- »

agosto 06, 2010

S2

“Q. hrs vai rolar?”, escrevi, curta e grossa, muito a contragosto.

Cada uma das quatro palavras me tomou minutos a fio para ser, enfim, digitada. Engolir meu orgulho não era algo que eu fazia com frequência. E agora que eu já havia me calado por quase um dia inteiro, beirando o fim da tarde no estúdio, a possibilidade da Mia resolver me ignorar me assombrava.

As quatro – bastante sucintas e não muito amigáveis – palavras digitadas não ajudavam muito a situação. Então, sem pensar direito, adicionei um “;)” ao final do SMS a fim de amenizar a minha incapacidade de ser legal com a Mia naquele momento. Olhei para a tela e fiz uma careta involuntária. Não, que sorrisinho mais idiota, resmunguei mentalmente, enquanto o apagava rapidamente. E, pronto, de volta à grosseria inicial. Foda-se, vou mandar assim mesmo, pensei e apertei a tecla de envio.

Larguei o celular e retomei o que estava fazendo – o que era mesmo? –, me afundando nas últimas horas de trabalho. Mas não por muito tempo. A resposta da Mia seguiu-se à minha pergunta com uma rapidez espantosa. O celular estava num dos cantos da mesa. Espiei a tela com o canto do olho, com medo de encontrar a segunda bronca do dia ou qualquer questionamento que me tirasse do sério justo quando eu começava, lentamente, a engolir minha estupidez.  

“Acabei de chegar aqui, é naquele que te falei uma vez, lado bom da Augusta. Vem pra cá! ;)”. É. E não só ela continuava toda irritantemente fofa comigo, ignorando toda a minha ausência e economia posterior de palavras, como também havia resolvido fazer uso da porra do smile que há 30 segundos eu me recusara a colocar. Desgraçada, eu pensei. De qualquer forma, toda aquela dança do mando-ou-não-mando, que torturou minha cabeça pelas três horas seguintes à minha conversa com a Marina, havia sido inútil. “Tô no trampo agora, meu, não posso...”, repliquei automaticamente e enviei, suspirando.

E ela não respondeu. Nem nos dois minutos seguintes... quatro... cinco... sete... argh. Nada. Passei a mão pela minha nuca, nervosa, tentando relaxar. Olhei mais uma vez para o celular e já haviam se passado oito minutos inteiros. Inferno. Me convenci, então, de que ela não ia me escrever de volta. E num movimento brusco, peguei o aparelho bufando e meti-o no bolso de trás da calça, me dirigindo à cozinha. Quer dizer, à máquina de café, que a essa altura já estava exausta e acabada de tanto trabalhar. Assim como nós, por assim dizer.

Aquele cômodo era como o meu segundo lar, praticamente. Uma porcentagem considerável das minhas horas de trabalho era gasta procrastinando, sentada naquela pia, me entupindo de uma quantidade não-saudável de cafeína. Puxei a cafeteira na minha direção, com uma avidez digna de viciados, e enchi um dos copos plásticos com aquele líquido preto. Ah, puta merda!, eu xinguei ao realizar a proeza de derramar metade do conteúdo do copinho na minha camiseta. Branca. Da M.Officer.

Claro, porque preta não poderia ser. E nem barata. Caralho, viu, como se eu precisasse de mais uma bosta dessas. Logo hoje, eu reclamava para mim mesma, enquanto tentava inutilmente me secar com um bando de guardanapos. Na mesma hora, claro, meu celular resolveu tocar. Mensagem da Mia. Deixei todos os papéis sujos em cima da pia num ato quase involuntário e tirei o telefone do bolso, desanimada.

“:(”. É... só isso, isso, dez minutos depois.

Encostei a lateral da parte de cima da minha coxa na superfície de granito e olhei mais uma vez para a mensagem, suspirando. Por mais babaca que soe – e isso vai soar realmente babaca... – as diferentes combinações de pontos duplos, ponto-virgulas e parênteses são capazes de afetar o estado emocional inteiro de uma geração viciada em celular. Ou seja, a minha. E te comover de um jeito ridículo.

Olhei para a minha blusa com aquela mancha super atraente de café, argh, aí olhei para o relógio pendurado na parede – 16h12 – e para a porta que levava à saída. Está cedo demais, pensei, tirando os fios de cabelo bagunçados da cara. E, é, estava mesmo. No entanto, minha outra mão segurava o desejo por escrito da garota que eu amava, querendo que eu estivesse lá com ela. E às vezes, isso simplesmente fala mais alto do que todo seu orgulho de merda. Ou um chefe prestes a ficar realmente puto com a sua falta completa de comprometimento. Ah, que se dane, decidi.

“Olha, vc vai me meter em encrenca aqui... to indo ;)”

24 comentários:

Anônimo disse...

Hahahahahahahahaha q graciiinhaaaaa :}
bom dia mel!!

CahAngie disse...

Puutz ta TODA DOMINADA jah >.<"

carol disse...

eh disso q o povo gosta!!! #teammia

Anônimo disse...

eu to com uma pena do fer quando tudo explodir....

Anônimo disse...

acho tudo isso uma putaria com o fer.

Anônimo disse...

é muita mancada isso que as duas tão fazendo com o fer.

