- »

agosto 04, 2010

A Bronca

_Não, vão vocês. Eu tô sem fome – respondi para dois dos meus colegas de trabalho, conforme eles saíam para o mesmo restaurante de sempre.

O almoço chegou e a terceira mensagem da Mia não saía da minha cabeça. Permaneci sentada na porta do estúdio, fumando, enquanto olhava meus colegas se afastarem na calçada. Lá pelo quarto ou quinto cigarro do expediente, o meu mau humor já havia se diluído em nicotina e eu estava mais calma. No entanto, o trânsito de pensamentos na minha cabeça continua intenso. Nenhuma mensagem nova, eu olhava para a tela do celular e suspirava.

Meus pés se mexiam, ansiosos, pelo chão. Apoiei os cotovelos nos joelhos e coloquei a cabeça entre as mãos para focar melhor no assunto. Isso é ridículo, pensei. Qual é a grande dificuldade de simplesmente ignorá-la? Respirei fundo. Aquilo não estava funcionando.

_Você pode falar? – perguntei ao celular, aflita.
_Não exatamente... – a Marina respondeu, do outro lado da linha.
_É rápido, eu juro.
_O que foi? – ela continuou, falando baixinho.
_A Mia. É aniversário dela.
_E...?
_E ela quer que eu vá com ela num estúdio hoje... – eu tentei explicar, sem conseguir realmente expressar a problemática da situação – tipo, ela vai tatuar e me chamou para ir junto. Eu não falo com ela desde sábado, não respondi nenhuma mensagem até agora, eu não sei o que falar.
_Por que diabos você não fala com ela desde sábado?! – a Marina se indignou, sem entender o que estava acontecendo – Eu achei que tava tudo bem!
_Eu queria, meu, eu queria ver ela e aí ela me disse que não podia, por causa do Fer.
_E...?
_Como “e...”?! Ela me deu um puta fora! – eu me revoltei.
_Espera... vou sair no corredor – ouvi o celular mexendo-se na sua mão e pouco segundos depois uma porta se fechando, aí ela continuou – como foi isso? Por telefone?
_Não, ela me mandou mensagem depois de, tipo, várias minhas.
_E você tentou ligar para ela?
_Não, eu... – aí o pouco de vergonha da cara que eu tinha segurou as palavras na minha boca, por um instante – ...eu tava na casa de uma mina aí.
_Como assim? Que menina?
_A Thaís, você não vai lembrar dela...
_Fazendo o que na casa dela?!
_O que você acha, meu?? – me irritei.
_Ai, mas eu não acredito nisso!
 _Quê, porra?? Eu tive que passar a noite inteira de sexta sozinha em casa, me torturando com o silêncio da Mia e a merda de certeza que ela estava com o Fer, mano. Você tem noção do que é isso?? E ela vai e me dispensa no dia seguinte, meu, depois de puta noite fantástica na quinta, como se eu não fosse... não fosse... argh.
_Você tá se ouvindo falar? – ela riu.
_Quê??
_Meu deus... Essa garota fode mesmo com a sua cabeça, hein?!
_O quê, Marina?? – eu indaguei, de novo, mais irritada ainda.
_“Eu tive que passar a noite de sexta sozinha em casa”, meu, você está escutando o que você está dizendo? O drama que você está fazendo? – ela riu mais uma vez – Se você acha que a coisa complicou pro seu lado, que é solteira e sapatão, imagina ela que é hétero e passou uma noite inteira com a melhor amiga do namorado, que nunca tinha dormido com uma mina antes, que nunca passou por nada disso, que sequer saiu do armário... Fofa, você acha que é fácil ir lá depois e encontrar o bonitão, recebendo mensagem sua e tendo que lidar com tudo ao mesmo tempo?!
