- »

agosto 13, 2014

Algumas horas dela

Na manhã do domingo, fui acordada pelo som da campainha e por uma dor filha da puta que martelava na minha cabeça. Nada agradável. Tinha metade do meu corpo para fora do sofá, enquanto a outra parte parecia escalar as almofadas desajeitadamente, vestida nas roupas da noite anterior. Me esforcei para abrir os olhos e chequei que horas eram no celular. 15:39. O visor indicava uma mensagem não lida – do Fer –, ainda no meu antigo celular. Tínhamos ficado na rua até sete da manhã, eu estava acabada. Depois, em um grupo de cinco ou seis pessoas, entramos ainda numa padaria nos arredores da República, bêbados, para comer alguma coisa.

Ou seja, cheguei em casa às oito. Vomitei todo o pastel embebido em óleo que comi, junto com os litros de cerveja e catuaba da madrugada anterior, e dormi no sofá no meio do processo de bolar um para aliviar o meu estomago. Porque, sim, sou muito saudável. Horas depois, sentia agora as minhas entranhas se contorcendo em ressaca, completamente vazias. Abri a mensagem do Fer e bati o olho rapidamente, antes de realmente ler. As letras estavam embaralhadas o suficiente para presumir que ele ainda estava alcoolizado quando digitou aquilo, provavelmente em algum lugar ali no Centro, na casa do Beto, onde disse que ia dormir para não ter que ir até Santo Amaro. Decodificado, o SMS dizia: “feliz pra caralho de ter te visto hoje, sua imbecil”. Mal sorri, ao ler, e a campainha tocou de novo. Ah, é. Torci mentalmente para que o Du estivesse em casa para que eu não precisasse me levantar.

_ABRE AÍ, CARALHO!! TÔ METENDO! – ouvi ele gritar do outro lado do corredor, de dentro do seu quarto, já irritado com a minha demora.

Argh. Fino.

Levantei numa puta má vontade. Com o cabelo emaranhado e as calças abertas, a blusa amarrotada. E me arrastei até a porta, rogando uma praga vingativa para que a foda dele fosse ruim. Desgraçado. Abri a porta. E ali parada, acordada e disposta, estava a Mia. Com um pacote na mão e olheiras bem menores que as minhas, vestida num shorts jeans e regata preta como quem – diferente de mim – já tinha tomado banho e se recomposto desde a noite anterior. Me vendo naquele estado lamentável normalmente ela teria gargalhado, mas acho que se sentia culpada. Cruzei os braços, apoiada contra o batente. “E aí...”, murmurei, com sono. Ela sorriu. “Oi”, respondeu baixinho, ainda no corredor; eu não me movi. Havia um silêncio um tanto constrangedor – algo como um “sabemos que fizemos merda” admitido não-verbalmente –, ela fechou então os olhos e apoiou a cabeça contra o meu peito. Achei que se arrependia. “Você é uma imbecil”, disse, para minha surpresa.

_Meu, é a segunda vez que eu ouço isso hoje... E eu mal levantei! – comentei, rindo.

E ela passou os braços ao redor da minha cintura, me abraçando carinhosamente. “Quem disse primeiro?”, perguntou.

_Então. Bizarramente, foi o Fer...
_Vocês discutiram de novo? – ergueu o queixo para me olhar, apoiando-o na minha camiseta.
_Não. A gente saiu ontem.
_Mas... Como isso? Assim de boa?

Acenei com a cabeça, “é, meu...”. Ela me observava, surpresa, com seus olhos castanhos. “Que foi?“. “Isso é incrível!”, ela sorriu. Sim. Eu suponho... – não tinha realmente parado para pensar até então no que aquilo significava. A Mia me apertou extasiada, me beijando a blusa, o pescoço, em beijos curtos, breves. Mais animada do que eu, que ainda sentia o meu estomago revirar todas as más decisões daquela praça imunda na República. “Estava com saudades”, me disse então. E eu estranhei.

_Mas você me viu ontem...

“Ontem não contou”, afundou mais uma vez a cabeça no meu peito, “foi uma merda”. Eu ri. Tem razão. Ela apertou os braços ao meu redor e ouvi o saco em sua mão fazer barulho.

_O que cê trouxe aí?
_Ah... – ela se desencostou do meu corpo para poder abri-lo, ainda na minha frente – ...eu te trouxe uns sanduíches lá de casa. Minha mãe comprou um presunto desses italianos.
_Ahm. Uns sanduíches? – achei graça.
_É. E maconha, sei lá, eu não sabia direito o que trazer...
_Não precisava trazer nada, linda. Eu tô cheia de erva aí!
_Tá. Mas é que... – colocou a cabeça mais uma vez no meu colo, agora sim soando arrependida – ...eu não quero mais brigar.

