- »

novembro 29, 2012

Ininterruptas

_’Nessa’?

“É”, arqueei a sobrancelha na sua direção, rindo. Terminei de descalçar os meus tênis; a Mia me observava do sofá. “Não foi para isto que você veio?”, perguntei-lhe desafiando a sua reação, direta. Abri o meu cinto, tirando-o com certa insolência. E a Mia reajeitou-se contra o encosto, quieta por um instante. Agora que a porra fica séria, você vai ficar aí parada com estes olhos castanhos. “Hein, garota?”, subi mais uma vez a voz numa inversão súbita de papéis, me divertindo e a encarando com considerável autocontrole.

Não estava bêbada, não desta vez – estava sóbria e bastante consciente. Ela sorriu, após a minha última provocação, com o “garota” que me escapara. Rindo do meu explícito interesse. Vem então, caralho. Sentia certo rancor de mim mesma por ter cancelado com a Clara – e precisava agora, numa lógica deturpada e minha, que aquele furo de merda valesse a pena. O prato já esfriara, nem dois goles na lata de cerveja. Aquele sorriso da Mia era como um passe livre. Dobrou os joelhos junto ao corpo, colocando os pés descalços sobre o assento – me olhava de volta agora, imprestável, naquele vestidinho preto. O tecido deslizou leve até a base das suas coxas. Eu a observava.

Maldita. O gosto daquela garota me contaminava os sentidos, não importa se eram meses ou apenas dias de abstinência. Eu ainda podia, contra todo bom senso, sentir a sua falta física em minha boca. E não. Não era nada que faltasse à Clara – deus, o que falta àquela garota? –, eu não a procurava nas pernas da Mia e certamente não buscava a Mia na sua pele argentina, em suas pintinhas castanhas. Eu sabia diferenciar as coisas e elas, elas eram mundos à parte. Não pensava numa quando estava com a outra. E eram todos os seus acertos irresistíveis e todo o errado da Mia – e só dela – que me faziam subir naquele sofá, naquele seu corpo; separando as suas pernas e a colocando no meu colo. Subindo o seu vestido por entre seus braços. E dali para o chão, amassado.

I’ve exposed your lies, baby. Subi as minhas mãos pelas suas cerejeiras, pelos narcisos amarelos opostos. The underneath’s no big surprise. Os meus dedos denunciavam conhecer os seus caminhos. E beijei-a. Beijei-a num ritmo diferente daquela madrugada, antes do Fer partir. Beijei-a com calma. Sem afobação, em intimidade. Beijei-a com a intensidade que o tempo e a sala, o apartamento vazios de repente me permitiam. Não foi planejado; nem significava tudo o que, talvez, o calor da minha língua e o toque das minhas mãos faziam parecer. Era inédito, apenas. Pois éramos nós que estávamos sempre nos escondendo – na sua casa, na minha –, atrás de portas e em pistas escuras. E agora não.

Ainda era sexo, ainda foi sacanagem. Minha avidez não fora menos do que no começo. Se muito, ainda aumentara. O que não antecipei, no início da noite ou naquele primeiro beijo, porém, eram todas as horas que teríamos naquela madrugada. E na manhã seguinte. O desenrolar tranqüilo para o qual eu não estava preparada. Os minutos se passaram contínuos, sem que precisássemos nos separar – fluidos e conscientes. E a porta permanecera aberta o tempo todo, destrancada. Aquela era a primeira vez que a Mia deitava comigo na minha cama. E não no quarto ao lado. Tentei manter a cabeça limpa, não pensar em nada.

Mas quando o sol começou a nascer pela janela do quarto e as nossas pálpebras já pesavam sonolentas, ininterruptamente despertas, ela encostou o seu corpo nu contra o meu e eu sabia naquele mesmo instante que estava com um problema. Pude sentir cada centímetro da sua pele, abraçada comigo, enquanto encarava o teto ainda pouco iluminado, em estado semiacordado. Estávamos sempre bêbadas demais, desmaiadas, ou com lençóis de menos, insuficientes para aproveitar momentos como aquele. Desta vez, não. Estava tudo calmo. Àquela altura, já não estávamos mais suadas e o cômodo parecia tomado pela brisa fria das seis da manhã. A Mia ajeitou o rosto no meu ombro e me olhou, também cansada.

_Por que nós não... – murmurou, estranhamente sentimental.
_Hum?!
_Por que não fizemos... isto, da outra vez?

Que pergunta, porra.