_Ela... – eu murmurei, já com a bola bem mais baixa do que antes e bem menos certeza do que eu estava reivindicando – ...ela não precisava ir encontrar com ele.
_Ahh, não precisava? E você acha que ela ia fazer o quê? Largar toda a vida dela depois de uma noite com você?? Dispensar o Fer, meu, assim... Do nada?! – ela riu – Você não pode realmente achar que é tão boa assim na cama.
_Vai se foder.
_Olha, ia ser lindo se a Mia te assumisse, gata. Mas você achou mesmo que ia ser tão fácil?
_Não, eu... – senti uma vontade idiota de chorar, sem nem saber por quê, e engoli seco – ...mas, Má, foi tão bom. Tão, tão bom, porra! A gente se divertiu tanto juntas. Não é possível que ela não esteja, no mínimo, sei lá... pensando em mim, sabe?
_Mas não está? Ela não te chamou para ir lá hoje, meu?
_Chamou... Mas só porque o Fer não vai poder ir! Aí ela lembra que eu existo! – assim que as palavras saíram rancorosas da minha boca, no entanto, a primeira e a segunda mensagem da Mia vieram na minha cabeça e eu senti um nó na garganta.
_E você preferia que ela te chamasse quando o Fer pudesse ir?
_Não, lógico que não.
_Então, o quê? Ela tinha que chamar você primeiro, ao invés do namorado? E depois aparecer tatuada com você do lado, dando bandeira, e dizer “oi, amor, olha a tatuagem que eu fiz”?!
_Não! Claro que não! Mas tem vários jeitos de fazer dar certo... Porra, por que você está defendendo ela?! Você não tá vendo que eu tô mal??
_Porque você está agindo que nem uma criança de 3 anos de idade, meu. O que eu venho te falando esse tempo todo? Você precisa voltar para a realidade, gata: ela namora o Fer. Ela sempre namorou o Fer. Não vai ser fácil, aliás, não é fácil. Muito menos para ela, que está muito menos resolvida nessa vida do que você.
_Mas... – eu interrompi, reclamando.
_Quer me escutar?! – ela continuou, me ignorando – Se você realmente quer que isso dê certo para vocês, você vai ter que parar com esses chiliques.
_Não é chilique. Eu tô apaixonada, porra, dói pra caralho!
_Eu sei, linda. Mas ela não vai sair dessa sozinha e você sabe disso. Ninguém é tão seguro assim! Você vai ter que segurar a mão dela e ter muita, muita paciência. É diferente agora. Você está acostumada com as garotas correndo atrás de você e largando tudo, mas a Mia não vai fazer isso, flor... Não vai. A situação de vocês é mil vezes mais complicada, você tem que enfiar isso na sua cabeça e sair desse seu mundinho, meu – a voz dela diminuiu o ritmo, indicando uma conclusão – E, por favor, para de comer a lista telefônica inteira.
_Eu não... – pus a me defender, ofendida pela última colocação.
_Olha, eu preciso ir – ela me interrompeu, de novo – me manda mensagem depois falando no que deu. Preciso ir mesmo, tô cheia de trabalho... Um beijo!
_Tá... – suspirei, me sentindo derrotada.

