- »

junho 11, 2010

Amor, amor

E não é doente e distorcida a nossa ideia de amor? A realidade dos apaixonados. Amor não passa de um sadomasoquismo involuntário do caralho, sempre foi. E o motivo é simples: porque se não for filho-da-puta passa despercebido. Se não te destruir, é porque o sentimento era pequeno. A própria linguagem deixa escapar a sua natureza, nas entrelinhas, o amor está atrelado ao sofrimento. Ninguém “se alegra” de amor: não, as pessoas “sofrem” de amor. Para o bem ou para o mal.

E eu já havia sofrido demais por aquela garota.

Se fosse qualquer outra, eu teria dado de cara o que ela queria. E pegado o que era meu, também. Sem complicações. Mas acontece que não era qualquer garota: era a Mia. E ela, sim, merecia sofrer. E sofrer muito. Porque amor é vingança pura – pelos meses em que eu a quis desesperadamente, por todos os dias em que ela me enlouqueceu e todas as vezes em que eu me contorci de ansiedade e de dúvida e de ciúmes e não a tive. Agora, quem ia se contorcer era ela.

Depois que sujei minhas mãos, não havia mais volta. A tortura ia começar – e dessa vez, para valer. Ah, se você soubesse o que eu estou prestes a fazer com você, eu me divertia, maldosa, enquanto descia beijando suas costas. E a sua cintura. E as suas pernas, até tirar o pouco que lhe tinha sobrado de roupa. Deslizei a calcinha pela sua bunda e a beijei, mordendo a sua pele brevemente, ajoelhada atrás dela no chão. O seu corpo me tirava do sério. Que mulher da porra. Virei-a de frente para mim, numa ansiedade de sentir o seu gosto. E me pus a fazer o que eu sabia fazer de melhor: não prestar, descaradamente.

A Mia estava totalmente na minha mão. Entrando em mim, o seu gosto na minha língua –, mas não. Não vou perder a linha, ainda não. E quando as suas pernas começaram a tremer, já fraquejando, eu parei. Não pensa que vai ser tão fácil assim, sorri, e me coloquei no meu caminho de volta para cima. Acompanhando cada contorno do seu corpo, com as minhas mãos cheias. Cheias de vontade dela. Conforme eu me afastava do meio das suas coxas, mais os seus olhos e as suas pernas se apertavam, insatisfeitos, com aquele sentimento de terem sido interrompidos.

Segurei o seu rosto, enroscando as minhas mãos no seu cabelo, e a beijei intensamente. Os seus dedos me agarraram de volta, determinados e ligeiramente provocados. Eu deixei. Isto é, por uns poucos minutos até a tomar pelos pulsos, colocando os seus braços atrás das suas costas. E a beijar de novo. E de novo. E então de novo. Aí a minha boca desceu, foi descendo, dos seus lábios para o seu queixo, para o seu pescoço. E eu a empurrei contra a cama.

Que se danem as aulas, eu pensei, enquanto me livrava da minha calça e da calcinha, sem tirar os olhos da Mia. Vamos fazer do meu jeito primeiro.

Subi na cama e coloquei em prática todos os truques sujos e baixarias que aprendi naqueles anos de vida bandida. Um por um. E toda vez que a Mia estava prestes a gozar, eu parava o que quer que eu estivesse fazendo e a obrigava a mudar de posição comigo. D E S G R A Ç A D A – eu podia sentir cada uma dessas letras presas em seus lábios, na forma como a sua pele friccionava contra a minha; em cada movimento angustiado, ansioso, do seu corpo.

Cada centímetro daquela garota imploraria por um orgasmo, se o seu orgulho não estivesse no caminho. Atingimos um ponto tão extremo que, mesmo que ela não ousasse confessar, cada gesto seu deixava nítido que ela estava prestes a explodir. Nem que fosse comigo, verbalmente, me xingando de todos os nomes e ofensas que lhe viessem à cabeça – mas alguma coisa ela teria que extravasar, e logo. Era um tesão cru. O seu corpo reagia da forma mais instintiva e descivilizada. O meu espírito imprestável me forçava a insistir cruelmente naquela sacanagem. Até que ela estivesse louca. Louca por mim, sim, se arrastando naquela cama e me implorando, de joelhos, para eu comer ela de uma vez. Ahh, o amor...

Pois é, um sentimento tão bonito.

E só quando eu comecei a achar que estava, enfim, chegando onde eu queria; quando cogitei lhe tirar daquele sofrimento gostoso, daquela angústia; e acabar com aquele joguinho romântico e sádico...

...a Mia me surpreendeu.