_Porque... – hesitei por um instante, consciente de que aquele não era um questionamento com todas as ramificações racionais que deveria normalmente ter; sem querer lhe responder por impulso. Dizer-lhe a verdade, oras, num azedume de certo sono. Porque você foi dormir com o Fernando aquela noite, por isto. Suspirei, revirando os olhos. Não transforme em algo que não foi. Eu acordei sozinha naquela manhã, garota, foi o que foi. Por algum motivo, entretanto, não o disse; notei os seus olhos já quase fechados sobre o meu ombro. E olhei para a esquerda, por cima do travesseiro; vi o relógio digital que marcava 6:07, em vermelho. Eu tinha que acordar dali a menos de uma hora, puxei a Mia mais para perto e a abracei, em automático, com conforto – ...nada, vem, vai. Vamos dormir.

26 comentários:

Anônimo disse...

Lindas, lindas, lindas!

Anônimo disse...

AMEI, sem mais... <3

Anônimo disse...

Simplesmente perfeito, como sempre Mel. <3

Ana Zamur disse...

Own, estou toda boba alegre por causa dessas duas. Lindo!

Juliana Nadu disse...

uau! os comentários desse post... me perdoe... mas vou guardar pra mim...

Anônimo disse...

ownnnnn
Esperei muito tempo por um post desse hehe. Esse climinha me mata

Gugu Keller disse...

O melhor não tem porquê.
GK

Anônimo disse...

Uma palavra p/ definir: PERFEITO!!!

Mia ♥

Anônimo disse...

Muse <3

c' disse...

Perfeito demais.
Lindo esse climinha entre elas duas.

Bibi disse...

Gosto da FM, aliás, amodoro... mas é tão ruim perceber algumas coisas dela em mim, tipo a mania que tem de pensar uma "bíblia" e dizer apenas uma sílaba... =/ rs

Anônimo disse...

Quero essas duas pra mim, comofas?

Pathy disse...

AAAAAAAAAAAHHHHH PQP, tu acabou o post bem nessa hora?! Sacanagem Mel :S
Meu, essas duas são lindas demais!
Mia, Mia, Miaa <3


P.S.: E ninguém lembra da Clara nesse momento :( que dó!

Anônimo disse...

oh yeah! adoro esse clima :)

mas qual o 'problema' da FM? hm...

Marjorie disse...

Aí meu deus que capítulo lindo, li no celular escondida no trabalho, estou suspirando <3

Ianca' disse...

Tô em estado de graça, toda abobalhada...
Sóbrias, lindas e tranquilas. Como não amar? D:
#TeamMia
(lendo escondidinho na aula, que liiiiindas)

Ianca' disse...

E como a Bibi disse ali em cima, eu tb acho meio doloroso isto da FM pensar demais e falar de menos, é uma característica muito marcante dela.

@livia_skw disse...

Eu me pergunto: será que a Clara é 'fiel' à FM?

Anônimo disse...

Ownn *-*
Cara, esse post foi absolutamente lindo ♥
Elas COMBINAM!

Anônimo disse...

Q POST PERFEITO!!! FM <3 MIA
Ameiiiiiiiiiii.....obg Mel!!

"a mania que tem de pensar uma "bíblia" e dizer apenas uma sílaba..." por Bibi.

Mania irritante e deliciosa da FM né... *_* Adorooo!!
(ANA CURI)

Gabs disse...

Assim meu coração não aguenta, hein. *-------*

Anônimo disse...

qnd elas vão fazer amor, mel?

Reêh disse...

Adoro o jeito como vc escreve! Esse post foi lindoo! =]
Como eu qria estar no lugar da mia! *..*

Anônimo disse...

Meu Deus do céu, que coisa mais linda de se ler...
Amei, amei, amei!
Parabéns, Mel <3

Bibi disse...

Vi lá no face que meu coment aqui deu início a uma crítica - segundo a Mel - a respeito ao que eu tinha dito sobre a FM pensar e as vezes não falar... rs fiquei surpresa pq a crítica de modo algum era à FM... a crítica era pra mim mesma =P rsrs
Eu espero que ela (FM) continue não falando mesmo kkk, gosto dela assim e não imagino-a de forma alguma tagarela, seria no mínimo estranho se ela - do nada - passasse a por em palavras todos aqueles pensamentos fodásticos e que só são fodásticos pq são pensamentos... haha >_< por aí...

Um beijo Mel e desculpa se dei a entender algo errado. o/



( the girl fucking Mia ) disse...

Haha, jamais, flor! Adoro as discussões sobre o blog e as personagens <3