- »

abril 19, 2012

Untouchable face

Aquelas paredes. Os livros, as estantes, as pequenas formas redondas no papel de parede; como se eu nunca houvesse deixado aquele cômodo. Paradas ali, em constante estado contemplativo de nós duas. O quarto dela continuava o mesmo, à nossa história, igual aos meses antes quando cambaleamos adentro mais bêbadas do que qualquer outro que deixara o show no Itaim aquela noite. Os beijos, as horas gastadas em segredo. Os sentimentos me voltaram, tão vívidos e comuns, assim que passara pela porta. A sua mão entrelaçada à minha no escuro, semanas antes do nosso encontro no bar; todas as suas amigas nos colchões ao lado e a nossa respiração acelerada, denunciando-nos. O que aconteceu no meio do caminho, garota? Eu a olhava, agora, tão diferente. Os cabelos presos para trás, morenos e opacos, sem vida; os seus olhos tristes. E um sentimento de culpa, brotando em mim. O seu corpo não me queria ali, eu podia notar facilmente; havia algo de desconfortável. Na minha presença, naquele quarto. Não era mais natural... Deixara de ser e talvez a culpa fosse minha, ou dela – eu não sabia mais dizer. Importava?

_E então? – me encarou brevemente, num jeans claro e num confortável moletom azul escuro; cansada. A frase, a pergunta parecia continuar na sua cabeça. Afundou-se contra a parede, sentada no colchão macio. Parecia não querer ouvir o que eu tinha para lhe falar, para acertar entre nós. As pernas cruzadas sobre o edredom branco, fino; me evitava olhar nos olhos.

Nós merecíamos mais, eu e você, pensei, vendo-nos tão distantes.

_Eu queria me desculpar.
_Ah, é... Por o quê, exatamente? – falou, como se eu lhe devesse mais de uma.
_Por brigar com você. Por tudo. Pelas coisas que eu te disse, pelo o que fiz.
_Eu acho que nós duas nos arrependemos... – ela cedeu um pouco, mas mantendo os braços ainda cruzados.
_Mia... – a olhei direto nos olhos e me curvei na sua direção, também sentada na cama – ...eu também queria... – respirei, tranqüila – ...te dizer, pelo menos uma vez, e este é um dos motivos pelos quais eu quis vir aqui, sabe... só te falar, com calma e não no calor de briga nenhuma, uma vez que fosse, o quanto eu gostei de você nos últimos meses, nos últimos anos.

As suas pálpebras abaixaram-se, desviando-se do que eu acabara de lhe dizer.

_Olha – pedi e ela tornou a prestar atenção em mim, a contragosto –, a verdade é que eu me apaixonei por você. E eu não sei como, não sei por que você. Sei menos ainda por que eu não impedi isto. Eu acho que eu nunca consegui... te evitar, sabe? – suspirei, me forçando a dizer de uma vez todas as palavras que eu ensaiara na minha cabeça no caminho até a sua casa, sentada no ônibus – E eu sei que parte de você acha que foi sacanagem minha por eu já, não é, teoricamente, lidar melhor do que você com... com isto. Com outras garotas – ela arqueou as sobrancelhas, como se concordasse com a minha presumida culpa no início daquilo – Mas eu não procurei isto, não como você disse ontem; eu nunca quis, nunca, nada disto! Eu tenho o maior respeito do mundo pelo Fer, ele é meu amigo, cara, e eu amo ele, muito antes de te amar...
_É. Eu também amava ele – ela me interrompeu, rancorosa –, mas aí você veio e... e por que? Por que você tinha que ter começado tudo isto, meu?!
_Eu sei, eu sei... – respirei fundo, tentando me esclarecer – Mas a real é que, antes que eu pudesse me dar conta, que eu pudesse me segurar, você... sei lá... você entrou em mim, de uma forma! E eu não disse nada, na época, mas, cara, eu te amei e amei muito antes de fazer qualquer coisa a respeito – ela deixou escapar um leve sorriso, ainda que melancólica, nunca ouvira eu falar tão abertamente assim sobre o que sentia por ela – E você não sabe, meu, não sabe como eu me odiei depois que tudo isto acabou por, por não ter te dito antes. Por ter te levado talvez a, a achar que você era só uma gracinha, uma brincadeira para mim. Você não era. Eu devia ter te dito antes, eu sei! E mesmo quando eu disse... – ri, um tanto nervosa comigo mesma –  ...sabe, eu sei que eu nunca te disse isto com calma, nunca me expliquei direito, nem nunca falei a verdade antes daquele dia lá, da briga, do elevador. E aí já era tarde demais, o contexto era todo errado... mas você tem que entender que, que eu também estava lutando com isto e você, você tinha o Fer, porra... Eu... – me senti machucada, confusa – ...eu podia perder vocês dois, entende.
_Mas agora você tem a Clara... não é...
_Tenho. Tenho mesmo, Mia. Mas, sabe, eu ainda queria te dizer... pelo menos uma vez, com a cabeça no lugar, o que você foi para mim. E continua sendo, de alguma forma... – a olhei, sincera; o meu coração doeu em silêncio – ...só não mais como foi naquela época.

