- »

setembro 21, 2012

O Inverso

O som agora estava mais baixo.  O cômodo parecia tomado pela imobilidade da madrugada. Seguíamos, porém, no mesmo ritmo – rindo e embriagadas. Eu e a Mia conversávamos lado a lado no chão. Entrincheiradas frente ao sofá, que dava de costas para a porta do quarto do Fer. Ao final do corredor. Em suas mãos, a Mia enfileirava os vinis numa ordem particular, que eu não prestei bem atenção, sentada sobre os próprios pés enquanto falava e eu a escutava, rindo às vezes e contra argumentando noutras. Por minha vez, eu tinha a minha cabeça apoiada no assento do sofá e os olhos distraídos pelo teto em branco, completamente retardada, falando uma asneira atrás da outra. Nos divertíamos, não sei explicar. Fechei os olhos em lassidão.

_Não queria que a noite terminasse... – ela disse.

E senti o tecido do sofá franzir de repente, podia notar a sua presença ao meu lado. A minha mente girava, as pálpebras coladas em si; a esmo no escuro. O que eu estou fazendo, meu deus. Ela seguiu falando, um tanto emocional. E o seu braço tocou a minha pele, as mangas da minha camiseta estavam enroladas sobre os meus ombros. A minha percepção aguçara – os sons e as sensações eram uma viagem à parte, dentro de uma brisa particularmente boa. Percebi as pontas do seu cabelo moverem-se sutis ao meu lado. Ela divagava; ainda; estava tão bêbada quanto eu e eu sabia.

_...não quero que chegue amanhã, sabe. Não quero! Aii... meu, por quê?! Por que o Fê tem que se mudar?! Que saco, mano. Não! Não quero. Não quero mesmo, argh. Não vai ser a mesma coisa mais, vai ser estranho agora... vir para a Augusta, sabe, sem vir aqui. O apê é a minha segunda casa, sei lá. Eu gosto tanto destas quatro paredes, tanto...
_Mas você não precisa deixar de vir, meu – intervi, alcoolizada –. Cê pode me visitar quando quiser, porra. Só passar aí...
_Ah, é! Porque a Clara vai achar, assim, “lindo”... né... – ela comentou, sendo irônica.
_A Clara não tem que achar nada, o apartamento é meu.
_Tá. Mas...
_Mia, na boa, vem aí quando quiser.
_Mesmo?
_Lógico, besta – inclinei a cabeça para o seu lado, abrindo os olhos por um instante, e sorri – Assim... é só não vir com este shorts aí, que estamos bem.

Ela riu, dando-me um tapa de leve no braço, elogiada. Eu gostava de ver a expressão em seu rosto. Afundou então mais ainda o corpo ao lado do meu, encostada contra o sofá com um cigarro apagado em mãos. Estava completamente fora de si. Deixou que o filtro lhe escapasse por entre os dedos, sem sequer dar-se conta, conforme deslizava os pés mais adiante no chão – esbarrando, acidentalmente ou não, a sua perna na minha.

_E a propósito... – a Mia disse, com um ar meio de entrelinhas – ...como vai a... – prosseguiu, escorregando sutilmente a mão no decorrer da própria coxa, de forma que os seus últimos dois dedos ficassem sobre o meu jeans, descendo até quase a altura do joelho – ...Clara?

A acompanhei com os olhos, sem me mover. Me diverti. Os seus dedos continuaram, como se por casualidade, para o vão entre os meus joelhos. Isto não pode estar mesmo acontecendo, ri, em silêncio. E virei o rosto para ela, também embriagada.

_Me diz você... “como vai o Fer” – respondi, arqueando a sobrancelha, e ri ainda mais.
_Ah. Tem certeza de que quer entrar aí?
_Você que começou... – achei graça na situação e ela sorriu, já imprestável.
_Ok. Do que quer falar, então?

A sua mão continuava parada nas minhas pernas. É. Talvez tenha sido o rum; ou talvez tenha sido toda a maconha dentro de mim. Ou ainda o shorts de menos nela. Não sei. A sua presença inevitável, maldita, em qualquer cômodo que ela ocupava. Algo causava a minha falta de filtro ou reação naquele momento. Ou talvez tenha sido a descomplicação incomum daquela noite toda, daquelas conversas – que me remetiam ao primeiro ano de namoro deles, à época em que os meus sentimentos por ela não pesavam. Não sei, não sei. A verdade é que eu sabia, sabia, onde aquilo estava indo – e sabia desde o instante em que o Fer levantara para ir dormir, sabia desde o começo. Desde o rum, desde as suas pernas sobre as minhas. Mas ainda assim não me movia, eu ficava. Interessada e irredutível.