Eu comecei a rir. “Então você me traz comida e maconha?”. “É”. Ergui o seu rosto com as mãos, lhe dando um beijo, ainda rindo. E ela me abraçou mais uma vez. “Vem, entra...”, a convidei, me divertindo. De alguma forma, aquilo realmente me encheu o coração. Maldita. Sentamos na sala para comer e espalhamos migalhas por todo o sofá. A Mia bolou um, tagarelando sobre um artigo que tinha lido sobre os últimos dias do Lou Reed. Eu ainda estava cheia de presunto italiano. Fiquei só ouvindo. Depois de fumarmos, eu cogitava entrar no banho para depois darmos uma volta, quando escutei a porta do quarto do Du abrir. Ele passou pelado pelo corredor e cumprimentou a Mia de longe. Perguntou se íamos usar o banheiro, porque ia entrar no chuveiro assim que tomasse um gole d’água. Nós duas nos olhamos. Respondi que não. Esperamos ele entrar na cozinha e pulamos o sofá, correndo em direção ao banheiro, e nos trancamos ali. Vingança, meu caro amigo. Quando ligamos o chuveiro, ele já estava batendo na porta. Puto.

Tomei banho, ignorando. A Mia ficou me olhando de fora do box, sentada sobre a privada fechada. Estranhamente em silêncio. Com os joelhos abraçados contra o corpo. Quando eu já estava quase terminando, ela se despiu sem dizer uma palavra e entrou no chuveiro comigo. Ah, garota. Transamos demoradamente – irritando o Du, que a cada cinco minutos esmurrava a porta, de mau-humor por causa do seu pinto sujo. Não tô nem aí. Quando enfim saímos, a Mia enrolada na minha toalha e eu pelada, molhando todo o apartamento, ouvi ele me xingar do quarto. E vi o André passar rindo. A Mia escolheu um shorts bem caminhoneiro para mim e emprestou uma das minhas calcinhas. Já devidamente vestidas, me convenceu a pegar uma dessas bicicletas do Itaú e ir até a Praça do Pôr-do-Sol fumar.

Não precisei de nem dez minutos para me arrepender da decisão. Sedentarismo way of life. Eu tava morrendo antes de chegar na metade do caminho, é claro. A Mia se divertia com a minha indisposição. E me apressava, dizendo que o sol ia logo se pôr.  Foi um parto. Quando chegamos, a praça estava quase vazia e a vista espetacular. Acendemos o resto do que ela bolara mais cedo e conversamos sobre pedaços do corpo que nascem fora do lugar. Como dentes e dedos, é. Num papo muito estranho, brisado, que me fez contorcer de nojo e rir simultaneamente das coisas que ela dizia. A Mia me mostrou então como mexer propriamente no meu novo celular – e me chamou de imbecil mais algumas vezes no dia por tê-lo comprado. Me beijava sempre em seguida, o que não era tão ruim. Ali, tiramos a primeira foto decente que eu já fiz na minha vida com um celular: a Mia levantou a blusa quando estávamos sentadas numa área mais afastada, mostrando rapidamente os peitos e a tatuagem, com o baseado aceso na boca; ficou genial

Mas ela se recusou a me ensinar como colocar de papel de parede no telefone.

26 comentários:

Cris F Santana disse...

Que post lindo *-*

Anônimo disse...

*-----------* ai que morri de fofura!!

Anônimo disse...

Aii senti elas diferentes nesse sei la.. Amei!!!! Gosto mt das duas juntas e adoro qdo aparece o fer, o du td mundo kkkk

Anônimo disse...

E esse amor todo aí, do nada? Depois de tudo o que rolou? Sei não, tá com cara de que ela fez merda...

Anônimo disse...

Essas duas <33
Hauahuaauh capaz da mia ter feito merda msm...

Anônimo disse...

" Pergutaram pra mim
Se ainda gosto dela
Respondi tenho ódio
E morro de amor por ela
Hoje estamos juntinhos
Amanhã nem te vejo
Separando e voltando
A gente segue andando
Entre tapas e beijos
Eu sou dela e ela é minha
E sempre queremos mais
Se me manda ir embora
Eu saio lá fora
Ela chama pra trás
Entre tapas e beijos
É ódio, é desejo
É sonho, é ternura
Um casal que se ama
Até mesmo na cama
Provoca loucuras
E assim vou vivendo
Sofrendo e querendo
Esse amor doentio
Mas se falto pra ela
Meu mundo sem ela
Também é vazio..."

P/ trilha sonora hauahaua adoroo!!!

Anônimo disse...

Foto epica pra por de papel de parede no celular em... :))

Anônimo disse...

Queria ver essa foto mas...
E esse post foi perfeito! ^ ^

Anônimo disse...

esse post me fez perceber o quanto a Mia é baixa.

de estatura, digo.

absolutamente NA-DA contra mostrar os peitos na praça. <3

Anônimo disse...

"Transamos demoradamente – irritando o Du, que a cada cinco minutos esmurrava a porta, de mau-humor por causa do seu pinto sujo. Não tô nem aí." hauahauahauahauahauahauahauahauaahauahahauahahaahuahaua fm <3333

Anônimo disse...

