- »

junho 22, 2010

Muridae nata

_Daqui a pouco minha mãe vem me “acordar”... – a Mia sorriu, ainda apoiada nas pernas cruzadas sobre o lençol, me olhando com carinho.
_Tá cedo demais, meu... – eu me enfiei no travesseiro, rapidamente, enquanto ela ria.
_É, mas eu preciso ir pra faculdade...
_Não precisa, não.
_Ah, não preciso? – ela riu, de novo.
_Não! – eu sorri, satisfeita, olhando para ela como se o simples fato de eu negar tal necessidade fosse o bastante para desfazer sua existência.
_E você também não precisa ir trabalhar, então?
_Para tudo dá-se um jeito... – eu pisquei, imprestável.
_Você não acha que já causou um estrago grande o suficiente? – ela falou, quase irônica, e me encarou.
_Estrago em que? – perguntei, naquela inocência mentirosa.
_Em mim, na minha vida, na minha cama...
_Não – eu sorri, soando quase malvada.
_Não?! – ela riu.
_Isso não foi um estrago... foi meia noite de caos controlado.
_Ahh... e o que mais você poderia querer de mim, hein?
_Tudo, oras. Todo o resto.
_Não sei se tem muito mais para eu te dar, depois de hoje... – ela mordeu a língua, toda bonitinha em sua indecência admirável – ...mas você pode tentar pegar o que quiser.
_O que eu quiser? Olha o perigo... – eu ri, já puxando-a pela cintura na minha direção.

A Mia resistiu um pouco, fazendo graça, mas logo se abaixou e dobrou-se para me beijar. Quer dizer então que posso fazer o que eu bem entender, que você é minha, né..., eu pensei comigo mesma, contente. Imediatamente, no entanto, a memória contraditória da realidade me bateu violentamente na... Não, não foi na consciência – que é exatamente onde deveria ter batido. Me bateu foi no peito, como uma dor aguda quase insuportável, do tipo que sufoca quem se encontra encurralado.

Pois é: sem saída, como um rato contra a parede. Metida até a porra da minha garganta em um problema sem solução. No fundo, quem se acha esperto demais para cair na armadilha, acaba se ferrando mil vezes mais. Porque o orgulho te enfia no fundo da boca do gato, faz você continuar, errado e cheio de si. Aí quando você se dá por si, já não tem mais volta, já foi longe demais. Engolido pelo escuro, sem luz alguma indicando o lado de fora, incapaz de conseguir ver por onde entrou e fodido.

Seria melhor ser uma imbecil, do tipo que não se aventura por aí, e só me prender pelos buracos pequenos... do que me achar boa o suficiente para o queijo da ratoeira. Agora, tudo o que me restava era esperar para ser mastigada e digerida de vez por aquela merda toda. Uma questão de tempo.

Então, cumpri meu papel. Afinal, quem se mete pelos buracos e esgotos da vida, sabe ser sujo melhor do que ninguém. É quase intuitivo. Deslizei, sem dificuldade, pelo seu corpo. Intercalei as pernas da Mia nas minhas, apoiando um dos meus joelhos no seu ombro, enquanto a beijava. Puxei-a firmemente contra mim, ainda com as mãos na sua cintura, e senti seu calor me contagiar. Hmm. Bem quando a indecência começava a, enfim, afastar os pensamentos inapropriados para o momento da minha cabeça...

Um barulho surgiu, do nada, na porta.

_É a minha mãe! – a Mia saiu, na mesma hora, de cima de mim.
_Está trancada, gata... – eu argumentei, agarrando-a de volta.
_Não, sério... – ela ria, nos meus braços, tentando sem muita determinação se livrar das minhas mãos mal-intencionadas.
_Vamos fingir que estamos dormindo, vem... – eu ri também, tentando alcançar uma das pontas do lençol emaranhado.
_Eu preciso mesmo abrir – ela insistiu, mais séria.
_Eu sei... – retomei o bom senso e a educação, soltando-a, e me ergui com os cotovelos apoiados no colchão – o que eu faço?
_Assim, o ideal seria que ela não te visse sem roupa na cama da filha hétero e compromissada dela... não é.
_Quer que eu me esconda no armário? – eu brinquei, levantando as sobrancelhas.
_Junto comigo? – ela riu.
_Quê? Já está fazendo piadinha com a própria sexualidade? Mas que bichice, hein... – eu comecei a rir também, tirando sarro dela, e fui me levantando da cama.
_Se veste aí, vai... – ela me empurrou para o centro do quarto, sussurrando.
_Tá bom, tá bom... – eu me rendi, colocando a calcinha e a camiseta de qualquer jeito, enquanto a Mia fazia o mesmo a uma distância pequena de mim.

24 comentários:

Liz M. disse...

