- »

dezembro 05, 2011

Os Minutos

[ 6:08 ]
A posição terrivelmente incômoda, acabei acordando. Estava desconfortável. Os meus pés encontravam-se largados no chão, as pernas afastadas e meio de qualquer jeito. Meu corpo havia pendido um tanto para a esquerda, sentada contra a cama do meu quarto, as costas no meio da beirada de madeira e o pescoço doendo latejante, após o que provavelmente haviam sido horas forçando-o na direção errada. Dei um suspiro repentino, saindo daquele estado semi-desperto dolorido, e retomei a consciência. Lá fora, o dia amanheceria chuvoso; havia uma brisa gelada e certa luminosidade vinda da janela – não o suficiente, porém, para indicar o fim da madrugada.

Ergui o rosto, olhando para o colchão trás de mim: também apagada, mas numa posição um pouco melhor, a Patti dormia confortavelmente. Os pés descalços, as pernas num shorts jeans curto desses de-ficar-em-casa e uma camisa xadrez azul da última moda, de flanela e bem acinturada, as mangas arregaçadas até a metade do antebraço. Havíamos conversado no quarto, antes, até altas horas após terminado o filme lá na sala e, em algum momento, sem planejar, capotamos as duas. O Fer não estava em casa, ou não o ouvi chegar. Arranquei os meus tênis, largando-os no chão. Apenas com as meias agora nos pés, subi na cama, passando por cima de seus joelhos até o outro lado, em silêncio, e me acomodei no restante de colchão entre ela e a parede.

Afundei-me no travesseiro, de forma gostosa; sentia-me aconchegada. O quarto estava frio e ali, não. Ajeitei a cabeça, olhando-a dormir, bem de perto, e pensei por um instante em colocar o meu braço ao seu redor. Hesitei estranhamente, contudo. Observava-a, quieta. Sentia como se pudesse quebrar rápido demais qualquer barreira, sem o seu consentimento, adormecida e ainda ligeiramente hétero ao meu lado. Me acomodei, então, na minha. Dobrei o braço por debaixo do travesseiro, apoiando o rosto, e fechei os olhos. Não demoraria a cair também no sono.

[ 6:23]
Revirei o corpo, as costas para cima, encostando a barriga contra o colchão. Ela acordou. Senti-a despertar num suspiro, movendo-se ao meu lado; o meu sono estava leve. Fiquei em silêncio por um tempo, o rosto afundado em inércia no travesseiro. Nada por alguns instantes. Até que, milimetricamente, o lençol de algodão abaixo de mim deslizou.

Virei o rosto para o seu lado e encontrei-a, com os olhos levemente abertos. Observava o teto, calmamente. Retirei o cabelo de cima da cara, com uma das mãos, e deitei esta mesma em seguida sobre a sua camisa xadrez. O que você está pensando, hum, aí quietinha? E como se não contestasse o meu gesto anterior, afundei deliberadamente os dedos pela flanela, no decorrer da sua cintura morna. Quase abraçava-a, daquele jeito; apoiei o braço por cima do seu estômago e fiquei. Ajeitei-me com o corpo, agora de lado.

_Acordou? – disse, noutro suspiro.

Ela virou o rosto na minha direção e sorriu. Mas não respondeu. Eu sorri de volta, ainda com sono. Sentia-me bem, fluíamos naturalmente; ela tornou a olhar para os cantos intocáveis do cômodo. O amanhecer estava tranqüilo. A calma, o silêncio preenchiam o quarto de forma agradável, fora do tempo. A minha mão permanecia imóvel, na lateral oposta do seu corpo. Instantes depois, virou-se igualmente de frente para a mim; o corpo de lado no colchão; e apoiou a cabeça também sobre o braço dobrado. Desta vez, eu sorri primeiro.

_Acho que a gente... – murmurou, sorrindo de volta – ...acabou meio que...
_É...

Ela achou graça, espreguiçando-se aos poucos. Disse que perderia meio período, que estava com preguiça de levantar. “Está quentinho aqui”, brincou. Minhas mãos escorregaram por sua cintura, procurando um canto confortável. Apesar de novidade, a Patti me dava um sentimento quase nostálgico. E eu estava gostando de estar ali com ela. Acordara com preguiça do mundo porta afora, fiquei. Sem levantar correndo, sem dar desculpas. A observava, em silêncio, tranqüila. Como se não tivéssemos nada para fazer naquela manhã de quinta-feira. Era curioso, ela parecia cheia de pensamentos escondidos. Os meus dedos passeavam lentamente sobre a sua blusa, acompanhando os traços sutis do xadrez. Ela virou para mim novamente, deitando o rosto sobre o braço.

_E eu... eu sou a primeira hétero a... – sorriu, falando baixo – ...digamos, “dormir” na sua cama?
_Não... – eu ri, sincera – ...teve algumas outras.
_Teve?
_Bom – retomei –, dormindo deste jeito... talvez não.
_Hum. Então quer dizer que você gosta de garotas difíceis... – pressupôs e eu achei graça.
_Não, na verdade não importa muito.

Mas eu gosto de você.

