- »

setembro 10, 2011

Na boca do lobo

Batia os pés, inquietamente, na sala de espera. Alternando-os num ruído discreto contra o piso preto, estiloso, em ritmo acelerado. Acelerado e crescente, conforme minha ansiedade também progredia. Argh, cadê a porra da recepcionista. Um cara em seus vinte e poucos, mais ou menos da minha idade, esperava a umas duas cadeiras de onde eu estava. Menos preocupado, claro, como qualquer filhinho de papai. O movimento – agora rápido – dos meus pés impacientes, de repente, me irritou. Escorreguei de súbito então contra o encosto, afundando mais ainda na cadeira, e cruzei as pernas pouco adiante. Aquietando-as. A batata da direita sobre a parte de cima do meu joelho esquerdo. Forcei-me a sossegar por um instante. Ambas as mãos repousavam confortavelmente também, agora, na lateral da cadeira. 1, 2, 2, 3, 4, 5, 5, 4, 3, 2... E lá estava o meu pé direito sacudindo mais uma vez, no ar.

Madição. Por que eu tô tão nervosa, caralho?!

Suspirei fundo. Tão logo cruzei as mãos, entrelaçando-as apoiadas à frente do meu corpo, já ouvi o salto da recepcionista dar passos em direção à porta de onde estávamos. Me endireitei na cadeira. Olhei para o garoto ao meu lado e trocamos um sorriso de meio milésimo de segundo, por mera etiqueta. Boa sorte o caralho, observei atenta a porta da sala de espera, desculpa aí. A tal recepcionista tinha lá seus trinta e poucos, vestida numa calça social branca e uma bata turquesa com cinto marrom por cima, sandália alta de tiras. Estava bem arrumada; mantinha porém uma expressão mal-amada de tédio, que presumi já ser cotidiana. Muitas recepcionistas são assim... só tiram a porra do eu-odeio-este-cargo da cara quando estão tagarelando com alguma amiga no telefone. Ou com o segurança do prédio, sei lá. Chega a ser pré-requisito para esta merda de sub-emprego, não é, encarei-a, já afetada pela minha ansiedade, ao vê-la entrar.

Olhou-nos de volta sem o menor interesse na nossa situação e anunciou que o veriam primeiro, desgraçada. Respirei fundo e preparei-me para levantar logo em seguida, já para dar o fora, mas ela me advertiu. “Vão falar com você em seguida”. Olhei-a de volta, sem vontade nenhuma de continuar ali, e tornei a me sentar. O cara ao meu lado passou bem na minha frente, com seus alargadores de 4mm de playboy paga-pau e um sorriso escondido na expressão, desta vez sincero. Argh mano, que ódio, eu respirava com pesar, tomada por uma frustração imensa. Filho da puta. Antes que a recepcionista saísse, já de costas para mim e atrás do garoto, que já seguia pelo corredor, chamei-a por um instante.

_Escuta... onde eu posso fumar aqui?
_Se quiser, lá na frente. Eu já volto para te chamar.

Mal posso esperar, hein..., revirei os olhos mentalmente em ironia e me levantei. Atravessei o mesmo corredor que eles, virando pouco antes, contudo, no cômodo de entrada onde a mal-amada dos saltos altos se sentava recepcionando os clientes da produtora. Pisei para fora enquanto tirava o maço do bolso e logo acendi um cigarro. O mais puro auto-consolo. Inferno. Apertei o filtro com o polegar e o dedo indicador, levando-o à boca, frustrada. Era uma terça-feira cinzenta, já prestes a escurecer, e eu havia matado a segunda metade do expediente à toa. “Ótimo”.

Lá pela quarta tragada, todavia, eu me encontrava já consideravelmente mais calma. Havia começado a bater papo com uma garota que estagiava lá – aparentemente a entrada do lugar era o fumódromo dos funcionários. Ela e um cara modernoso, que estava apoiado contra a parede a um metro de nós, conversavam ali antes de eu chegar. Gay, analisei-o brevemente. Lembrei então do que a Marina havia me dito, mas não consegui julgar a menina. Isto é, em todos aqueles quarenta segundos tontos de conversa.

