI SER TOLERADO. ENTRA NO CARRO. AGORA!!
_NEM FODENDO. EU QUERO VER VOCÊ TENTAR!!
_ENTRA NO CARRO, MIA!
_NÃO VOU ENTRAR! CHAMA A PORRA DA POLÍCIA, SE QUISER, EU NÃO TÔ NEM AÍ. EU TENHO VINTE E TRÊS ANOS, O QUE DIABOS VOCÊ PENSA QUE PODE FAZER?? EU NÃO VOU PRA LUGAR NENHUM!!!
_Vamos pra dentro, por favor... – a última coisa que eu precisava era que todos os vizinhos escutassem alguém dizer que íamos chamar a polícia, merda – A gente conversa outro dia, quando todo mundo se acalmar...
_EU TÔ CALMA! Ah, eu tô muito calma... – deu com as mãos para cima QUEM É LOUCA É ELA!!
_Mia...
_OLHA NA MINHA CARA!!! EU SOU SUA FILHA!! VOCÊ VAI ME DIZER QUE NÃO ME AMA? QUE ISSO DEPENDE?? QUE DEPENDE DE QUÊ?? FALA!! EU QUERO OUVIR COM TODAS AS LETRAS!!!
_Chega, Mia. Vamos entrar, por favor... – eu ainda a segurava e os seus pés seguiam os meus, em direção ao portão, ainda que tivesse todo corpo e palavras viradas para a mãe.
_ONDE VOCÊS PENSAM QUE VÃO??

12 comentários:

Anônimo disse...

Obrigada pelo pensamento da FM sobre o "eu amo ela" <3

E esse barraco parece que não acaba nunca... Hahaha

Anônimo disse...

Será que o pai falou aquilo mesmo, sobre a FM ser má influência? Acho que a coroa inventou. Se bem que... Pq ele não saiu em defesa da filha tbm, né? Muito bad...

Pathy disse...

Nossa mano e esse pai hein? Desgraça de pai omisso. pqp

Anônimo disse...

Ainda sobre os títulos: tive que jogar no Google. Hahaha não conhecia a frase.

( the girl fucking Mia ) disse...

Sério? :3 "Dou um boi para não entrar numa briga, mas uma boiada para não sair dela". No caso, a F.M. dá o boi e a boiada para não entrar... Hahaha!

Cris F Santana disse...

Mais uma de tirar o fôlego!
Caramba!
E eu também esperava mais do pai, mas ainda acho que ele só esta chocado demais pra agir.. Ainda mais em meio a esse barraco..

Anônimo disse...

Me setindo mt nesses posts, minha mae fez a mm coisa!!! Xingo minha nma, falo q eu tava sndo influenciada. Foi barra....

Deinha disse...

Pensando seriamente eu mandar minha mae ler esse post!!!! O medo de contar eh foda... me consome....

Anônimo disse...

Meu pai foi IGUAL. Foda!

Anônimo disse...

"Como se não houvesse um grama de maconha dentro do meu corpo, eu encarava aquela perua de Higienópolis como se fosse a droga do Papa." eu adoro seu estilo mel jkkkk

Anônimo disse...

Aham! Dps do Google, eu entendi o título, mel. Hahaha.

Anônimo disse...

E a Mia com "olhos vermelhos de ódio"? Seeeeeei... Hahahahahaha