- »

dezembro 19, 2009

Indesculpável

_Nossa, isso foi intenso - suspirou a Roberta, enquanto retomava o fôlego - você não costuma ser tão, ahm...
_...violenta?
_É, acho que sim - ela riu.
_Hm... - hesitei - foi bom?

Ela riu de novo, como se a resposta fosse óbvia, e eu sorri rapidamente de volta. A verdade era que aquilo não havia adiantado de nada para mim. Eu tentei, tentei mesmo, ao máximo, tirar a Mia de mim. Tentei por horas seguidas arrancá-la à força, à exaustão, ao mais extremo. Ela simplesmente não foi embora.

_Quando você vai me fazer sua namorada, huh? - a Roberta perguntou, enquanto acendia um baseado.
_Talvez você mesma devesse se fazer a minha namorada...
_É, eu tento - murmurou - ...caso não tenha percebido.

Me senti péssima. Ela me olhava absolutamente frustrada e eu não conseguia sequer digná-la com uma resposta. O que diabos eu estava fazendo? Talvez eu devesse ter percebido mesmo, talvez eu devesse ter me importado mais, talvez eu lhe devesse a atenção que ela merecia. No final das contas, fingir amor com boas intenções é mais íntegro do que ser sinceramente filha-da-puta?  

Eu não te amo, pensei e a beijei carinhosamente no rosto. Ela havia entendido tudo errado, tudo aquilo, cada movimento meu, cada palavra. E era culpa minha, claro. Droga.

_Isso está errado, eu estou errada - me desculpei, levantando da cama e colocando a calcinha de volta - eu preciso te deixar em paz, preciso sair da sua vida. Eu não posso mais ficar aqui.

5 comentários:

Juliana disse...

Noites lendo.........

Está perfeito!

Bju

Noelly Castro disse...

Já viciei..
ansiosa por maissss..

;)

Noelly Castro disse...

To ficando viciada..

;)

Lari disse...

ADORANDO!

AmyLy Love disse...

To viciando também *--*