- »

setembro 26, 2012

Isn't it good?

Antes, quando falei sobre trens, vejam bem, a questão... é que uma vez que saem dos trilhos, trens requerem um esforço descomunal para serem novamente encarrilhados – e nós, bom, nós não tínhamos isto.

A sua boca deixou a minha; e os nossos corpos penderam no ar, soltos contra o chão. Envoltas em demasia de rum. Os seus lábios percorreram a lateral do meu rosto, arrastaram-se pelo pescoço abaixo – e voltaram para os meus. Ávidos, lúcidos. Ainda sentadas no piso de madeira, prensadas uma contra a outra, de maneira estúpida e em meio à sala. Numa irracionalidade controlada. Isto, isto era diferente. Os beijos, as mãos. A forma como nos conduzíamos, bêbadas. E plenas, não sei bem. A forma como os seus dedos entravam em mim; como eu a segurava por perto. Isto era eu e era ela, nós duas; éramos nós, ali, conscientes do que fazíamos – e fazendo-o, juntas. Não eram banheiros ou áreas de serviço, não eram desafios ou agressões emocionais. Acidentes de percurso. Não. Isto, isto era diferente. Isto éramos nós, inteiras – e era, como era, puta que pariu.

Em um só movimento, tirei a minha camiseta e pressionei o meu corpo descoberto contra o da Mia, apenas as tatuagens me cobriam a lateral da pele e os ombros. A sua mão subiu tensionada pelas minhas costas, a outra ainda metida no meu jeans. Os seus beijos deixavam mais uma vez a minha boca e eu sentia os seus lábios tocarem os meus ombros, os meus seios. Cada um dos traços marcados na minha costela. Lentamente. As suas mãos deslizavam mornas por mim. Era como voltar dez, onze meses antes ao chão do seu apartamento – mas não, isto, isto era diferente. E sentir ela tão próxima assim, de novo, estava me tirando do sério.

O meu coração se apertava. Percebia todas as minhas emoções tomarem conta de mim e subirem, de uma só vez, pela minha garganta. Sentia-me esmagada. Numa vontade repentina e idiota de chorar. Vulnerável no chão da sala, o meu corpo aberto e entregue ao dela. Crescia como um som ensurdecedor dentro de mim, enquanto todo o cômodo restava em silêncio. Eu o traía, eu sabia; de novo. E me traía também. Traía a Clara ainda, traía tudo o que construíra, traía todos os últimos meses. O álcool gritava em minha cabeça, argh. Traía tudo. A minha independência emocional, o meu bem-estar. Traía as minhas escolhas. Mas o pior, o horrível – o deplorável – é que eu gostava. Puta que pariu, como gostava. Gostava. De sentir cada grama do peso dela em mim. Toda a extensão do seu corpo e da minha agonia – e apreciava, porque, inferno, era como voltar para casa. Como?! Como eu posso gostar, porra?!

Os seus beijos, intensos e em transe, no entanto, acalmavam o aperto em minha garganta. E eu me via envolta num oceano de águas familiares, submersa naquele momento. Naquele mesmo instante. Embriagada, não sei. Parte de mim me condenava, sim; mas a outra não dava a mínima – puxando-a pela cintura e a colocando no meu colo, com força. A sua boca me arrancava a razão, as suas mãos lhe arrancavam a própria blusa. Mais um beijo. E outro. Não era cauteloso tirar as roupas assim na sala. Mas o fazíamos mesmo assim, deliberadamente, e dane-se; os meus braços procuravam descer as minhas calças por debaixo das suas pernas. A Mia ria. E eu achava graça – como era linda. Ao mesmo tempo, os meus pés empurravam e chutavam de si os All Star, para o mais longe possível. E eu sorria para ela. Nos olhávamos em sincronia. As maçãs do seu rosto contornavam suavemente a margem sob seus olhos, os seus cílios, num tom delicado de rosa. A sua pele clara me impelia. Fechei as minhas pálpebras e tirei o seu cabelo da frente dos ombros, colocando-o para trás. Beijei pouco a pouco a linha do seu colo. Podia sentir a sua pele mover-se, pendendo o pescoço e a cabeça para o lado. Os meus beijos se tornaram mais famintos. 