Os seus olhos se encheram, marejaram, algo neles ainda estava além da minha compreensão. Por que não?, eu li, nas suas entrelinhas. E ela seguiu sem me dizer nada, sem sequer querer estar ali, conversando comigo.

_Porque, Mia... – continuei, respondendo-lhe sem que ela o pedisse; ela me observou de volta, prestando atenção – ...lidar com os meus sentimentos por você e com as nossas idas e vindas e com a minha desonestidade com um cara que foi o meu melhor amigo há mais tempo do que eu posso me lembrar, meu, acabou comigo. E eu sei que não foi fácil para você também, eu sei. E me mata te ouvir falar como você falou ontem, sabe, no telefone... mas eu só posso dizer do que eu penso, do que eu sinto. Do que eu senti por muito tempo. E o que eu tive por você drenou todas as minhas energias, acredite: todas as minhas lágrimas, os meus surtos de raiva, de frustração, me sugou a vida inteira. Por meses. E talvez você nunca tenha visto isto, o meu sofrimento, sabe, toda vez que eu te via com ele, toda vez que eu olhava para o Fer em casa e todos os meses de agonia por alguns poucos dias de felicidade absurda contigo, sabe? Por um segundo da sua atenção, por um beijo seu, mas... – ela me olhava, sensibilizada com tudo que passei – estava lá. Tudo isto estava lá. E eu não podia dividir com ninguém! Eu carreguei sozinha e eu, eu não quero mais isto para mim. Eu quero ficar com a Clara – a sua expressão mudou, fechando –. Eu quero, sabe, só... ficar bem.
­_É, mas você tem um jeito muito “estranho” de mostrar isto... – retrucou ofendida, referindo-se à noite no banheiro, após o teatro.

Mais alguma coisa, caralho?!
 
_Não faz isto, cara... não fala assim, eu sei que... – abaixei a cabeça, irritada com a atitude insistente dela em descreditar o que eu dizia e frustrada comigo mesma, com a minha responsabilidade naquilo – ...eu sei que eu faço as coisas sem pensar, que eu posso ser uma completa idiota, às vezes. E eu espero que você me perdoe, meu, por um milhão de coisas que eu já fiz... – a encarei novamente e ela me olhou, contrariada, como se eu estivesse falando a coisa errada; como se não quisesse me perdoar por aquilo e, sim, pelo o que veio em seguida – ...mas eu tô tentando aqui, tô mesmo. Eu quero ficar bem com você! Eu não quero ficar brigando, meu, entende? Você, porra, você é importante pra caralho. E acredite... – ri, o meu peito se esmagava de dor só em olhá-la – ...não é fácil pra mim pensar em todas estas coisas para te dizer, falar tudo como se não tivesse uma parte de mim que te quisesse. Porque tem. E sempre vai ter, Mia, eu me dei conta disto ontem. Mas eu não posso mais...
_Então, por que você vem até aqui... – me encarou, como se eu a magoasse – ...até a minha casa, o meu quarto, sabendo que eu, manja, eu tô pensando em você, que eu tô confusa... pra... pra me dizer que tem parte de você que quer dizer “sim”, meu?!
_Porque eu não quero ter que dizer! Eu não quero te negar o tempo todo, cara. Não você! – levantei um pouco o tom de voz, incomodada pelo excesso de sinceridade – Eu... eu não sei se eu consigo, Mia. E eu acho que você também sabe... Prova disto é o que rolou na, na merda do apê anteontem, meu! Não devia ter acontecido. E a gente não devia ainda estar nessa! Você está com o Fer, porra. Você ainda está com ele e, bom, agora eu tô com a Clara. Eu quero estar! E eu quero conseguir, mas... mas a gente tem que se resolver primeiro.