_Eles vão falar com você agora – a recepcionista me chamou.

Ela se chamava “Rose” ou, pelo menos, era isto que indicava seu badge. Olhei-a e sorri, por um instante. Joguei o cigarro na sarjeta, pisando rapidamente na brasa acesa, e me despedi dos dois estagiários, que eram bem novinhos. Entrei atrás dela, atravessando a sala e depois o corredor, até o escritório da diretora de produção. Uma mulher de uns quarenta e poucos anos, bastante bonita, que parecia dessas críticas cults insuportáveis. Cumprimentei-a mais uma vez, junto ao responsável pelo setor de arte; ambos que haviam me entrevistado na hora anterior. Me observaram sentar, de frente para a mesa, e eu os encarei destemidamente de volta, numa atitude natural e um tanto desnecessária. A tal da Rose fechou a porta atrás de mim e eles se entreolharam logo em seguida.

_Então... – a diretora quarentona começou, me encarando simpática – ...o que você acha de começar aqui segunda?

19 comentários:

@rayddmel disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

que liiindaaa FM em um emprego novooo *-*

Ja vai pegar a chefe?? boto fé

Anônimo disse...

A mensagem subliminar é que a chefe quarentona quer pegar ela? hahaha
se não for isso, eu não peguei a mensagem. =P haha

c' disse...

adooooooorei fm num emprego novo. Ahazou muito.
qeum sabe agora vai começar uma nova fase na vida dela.
ja qero mais posts logo.

Anônimo disse...

Ahhh, eu não consegui achar a tal mensagem subliminar. Kd kd kd?

Monica disse...

vai pegar a quarentona?

mensagem subliminar?????? acho bom dar outra olhadinha rs

Juuh Melo disse...

Confesso que li post procurando a tal 'mensagem subliminar' rs sou dessas ...
estaria FM interessada na estagiária?
( foi o máximo de msg subliminar que eu encontrei. rs )
Mel, gostei muito do post :)

@rayddmel disse...

FM vai ter uma 'recaida' hétero? kkkkk

Anônimo disse...

Adorei o posto, quero mais. *-*

@rayddmel disse...

Ai meu Deus, FM vai ser atacada por um homem la dentro, o estagiario gay ou o chefe? AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

Anônimo disse...

MEU fiquei impaciente junto kkkk AMANDOOOOO!!! Fase mais linda do blog.. POSTA MAIS e traz a miaaa!!

Taynan disse...

Na boca do loboo!!! hahahaha

Tem nem mais o que comentar, isso aqui está cada dia melhor! ;D

@Rayddmel disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaa
sim, eu de novo.

Por um acaso, o tal do Marcos, amigo do Fêr que sabe da Mia e a FM trabalha nesse lugar? E vai chantagear ela pra não contar a verdade pro Fer??

#viajando

Anônimo disse...

O título tem 4 palavras, o alargador do cara tem 4mm, ela fala "quarta tragada", ela ficou 40 segundos conversando, e a chefe tem 40 e poucos anos. Tem alguma coisa a ver com isso? hahaha Se não tiver, eu viajei muuuuuito! :~~

@KelemLago disse...

Segundo meu conhecimento popular, uma mulher aos 40 anos está na idade da loba. Sendo assim concordo com os comentarios acima de que a chefe da FM vai dar uns pegas nela.

@rayddmel disse...

Nossaaaaaaaaaaaaaa, o Anônimo disse tudo que eu tava pensando aqui. Com o numero 4-40
Talvez role um ménage da FM com o cara do alargador, e a chefe....
Ou talvez com o filhinho de papai...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
Curiosidade mor

Anônimo disse...

hmmmmmmmmmmmm
Ê, dona loba-quarentona. Caçando jovens garotas. haha

Anônimo disse...

Ou nesse caso..
A jovem garota que está caçando tudo e todas. HAHAHA

Ianca' disse...

FM passando a coroa boa em 3,2,.....

'duuda disse...

ai, fiquei nervosa junto com ela, durante o post. ta louco hahahaha