- »

novembro 01, 2012

¡Oh my corazon!

A Marina estava adormecida ao lado das minhas pernas nuas, no colchão. Coloquei o celular sobre a mesa de cabeceira e vi os seus óculos dobrados ali. Usava o mesmo vestido branco de antes; já eu estava com uma camiseta velha e uma calcinha preta. As suas mãos ainda recaiam sobre a linha da minha cintura – me virei para ela e a observei dormir por um instante, em silêncio. Ah, não quero te acordar, meu. Eu e ela tínhamos um bloqueio para mostrar afeto desde a separação. E estava feliz em senti-la perto mais uma vez, sem pretensões.

Desde que voltamos a nos falar, especialmente no começo, a Marina teve problemas em confiar em mim e não gostava que eu a tocasse. Em poucas ocasiões o fizemos – quando, somente, eu ou ela estávamos muito tristes. Ela dormiu uma única vez nos meus braços, sentadas no sofá do seu apartamento, no dia em que a Bia a dispensou. Aquela, agora, era a segunda vez. Em anos. No início, ela sequer permitia que eu fosse na sua casa – tão “correta” que era. Numa das primeiras vezes que saímos, logo que voltamos a nos falar, quis abraçá-la num impulso meio inconsciente e ela chegou a se desvencilhar. “Você perdeu este direito”, argumentou, sem rancor. “Somos só amigas agora”.

E era o que éramos, naquele instante. Mas o tempo e as longas conversas, aquelas minhas idas ao seu apartamento em busca de conselho, mudaram a forma como nos sentíamos e nos acostumamos novamente a estar perto uma da outra. Aquela noite acontecera naturalmente – e acordar com o seu braço ao meu redor me fez bem, me deu tranquilidade. Sentia um carinho imenso pela Marina que poucas vezes tinha liberdade de expressar. O último ano havia sido particularmente bom. Entre nós duas, isto é. Como já havíamos feito e dito tudo o que podíamos uma a outra, por já termos namorado, esta era a primeira amizade assim que eu conseguia ter – sem estragar tudo indo para a cama. Ela era especial.  

_Ei... – toquei no seu braço, acordando-a – ...a Clara está vindo aí.
_Hum?! Quê, agora? – murmurou sonolenta, tinha o rosto afundado nos cabelos apenas um pouco bagunçados; sorri e confirmei com um gesto, “uh-hum”.

Ela se levantou com relutância, sentando-se ao meu lado no colchão com os pés cruzados e as costas apoiadas na parede. Pôs-se a arrumar o cabelo num coque improvisado. O seu rosto e movimentos ainda transpareciam certa sonolência; me pediu os óculos. Lhe entreguei. Quis saber que horas eram e – mesmo que eu tenha insistido então para que ficasse; que pegaríamos o sofá, a Clara e eu – disse que ia embora. Perguntei se gostaria de almoçar naquela semana, ela acenou que sim, que aceitava. E então me questionou por que eu não havia chamado a Clara mais cedo, naquela noite.

_Ah. É complicado.
_Complicado? – ela me encarou, com certa ironia, e eu estranhamente me envergonhei dos meus motivos.
_Eu... dormi com a Mia, ontem; foi sem pensar – murmurei.

Ela começou a rir, balançando a cabeça. Descrente.

_Eu sei, eu sei. Não precisa falar, tá...
_Você é uma peça rara, meu. Sério! – achava graça, ainda – Quando você me disse, na sala hoje, que se arrependia de ter dormido com a mina do Fer, meu... eu achei que fosse um peso antigo. E não das últimas 24h! Sinceramente – divertia-se –, eu não sei como você consegue...
_Eu gosto dela, eu... não sei. Não sei! Eu não consigo evitar, a gente também tinha bebido e ela veio pra cima, meu. Sei lá, Má... – suspirei, com os antebraços apoiados nos joelhos dobrados sobre a cama – ...eu não sei o que tem comigo e com esta garota. Eu simplesmente não consigo! Não consigo dizer ‘não’, não consigo me livrar dela, deste sentimento.
_Tem que ver direito isto aí, hein...
_Juro. Quando eu, quando eu acho que passou... sabe, que não sinto mais nada. Ela, ela vem e... argh.
_Mas, e a Clara?
_Eu gosto da Clara. Eu gosto muito.
_E ela sabe? – a Marina me fitou os olhos, apreensiva.
_Não. Ela não entenderia... – disse e o meu coração bizarramente doeu – Quer dizer, ela... ela diz que sim, mas eu sei que não entenderia. Não a Mia. E... e foi só ontem também! – me apressei em negar qualquer envolvimento com a ainda namorada do Fernando, mesmo que não tivesse tanta certeza do nosso “não” envolvimento àquela altura... – E eu não quero estragar as coisas com ela. Não por uma noite, não por isto. A... a Clara, não sei, ela passou a significar mais do que eu qu...

