- »

setembro 05, 2010

Perdendo melodias

Apoiei a lateral do meu All Star direito na borda no meu tênis esquerdo. Aí deslizei meu pé para cima, enquanto empurrava a borracha para baixo, tirando-o, como se tropeçasse na minha própria lentidão enmaconhada. Mal havia entrado no quarto. Pisei de meia no chão e, em seguida, fiz o mesmo com o tênis direito. Minha mão continuava na maçaneta, segurando desajeitadamente a instabilidade embriagada do meu corpo.

Diferente da sala, o meu quarto estava em silêncio.

Me virei no escuro, ainda brisando com uma certa intensidade, e desabotoei a calça com gestos pesados. Qualquer movimento parecia me cansar, dada a lentidão com a qual o tempo se passava na minha cabeça. Minha mente, no entanto, estava vazia. Ocupada somente em terminar aquele lento despir e ir para a cama – mesmo que eu não estivesse, de fato, com o sono que eu havia há pouco declarado. Comecei a descer a calça pelas minhas pernas, me apoiando contra a porta, e larguei-a no chão, empurrando-a com o pé para o lado.

Não, não tinha sono. Não de verdade. Aquilo era rotina, automático. Deslizei o zíper da minha jaqueta para baixo, vagarosamente, até abri-la por completo. E aí deixei cair um dos lados, descobrindo o ombro esquerdo, para depois terminar de tirá-la pelo direito. Soltei-a também no chão. Preguiça de andar até o armário para jogar essas roupas. Em seguida, subi meus dedos pelas minhas coxas, sentindo-os ligeiramente gelados na minha pele, até encontrar a borda da blusa. Escorreguei o tecido corpo acima, passando pelo meu umbigo, depois o sutiã e aí o cabelo, que caiu no meu colo descoberto.

Foi, então, eu reparei: a blusa não era minha.

A ideia precisou de alguns segundos – parada ali encarando-a, estática, engasgada num raciocínio lento e distorcido – para enfim ser processada. Não é minha, pensei, levemente incomodada. Era dela. Era dela e estava ali, estava em mim o tempo todo, e eu havia esquecido. E agora não sabia o que fazer com ela.

Então, fiz o que não devia: deixei meus dedos se afundarem no tecido, involuntariamente, ao invés de largá-lo junto aos outros no chão. Deixei, deixei minha pele correr contra o algodão e puxei-a para perto de mim. A Mia. A blusa. E é, era idiota. Eu sabia disso – ou devia saber? –, mas não estava em condições de refltir sobre qualquer uma das minhas ações. Simplesmente continuei, dei trela para mim mesma e segui agindo como uma adolescente. Com o rosto enfiado no tecido, sentindo o cheiro dela.

Inferno. Sentei no chão, ainda no escuro, com as costas apoiadas contra a porta. Por que eu faço isso comigo mesma? Tinha chegado no ponto mais baixo que poderia chegar, sem saber direito o que pensar e segurando aqueles três palmos de pano contra o peito. Apegada, de um jeito bobo, à lembrança dela. Não estava realmente aborrecida. Não estava pensando em nada, aliás. As minhas mãos pareciam sentir o jeito da Mia no tecido, o seu toque. Como eu queria você aqui, garota. E me veio uma, uma “coisa”, sabe? Dentro de mim. Irracional. Talvez fosse o horário, não sei; talvez fosse só meu coração. Ou mais provavelmente, o tanto de bebida que eu havia bebido e o tanto de fumaça que eu havia fumado. Ou talvez fosse tudo junto e misturado. Sei lá. Mas o que ficou não era um sentimento ruim. Era estranho. Uma coisa meio conto-de-fadas, uma prepotência quase infantil. De que uma hora ela vinha. De que uma hora a porta abria. De que uma hora – por mágica – ela ainda mudava de ideia. E aparecia lá, passava a noite comigo. Não com ele, mas comigo. A Mia vinha e me beijava.

É. Talvez, pensei sem querer, talvez ela venha.

(...)

23 comentários:

Anônimo disse...

talvez não...

Liz M. disse...

Porra, Mia, vai logo!!

ps. meu estado mental não me permitiu emitir um comentário diferente do que já emiti no twitter. Desculpa, tia. :P

Anônimo disse...

