- »

junho 01, 2011

359º

O sol passava por entre as folhas daquelas copas altas, nas redondezas do Parque Buenos Aires. Tinha resolvido voltar a pé para casa... é, sei lá. Sentei em cima do encosto de um banco isolado, colocando os pés no assento de cimento. Havia pouco movimento, àquela hora do dia, e eu tinha ainda uma longa caminhada pela frente. Tirei o dichavador do bolso da minha camisa, alcançando o resto de uma paranga no fundo do meu maço de cigarros. A minha cabeça estava vazia, eu estava tranqüila, mas de uma forma estranha. Observei o verde escuro se desfazendo nas minhas mãos, aos poucos. Comecei a tirar as sementes uma a uma, não havia muitas, jogando-as no chão ao lado. Gostava de pensar na possibilidade de que crescesse um pé de maconha, ali, no meio de Higienópolis. Sorri, achei graça.

Desabotei o que faltava da camisa, tirando-a, e deixei-a pendurada no encosto do banco ao meu lado. Terminei de dichavar, colocando a erva cuidadosamente sobre uma seda meia-boca. A sombra das árvores deixava aquele lugar frio demais para ficar só de regata, sentia uma brisa tipicamente de meio de manhã nos meus braços descobertos. Enrolei, com bastante calma. Uma senhora passou, me notando sem querer ali, já com um leve desprezo no olhar. Ótimo, pensei, sem ânimo para fazer algo a respeito, vou acabar sendo presa aqui. Lambi a beirada, apertando-a em seguida, e olhei de volta para a senhora, com descaso.

Esperei ela se afastar, mais adiante na calçada, e apoiei os antebraços nas minhas pernas. Acendi uma das extremidades com certa dificuldade, o fogo não pegava. Preciso comprar outro isqueiro. Olhei, então, para frente e observei lentamente o movimento das folhas longe de mim, no chão. Aquela era uma manhã esquisita. Sentia como se nada acontecesse ou fosse acontecer. Traguei mais uma vez e segurei dentro de mim, demoradamente. Minha visão divagava, lenta e sem pensamentos concretos. A Mia estava lá, eu sabia, em mim... podia senti-la presente nos meus fluxos neurológicos, em algum lugar, submersa, mas não a trazia para a superfícia, para o plano consciente. Como um sussurro que eu não fazia questão de ouvir naquele momento.

Então, me distraí. O dia inteiro a esmo, desatenta; me ocupei com absolutamente nada. Dentro ou fora de mim. De certa forma, eu me sentia estranha... meio deslocada. Porém, não dei importância para isto. Andei mais um pouco. Depois mais ainda, subi até a Av. Paulista e fui indo, prestando atenção em qualquer coisa que fosse. Até o Masp. Então sentei ali embaixo por algum tempo, totalmente desocupada. A manhã logo virou tarde e eu continuava solta, no meio da cidade. Me ocorreu, em determinado momento, que talvez devesse ir até a Vila Madalena e falar com a Marina, pedir desculpas pela noite anterior. Não... agora não, repensei na mesma hora. Uma indisposição súbita me tomou, neste sentido.

Voltei para casa, logo depois de tomar uma latinha meio quente de Coca-Cola, em uma esquina qualquer da Augusta. Boteco horrível, argh. A tarde já chegava ao fim; o céu estava limpo e escurecendo-se aos poucos. Caminhei o trecho que faltava até a Frei Caneca, olhando as pedras que compunham a calçada, já a um quarteirão do meu prédio. Tinha fumado o resto do beck enquanto subia a Haddock Lobo, do lado da Paulista; aquela região era meio parada. Senti vontade de acender um cigarro, então, mas estava sem no maço. Ah, mano, não vou voltar pra comprar outro, me deu preguiça já à porta do prédio.

Subi no elevador, um pouco cansada – mais por tédio do que por cansaço de fato –, até chegar ao meu apartamento. O Fer estava na sala, vestindo uma roupa qualquer, largado no sofá assistindo um jogo na televisão. Duas latinhas de cerveja vazias descansavam na mesinha de centro. Deixei as minhas chaves e o celular em cima de um bando de revistas, numa estante perto da entrada, e aí me juntei a ele. Não disse nada, apenas sentei. Coloquei os pés sobre a mesinha, me afundando no encosto, e prestei atenção no jogo. Já estava nos vinte e tantos minutos, 2 x 1, segundo tempo. Após uma análise inicial no placar, fui buscar uma latinha para mim na cozinha e aí assisti os outros vinte minutos que restavam.

Apenas o som da televisão repercutia em todo o cômodo, tédio absoluto. Soltamos um ou outro comentário durante o jogo, meio que naturalmente. Senti uma trégua, um tanto inesperada, com o Fer. Há tempos não o via sem que o fosse um empecilho, sem um mínimo desconforto. Não que estivesse efetivamente pensando na minha situação com a Mia, a nova situação – na real, não pensei em nada. Nos sentamos juntos até o fim do jogo, não houve mais gols ou faltas relevantes. Um saco. Quando caiu no intervalo, num comercial tonto de uma loja de departamento, o Fer alcançou o controle e diminuiu o volume. 

Olhei para ele, parada ao seu lado no sofá, e depois voltei a encarar o meu celular em mãos. Nenhuma mensagem ou chamada, nada. Apaguei a tela e guardei o aparelho no bolso, tomando o resto da minha segunda latinha. Deixei-a vazia sobre a mesa e o Fer continuava olhando a tela da TV, sem muito interesse. Observei-o por alguns segundos, na sua camiseta branca sem graça e bermuda de ficar em casa, a barba por fazer. Completamente fodido naquele sábado de merda, pois é, assim como eu.

