- »

agosto 21, 2010

Uma pergunta só

Por que você me pergunta o que você já sabe, mano? Não é óbvio? Porra, faz meses (meses!) que a minha vida e a minha cabeça e toda a minha energia giram em torno de você. SÒ você. Você, cada centímetro de você. Você e essa sua... perfeição... irritante. Você, mano. Você e essa merda desse rolo infinito. E agora fica aí, me olhando como se não soubesse, como se fosse novidade. Não, sério, Mia... Você precisa mesmo que eu fale? Mesmo?! Você vai me obrigar a sentar aqui, olhar para a sua cara e dizer, de novo, o que você já percebeu? Caralho. Por que? Por que você faz isso, meu? Narcisos. Narcisos, não é?

Argh, eu odiava, odiava muito, ter que admitir meus sentimentos – principalmente sóbria e vestida, aí era pior ainda.

_Sim – respondi a contragosto, enfim, e encarei-a de volta.

A sua boca entreabriu-se brevemente, como se fosse dizer algo. Porém, logo em seguida, se conteve. Não sei se foi a sinceridade ou os meus olhos que a intimidaram, mas certamente pareceu culpa minha. Droga, pensei, no entanto não conseguia desviar o olhar dela. E permanecemos naquela estática involuntária por alguns segundos, em silêncio, até que eu finalmente criei coragem e lhe devolvi a questão.

 _Não me faz pergunta difícil, meu... – ela murmurou, abaixando os olhos, e encarou o prato como se fugisse de mim. Depois, no entanto, subiu novamente o olhar na altura do meu e me encarou, discretamente melancólica, parecendo incomodada com a própria resposta.

Inferno. Eu detestava aquilo. A imunidade culposa dela a todas as conversas que pudéssemos vir a ter sobre sentimentos e a nossa situação toda. Ela nunca falava nada e eu, por mais que odiasse admitir, era sempre a pateta que acabava soltando um comentário ou outro sobre o quanto gostava dela. E o resultado, deixando o fator da injustiça de lado, era que eu nunca ouvia concretamente dela o que ela pensava de mim...

...a não ser que eu a deixo “estranha”, mas que ela “gosta” de ficar do meu lado, repeti na minha cabeça, como se pudesse ouvi-la dizendo cada uma daquelas palavras. E isso não me ajudava, não no ponto em que eu estava, não pelo tanto que meu coração era dela. Suspirei e a olhei de novo. Não lembrava quando havia sido a última vez em que gostar mesmo de alguém fora tão difícil. Era como andar sobre gelo fino, o tempo todo: parecia que qualquer comentário mais concreto, qualquer sentimento mais pesado, quebraria tudo. E era exaustivo.

_Ok. Mas posso perguntar só uma coisa? – eu insisti, lembrando do que a Marina havia me dito mais cedo naquele dia.
_O que?! – ela me encarou, hesitante, já com medo da pergunta.
_Por que você... – eu engoli seco, por um segundo, e depois a observei de novo – por que você foi no meu quarto aquele dia?
_Que dia?!
_Quando tudo começou, quando eu te beijei. Lá no apartamento. Nós dicutimos na cozinha e você apareceu na minha porta, de madrugada... – os seus olhos tornaram a fugir para as listras que corriam pela toalha da mesa, mas eu continuei a olhando – ...você sabe por que foi lá?
_Eu não... – ela começou a responder, automaticamente, porém por algum motivo interrompeu a justificativa (que certamente terminava com o verbo “saber”) e se calou por um tempo.
_Você...? – retomei.
_O que você quer que eu responda, meu?! – ela pareceu se irritar.
_O que você achar que tem que responder, Mia... mas eu estou esperando que seja a verdade – eu continuei, calmamente, sem me estressar de volta com ela.
_Eu... eu... – a Mia baixou a bola e o olhar, de novo, falando pausadamente enquanto encarava a sua mão mexendo a colher no prato – não conseguia dormir... não sei, eu... estava no quarto... e... – ela largou a colher de repente no prato, passando a mão no rosto, e suspirou – isso não é fácil.

Eu sei... Acredite, eu sei.