Ela abaixou a cabeça, colocando uma mecha solta do cabelo para trás da orelha. Respirou fundo, olhando para o lado e só então, voltou o olhar a mim.

_Ok, eu, eu acho que sei o que você... quer... dizer. E eu entendo – ela parecia se conformar, para me agradar que fosse, e eu sorri –, entendo mesmo.

36 comentários:

Anônimo disse...

Chorei horrores, ok, me vi muito nessa porra de situaçao, que merda meu, a Mia...elas não podem acabar assim, sério, não podem! É a MIA meu.

@livia_skw disse...

Ah, e essa sinceridade linda da FM transbordando? *_* Parece que a ficha caiu mesmo..


Espero ansiosamente o próximo post Mel, e me atrevo perguntar, a história está perto do fim?

Beijo ♥

Anônimo disse...

Aaaaaahhhh, meu Deusssss!

Anônimo disse...

Lindo, Mel!Emocionante mesmo!
Mas...ate agora só a FM falou, vamos ver o que acontece quando a MIA falar o que está sentindo, não é?
#TeamMia

Anônimo disse...

ELAS SAO TAO LINDAS JUNTAAAAS NÃO PODE ACABAR NUNCA!! NAO VAI ACABAR, POO!!!! AHHHHHHHH... FM... A MIA TE QUEEEEEEEEEEEEEEEER! DA LOGO UM BEIJO NELA, MULHER!!!!!!!


MAS EU ENTENDO A FM. FODA!!

Dani disse...

VERDADE! Mia, a inabilidade de falar em pessoa. É irritante, mas é TÃO ela que acho que não poderia ser de outro jeito. A Fm não ficou nem um "tiquinho" tentada??

Anônimo disse...

</3 Pq diabos a Mia tem que ser assim tão confusa, bem que ela poderia demostrar abertamente oq ela sente pela FM.
Odeio ser tão parecida com a Mia, tbm sou "a inabilidade de falar em pessoa" como a menina disse ali hehehe

Bibi disse...

P u t a q u e p a r i u, Melissa! WTF??
Que linda a FM falando, de uma forma completamente aberta, sincera e sóbria, tudo o que ela sente pela Mia pra Mia. Tava mais que na hora desse momento acontecer, e eu acho que não poderia ter sido de outra forma. Acho que foi um dos posts mais lindo que eu já li nesse blog (e olha que não são poucos os que mexem com o nosso emocional). A Mia, como sempre, com pouquíssimas palavras, mas ainda assim e desde já, deixando bem claro que não é mais o Fer que ela quer e sim a FM, mas como a FM tá com a Clara e aparentemente bem, a Mia tá com medo de largar o Fer pra correr os riscos de ficar com a FM. Agora é só esperar pelo próximo post, pra ver o que vai rolar entre elas e o que vai ser decidido.

Bibi disse...

E espero do fundo do coração que essa história esteja beeeeeeeeeem longe do fim. Minha vida não vai ser a mesma sem esse blog. Melissa, por favor, continue com ele pra sempre. Hahahahahaha!

TekaSak disse...

PTQPR pq a Mia tem q ser assim?! Poooohra mana, te esperta pra vida! Diz q 'entende" mas depois tá atentando a vida da FM de novo!!! Aproveita q a FM tá aí e faaaala, faaaaz alguma coisa!!

Anônimo disse...

que post lindo Mel!
elas merecem ficar juntas cara. a mia tem que ser mais direta com a FM.

Vivi Côrtes disse...