Interrompi a frase, antes que ela ficasse séria em demasia. Para os meus ouvidos e os dela. Eu sabia que a Marina tinha lá suas ressalvas com a Clara e eu não acreditava ser necessário anunciar que acabara me apaixonando por ela nos últimos meses em que estivéramos juntas. Ela sorriu, todavia. Ficava feliz por nós mesmo que eu não o dissesse, era estranho. Porque ainda assim eu relutava em confessá-lo. Receava que reprovasse, que deixasse de achar tolerável. A Marina deu de ombros, olhando para os próprios pés cruzados – “eu só acho que você não pode continuar com as duas, nem sentindo as duas coisas... ou alguém vai se machucar”. Concordei. Eu me sentia confiante – não pretendo.

_Eu estou com a Clara – afirmei.
_Espero que saiba o que vai fazer, flor...

15 comentários:

Anônimo disse...

MARINA, WHY SO LINDA? <3

THANKS POR SALVAR MINHA NOITE, MEL!

@livia_skw disse...

Não tem jeito, a Marina é o superego da FM.

P.s: Jurava que a Clara ia chegar e pegar as duas dormindo juntas, só pra rolar um ciumezinho.

francielli# disse...

só tenho uma coisa a dizer ..coração é vagabundo.. post marasexual =***

Anônimo disse...

Com certeza meu feriado e meu fds serão muito melhores agora!!
Amei ver a Marina com esse jeitinho gentil e perfeito dela!! <3
OBG e PARABENS MEL!! Vc mandou muito bem como sempre!!

Anônimo disse...

OMG. A música do titulo é D++!!

Camyla disse...

Quando tem a Má no post, eu nao consigo prestar atenção em outra coisa (:

Mas tô com saudadinha da Clara já, então, não demora muito pro próximo, Mel.
Por favor ><

Anônimo disse...

Às vezes fico pensando quando rolará um "remember" dessas duas!
Muito fofas juntas!

Anônimo disse...

Eu fico viajando nas 3 juntas... serio, uma louca por menage aqui

Bruna disse...

Ah... a Marina é uma querida mesmo!
E a FM pra variar mais perdida que cego em tiroteio no meio dessas mulheres horríveis que a rodeiam né! hahahaha...
Vejamos quando ela se dará conta de uma vez que por mais que ela force, sentimento não é algo que se impõe ou desimpõe quando se quer...

Anônimo disse...

'_Tem que ver direito isto aí, hein...' ;)

Anônimo disse...

Ah. ):
Não queria que a Marina fosse embora, não meixmo. Xatiada. :/

Anônimo disse...

Com essa confusão toda da FM não teve como não lembrar dessa cena ;)

http://www.youtube.com/watch?v=W-M3Q2zhGd4

Ianca' disse...

Marina, não vai embora por favor.
Adoro saber da relação que elas mantém, acho tudo muito lindo.
Saber que a FM tá apaixonada pela Clara me dói o coração, eu fico achando que não tem mais jeito, que ela e a Mia nunca darão certo e pá, sofro.

Anônimo disse...

Lindo o post,Mel!! Parabéns!!!
FM apaixonada pela Clara? huuu-huuumm...Ela PENSA que se apaixonou pela Clara. Mia vem aí com tudo, tenho certeza! :)

Anônimo disse...

Marina lovers <33