Ah, AMEI! Só isso...amo estas duas :)

Anônimo disse...

lindo post já li umas 10 vezes amo a Mia.

Pathy disse...

Essas duas <3

Mas hein, será que fim levou o sms que ela mandou pra Clara? huuummm

Anônimo disse...

Pq a anônima lá em cima percebeu que a Mia é baixa?

Anônimo disse...

Mel, só pra avisar, não precisa aprovar, quando o Du sai do quarto tem escrito "Pergutou", só pra tu corrigir rapidão :*

Ianca' disse...

Eu achei o post tão diferente, desde a forma como foi escrita (principalmente), até o desenrolar do mesmo. Já reli algumas vezes antes de comentar de fato, tá uma delícia. Eu tb colocaria a foto no papel de parede, avisa a FM que eu ensino ela :D

Anônimo disse...

Porque ela fechou os olhos, apoiou o rosto no peito e abracou a cintura da FM. Tudo MUITO fofo rsrsrs Mas também imaginava que eram da mesma altura, nesta descrição parece ser mais baixa. Adorei o post :)

Anônimo disse...

Sobre a Mia ser baixa:

"Ela passou os braços pela minha cintura, me abraçando carinhosamente.
(...)
_Vocês discutiram de novo? - ergueu o queixo para me olhar, apoiado-o na minha camiseta
(...)
_Tá mas é que... - colocou a cabeça mais uma vez no meu colo (...)"

Enfim, ela é muito mais baixa que a FM, e eu não me lembro se já foi mencionado isso antes.

( the girl fucking Mia ) disse...

Sobre a altura da Mia: também sempre pensei nas duas com a mesma altura. Eu imaginei ela curvando o pescoço para apoiar a cabeça no peito da FM, quase como dando uma "testada" hahaha E depois sem tirar muito a testa do colo da FM, girando o queixo, com a cabeça levemente de lado, e o erguendo... Para olhar para cima. Mas ainda meio curvada. Faz sentido? Hahaha! Acho que ficou mal explicado, perdão, meninas ;P Chegando em casa eu arrumo!

De toda forma, a Mia pode ser da altura que vocês a imaginarem. Eu imagino ela só uns 3-5 cm mais baixa que a FM, não tão mais baixa...

Obrigada pelos comentários (estão lindos!) <3

Anônimo disse...

Eu sou a única que tá com um pé atrás, achando que Mia fez merda??? Não é possível!

Anônimo disse...

Hahahaha... não sei se é pela fome do horário, mas pra mim não fez sentido não, Mel. Acho que ainda parece que a Mia é bem mais baixa. Eu tbm sempre imaginei elas da mesma altura praticamente, a Mia levemente mais baixinh, como vc descreveu. Mas acho q isso não daz diferença, né? haha. Bjs

( the girl fucking Mia ) disse...

Ai, tentei achar uma imagem na internet que meio exemplificasse, hahaha! Mas tá difícil... (joguei "hug" no Google, não julgue o material bizarro que surgiu) Mas seria algo assim:

http://www.cmt.com/sitewide/assets/img/shows/dallas_cowboys_cheerleaders/season_three/cdc305/2%20girls%20hug-x600.jpg

Ou assim (mas com o rosto para o outro lado e o queixo mais erguido, olhando para cima): http://3.bp.blogspot.com/-iPO627NGJuI/TdAPWlmy2EI/AAAAAAAAAiU/7KxBoBLH7vQ/s1600/hug%2Bbbw.jpg

Ta-daaaam! É, não faz muita diferença, hahaha. Paremos aqui o debate... Não sei se deu para visualizar :P

E anônimo das 2:04, só consegui entrar no laptop agora para arrumar. Obrigada por avisar!

E obrigada todas pelos comentários :)

Jefferson disse...

Só dizer que não são só meninas que leem :*

- post foda, deu até vontade de andar de bike e ver o por do sol hoje.

Anônimo disse...

HAHAHAHAHAHAAHAHAHAHAH.. to rindo mto de vc ter se dado ao trabalho de jogar "hug" no google. q pessoa louca. hahahaha.. mas ok, visualizei agora. (só vi hoje a sua resposta.) agora já pode escrever o próximo post. (e falar sobre a Clara!! aproveitando o clima de buenos aires q ainda deve estar em vc. hahaha)

Anônimo disse...

Oi, Mel, to em abstinencia...sai um post aí na finaleira do domingo? ;)

( the girl fucking Mia ) disse...

Ah, Jefferson, acho lindo que tenha garotos que lêem o blog! ♥ Tenha certeza que sei da existência de vocês hahaha!

Mas eu gosto de falar no feminino e de me referir às minas quando escrevo aqui, porque a maioria são leitoras (e uzômi já tem o plural de todo resto da língua portuguesa, né não?) hahahaha :)

Obrigada por ler e pelo comentário (: