- »

setembro 21, 2010

Percepção

Minha perna se encaixou entre as da Mia; os fios do seu cabelo moreno entre os meus dedos; o corpo dela contra a minha respiração; a minha língua pela sua; a sua boca deslizando pela minha; e a minha mão por baixo do seu moletom, apertando  a sua cintura, sentindo a sugestividade das suas curvas... enquanto a tela gritava silenciosamente, azul e brilhante, há minutos. A luz do televisor invadia o quarto escuro de um jeito grosseiro, cortando o clima sutil dos meio-tons vindos das cortinas e o conforto de tapetes felpudos, indicando o término do DVD e demandando alguma atitude nossa. E nós ignorávamos, é claro. De olhos fechados, para lá e para cá, fingindo não nos dar conta. Dançando pelo chão, rindo e não prestando.

Tudo com a Mia era muito adolescente, mas de um jeito bom. "Bom" porque eu gostava... dos beijos intermináveis e escondidos, do que era só nosso, do que ninguém via, na casa dos pais dela ou mesmo na minha. Das segundas intenções inocentes, da demora constante para cruzar a linha, para abaixar aquele jeans. Ultimamente, a cena lésbica paulistana se resumia a uma baixaria desmedida - da qual eu sempre gostei, não me entendam mal: qualquer outra garota que desse uma de Mia para mim, não teria a menor chance. Eu levantaria e iria embora assim que minha paciência se esgotasse. E ela ia, sim, se esgotar. Mas eu gostava... com a Mia eu gostava. Podia ficar horas ali, rolando com ela no tapete, me divertia. 
 
Não achava ruim, pelo contrário. É interessante como, com o tempo, a pessoa passa a se moldar em você. Eu percebia a Mia se sentindo confortável, progressivamente, comigo (de fato comigo) ou com a idéia de mim. Os seus quadris começavam a se soltar sob a pele da minha mão, a se desamarrar daquele bloqueio incômodo, a se desprender daquela situação absurda na qual nos encontrávamos, a se desligar do resto do mundo, e a se encaixar nas minhas curvas. Junto com as pernas e os fios do seu cabelo e a cintura e o restante do corpo inteiro, como eu disse antes. E aí, aos poucos, ela vinha. Vinha mais, sabe... mais perto. Mais do que nas outras vezes. E vinha mais certo, também, mais como deveria ir. E eu ia moldada nela - sabendo mais a cada segundo, a cada milímetro. Adquirindo conhecimento "dela".

De um jeito ou de outro, minhas one night stands de merda me tiravam um pouco aquilo. Aquela percepção mútua inevitável. Culpa daquela adolescência toda, da prática incessante. Das longas horas de chove-não-molha que me tiravam do sério. Caralho, viu... E quando quase choveu, claro, ela foi lá e cortou a água. Filha-da-puta. (E o pior é que eu gostava... de sofrer). Mas foi, foi lá e desligou, secou a fonte por um instante, e levantou para ir desligar a luz forte que vinha da televisão. Rindo, despreocupada com o tempo juntas como se tivéssemos a tarde toda, reclamando que estávamos lá gastando energia - ah, você nem imagina...  - e eu fiquei, deitada no chão, olhando-a com carinho de volta.

_Não quer pôr o CD? - ela disse - eu queria ouvir... pode?!
_Claro que pode... - eu ri, me esticando para pegá-lo a alguns centímetros de mim, jogado no tapete.
_E o que é?
_Põe e escuta, ué... Tem um bilhete explicando dentro.

Ela fez uma careta, sem gostar da resposta, fazendo graça. Pegou a capa das minhas mãos, tirando o disco, mas sem deixar sair o papel que estava dobrado ali. Aí colocou-o no rádio da sala, que ficava encostado contra uma das paredes perpendiculares à da televisão, a qual estávamos encarando de frente no tapete. O som começou a sair, alto, das duas caixas retangulares que acompanhavam o estéreo. E eu olhei a Mia, enquanto ela caminhava de volta, passo a passo, na minha direção. O ritmo a fez sorrir... e aí as palavras começaram a soar pela sala. Cantadas no rádio e, silenciosamente, nos meus lábios também... enquanto meus olhos se voltaram para o teto acima do meu corpo, viajando na melodia, despreocupados com a reação da Mia.

"You are the girl that I've been dreaming of 
Ever since I was a little girl..." ♫

19 comentários:

catarina disse...

Own, que lindo! Posta mais, Mel. Vai ser meu presente de aniversário. ):

cah disse...

black kids!

Sarah do Vale disse...

oooown que delicinha! até coloquei a música pra ouvir enquanto lia =)

elas estão tão in love, so cute sz'

Pathy disse...

Uiiii..
Esses teus post me faz lembrar da epoca em que comecei a namorar!!
Tudo tãoo adolescentee!!
Liindoo! *__*

Salvou a tarde!!

Anônimo disse...

A Mel faz jogo duro com os posts também! Deixa a gente com o gostinho de quero mais.

Rodrigo Emanoel Fernandes disse...

Posts como esse me lembram (ainda que nem fosse preciso) porque comecei a gostar do blog em primeiro lugar...

Ainda mais agora que me sinto bem mais próximo dele, né? ;)

Super beijos, Mel e Noelly!!!

Monica disse...

poutzz fala serioo...q isso gnt! :O

situacoes insolitass `666

Adoro a Kate Nash cantando o I`m gonna teach your boyfriend how to dance with you ;D

tkxxx

- Tucca disse...

Um dos melhores que já li! Parabéns Mel *-*

Anônimo disse...

Perfeito, um dos meus favoritos!

Bianca S. disse...

OOOOOOOOWN! Que lindas elas assim. Maaaaaaaaaaaaaaaaais, pf.

Érica disse...

Aii Perfect!!

Estão super se curtindo ne...lindo!


=*****

Anônimo disse...

Nossa, Mel... Você anda tirando o meu fôlego em seus posts .-. O momento entre elas está rolando tão gostoso... Me dói até pensar que isso vai mudar mais cedo ou mais tarde u.ú Mas vai, prolongue um pouquinho mais essa tarde :( está tão booom! .-.

Anônimo disse...

Jesus apaga a luz, amoooooooooooooo...

Cada post fico mais apaixonada pelo conto...


Continue, please.

Ed - João Pessoa-PB.

flavinha_ems@hotmail.com

Twitter: @Edflavia_ems

Clara disse...

Um dos meus favoritos com certeza! Adorei! E essa música fica bem melhor com a Kate Nash cantando..

carollips disse...

Posta looooogo :(


Você consegue me prender de alguma forma.
e isso é meio excessão.. (medo)
AUHSUHAUHSAUHSUHAUSHA

posta? *-*

Dea disse...

cada dia melhor. é tudo o que tenho a dizer.

Mariii disse...

meel parabens pelo blog, serio. eu leio desde 2009 e a cada dia que passa eu fico mais viciada. é mto boom . e posta logooo vai . bju

Marina disse...

Mia com preguiça de ler a carta de explicação, comofaz?! ¬¬

Anônimo disse...

Amo seu texto. Mas quando vc investe na dose de romantismo (embora as sacanagens tb seja ótimas), vc atinge outro patamar. Porque é romântico sem ser clichê. Porque acompanhamos esse tatear no escuro da Devassa sobre seus sentimentos e sobre a Mia.
Tá muito lindo, Mel.
Vc é demais!