“Do que você quiser”, respondi. Os seus olhos estavam presos aos meus. As pontas dos seus dedos começaram, então, a subir suavemente pelas minhas pernas – puta que pariu – e as minhas pupilas deixaram as suas, para passar a observar o que as suas mãos faziam.

_Bom, e se você... – ela sugeriu, em tom quase sussurrado – ...me contasse o que... – eu seguia atenta – ...era naquela mensagem, a do meio da semana.
_Que mens...? Ah! Ahn-ahn, não. Nem fodendo... – eu ri, você não espera mesmo que eu te conte em que eu estava pensando enquanto comia a Clara; a minha voz estava arrastada.
_Por que não?! – achou graça, de repente.
_Não. Agora não.
_Ah, me conta, vai...
_Não, meu.
_Por que?! Você estava... – perguntou, quase tão lenta quanto os seus dedos, que ela agora também acompanhava com os olhos – ... pensando em mim?
_E se eu estava?! – respondi, encarando-a, e a vi sorrir.

Estava mesmo. De que adiantava mentir?! – a mensagem tinha sido clara quanto a isto. A Mia levantou o olhar e o cruzou com o meu, sorrindo de novo ao notar que eu a observava – o meu coração, embriagado, parava então. Você nã, relutei em pensamento, puta que pariu, você é linda demais. Um som ritmado de cítara começou ao fundo. A olhava, a uma distância ainda segura. Os meus reflexos lentos, afetados por toda a fumaça, por todo o rum. “I once had a girl...”, o Lennon cantou baixinho no rádio, “...or should I say, she once had me?”.  E a nostalgia me foi embalando a cada verso de Norwegian Wood. Parte da minha consciência dizia-me, sóbria, “não faça isto”. Enquanto todo o restante considerava ignorar o aviso.

Os seus dedos seguiam subindo vagarosamente, apenas as pontas, pelas minhas pernas. Eu podia sentir cada movimento.

_Não começa, garota... – suspirei, hesitante, fechando os olhos por um segundo.

E senti as suas mãos, enfim, me tocarem. Não me agüentei. E abri novamente os olhos, observando-a se mover. Os seus dedos foram subindo. Lentamente para cima – a minha respiração começava a pesar, impulsiva, e eu ia ficando realmente desconfortável, sentada ali. Não me movia. Não fazia nada. O meu coração, todavia, acelerava instável com tudo aquilo, com o que eu poderia cometer se ela não parasse – com cada milímetro que ela continuava e continuava, puta merda.

Aproximou-se ainda mais do meu corpo. A sua boca agora parecia ainda mais perto. A poucos e perturbadores, irrelevantes centímetros da minha. Meu deus, só, só pára. A ponta dos seus dedos atravessou, todavia, a linha da minha calça, deslizando pela minha pele descoberta como num arrepio. Sob a camiseta. Subiu pelo centro e veio descendo depois, contornando lentos arabescos imaginários pela lateral, acompanhando então a cintura baixa do meu jeans. A esta altura, eu já estava perdendo a cabeça. Queria empurrá-la contra a primeira parede do apartamento que ela tanto, tanto gostava; me sentia tomar por toda irracionalidade do álcool das horas antes. E não me movia.  

Os seus dedos mornos colocaram-se acima dos meus botões. O primeiro, num tranco. Não. Por favor, meu. Eu não queria beijá-la ali, como não queria. E eu não devia beijá-la – os seus olhos estavam fixos nos meus. Sentia os seus dedos contornarem o segundo botão, firmes. Eu ainda não deferira um movimento sequer. A sua boca, todavia, me estava tirando qualquer razão restante. Completamente passiva às suas intenções como nunca ficara antes, inebriada a cada toque inconsequente seu. A cada decisão das suas mãos. Porra. Terceiro e o quarto, o último. Sentia os seus dedos desabotoarem já não tão sutilmente a minha calça. E a sua boca se aproximar, ali, tão perto, ansiando por um beijo. O momento começou a me consumir, num fogo egoísta e – que se dane. Movi-me para frente e a alcancei.

49 comentários:

Anônimo disse...