Ouvi a linha desligando, enfiei o celular no bolso da jaqueta e afundei o rosto na mão. Eu odiava como a Marina estava sempre coberta de razão. Inferno.

22 comentários:

Anônimo disse...

A Marina é maravilhosa. queria uma Marina na minha vida.

@fiktiva disse...

Eu já disse que eu adoro a Marina hoje?

mikaylla disse...

Belíssima lição de moral :]

Marina disse...

como assim 7:23 =O
me diz q o post jah tava pronto, q vc ñ acordou cedo e escreveu td isso O.o

( the girl fucking Mia ) disse...

Marina,

Estou morando na Alemanha, 7:23 aí são 12:23 aqui... Comecei escrever às 10:30 e terminei lá pelo meio dia ;)

Don't worry, eu acordo tarde todo santo dia hahahahahaha

Obrigada pelos comentários, meninas! ♥

Marina disse...

Ufaaaaaaa... fiquei até mais feliz agora =]
principalmente pq alguem puxa a FM pra baixo =x

Inglória disse...

\O/ nós amamos a "consciência " da FM....heheheh
Eu já passei por isso ,é fofa, só q no meu caso eu era a Mia, e depois eu virei, a FM da "relação'......
hehehehhehe
(revivendo memórias geral...)

Anônimo disse...

Acho que a maioria das meninas que leram esse post, meio que se reconheceram no papel da Mia. Quantas de nós não viu seu mundinho desmoronando quando tocou uma outra menina?!
Parabéns!!!!!
Finalmente um blog q retrata bem como o processo de aceitação é complicado.
Bjos

NP disse...

Marina rula *-*

Rodrigo Emanoel Fernandes disse...

"... amigos são importantes porque te lembram de quem você realmente é. Poder contar com eles é o que te permite bancar o misterioso."

Garth Ennis

Luísa disse...

Definitivamente eu sou muito Marina!

E com muito gosto pelo blog li todas as postagens em dois dias e estou ansiosa por mais!

:)

Dea disse...

Marina for life! adoro o jeitinho dela... tão leve, tão lindo (L)

Marina disse...

Gih (Inglória)... como vc jah conseguiu estar dos dois lados da moeda numa mesma relação? O.o

Jess disse...

Bati nessa tecla hoje mesmo com a minha namorada quase-completamente-ex-hetero. Eu sai do armario a anos, e por conta dela estou tendo que voltar para o mesmo, já que ninguém pode imaginar sobre nós. O difícil é isso: trazer uma guriazinha HT pro nosso mundo. Temos que ir até o armário, segurar na sua mãozinha e dizer "está tudo bem, pode sair agora meu amor, eu estou aqui com você". É... pra gnt que é acostumada a "pegar" com decisão quem gosta ou não, é difícil ponderar ou esperar até que o sincronismo aconteça. É FM, estamos muito a frente dessas garotas...temos que sentar no acostamento e espera-las - se for isso mesmo que estamos querendo! Eu quero :P (o Fer da minha história é um tal de Luciano ¬¬)

Anônimo disse...

cara,esse blog é foda,ce ta ligada que seu blog vira um livro facil ne?
claro que tá mais q pergunta idiota a minha...rsss
oww sera que vc pode dizer quale o signo das personagens?
rss
beijoss

Anônimo disse...

Aiii! Eu AMO a Marina!

Rebecca disse...

aee Marina (L)

Inglória disse...

Marina, olha, era minha primeira namorada, estava insegura, aí gostei da "fruta" e virei a FM,simples assim hhahaha, não durou lááá muito, mas valeu por ter me tirado do "armário"!!
Acho que com a Mia vai acontecer o mesmo, ela vai gostar do "mundo novo" e vai querer tomar o controle ( por alguns momentinhos) assim como toda pisciana ( eu creio que ela seja do signo de peixes)........

Monique Alberton disse...

Nossa, quando comecei a 'seguir' esse blog foi porque tinha gostado do post inicial e prometi ler a história toda, então esqueci meu blog e consequentemente blog alheios... Mas ontem resolvi passar por aqui e acabei devorando toda a história e posso até dizer que viciei! D:

E como várias já comentaram... A Marina é tão... fofa, pé no chão... Gosto dela. .-.

Marina disse...

Eh.. vendo por este lado, Gih, as coisas fazem sentido =P
E pq d peixes?

the ghost in the wrong coat biting butter and crumbs. disse...

PÁRA DE COMER A LISTA TELEFÔNICA HASUFHASUHASH
meu deeeeeeeeeeus, nao tenho palavras pra demonstrar minha admiração pela marina! tava na hora de alguém fazer um discurso desses pra ver se ela percebe... nao adianta ficar ofendidinha ._.
mas ainda acho que a mia vai fazer alguma merda e mudar tudo... hahahahah

Inglória disse...

Marinaa, pq peixes é assim ( falo por experência propria, sou de peixes, ;), gosta de ter o controle, mas nem sempre demonstrar que tem ele, oooou, gosta de dividir o controle, pq ningém é de ferro né?........
(Essa comunicação-via-comentário-do-blog-alheio é engraçada, hehehhe...... valeu pelo apoio Mel!)