18 comentários:

Amanda disse...

Amor não passa de um sadomasoquismo do caralho +1

ADOREEEEEEEEEI o clima de vingança da devassa, tem que ser assim mesmo! A Mia merece sofrer um pouquinho antes de ser feliz.
Mas essa maldade aí foi FODA, héin? Ou melhor, foi não foda :x HAHAHA.

Tô louca pra saber o que a Mia fez. Não vai demorar pra postar, pelamor.

Parabéns, viciante como sempre. :D

SexyCabritinha disse...

#porraMia!!

Puta post inspirador!!!

caracoles!

Na_bgs disse...

BEM INSPIRADOR MESMO
(666)
Depois de uma narrativa dessas, de quem sabe como fazer com...AS PALAVRAS, NÉ...
O jeito é ir fazer sexo agora hauhauahahaua

Pri Araújo disse...

Acho que eu nem preciso dizer que surtei com o “E ela, sim, merecia sofrer” AMEIII!!!

Ela estava boazinha e controlada demais pra ser a Devassa que eu conheço. Aquela com o ego gigante que odeia ser contrariada. Agooora sim...

Juro que me contorci aqui na cadeira! Sou super a favor de vingança... hahaha, assim então melhor ainda!!!

Tá, agora a Mia tá “sofrendo“ lá e eu aqui sem saber o que vai acontecer. Como será que a Mia a surpreendeu?

Ah, o amor... Nós, leitores, sofremos de ansiedade e quanto mais sofremos mais amamos o blog. Não tem como não amar!!!

Lu disse...

Meu...na boa, comé q alguém pensa tudo isso!? Acho que só a MIA deve ter "sofrido" mais q a gente que entrou na cabeça da Devassa numa hora dessas! Suei...

Liz M. disse...

Olha só, eu acordei as 4 da manhã com uma mensagem que não me deixou dormir pelas próximas 3h. Acordei as 7 com a minha carona ligando e quando ela ligou de novo, dizendo que ia se atrasar, claro que eu vim aqui.

Eu devia estar pronta pra ir pra faculdade. No entanto ainda estou de pijamas.

E valeu a pena. Se ela chegar agora eu invento uma desculpa, troco de roupa correndo, faço o escambau, porque... mereceu!

O amor e a paixão são coisas de sádicos. Já dizia, num filme que eu adoro bastante: "paixão significa sofrimento. A Paixão de Cristo... O apaixonado é um sofredor". Verdade!

O problema é que não conheço UMA pessoa que não goste(ou que não tenha gostado) de "sofrer".

Ale Leonhardt disse...

nossa!!!! perfeitoooo

nada melhor que um post hot assim prá começar uma sexta feira :O

essa coisa de dar vontade e não chegar nunca... (666) malvadaa hehehe

ansiosa pro próximo *-*

Carol88 disse...

CARALHOOO* Desculpe o palavrão*

Meu,me falto ar nesse post!!!

F.M,sacaninha de marca grande.


*----*

eutenhoproblemas disse...

Sofrimento, vingança, tortura. Tudo muito bacana.

Anônimo disse...

"Amor não passa de um sadomasoquismo involuntário do caralho." Nós, leitoras, sofremos de amor pelo blog, sempre na agonia da espera pelo próximo post!
Ps.: P-E-R-F-E-I-T-O!

matt. disse...

Quero imitar o post com algum menino. *-*

Nina O. disse...

o que há de mal sofrer de amor entre as coxas de alguém? =x

tá, e fiquei curiosa tambem...
beijao

Vanessa disse...

Poooorra! o que foi que a mia fez que surpreendeu tanto? AAAAH!

mais, mais, mais :(

Jujubαkins ~* disse...

quero mesmo saber o que diabos a Mia fez, e mais do que isso PORRA como é que vc faz isso com a gnt? Fiquei horrores, me corroendo de ansiedade querendo saber o que viria e então oq vc faz? Me deixa ainda nessa ansiedade é uma delícia ler o blog, sério não sei oq dizer, senão: que é absolutamente FANTÁSTICO e me seduz de verdade *--------------------*

Xuhzin disse...

omg omg omggg
"_" sem palavras



continuaaaaa "_"

Juliana F. disse...

puta q pariu heim!

enlouquecida!


deu até vontade uahuahauhd!!!


aadooooorooo!




bejux

Mariana disse...

OOOOOOTIMA maneira de se vingar de alguém hahah !

to loca pra saber o que a Mia fez,não demora a postar, pooor favor !

Anônimo disse...

Deve ter pegado a gfm e mostrado que já aprendeu direitinho... (6)