- »

abril 23, 2013

As sardas e os ladrilhos

E ela ficou. Durante as horas seguintes, pelo menos – os pés entrelaçados nos meus, a maciez do seu braço sobre a minha pele. E quando acordei, ela já não estava mais lá. Abri os olhos com certa consternação, lutando contra os primeiros sinais de ressaca e a luminosidade das persianas escancaradas. Plenas quatro da tarde e um calor infernal. A vi sentada mais adiante, nua e curvada sobre a cadeira. À frente da escrivaninha, debruçada nela. “O que você está fazendo?”, perguntei num resmungo, como quem ainda não acordara direito. Os seus seios revelavam-se por detrás dos braços apoiados sobre um papel; tinha a pele do corpo todo descoberta e as flores de cerejeira iluminadas pela janela aberta – ela escrevia algo.

_Estou copiando – respondeu então, sem tirar os olhos do papel, e notei um livro aberto à sua frente –, é aquele poema de ontem.
_Por que? – ri – O livro é seu, porra, eu comprei para você.

Ela se virou, a apenas uns metros de onde eu estava, para me olhar. “Então eu posso levar?”, perguntou confusa. E eu ri de novo: “claro”.  A Mia sorriu e eu achei graça na sua reação – o que, você achou que eu lia poesia para todas que queria levar para cama?. Ri sozinha e balancei a cabeça, inconformada. Então esfreguei as mãos no rosto, forçando o meu despertar, e sentei logo em seguida com os pés para fora do colchão. Me levantei e fui até o armário, vestindo uma calcinha que tirei da gaveta. “Vou na cozinha, você quer alguma coisa?”, ofereci, conforme vestia uma blusa velha. A estampa era do Le Tigre.  

_Não precisa – a Mia respondeu e eu caminhei até onde ela estava, me curvando sobre a escrivaninha –, tenho que ir daqui a pouco.

A beijei então, com as mãos apoiadas na mesa – e ela ainda na cadeira, meio encurralada. Vê-la ali sentada, tão confortável em sua própria pele e nas minhas redondezas, incomodava. Havia algo de íntimo naquilo, algo de relacionamento na forma como nos portamos nos dez minutos iniciais daquele dia. E o meu surto ainda era muito recente. Eu ainda me sentia cansada, numa espécie de exaustão existencial que parecia ter perdurado. Mas sorri para ela e disse – “já volto então”. Num esforço sincero para não perturbá-la. Desapoiei as mãos da escrivaninha e me virei para a porta, indo até o corredor.

Minha cabeça dava sinais de enxaqueca. Assim que entrei na cozinha, trombei com uma garota semidespida. Mas, o que diabos...? Uma ruiva magrela de ombros tatuados e regata larga, encardida. Pouco simpática. O Du estava sentado do outro lado da mesa. De cueca e ainda sem camiseta, na direção de quem ela agora puxava uma cadeira. Começou então a comer uma tigela de cereal, com as pernas cruzadas sobre o colo dele. E sem se apresentar a mim. Que merda de garota é esta? Olhei para o Du, descontente, e me dirigi à geladeira sem dizer nada. Me abaixei para alcançar a última lata de Coca no fundo da prateleira.

_E aí, sobreviveu ao p.t.? – ele se aproximou, apoiando os braços sobre a porta da geladeira e deixando a garota sozinha – Não achei que você fosse mais acordar. A Mia veio afinal?
_Veio. E... – me ergui, olhando-o, e falei baixo – ...quem é essa de nariz empinado aí?
_A Liz. É uma mina da companhia, a gente atua junto – ele riu –. Ela tava no carro do seu lado ontem, cê não lembra? É que ela tá meio de mau humor agora.
_Mau humor, por quê? Deu tempo de eu fazer alguma coisa contra a cidadã nestes dois segundos todos que tô aqui?!
_Não é. Ela é... meio apaixonada por mim. E, tipo, ela sabe... – ele fez aquela cara que todos nós fazemos quando queremos dizer gay sem ter que pronunciar a palavra em si –, daí fica assim toda vez, na manhã seguinte.
_Mas, espera – cochichei pasma –, você come ela?!
_Não, meu. Só às vezes.