COMO O POST FOI DO COMEÇO PRA ESSE FINAL PUTAQUEPARIU MARAVILHHOSO EU Ñ SEI MAS EU SEI QUE EU QUERO MAAAAAAAAAAAAAAIS!! uau... senti cada linha desconexa, perfeita, uau uauu. Ñ SEI COMO VC CONSEGUE!1

@livia_skw disse...

Ah, o meu não foi o primeiro, mas tudo bem (:

Post delícia, FM se rendendo totalmente à Mia.

"A sua boca, todavia, me estava tirando qualquer razão restante. Completamente passiva às suas intenções como nunca ficara antes, inebriada a cada toque inconsequente seu. A cada decisão das suas mãos."

Anônimo disse...

Esse post vai bombar de comentário, tô prevendo. Bom demais, Mel! *-*

Anônimo disse...

Caralho! Que post lindo, ai sem or.

Anônimo disse...

Cada vez mais eu me apaixono pela Mia, sério.

Anônimo disse...

Amo/sou as duas juntas <3

Dea disse...

eu URREI aqui no quarto, hahahahahahahahaha! eu falo, cara... não me importo em saber o que vai acontecer, porque o que vale é a hora certa. o momento do post. a forma como é escrito. Mel, Mel... tou com um frio imenso na barriga. que delicioso que foi esse post. e, cara, POR-FAVOR, que a continuação seja explícita e não subentendida, estamos entendidas? HAHAHAHAHA!

Anônimo disse...

MIA MIA MIA MIA FINALMENTE <3

Anônimo disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHH como vale a pena esperar por cada post seu Melissa,fooi lindooo e muito gostoso de ler..incrível que vc consegue transmitir tão bem a aurea do momento..meu coração ate acelera só de ler...:D
enfim uma beija pra vc..e não demora pra postar a continuaçao kkk

Esk disse...

Pô, Mel, eu já estava prendendo a respiração e você acaba assim?! Maldade com suas pobres devotas!

Desnecessário dizer que a história está muito foda e que eu sei que o próximo post será melhor ainda, né? rs

Juliana Nadu disse...

É sério mesmo!!! Acho que vc gosta de ver o sofrimento alheio!!

Exijo o próximo post agora mesmo!! =O

to besta....

Gabriele disse...

Looking for heaven, i found the devil in Mia (8)Lol
Post lindo s2

Anônimo disse...

Puta q pariu! Esse final foi maldade.

Esse post me veio mto em slow motion, q sensação boa :DD
Caraaalho, tô mto animadinha aqui, hhahahaha.

Anônimo disse...

por favor, posta a continuação!!!!! perde a graça deixar o clímax pra dps...

Anônimo disse...

e a Mia tomando as rédeas e deixando a FM looooooooouca!!!! (aliás, deixando todas nós loucas!)

não para, Mel! posta logo o próximo!!!!!

Anônimo disse...

MELISSAAAAAAAA, NÃO SE FAZ ISSSSOOOOOO!!!!!!!!! SOS PRECISO DE MAIS POST!

Anônimo disse...

Eu adoro a Clara e a relação que ela tem com a FM. Mas a Mia é uma coisa a parte, a forma como ela mexe com a FM e tudo que ela pode fazer com ela, meu Deus!!!!!!! É lindo, sei lá..

Anônimo disse...

O que foram esses últimos parágrafos, Melissa.. Li em slow motion, imaginando toda a situação delicadamente.

Anônimo disse...

Mel, tu já deve ter sofrido muito lendo algum blog, né? Jô qual a escritora também te torturava com a espera, porque só isso pra explicar isso que tu fazes com tuas leitoras que tanto te amam ))))):

Anônimo disse...

Você é maravilhosa escrevendoooo!!!!! Parabéns pelo talento pel blog. E acho super digno essa historia virar 1 livro!!!!

Anônimo disse...

Puuuuta que os pariiiuuuuu!
Maravilha, ótimo, delicioso, muito bem escrito (como sempre, aliás) e termina com esse suspense.
Obrigada por esse post, dona Melissa, mas que o proximo nao demore e que seja só felicidade pra FM e Mia.
MUITO amor pela Mia!

Vitória Régia disse...

eu acho que acabei de ter um infarto SOCORROOOOOOOOOOO, AI MINHA NOSSA SENHORA!!!! PELO AMOR DE DEUS POSTA O RESTO *------------------------*
ta de paragéns Mel, me tirou o fôlego mais uma vez! :D

Diii disse...