Anônimo disse...

No, love can't be stopped!!! S2 adorei o post, gosto qdo elas se resolvem.. os posts com as duas são sempre os melhores =))

Marina disse...

*horario parecido d postagem ^^
concordo com a parte da sacanagem e do Fer! (puta falta d sacanagem :P)
trabalhar pra q neh?! Na real, trabalhar eh um palavra mto forte pra FM haushuahsuas

Andrea de Lima disse...

faço das palavras da Anônimo 4, as minhas! também acho que são os melhores! e meu, Mel, você é foda, né? "Encostei a lateral da parte de cima da minha coxa na superfície de granito". SÓ VOCÊ pra conseguir detalhar de um modo tão delhado... tipo, dá MESMO para visualizar a cena do jeitinho que você pensou! incrível!

Anônimo disse...

finalmente alguém falou algo decente,no post anterior...não existe isso de transformar uma mina em lésbica, só por causa de uma noite, e fazer ela largar tudo...além do mais uma patricinha hétero, é viagem demais isso...a maioria só quer experimentar pra se divertir e nada mais

( the girl fucking Mia ) disse...

Hm, concordo com quase todo seu comentário... menos o "patricinha hétero" hahahaha acho que é um processo difícil, sim, mas não que a Mia realmente seja super hétero... como o próprio subtítulo do blog diz: "a not so straight girl" :)

E o fato dela ter dinheiro não a transforma em patricinha... até agora os interesses dela sempre rodaram - e de propósito, deixo claro - em torno de música alternativa, tatuagens, baladas sujas, botecos, UFC... (olha a mãe aqui defendendo a sua criação hahahahahahaha perdão! :P) enfim, continua leeendo, a Mia pode surpreender ;*

Obrigada pelo comentário, aliás, obrigada todo mundo! Sempre, meu, fico mega feliz com as opiniões de vocês ♥

Inglória disse...

É, é uma puta falta de sacanagem com o Fer, maaasssss qnd é para ser, vai ser, e além do mais a FM falou A palavra ( " a garota que eu amava" \o/)...........
Mas vamos ver, ou melhor, vamos ler, e Mel, cuidado com os nossos corações, ok?

Amanda disse...

ELAS TEM QUE FICAR JUNTAS. O BLOG EH MTO BOM!!

F.A. disse...

Aaah como eu gosto desse blog, é nele que eu me inspiro para escrever o meu, hahá.
Tomara que um dia eu consiga escrever tão bem quanto você Mel.
Parabéns, tá muito bom o post.
E em relação ao Fer, infelizmente alguém sempre sai perdendo nessas histórias que envolvem coração. E o sortudo, ou não, da vez foi ele. ;x

Anônimo disse...

eu não acredito que ninguém aqui se preocupa com o fernando!!!! uma bando de sem coração!

Anônimo disse...

Pra falar a verdade eu to poco me fudendo com o fernando. OPAKAOAKSO
EU quero msm é a fm feliz

Sharla disse...

Cara, não eram 5 posts pendentes. eram dez o_o me matei de tanto ler agora hehehe...

e adorando, e to atrasado pro cinema por que não podia parar até aacabar... isso ta tão dramatico, tão romantico, tão adolescente... e adorei a parte sobre "diferentes combinações de pontos duplos..." e é bem verdade..

quero mais agora

the ghost in the wrong coat biting butter and crumbs. disse...

o que um :( nao faz ._.

Anônimo disse...

todo mundo que "tá poco se fundendo" pro fernando, quero só ver quando for sua vez de ser o fernando e ver a namorada te largar pela melhor amiga.

razzo_ disse...

Venhamos e convenhamos que pode ser uma puta falta de sacanagem com o Fernando. Mas não consigo ter confiança nele, não sei se é intuição ou por estar totalmente envolvida na FM.
Agora, quanto às cenas, fico em dúvida se as mais perfeitas são as delas duas ou os momentos 'reflexão' da FM. O blog já me salvou de fazer merda umas mil vezes, acho que só tenho a agradecer por mais esse vício em minha vida. Cê escreve bem pra caralho, Mel, então... Sei lá, continua assim e parabéns mesmo.

the ghost in the wrong coat biting butter and crumbs. disse...

dou um voto pro comentário anônimo ali embaixo do meu...

mas só vim comentar de novo pra reparar que no final ela mandou a droga do ;) hahahah

Anônimo disse...

Como dois caracteres bem empregados podem mecher com uma pessoa!
espero q elas se resolvam logo...já está na hora de acabar c/essa sacanagem com o fernando!
Team Mia!

Anônimo disse...

msm com o comentário do de cima do meu eu continuo poco me fudendo com o fer ... enquanto não chega minha hora de ser trocada igual o fer eu vou curtinho o chifre do fer... HAHA mais tmb olha essa troca que a mia fez né o fer pela FM né. não tem nem compara . E tmb o fer não é nem um santinho né ja traiu a mia tmb .
MIA & FM
FERNANDO QUE SE FERRE . HAUSHAUSHA'
PODEM ME TACAR FOCO MENINAS KKKKKK

Anônimo disse...

não consigo ter confiança no fernado+121153 não gosto dele FM & MIA