- »

março 11, 2012

Irascível

Entrei no quarto, furiosa. Com o foco, mil vezes droga, na merda de garota no cômodo ao lado. Que porra! Como que...? Filha da puta! A minha cabeça parecia agora explodir, acelerava numa velocidade que beirava o intolerável, tomada por um desprezo como nunca sentira antes pela Mia. Apenas por pensar que uma parte, ainda que mínima (dane-se!), de mim talvez... ainda... a, a quisesse. Argh, aquilo me era insuportável! E desencadeava tamanha revolta, interna:

Era tomada por flashes de memória – do seu toque, do seu gosto, dela; de como fora sentir de novo o seu corpo em mim. Mas eu, não, não te quero. Não quero! Os meus pensamentos se atropelavam, restavam como um verdadeiro caos, bagunçados; desmoronavam sobre mim. Digladiava, inferno, com o que acabara de acontecer. O que, o que diabos foi... isso?!, eu relutava comigo mesma. Sobretudo com os meus motivos – agora longe dos olhos da Mia. Ainda que sem ousar, nem por um segundo sequer, transparecer a dúvida que brotava desconcertante em mim.

O meu comportamento seguia imutável. Ganhava talvez agressividade – mas nunca, nunca, relutância. A minha fragilidade, esta ou qualquer, eu guardava comigo e muito bem. Em lugares que até pessoas como a Marina o eram em minha vida tinham dificuldade de achar.

_O que aconteceu?! – a Clara me perguntou firme, conforme eu caminhava impetuosa no escuro em direção da cama, onde ela estava sentada com uma perna dobrada frente ao corpo no colchão e a outra pendurada para fora, como se acordara há pouco num susto – Eu ouvi um barulho, meu! Uma porta batendo com forç...

Ah, eu não tinha cabeça para aquilo.

_Não aconteceu nada! – a interrompi, grossa – Vai, fica na sua...

Deitei num movimento ignorante ao seu lado na cama, sem necessidade; os lençóis estavam desarrumados num recém despertar dela. Sem dizer-lhe mais uma palavra sequer, apenas puxei um pedaço do lençol sobre mim e virei o corpo no lado oposto ao seu. Ela ficou em silêncio, sem reação ou vontade, por mais algum tempo; me observando no escuro. Os meus pensamentos seguiam vertiginosos – e me consumiam por dentro, maldição. Quieta, mas numa vontade louca de gritar; eu tentava conter a minha raiva, meus impulsos. Dentro do meu peito.

Como eu queria – queria! – foder com a Mia. Literalmente. Ah, queria – e queria ainda, parte de mim, fazê-la pagar pelo mal que me fez. Também. Meses a fio, por todas as noites em que me tirara o sono, por tudo o que me fizera sofrer em silêncio, pelos seus “nãos”. Todavia, era eu quem estava lá (sofrendo). Eu – e não ela. Foda-se você, meu! O meu coração acelerou ainda mais, irritado. Parecia me arrepender de cada passo que eu dava, argh, e ainda – numa recorrência autodestrutiva de merda, sem precedentes – me mostrava capaz de ser uma babaca com a única garota que tinha a decência de ser exatamente quem eu lhe pedia que fosse em minha vida. Que grande merda!

_Bi... – murmurei então, imediatamente contrariada, no escuro.

A Clara ainda me olhava, sem entender direito os meus surtos.

_Desculpa... – suspirei – ...não, não tem nada a ver com você isto – tentei me explicar, agora mansa –. Eu é que, que não conseguia dormir... sei lá. E aí fui pra cozinha, não sei, bebi um pouco... – ela me ouvia quieta, ainda levemente ressentida – Já tô meio alta já, bati a porta do banheiro... me, me desculpa... sabe, por entrar aqui assim. Eu não devia ter, ter te respondido daquele jeito...

No fundo, eu sabia. Sabia que não queria arrastá-la para o meio da confusão que era a minha droga de vida, o meu coração; para o meio de tudo aquilo. Todos temos o nosso caos particular; nem todo mundo, todavia, tem o suficiente para ser convidado a entrar. E não era justo. Independente do que ela me fizera em outras ocasiões, independente do quão nebuloso ainda fosse o nosso futuro. Não demandaria este tipo de compreensão. Não dela. Não seria justo com ninguém – e com ela eu me importava. De uma forma que não tinha qualquer lógica, e muitas vezes seguida de uma prática ainda mais distorcida, que certamente só fazia sentido dentro da minha cabeça; mas me importava.

Com a Clara, é.

E eu sabia que ainda ia exigir que perdoasse muitos destes meus momentos. Momentos como aquele. Muitas destas minhas palavras atravessadas repentinas, fora de contexto. Dos meus segredos; da parte da minha vida vivida por detrás de portas, nos cômodos ao lado; das madrugadas no corredor. Os absurdos – e a violência irracional, indesejada – do meu coração. (...) Ela se aproximou, aninhando-se ao nos meus braços, no meu ombro. Me entendia. O meu ódio não se esvaíra; e a velocidade dos meus pensamentos seguia, tão sufocante quanto antes. Acariciei as suas bochechas, os seus braços; entretanto. Sabia, dentro de mim, que todas as chances eram de que eu também teria que perdoá-la, em breve. Em (muitos de) seus momentos. Mas me dava certa calma tê-la, assim, por perto...

...enquanto eu deixava a Mia, lá, do lado de fora.

22 comentários:

Anônimo disse...

I WANNA SEE BLOOD!!! HAHAHAHAH
CADÊ A MIA ENTRANDO NO QUARTO AGORA??? =P

Viviane disse...