CARALHO! Nada pode atrapalhar esse momento!
Cara, demais esse post!
Mia rox! E tomando a iniciativa. Uh lala!
Ansiosa pelo próximo post!

jamile disse...

post delicia, ja li duas vezes hahaha

Flavs disse...

PUTA QUE PARIU! Kd continuação, pfvr!

Anônimo disse...

Puta que pariu mano, perdi o ar, muito intenso esse post mano. Sério o próximo tem que rolar logo, se não já prevejo um emaranhado de leitoras mortas por ansiedade rsrsrs Muito bom Mel, ótimo! Cada dia você só melhora!

Anônimo disse...

PQP, fiquei sem fôlego. Tô muito feliz com esse post, fds vem com tudo. RS. Como não amar a mia, né? Ain. Parabéns, Mel, belo post!

Anônimo disse...

Esse é o momento em que você não pensa no Fer ou na Clara, só no desejo das duas.

Ianca' disse...

Eu terminei o post no momento exato em que a música acabou, foi lindo .-.
Eu estava precisando disto. Minha Mia <3

Anônimo disse...

HOJE TEM EIN!!!!!!!! HOJE TEM!!

Hannah disse...

Meu coração DESPAROU CARA. O_O QUERO MAIS QUERO MAIS. Eu AMO a Mia. <3

Pathy disse...

Ai gente eu me coloco no lugar da FM e fico brisando junto com ela.. ain Dels, tô ficando louca??? ¬¬
HAHAHAHAHAH
Mia, Mia, Mia.. ♥

( O Fer vai acordar e tudo vai ter sido só uma "viagem". HAHAHAHHAHA
~ aquela estraga "prazeres" ~ ^^

Gabs disse...

TO.
MORTA.
Assim meu coração não aguenta Melissa. Puta que pariu.
Muita maldade, muita maldade mesmo.
Você é má.

Agora posta o próximo, que eu já morri mesmo. kkkkk Posta.

Mari disse...

Mel que post foi esse! O feeling entre FM e Clara não chega nem aos pés de FM e Mia
Parabéns pelo teu talento, você consegue me fazer sentir as emoções das personagens assim como outros bons escritores!

Anônimo disse...

Ah não! Como c faz um negocio desses comigo? Para o post nessa parte, vc tá querendo me enlouquecer??
Por favor, publica logo o próximo post!

Babaloodeuva disse...

Essa Mia e f... mesmo.Excitante e angustiante.

Anônimo disse...

Melissa, tu se ofende se eu disser que me excitei 1 pouco com esse final de post? HAHAHAAHHAAHHA! MUUUUUUUUIIITOOOOOOO BOM!!!!!!

Anônimo disse...

*O* *O*
to emocionada.......finalmeeente.. Fm e Mia Again... <3

c' disse...

Nossa velho, que post foi esse li ele a dois dias atras mas só me recuperei dele hoje pra poder comentar. hahahaha. Cara mel mega inspirada graças a europa, gosto muito. Muito perfeito o post, e o modo que vc passa todas as emoçoes da fm é sempre sensacional. Agora é esperar ansiosa pelo proximo né.

Bibi disse...

Você é foda...
Muito foda.
Mais que foda, você se "acaba" ao botar em palavras, o que pensa.

PS: Foi inebriante.

Luoh disse...

Esse post me veio muito em slow motion² Haha'

Muito bom!
Continuação pra ontem, please :(

Luoh disse...

Esse post me veio mt em slow motion² Haha'

- Muito bom, Mel.
Continuação pra ontem, please! :(

coxiba disse...

PQP! deu um calor nessa manha fria, n sei prq rsrsrs

Anônimo disse...

A arte de ler o post todo num folego só. Mel, vc me mata!

Bruna disse...

Nossa... pense em um post saboroso!
Foi a melhor palavra que achei pra descrevê-lo!

TekaSak disse...

Vou ter um infarto. Deve ser por isso que meu coração tá batendo tão rápido

Anônimo disse...

Aoo Vontade de uma Mia pra mim

Anônimo disse...

jesusmariajosé, maaaaaaaaais, por fv!!!

Raianny disse...

Ai céus. Como eu fiquei tanto tempo sem ler?! E que delícia colocar a leitura em dia em plena segunda de manhã com um post desses. Sensacional <3