Olhei para ele e olhei para ela, surpresa. E então olhei para ele de novo e comecei a rir. Puta merda, hein, consegue ser pior do que eu. Ele deu de ombros para a minha reação. E eu abri a latinha observando-o estarrecida, com a porta da geladeira ainda aberta. A garota fingia não nos ouvir. Ele então se aproximou e perguntou se – “a propósito...” – eu não podia inventar algo, qualquer coisa. Queria sair com um cara à noite. Acenei, achando graça, e ele voltou para a mesa como se nada fosse. Quando enfim fechei a geladeira, caminhei até os dois e o abracei por cima dos ombros, na maior cara de pau. Encostando o meu rosto de lado no seu, abraçando-o por detrás.

_E você vai hoje, né? – sorri.
_Claro, pô.
_Vai onde? – a garota se dirigiu a ele, não a mim; logo ampliando a cara de poucos amigos.
_Hoje tem mais uma comemoração... – me intrometi, respondendo – ...uma parada mais família, sabe, jantar e bolo e estas coisas. Lá em Santo Amaro, nos meus pais.

Hum”, ela cruzou os braços e murchou de volta na cadeira, irritada. Troquei mais duas ou três mentiras com o Du e os deixei a sós, saindo da cozinha. Com a lata em mãos, voltei para o meu quarto, mas encontrei o cômodo vazio. Dei quatro passos de volta, então, ao corredor e a vi no banheiro. Usava uma blusa minha e as pernas descobertas, descalça no chão frio frente à pia. Estava molhando o rosto. Encostei no batente da porta e observei a Mia por um instante. Parte de mim não queria vê-la vestir, no dia seguinte, nada além das minhas roupas – argh. Tomei um gole da Coca e apoiei as costas contra o batente.

A Mia logo notou a minha presença. E sorriu para mim, através do reflexo no espelho. Eu sorri de volta – numa espécie de não-sorrir, sem muita intenção. Que inferno. Havia um peso em estar com ela no dia seguinte à festa que o Fer organizara, uma ressaca moral das boas. Das péssimas. Mas, mais do que isto, havia principalmente o peso de não estar, nunca, de fato com ela – e isto me matava. Suspirei, afastando aqueles pensamentos, e abaixei a cabeça. Fechando os olhos por uns segundos. Ela me viu pelo espelho – “está tudo bem?”. Eu andava estranha desde que fôramos dormir. Balancei a cabeça e disse que sim. Ainda que fingisse sem esforço, hesitei por um momento. Algo me incomodava. Desencostei da porta, como se fosse em direção ao quarto, talvez para me trocar. E então voltei, num impulso.

_Eu não quero mais fazer isto, Mia – falei, apoiada no batente.
_”Isto” o que? – ela prendia o cabelo com as mãos e as palavras simplesmente saíram da minha boca, sem qualquer reflexão.
_Eu preciso conversar com o Fer. Ou eu, ou você – ela olhou na minha direção –. Eu não posso mais fazer isto enquanto vocês estão juntos.

44 comentários:

Anônimo disse...

PQP. Apenas.

Anônimo disse...

Sorri o capitulo todo, ri no trecho do du safadeenho. E GRITEI QUANDO ACABOU! *-* KD MAISSS????

Anônimo disse...

mia surtando em 5..4..3...

Anônimo disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!1 não!!!!

Anônimo disse...

fer surtando em 10...9...8...

Dea disse...

turugudum tsssssss! was about time, lady! posta outro? hahahahahaha!

Anônimo disse...

CARAIOOOOOOOOOOOO

Anônimo disse...

O.O
Agora fudeo

Anônimo disse...

odeio o modo como vc SEMPRE faz o próximo post ser O MAIS ESPERADO. inacreditável!

Juliana Nadu disse...

Aaaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!

pqp!!! e agora que vem o grande fora?

Anônimo disse...

mia surtando, FM surtando, melissa surtando! quero mais post

Anônimo disse...

Acho que a Mia não vai gostar nada disso. A FM vai levar um toco bem grande. A Mia está tão bonita neste post.

Anônimo disse...

Já está na hora da Clara voltar?!

Anônimo disse...

ca-ra-lho

Anônimo disse...

Cada vez melhor

Anônimo disse...

Sinto uma (nova)crise entre elas se aproximando! !!!!!!

Faz isso com a gente não, Melissa!
Hahaha

Anônimo disse...

"odeio o modo como vc SEMPRE faz o próximo post ser O MAIS ESPERADO." +984928570923

Tá... mentira...mas vou fz greve de fome até o próximo post... p ver se ele sai bem rápido...kkkkk

Obg Mel... arrasou como sempre!!
(ANA CURI)

Anônimo disse...

Por favor! Não me invente mais um drama dona Mel. Estou farta de dramas! Faça a merda entre elas finalmente acontecer! Agradeceria!!!