MUUUUUUUUUUito foda essa Mia..
mas, ainda gosto dela..
putzzzz que relação mais masoquista essa minha!!!

Vitória Régia disse...

quero uma Clara pra mim, MUITO FOFA E COMPREENSIVA *O* mas eu tbm adoro a Miaa hahahahaha

Anônimo disse...

minha gente...........e esse odio todo ai? Vai render muita pegaçao hein........kkkkkkk
to dividida mel....quem escolho?
Mia ou Clara?

Pris disse...

a Clara é basicamente uma válvula de escape!

TekaSak disse...

depois de dias de agoniante tortura a Mel atualiza!!!

Juliana Nadu disse...

Essa era a hora em que vc poderia fazer o post da MIa!!! Preciso, queria mt saber como ela ficou lá no banheiro!!

coitada! =/

Anônimo disse...

Cadê a Mia surtando, fazendo a loca do apartamento???

Esse post me deu uma agonia, muito sufocante tudo isso. Como sempre a Mel sabe passar exatamente oq a FM sente.

@carolcastr disse...

#TeamMia

Raianny disse...

Como assim senti uma pontinha de esperança na Clara agora?
Ahhh!

Mas ainda sou totalmente Mia... Louca pra saber como ela está depois do banheiro.

B. disse...

Post arrasador!!
A raiva pela Mia cresce e o carinho pela Clara aumenta!
To adorando!
O problema é aquela história de q o amor tá lado a lado com o ódio... até onde essa raiva é raiva mesmo???
Espero q seja raiva mesmo!
hahahahahaha
Cadê mais??

Ianca' disse...

Porra, curti a clara agr e ja tinha declarado guerrinha a ela por puro ciumes... Sim, tenho ciumes ate de personagens... Quanto mais de pessoas reais viu, se bem que toda essa ficçao se mescla a realidade, enfim...
Eu nao tenho ideia do rumo, queria que o desfecho chegasse mais rapido, mas deve ser meio lento tb... Tava comentando com a Pathy sobre estar possivelmente proximo ao fim, mas chegamos a conclusao de que falta o desfecho de outros personagens, como a Patti e a Marina, e tb um ponto de vista da Mia durante esse periodo em que apenas o sofrimento da FM foi descrito e acho isso meio "injusto" pq a Mia tb sofreu bastante... Mesmo amando nossa protagonista, queria saber do lado da Mia...
Emfim, otima descriçao da cena, imaginei claramente aqui, meio que senti a raiva dela atraves da tela do celular aqui... Parabens Mel o/

Judy disse...

Como o primeiro comentário aqui postado, I WANNA SEE BLOOD,hahha
Engraçado o quanto eu amo a Mia e torço pras duas ficarem juntos, ao mesmo tempo que amo a FM na vida, sei lá, a FM serve tanto pra ser uma solteira apaixonada quanto uma namorada filha da puta. Isso tem sentido? É tanta contradição nela que eu acabo me atraindo justamente por isso, ela é cativante! E fora que me identifico pra caralho com ela.

Gabriele disse...

Nossa estou dividida
Post da Mia já!! Quero muito saber o que se passa na cabeça daquela pseudo-sapatão!!kkkkk
Post excelente<3

Ma disse...

"Esse post me deu uma agonia, muito sufocante tudo isso. Como sempre a Mel sabe passar exatamente oq a FM sente."

E-X-A-T-O.
Dá pra sentir o coração acelerando, o ódio aumentando.. e JURO, até a sensação da 'Clara' te observando.. HAHAHAHA sabe? Uma pessoa ali esperando alguma coisa de você e tals. Gente, medinho disso. HAHAHAHAHAHA

♥♥♥ Aconteça o que acontecer.. Mia pra sempre, eternamente, post mortem ♥♥♥

hahahahahahahaha é sério isso, ela pode ser a mais fdp de todas, um anjo, coadjuvante, não tem jeito, ela, ela e ela. Não tem Bi, não tem Marina que tire o lugarzinho dela AQUI! hahahahaha

Uma agonia não saber dela, como ela tá, onde ela tá, pronde vai. E PRINCIPALMENTEEEE, QUE RUMO ESSA HISTÓRIA VAI LEVAR! Socorro. Ai :( Posta maisss! hahahaha

1bj

Bibi disse...

TeamMia...SEMPRE =)

'duuda disse...

awnnn ela ta sofreeendo :~~~~
mimimimimi, pobre fm ):
eu fico sentida, sabe T: auheoiuae

Pathy disse...

Sério meu, agora eu queria saber tudo, tudoooooooooooo o que a Mia sentiu durante esse tempo todo. Não dá pra fazer isso Mel?! u.u

E porran, a Clara ta se mostrando uma ótima amante. e a FM heim meu?! essa mulher só se fode no final, já perceberam?! ( metaforicamente, suas sapatas. HAHAHAHAHHAHA )

Dea disse...

a Mia PRECISA entrar no quarto, Mel. PRE-CI-SA!

Anônimo disse...

Sim. A FM é mto irascível.
E ela sempre se irrita com algo que tenta negar pra si, mas sabe que é verdade,que está lá (leia-se Mia).

Vivi Côrtes disse...

Apesar de saber que a Mia também deve estar sofrendo, eu só consigo sentir raiva por tudo que ela já fez pra FM. Mesmo assim, necessito saber como a Mia se sentiu.
Adorei esse jeito compreensivo da Clara...

Ana Carolina disse...

Adoro pessoas filha da puta portanto a mia nunca perderá o posto!
Só tô ansiosa deemais! Posta loooogoooooo :)