Agora que te tenho de novo, garota, não te deixo mais ir –  aquela era a verdade.

A sua pele contorcia-se, descoberta contra a minha. E inebriada. Deitei o seu corpo sobre o piso escuro de madeira, despindo-lhe de uma só vez os shorts malditos e a calcinha. Os meus dedos afundavam-se agora sobre as suas cerejeiras, sobre os seus narcisos. E a minha língua consumia os seus contornos, o seu gosto. O suor, cada nuance de calor nela. Encaixei as nossas pernas, intercaladas, com certa grosseria e apoiei um dos joelhos ao lado da sua coxa – subindo em cima dela num movimento contínuo e arrogante. Ela me segurou com ambas as mãos no rosto, sorrindo, e me beijou, conforme eu me pressionava contra ela. Àquela altura, eu sequer mais via os trilhos do trem.

44 comentários:

Anônimo disse...

"E a minha língua consumia os seus contornos, o seu gosto."

Uau, que frase! ;)

Anônimo disse...

Independência emocial. That's all that I needed...

Anônimo disse...

Num adianta é outra coisa com a Mia, outra pegada. Esse post ficou TÃO lindo, Mel! ♥♥

@livia_skw disse...

Um post intenso e ao mesmo tempo delicado. A Mel consegue desenhar na minha mente uma cena de sexo, sem deixar o texto ser em momento algum, pornográfico ou vulgar.

Anônimo disse...

Cara, tava morrendo de saudade das duas juntas. Sério.

É tão mais intenso, mais apaixonado, mais tudo. Awn *-*

Ianca' disse...

Que delicado, que forte, que esperado
D:
Deixa eu me recuperar e eu comento
(mas isso não está me cheirando bem, viu. aí vem bomba)

Anônimo disse...

"Isso não é bom?" CARA, ISSO É ÓTIMO. PUTA QUE PARIU.

It's fucking good! :P

'duuda disse...

não tem nada como essas duas. nada. amo. e tenho dito <3

Gabs disse...

Bommmmmmmm demais. Ai, ai. <3

Anônimo disse...

linds, sem or.
cadê essas duas na minha cama agora? plmdds hahahaha

Bruna disse...

Este post tem tantas frases lindas.

Anônimo disse...

o quarto parágrafo está absurdamente sensacional! sério, fantástico!!! parabéns!

Anônimo disse...

o quarto parágrafo é praticamente um resumo do blog. hahaha.. foda!

Anônimo disse...

PUTA QUE O PARIU

Mia <3
Agora sim, depois de tanto tempo esperando vem esse post perfeito

Di disse...

So good! So fucking good!
FM e Mia é incomparável!


Acho q o Fer vai pegar. Tomara q não! Hahahaha

TeamMia yeah yeah

Anônimo disse...

Isso foi intenso e suave ao mesmo tempo. Meu muito bom esse post, realmente com a Mia é tudo diferente! Muito melhor e complicado ao mesmo tempo. Sei lá Mel, muito ótimo esse post! Sério. Não vejo a hora de ler o próximo, mas meu, justo na sala? O Fer tá bem louco mas se ele aparecer do nada fudeu tudo de vez!

Aléxia Carneiro disse...

não sie qual parte me emocionou mais <3

Anônimo disse...

OMG!! Não dá nem para explicar como amei o post...meu coração tá até acelerado...
MIA<3FM

E tomara que o sono do Fê seja profundoooo...kkk

(ANA CURI)

Vitória Régia disse...

queria que o fê virasse a bela adormecida e elas ficassem aí pela eternidade AHSUHAUYSHUIAHSUI amei amei amei esse post <333

Pathy disse...

Lindo, lindooo *------*
Gente isso foi tão lindo, tão intenso, tão ELAS.
<3

Dea disse...

tou com dor no útero. na boa, você arrasou, Mel! mas continua, por favor... não pára! faz elas se pegarem assim atéééé o próximo post.

caralho, tou arrepiando até agora, hahahahahaha!

Flavs disse...

Sem palavras pra esse post! Sensacional! :)

Ianca' disse...

Agora eu te tenho de novo, garota, não te deixo mais ir

Anônimo disse...