Babaloodeuva disse...

UAU
SURPREENDENTE.

Engraçado mesmo é que o próximo post é sempre o mais esperado.

Anônimo disse...

Nuuh!!!
Que isso, maluco???
Que soco no estômago hein Mia?

Anônimo disse...

Puuuta merda!
Aaaaaaaaaaaaaaiiiii...levei medo agora.Não dava pra esperar um pouquinho mais, não? hahaha
Conforme disseram acima, todas surtando! Mas eu confio na Mia. E na Mel... hahahaha

Lalá disse...

Aêêêêêêê \0/
E todas roendo as unhas esperando o post do século rsrsrs.

Agora quero ver todo o poder de persuasão da Mia e todo o poder da recém-sobriedade da FM.

E que venham mais capítulos.

Ianca' disse...

AGORA SIM, ATITUDE.
ÉÉÉÉÉÉ porra!

Que post lindo, cara, to ansiosa demais. Como a Mia vai reagir?
Como o Fer vai reagir?
Ela vai ter coragem?

Anônimo disse...

MAS GENTE!!! ISSAE FM BOTA MORAL NESSA PORRA D:

Prevejo que a história está chegando ao fim :(

Aléxia Carneiro disse...

vai dar ruim! vai dar ruim?

Anônimo disse...

Não, pera... Não, pera!
Que post foi esse Mel??

Sabrina disse...

Algumas coisas sobre o post: Lindo. Eu amo a Mia. Adorei o Du safadinho. Essas ressacas morais da FM me dão nos nervos. Mia entre a faca e a parede. Eu ansiosíssima para o próximo post.

Pathy disse...

Sério mesmo isso? sério mesmo que "elas" vão ter coragem??? AAAAAAAAAHHHHHH


Bruna disse...

Aaaaaaahhhh... to pasma!
Agora vaaaii!!
O.O

Diii disse...

Fm levará o maior fora.
Ficará chupando dedo. Nem Mia linda e nem clara.

Bárbara Leão disse...

Torcendo pra que a FM mantenha essa postura decisiva!
Pq se isso continuar, vem coisa muito doida por aí!!!
Quero maaaaiiiis!!!

***Saudades da Clara =(((((***

Anônimo disse...

Puxaa... eu já fiz isso, e sei o quanto é ruim.. Putz Mia! E agora??

lu disse...

Mel,

Seu blog é o máximo! Sua análise nos comentários do post anterior foi o máximo...talvez por não ser desta geração, talvez por ter vivido de forma um pouco diferente, sempre me surpreendo com o blog, com a FM, q está longe de ser repetitivo! Percebo as mudanças citadas, não com a clareza com q vc discorreu, claro! ;) As mudanças de ambiente, cenário e personalidade da FM e das meninas q mais lhe acompanham - Clara, Mia e Marina.
E, já algum tempo, sou #TeamMel, venha o q vier, seja o q for, vai me ensinar um pouco mais sobre seres humanos e relacionamentos!

bjs flor.

Carol Spenser disse...

CA-RA-LHO

Anônimo disse...

Adorei o post (estes dois últimos estão demaaaais!!) e, como todas acima, estou torcendo pelo próximo, o mais esperado ever, etc e tal rsrs
Só fiquei na dúvida do porque do título, as sardas e os ladrilhos.
Alguém sabe me explicar? ;)
Parabéns, Mel!

Anônimo disse...

sardas -> em referência à ruiva do Du
ladrilhos -> banheiro com a Mia

[i guess]

Anônimo disse...

Huuum...pode ser!
Thanks!

( the girl fucking Mia ) disse...

É!

Anônimo disse...

Uau!
Pouco prestei atenção na criaturinha mau humorada hahaha
Ruiva sardenta...obrigada pelas explicações, meninas!
Agora...esperando,torcendo e me angustiando até o próximo post ;)

carina disse...

aí sim! finalmente a história vai começar a tentar se resolver. mandou muito bem no post, estou ansiosa para o próximo. ;*

Gabs disse...

OW MY GOOSH.
FODEU, VÉLIO. KKKKK

Anônimo disse...

Você pode resumir em uma frase
Tudo o que Mia sente pela Fm

Anônimo disse...

Aaaahahaha, que bafo na nuca...
Mas Mia vai ficar de mimimi, se enroscar na FM, pedir um tempo até contar, e vai enrolar mais um pouco.
Né?
Eu acho...

Anônimo disse...

#sápohamsm Fm