Se alguém conhecer uma Mia desse jeito, me avisa. Não, não sou team Mia, mas olha só quanta fofura, fazendo piada e tudo o mais. Ahh, uma lindeza!

Tenho até medo do que pode vir ainda =x

carol madeira disse...

putaquepariu! barulho na porta é de foder. não! é de NÃO foder... enfim.

Jujubαkins ~* disse...

*----------* a piada foi ótima, será que a "sogra" será boazinha? kkk
Master concordo com tudo que a Devassa disse, tá completamente apaixonada... COmpletamente fudi**

;** Parabéns Mel

Anônimo disse...

Não faço mais a mínima idéia do que vai acontecer daqui pra frente =~~
Devassa apaixonada?! Adorei!
Parabéns, Mel!

Mikaylla disse...

"No fundo, quem se acha esperto demais pra cair na armadilha, acaba se ferrando mil vezes mais."

Amei.

The First Attempt disse...

Lendo esse blog, criei coragem para escrever uma história também, se puder dar uma olhada e opinar, agradeço.
http://fazersentir.blogspot.com

Pri Araújo disse...

O pessoal do TeamMia que me perdoe, mas a Devassa é demais!

Mesmo sabendo que as coisas estão "erradas" e que a tendência é piorar ela vai até o fim pra realizar o que deseja.

;)

Lu disse...

Mel, foi fundo hein?! Pra variar não esperava! Que dor é essa: medo de amar ou da realidade da situação? Acho que vou pedir ajuda aos universitários, quero dizer ao formsprings!
De qualquer forma, tá lindo e surpreendente como sempre! Q saudades...

Lu disse...

Isso q eu não entendo... Essa contradição, o errado tá aonde? Nesse texto, ela nem tá falando do Fer, é dela mesma! É de se entregar pra Mia pq é a Mia? Ela antecipa q vai sofrer no futuro?
E ela não deseja, ela luta contra! Ela só se entrega no final porque é instinto!
Cara, que loco!

priguiducci disse...

Muito bom.

" Seria melhor ser uma imbecil, do tipo que não se aventura por aí..."

Eu adorei, mas discordo. Porque adoramos você assim GFM.

Sempre maravilhoso.

( the girl fucking Mia ) disse...

Não, Lu... a dor "deveria" ser na consciência, deveria ter relação com o Fer e com a traição na amizade. Mas, nesse momento, do lado da Mia, a dor não era essa... era egoísta. Era porque ela a queria para ela e sabia que não a tinha. Não estava se sentindo mal pelo amigo, mas por ela mesma. Porque a Mia não é completamente dela e agora ela quer isso mais do que nunca, ter ela, assim. :)

Antes a culpa com relação ao Fer tinha um peso maior do que a vontade de ficar com a Mia. Incomodava mais. Agora a vontade de ficar, de fato, com ela e a possibilidade de não conseguir isso está perturbando muito mais o coração dela. O ponto de vista de todo o rolo está começando a mudar...

Lu disse...

Ooh, ela acha que ainda não tem a Mia, ou tem que disputá-la com Fer? E de fato nada faz parecer que ela tenha, mas minha mente "straight" me fazia crer que essa era a única certeza no blog: a paixão da Mia p/FM! Não é mais! :( Tks!

21g disse...

Ai que mãe sempre aparece nas horas erradas ¬¬"


P.s:"Isso é meu,mas não me pertence"

Pekinha disse...

cada dia que passa, eu me apaixono mais pela MIA... ♥

nessa. disse...

cada dia melhor!!! é viciante. todo dia entro pra ver se tem post novo. booom demais!!!

Rafaela disse...

Depois de tanto tentar, finalmente consigo comentar aqui ¬¬

maaaas..ta esfriando o blog, to achando :/ achei o post digno, mas acho que ainda pode melhorar :*

carollips disse...

Bom já que garante que mia's existem..resta acreditar e procurar rs

Danny disse...

Meeeeo, ta muito boa a história, está de parabéns *----*

¢arla disse...

Título perspicaz. Tive que "googlar". ;-)

¢arla disse...

Título perspicaz. Tive que "googlar". ;-)

Anônimo disse...

eu quero ver sofrimento. haha gosto muito mais.

J. Lee disse...

Estou gostando demais dessa história. Uma ex-recente me enviou o link e desde então não deixei de ler uma linha. Hoje estou atualizada e por dentro desse romance, bem parecido com o meu novo rolo por sinal. Assim como Mia, a menina dos meus olhos é prometida para "outro" homem. A difereça da FM é que eu não sou a melhor amiga do cara. Mas mesmo assim desejo sorte a nós todas... Adoro cada linha escrita aqui, e aguardo ansiosa por mais. Beijos

priguiducci disse...

Realmente...gostei do título, geralmente são um dos pontos fortes.

Anônimo disse...

ha, I will experiment my thought, your post give me some good ideas, it's really amazing, thanks.

- Thomas