Admito que deu vontade sim de chorar, mas me controlei.
Adorei a sinceridade da FM, o jeito que ela foi compreensiva com a Mia, percebendo que também nunca foi fácil pra ela.
Eu gosto da Clara, mas... mas eu quero a FM e a Mia juntas novamente.

@carlitaelias disse...

Aiii, quer saber?! Não gosto dessa Mia! #prontofalei

Dea disse...

eu definitivamente não concordo com a frase auto-ajuda do Gabriel. não acho que gostar é "estar bem". gostar é gostar e continuar gostando mesmo quando não está bem. e eu falei isso pra complementar o meu comentário sobre o post atual... sinceramente, se eu fosse a Mia, eu pulava em cima da FM, dava um beijão nela e diria: "o que eu acho que você quer é que eu faça com que a outra parte de você também diga sim!". a Mia tá precisando acordar pra vida! mostrar do que ela capaz, além de ficar choramingando. ela tem tanto potencial e fica gastando no drama. blé!
e a FM, ok... ela parece mesmo gostar da Clara, mas não fala da menina com paixão. fala com - vou me arriscar a dizer - conformidade. do tipo: "eu sempre quis que desse certo, agora dá, a gente super combina, então vamos ficar assim mesmo". essa não é a FM. pelo menos não é a FM que eu vejo.

enfim, looking so fucking foward pelo próximo post que tou pensando em te ligar e perguntar o que vai acontecer, hahahahahaha! e também porque preciso falar sobre uma ideia ;)

beijos ;*

Anônimo disse...

Nossa, não sei se sou eu, mas este foi um dos posts mais tristes... Duas pessoas, equacionando o que seria "melhor" com o que é inegável, inevitável. Nada mais melancólico que dizer "quero que dê certo" sobre uma relação. Sei lá, já mostra um certo esforço.
Gosto muito de suas descrições de figurino. Sempre me me faz ver as personagens, o ambiente, tudo! Adoro seu estilo de descrição, com certo senso de humor.

c' disse...

Acordo no meio da madrugada, entro no face. Tem aviso la de post novo, venho ler e me deparo com esse post maravilhoso e surpreendente. Mel perfeito demais o post. Lindo o modo como a fm ta se abrindo pra mia, sem medo de nada, demonstrando todos os sentimentos, e finalmente falando e nao gritando como sempre. Nao aguentava mais a fm sempre gritando com a pobre da mia (até eu qe nao sou fã da mia ja tava com pena dela). Mas e agora? E a mia qe nao abriu a boca direito? Agora é a hora mulher, aproveita qe a fm ta mais racional e fala tudo oq vc sente. E nao fica só no " eu entendo ". Bem, como disse alguem mais la em cima, eu espero muito sinceramente qe essa história esteja muito longe do fim, ou qe ela nao tenha fim. Nao consigo me imaginar mais sem ficar vindo aqi e ler as aventuras de fm.

Bibi disse...

Há momentos que vc só consegue expressar seus sentimentos em atitudes... Ahhh chega de falar vcs "duas" pow. AJAM pelamordedeus

Pathy disse...

Deu até uma dor no coração lendo o post! =/

Mia, pelo amor de Deus,fala logo tudo o que vc sente pela FM e acaba com esse dramalhão todo. Me da angustia de ver as duas assim!

E agora eu vou ficar relendo o post até vc postar um novo.. Pq eu amei, amei tuuuuudoo! A descrição que tu dá da Mia é tão perfeita que eu fico imaginando a cena toda, que melancolia, meu. :(


P.S.: Mia, agarra essa mulher e não solta nunca mais! :D

@carolcastr disse...

Aii!! Mt lindo!
Adoro a FM assim, falando tudo, de coração aberto!
Espero realmente que a Mia faça alguma coisa p/ reverter isso!
E ainda to esperando a Clara fazer merda! kkkkkkkk
#TeamMia

Anônimo disse...

Perai... Tô chorando :(

Ianca' disse...

Mel, só uma correçãozinha, no terceiro parágrafo de baixo pra cima, na quarta linha tem "...eu sei que faço as "coisas" tá sem o S, só pra corrigir ;D

Ianca' disse...