E aí, ela vai? Aaaaiii... Doida pra saber como vai ser depois que o Fer dormir!

Milk :D disse...

OOOWN *----*
ela segurando a blusa e pensando nela, que foooofo ç_ç
VAI MIA! VAI MIA!

Monica disse...

Caraa...essa noite naum pode terminar assim...A Mia tem q aparecer no quarto :S

#oremos

carol disse...

ai,me deu um sentimento ruim qdo eu li... não sei se ela vai ñ =(

POSTA LOGO O PRÓXIMOOO, MEL!!

- Tucca ; disse...

ounti, gente apaixonada é toda bobinha mesmo :x
VAI LOGO buscar o melhor presente de niver, MIA!

Anônimo disse...

ja passei pelo msmo....

De disse...

Hahahaha, a FM tá to apaixonada, que lindo... o "Vai Mia" já tá virando o coro de torcida em estádio de futebol.
Dna. Mel, os últimos posts da Sra. foram mto poéticos, com um "charme" especial, envolvente e mto bem escritos. Parabéns, Bjo ;*

tammy disse...

Poste amanhã pleaseeeeee!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

também não estou com muita fé que ela vai hem :(

Monique Alberton disse...

Algo me diz que a Mia não vai não :( Mas ela tem que ir, poxa... ><

Anônimo disse...

Please,GO MIA ♥

( Gih ;p) disse...

SE A MIA NÃO FOR NO QUARTO DA FM, EU PEGO UNS DOIS AVIÕES, UM VISTO INTERNACIONAL,UMA DEMISSÃO, UMA BRIGA COM O POVO DE CASA, DESEMBARCO NA ALEMANHA, DOU UMA SURRA NA ESCRITORA, SOU DEPORTADA E PROCESSADA, VOU PRESA, E FICO TRISTE, mas desconto a minha frustação mútua com a FM....

então Mel, faz a Mia ir no quarto da FM, faz? Eu não quero machucar ninguém..... ou ser presa....

porrr favorrr??
;D
Bigada ^^


(brincadeira ok? NUNCA encostaria um dedo na Mel, que ela não permitisse....)

Anônimo disse...

VAI MIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!111

giulia disse...

diz que ela vaaaaaaaaaaaaaaaaai
*_*

Janaína Pala disse...

Simplesmente perfeito, eu basicamente devorei o blog, estava mexendo em algum canto e achei do nada, e... Bom, eu estou realmente surpresa como consegui me prender, me fixar. Fiz uma leitura compulsiva, juro. Encontrei o blog ontem já passava das 21 hrs, consegui parar de ler às 00:40, e hoje logo que voltei da aula terminei de ler, e realmente não há como desgrudar disso tudo! Caraca! Nem eu sei como li tudo isso em menos de duas noites inteiras! UAAAAAAAAU *-* É... Apaixonante, sério. Parabéns!

Janaína Pala disse...

Eu nunca consegui ler um blog INTEIRO em menos de duas noites! Foi uma leitura presa, compulsiva, intrigante... Juro, é viciante.
Uau *-*
Inacreditável! Parabéns pelo blog, sério. E não para de postar por um tempo longo, pooooor favor, é impossivel ficar sem saber da vida desse triangulo UAHUHAUHA

Marii S. disse...

éééééh ela tem que ir sim, e continuo me apaixonando pela FM . aaah se ela existisse hahaha ;*

Dreh disse...

Pow.. a Mia tem q ir. Aproveita q já bateu a liga dos 3 mesmo. O Fer tem q desmaiar na sala e acordar só na noite do outro dia, só assim elas podem aproveitar como se deve.
Conheço uma mina q nem a Mia em quase tds os sentido, detalhe é minha amiga e hétero. Q legal! #NOT

Cara.. tua história é viciante. Congratulations!!!!!!!

Anônimo disse...

O.O
Eu terminei de ler todos os posts e nem percebi. Juro mesmo. O.O

E agora tô numa agonia danada querendo mais...

E querendo que a Mia FAÇA a louca e vá lá d'uma vez! Vai, Mia, vai!

Janaína Pala disse...

poooooosta :(

droga, sabia que eu não deveria ter lido tão rápido, minha ansiedade é foda D:
e a curiosidade pior ainda D;

Rayssa disse...

A blusa... nhan T1