_Ei... – disse, sem pensar muito na hora – ...vamos sair hoje? Eu e você?
_ Quê?! – ele riu, com preguiça.
_É, ué.
_Cê tá falando sério?
_Por que não, porra? Não é como se a gente tivesse alguma coisa melhor pra fazer... – argumentei, me ajeitando no sofá, ainda afundada de qualquer jeito – ...faz puta tempo que não saímos, meu.
_Tá... mas você queria ir pra onde?
_Sei lá, mano, qualquer lugar com bebida e mulher... – respondi num impulso nitidamente idiota e estiquei o braço para pegar o maço do Fer sobre a mesinha, roubando um dos seus cigarros – ...que cê acha, hein? Vamos aí?!
_Demorou... – ele achou graça, aproveitando para pegar um também.

19 comentários:

Anônimo disse...

SO eu me derreto tda imaginando a gfm de regata e blusa xadrez fumando em cima dum banco?? ai ai, mel.... AMEI & QUERO MAIS!!

Pris disse...

Ain! ** hehe

Anônimo disse...

Uhuuu ! Antiga FM tá de volta!

Anônimo disse...

É o 359º dia desde que ela conheceu a Mia até esse último acontecimento?

E isso aí de 'como nos velhos tempos' acaba quando? Hahaha até a Mia aparecer nessa casa de novo?
Aiaiaiaiiii. :~~~

Medo de fazer qualquer comentário! Hahahahaha essa história tá dando cada volta! Prendendo cada vez mais! E amando cada post! Cada linha!
Paaarabéns!

Beijo! Beijo! ;*

Clara disse...

Eu ando adorando os títulos dos posts! Esse ficou todo muito bom e, mesmo já tendo odiado o fer, é legal ver eles se dando bem.

Xór. disse...

É bom ver os dois se entendendo. :)
E... que vontade de fumar que deu.

Carol Carriel disse...

Mui bonito esse amor ai, mas camarada que é camarada joga a real toda sem delongas, vai dar rolê sem falar que pego a mina dele ¬¬"

Ma disse...

Gente! :( Comentei nesse também, Mel. Mas kd? hahahaha juro que comentei" :{

Anônimo disse...

Cara,nunca acompanhei um blog como eu acompanho esse!

Será que a FM e o Fer vão ter pelo menos uma noite de paz ??? Porque né...Já tava na hora!

Rayddmel disse...

Ahhhhhhhhhhhh, mas essa Mel sabeee como me fazer sofreer :(

Vim toda feliz achando que elas iam se entender e iaam voltas as cenas lindaas e quentes da Mia com a FM...

=\

so pra aumentaar minha ansiedade...

Shooow de bola o post Mel, parabens!!! =D

Pathy disse...

Música da Piiitty <3
TGFM is back?? será será???!! #SóAguardando


Beeeeeloooo Post´!! #Briseii com a FM andandooo e fumando!! ;D

Rayddmel disse...

Mel, há um tempo vinha lutando contra o que estava sentido por meninas, comecei a ler o blog e parei pq fiquei com mto medo e estava confusa e lutando contra tudo o que sentia. Tentei ficar com meninos para esquecer, mas não consegui. Voltei a ler o blog e vi um video que vc postou aqui, passei dias com a msg dos ovinhos do video na cabeça...
E quero agradecer, pq o blog e o video, me deram confiança para tirar a mascara que eu estava a tanto tempo...
Fiquei com uma menina e adorei!
Estou com ela há 2 meses e estou vivendo uma coisa lindaa. E tenho certeza se não tivesse encontrado o blog, eu ainda estaria infeliz tentando me enganar...
Pode ate parecer bobeira, maas pra mim, é um passo enorme, uma descoberta que me fez aceitar quem eu sou e que não é uma coisa ruim..
Enfim, sao mtos detalhes, mas nao quero te encher demais hehehe
so quero agradeceer mesmo. ^^
Obrigada

Raianny

Anônimo disse...

Otimo, vai ser otimo ela sair com o Fer...
so ela nao ficar chapada e contar tudo ne..mas enfim!
vamo ve!!

Bruna pam disse...

Aeee! A FM e o Fer se entendendo! Sinto que a Mia vai sobrar nessa historia... Bem feito pra ela! Quem mandou não dar valor pra coitada da FM!

Anônimo disse...

boniticos

'duuda disse...

meuuuuu que lindooos sério!!
chega a dar outro clima a FM e o fer na mesma sintonia, de bem (:
até quando não sei, mas que é bom, isso é! hahahaha
beijoooooooo mel!

Anônimo disse...

De que que é esse título? Ela tá voltando ao mesmo lugar do começo? Tá voltando a ser a OldFM ? o/

Ana Lívia disse...

hahaha, tudo que eu pude pensar seria no bom de não ser 360º, porque a FM se encontraria agora de volta ao ponto de partida, o que nao é o caso.
Por isso 359º, talvez os fatos e o sentimento seja de como voltar a "estaca zero", mas nada como 1º pra fazer toda a diferença (e não deixar que isso aconteça).


ps.: talvez tenha brisado demais, talvez...

Ludi disse...

Legal ela retomar a amizade dela como Fer .. ja tava na hora , alem do que.. foi a FM e a MIA que criaram toda essa situação ..rs