Sei lá, eu me coloco no lugar da FM por MUITAS vezes e fico naquela, sentindo pelo menos um terço da dor que ela sente, confesso que já comecei a ler o post meio nervosa e apreensiva e o terminei aos prantos. Porque elas não dão certo hein, Mel? Porque não tem dado? Tira esse sofrimento vai :/

Ma disse...

A bichinha aqui chorou! (tá meio que chorandinho ainda hahahaha)

1. não preciso nem dizer que to ABSURDAMENTE feliz com o post!
2. AINDA ESTOU MUITO FELIZ COM O POST;
3. simplesmente fantástico, como de costume.. (thanks, mrs. obvious) mas meu.. Mel, não dá, não tem como, você escreve de um jeito... sério.. HAHAHAHA não dá...
4. música do título♥
5. MIA LINDA
6. mais, mais, mais, mais, mais, mais! hahahaha

1bj♥

'duuda disse...

aaah meu chorei demais
continuo chorando
sério, esse diálogo dispensa comentários
que post incrível

Anônimo disse...

Noossa, morri um pouquinho agora. :/

( the girl fucking Mia ) disse...

Obrigada por avisar, Ianca! :)

E, meninas, suas liiiindas! Obrigada por todos os comentários... adorei. Para quem está preocupada se o blog está acabando, a verdade é que ainda tem muita coisa para acontecer. Talvez se eu postasse com a freqüência de antes, já estivesse próximo do fim, mas ano passado eu postei pouquíssimo e ainda tem muita coisa planejada que não rolou ainda, rs.

Então, fiquem tranqüilas! Ainda não ;)

Stella disse...

aaaaahhhhhh não! a FM mandou muito mal. que isso, cara? que mané ficar com a clara, eu não sinto paixão a relação dela com a clara. parece uma tentativa frustrada de se agarrar a qualquer serenidade... ilusória. que droga. fiquei afetada pela mia, 'então por que vc vem até aqui, até a minha casa, o meu quarto, sabendo que eu tô pensando em você, que eu tô confusa... pra me dizer que tem parte de você que quer dizer 'sim', meu?!'. é isso, é isso. parece maduro, mas é pura calhordice, é o que eu acho.

FRan disse...

Ansiedade a mil!
Lendo o post vieram momentos de taquicardia, com dificuldade pra respirar, com emoção,, com desespero... Acho que tudo! Hahaha

Juliana Nadu disse...

Eu quis ouvir isso desde o inicio... a sinceridade e verdade me cativa muito mais do que os jogos... Eu nem imagino o que deve ser abdicar de uma pessoa tão impostante...

esperando ansiosamente o desfecho da conversa... ♥

Anônimo disse...

Eu aqui torcendo pra no final, nessa frase da Mia, ela tivesse um dito um "mas...", qual é né?! Tem que ter um porem não pode simplesmente "entender" a situação e se dar por vencida assim tão facilmente, exijo uma reação mais firme HSIAUHS E tenho que admitir estou um tanto quanto aliviada por estar longe do fim, alias um tanto não, muito aliviada HSIUAH Ótimo post Mel. Arrancando os cabelos pelo próximo hehehe

Raianny disse...

Uau, tb achei que esse foi um dos posts mais tristes, talvez pela sinceridade melancólica da FM e pelo rumo que tomou a conversa. Ahhhhhhhhhhhhh =////
E o que é essa música? Nossa, linda linda linda!

E sim, esse final deixa uma sensação ruim de que está acabando.
Lembrei de mim em SP, bêbada, encostada em algum lugar que não lembro, e bravíssima porque vc disse que Fucking Mia ia acabar um dia. hahaha

Mtoo bom!!!

Anônimo disse...

ah nãaaaaaaao, elas não podem terminar assim :((((

#TeamMia

jamile disse...

agora elas se beijam loucamente :*

Juliana Nadu disse...

#TeamMia ♥♥♥

Ivett disse...

O titulo do post poderia ser: Vomitando Sinceridades.
:P

Raah disse...

eike adultas,resolvendo na conversa e tudo ou haahahahah

aain devassa ta muito menininha pro meu gosto hahah gosto dela bitch,Mia bitch, and clara diva sempre t1
hahahahahahahah