Me olhava. Levantei a mão até o seu rosto, delicadamente. E deslizei os dedos pela lateral da sua face, os olhos, as bochechas, o queixo... a sua boca. Havia algo nela que me desconcertava, na Patti. Patti... Patti “Smith”. Ela me atraía sem esforço algum. Percorri os poucos centímetros de pano, ainda entre nós, movendo-me na sua direção. E beijei-a suavemente. Um após o outro, pequenos selinhos curtos. E lentos. Os meus lábios tocavam-na e suspendiam-se, sucessivas e intencionadas vezes no canto da sua boca. Deixei os meus dedos entrarem nas mechas morenas do seu cabelo. Ela subiu uma das mãos, de leve, pelo meu braço e a apoiou em meu rosto. Entreabriu os lábios e beijou-me de verdade.

27 comentários:

'duuda disse...

"adormecida e ainda ligeiramente hétero ao meu lado." eu ri hahahahaha
e gente, que fofura essas cenas com a patti! to amando!
beijoo mel x)

Pathy disse...

ain.. a FM fica muito cute cute ao lado da Patti. Muito, muiiiiito lindooooo tudo isso!! <3

Ianca disse...

que lindas, eu lendo quase me derretendo, é lindo isso *-* a patti dando outro ar. Mas... Cadê a MIA?

jamile disse...

agora a Mia entra no quarto e pega as duas assim QUE TAL??

c' disse...

_Hum. Então quer dizer que você gosta de garotas
difíceis... – pressupôs e eu achei graça.
_Não, na verdade não importa muito.
Mas eu gosto de você.
Me olhava. Levantei a mão até o seu rosto,
delicadamente. E deslizei os dedos pela lateral da
sua face, os olhos, as bochechas, o queixo... a sua
boca. Havia algo nela que me desconcertava, na
Patti. Patti... Patti “Smith”. Ela me atraía sem esforço
algum.


lindas, lindas, lindas demais. To adorando essa vibe bonitinha da patti e da fm.
post muito lindo mel.
ja qero o proximo.

Anônimo disse...

É, bem do jeito que a gente gosta mesmo Mel!
Tá lindo *-*

Anônimo disse...

Como é bom acordar com post novo :D Ainda mais um tão fofo assim, essa Patty está me conquistando hehehe. Cade a Mia com ciúmes?!

Gabi disse...

q bonitinho esse post!

danix disse...

que post... leve, bonito, tranquilo. adorei!

Anônimo disse...

Confesso que não sou mto fã da Patti, mas, ainda assim, o post ficou fofo.

Cogumela =) disse...

vcs acham que a FM é escorpiana? eu acho, na maioria das vezes.

Fazneime disse...

Nossa que post fofo *-* Muito lindo o clima entre a FM e a Patti, mas sei que daqui a pouco vem a Mia pra infernizar UAHSUHAUSHAUHS'

Dea disse...

eu jurava que a cama dela ficava no meio do quarto. JU-RA-VA. aliás, pra mim a FM não tem nem cama. é um colchão no chão (ainda que essa cama já tenha aparecido noutros vários posts). enfim... isso tá fofo demais. tá precisando pegar FOGO! :D

Ma disse...

To a manhã toda tentando entrar pelo celular porque sentiiii que tinha coisa nova!rs ♥ Mas não deu! :( e só consegui ver agora no trampo eeee...

...tá lindo, gente! To amando, tá tão teenager in love, tão nhoim, tão, tão, tão... ♥
agora só falta a Patti roubar umas músicas da FM preu amar mais! Chega de tanta lindeza! Meu coraçãozinho não pode ficar se dividindo entre todas as garotas da vida da FM. hahahahahahah :{

1bj

Ma disse...

E pra mim a cama era num canto do quarto, cabeceira perto da janela hahahaha paralela com mesa do pc e guarda-roupas. Sei lá, tipo isso! hahaha

TekaSak disse...

A FM tem mais é que ficar bem com alguem. Eu pessoalmente não acredito que vá ser com a Mia, na verdade, não quero que seja com a Mia.
To gostando muito desse clima que tá rolando com a Patti, pode ser algo só passageiro o que tá rolando entre elas mas mesmo assim tá muito legal.
Vlw Mel!, continue a nos deixar super felizes ao ver que saiu um post novo.
Inté!

Marj disse...

Nussa eu to gostando da Patti, to adorando a cena das duas juntas <3

Anônimo disse...

Nossaa, olha a patti ai gente... chegou como quem não quer nada e tah ai... deixando a fm caidinha...
muito fofo esse post...
kd a mia hein? Tem q marcar o territorio, se nao perde a perícia.
Bjao mel vc eh d+

sara disse...

MORRIIIIIIII!!!!!! meu, essa historia com a patti ta linda!!
comecei a ler o blog em outubro e já ''acabei'', viciante demais, socorro! haha to amando MUITO!

Pris disse...

Concordo com a Cogumela, tambem acho que a FM é escorpiana, me indentifico muito. ;* E a propósito a Patti é uma gracinha!

Dea disse...

mais?

Ma disse...

Mais!

Anônimo disse...

MEEU DEEEEUUUS, PELO AMOR DE DEUS CONINUUUUAAAA T.T

Milla Carol disse...

adorei!
continua
http://pormedodefalar.blogspot.com/

Juliana Nadu disse...

continuuuuuuaaa pleeeaaaase!

Anônimo disse...

kddddddddddddddddddddddd??????????????

Monica disse...

oeee... um post cheio de significado [pra mim] já que vi Patti Smith em td lugar hj... weird!