Meu, que saudade que eu estava dessas duas! É a mesma essência desde os primeiros beijos, olhares e afins. Você é demais por manter este encanto sobre elas, Mel. Sempre aprendo contigo! Cada post com as duas juntas você se super e nos surpreende. Parabéns. ( @lau_disaster )

Juliana Nadu disse...

PQP!!! Vc descreve incrivelmente o sexo Melzita do céu!! Esse post conseguiu superar o da área de serviço que nunca mais saiu da minha cabeça.... rsrs mt foda!!

O quarto parágrafo foi praticamente uma descrição de uma discussão que rolou na fanpage outro dia sobre culpa..rs.. "Eu o traía, eu sabia; de novo. E me traía também. Traía a Clara ainda, traía tudo que contruíra, traía todos os últimos meses." Nossa!!! É muita traição pra uma pessoa só suportar... eu não conseguiria! na moral!

ps: esses posts são de matar viu!! só o universo sabe agora quando vai terminar essa agonia!!

muuuuuuuuuuuuuito foda!! valew pelo post!

Juliana Nadu disse...

Ahhhhh eu acho que o Fer não vai pegar... e pressinto visitas inusitadas ao ap... hahahhahaha adoraria!! shaushausa

Luoh Cavalcante disse...

Respira, respira...wow!

Que saudades disso, meu. Intenso. Pude ver toda a cena, praticamente. Simplesmente FODA!

Aline P. disse...

Lindo, lindo!

Bibi disse...

...e era, come era, PUTA QUE PARIUUUUUUUUUUUUUUUUUUOOOOOOOOOO..."

hahahahhahaaa AAhhhhhhhhh tô extasiada com esse post g-zuisssss você tem um dom, esse dom...O DOMMM \o/

Eu amo isso. De verdade.

Anônimo disse...

"Cause we're living in a world of fools,
Breaking us down
When they all should let us be,
We belong to you and me..."

[Na versão cute do Frusciante]

( the girl fucking Mia ) disse...

Anônimo, adorei! Amo as versões do Frusciante, já quase usei a dele para "Song To The Siren" aqui do blog <3

Anônimo disse...

'Song to the Siren'!! ♥
Just a masterpiece...
Ela é tão... ah, não sei como dizer.

Bruna disse...

Fnalmente as duas juntas de novo!
Adoro!

Nossa Mel... arrasou no post! ;)

Bruna disse...

Ah sim... e mega identificada com o 4º parágrafo! Perfect!

Anônimo disse...

Caraaaalho, caralho, caralhoo!!!

Q saudade! Isso foi mto bom!

Anônimo disse...

A Mia é a fruta proibida da FM. Ela sabe todos os perigos, mas a fruta a encanta e ela precisa comê-la.

Anônimo disse...

Adorei a delicadeza do inicio e a grosseria do final. Ahazou, mel. Cada vez mais elas percebem o quanto o sentimento delas é superior a racionalidade e a qualquer outra coisa.

Anônimo disse...

*o* *o* *o* *o* *o* *o*

Anônimo disse...

Quero mais, tô com vontade

Esk disse...

Olha, Mel, se quiser continuar a cena por pelo menos uns 15 posts, juro que não me oponho! rs
Formidável, apenas.

P.s.: Meu coração até dói de pensar na Clara... Por que a FM tinha que ter relações tão bacanas com ambas?! Assim fica difícil, pô!

Anônimo disse...

Puxa vida, fi-nal-men-te a FM e a Mia juntas de novo!
Mel, parabéns! O post está maravilhosamente bem escrito, super gostoso de ler, dá pra sentir exatamente o que está acontecendo, o que estão sentindo.
Agora pode continuar, quero maisssss!! kkkkkk

Anônimo disse...

Eu de novo...
Não consigo parar de pensar nesse post como uma cena de um filme...
Acho que a música 'Angels - The XX' ficaria tão perfeita. Pra mim ela meio que mostra um pouco de jeito que você descreveu como a FM enxerga a Mia.
É, este post realmente mexeu comigo ;)

Babaloodeuva disse...

Irado!

mkendow disse...

quando eu li ' A voz do Fernando...' TRAVEI! JURO!