_É que você... eu sempre gostei de você – ela continuou, me olhando de relance, então tornou a encarar a mesa – mesmo quando você era só “a mina que mora com o Fer”, eu... eu gostava de conversar com você, sabe. Sei lá, você é tão inteligente, você sempre me fez rir e... eu acho que eu criei essa imagem... não sei. Quer dizer, eu nunca conheci uma menina que nem você... sabe... que me fizesse... me fizesse sentir vontade de... não sei, você... começou com umas brincadeirinhas e... toda vez que eu ia lá ou a gente ficava sozinha, eu não via a hora de você começar de novo... eu gostava, eu não sei porque, eu... eu só gostava. E eu sei que isso era uma puta sacanagem com o Fer... mas... mas não achava que realmente fosse passar daquilo, mesmo porque você... você é tão bonita, meu... e você sempre teve as suas garotas... eu não achava que fosse... importante... quer dizer, era eu, eu sequer sou... ah, não sei. Aí veio aquela menina, a lá da Augusta, a...
_...a Clara...
_É... e aí... eu não sei, eu... eu vi você com ela, aquele dia... e eu... eu não conseguia tirar o olho de vocês... eu queria que você... não sei, acho que eu senti vontade de... eu queria que você... sabe, pela primeira vez, eu realmente quis que... quis saber como seria se você... sabe, se você...
_Te beijasse?
_É, daquele jeito. Sei lá... acho que foi só aí que eu me toquei do tanto que... de como você... quer dizer... que você gostava mesmo de garotas. Ou de mim, não sei. Percebi que não era só uma brincadeira, não pra você... que... que você realmente me quis... em alguma daquelas vezes... ou, sei lá... eu... só que... só que aí vocês começaram a sair e... toda a sua atenção começou a ser para ela... e eu gostava de quando... de quando... não sei... eu fiquei meio de lado... e acho que... que eu percebi que eu me importava mais do que... do que eu achava. E aí quando a gente discutiu, eu fui dormir e aí não consegui ficar ali... eu não... eu não queria estar do lado do Fer, não naquela hora... porque eu não conseguia tirar você da cabeça... e... me incomodava estar deitada ali, sabe? Do lado dele. Eu... não sei... eu estava me sentindo mal com isso... com tudo... com o tanto que eu andava te olhando... com aquela... idéia boba de... sei lá, de... de ser o que a Clara era pra você... não sei... era... eu estava... eu... parecia que não tinha ar suficiente, sabe? Entrando no meu pulmão... e eu... eu não conseguia dormir... não conseguia desligar minha cabeça... e o tempo todo eu pensava em você, ali, no quarto do lado... não sei... até que... teve uma hora eu simplesmente levantei. Sei lá, eu... eu não pensei direito na hora, eu só... eu... eu sei que é meio idiota.
_Não é nem um pouco idiota – eu sorri para ela.

26 comentários:

Anônimo disse...

grande merda. a clara ¬¬'

Passoka disse...

aconteceu uma situação realmente parecida comigo, voce escreve muito bem, está de parabens adoro seu blog

Anônimo disse...

esse início é sempre tão fenomenal. a gente se sente vivo de verdade, quando todos esses sentimentos transbordam da gente.

Amanda disse...

meeeel! *-* POR QUE?? PQ vc escreve tão bem??? ficou PERFEITOOOOOOOOOOOOOO! vi toda a cena na minha cabeça, as duas conversando, a mia se confessando... lINDO!!

@giiturioni disse...

eu ja tinha agarrado a Mia no meio de todo mundo, é u.u
quero o proximo post NOW!

jamile disse...

ah nao, dá essa Mia pra mimmmmmmm <33 #quelinda

carol disse...

BEIJA! BEIJA! BEIJA!

jupiter disse...

ai cara, eu tô achando a mia um amorzinho .-.

Amanda Arrais disse...

AAAAAAAAAAAAAH, QUE LINDO! Finalmente uma conversa entre elas! Morri mil vezes e eu quero uma devassa pra mim pra sempre :(

Anônimo disse...

Realmente a Mia está um amorzinho e liiiinda...

Mas tá na hora dela lutar um poukinho pela Devassa..

Tá na hora da Mia largar o Fê e o circo pegar fogo!
heuehueheuheueheheu

Anônimo disse...

Acho que desde que comecei a ler fm esperei esse momento! Lindo, cara.

Liz M. disse...

É, essa gagueira súbita, eu conheço bem. Conheço, também quando umas "Mias" por aí, entendem o recado de alguém dizendo que tá na hora de sair do armário e tudo mais.

POis é, tia Mel, voltou a escrever coisas que acontecem, exatamente iguais, na minha vida. Ai ai ai!

=*

viick disse...

afs cara, PORQUE VC ESCREVE TAAAO BEM ? e pq eu acho essa historia tao parecida com a minha porcaria de vida .-. pkosaopksokpopkapoksa
amo, amo, amo seu blog cara !
post novo agoora. rs

Anônimo disse...

to chorando pelo fer. juro.

Inglória disse...

PUTA QUE PARIU................

Vá se foder Mel, alias vá escrever bem assim no inferno ( no Glória, no Vegas, aqui em casa, aonde você quiser, hehehe), meu, eu não só vi a cena todinha como eu senti TUDO o que a Mia sentia, \o/........

como eu disse, PURA QUE PARIU.

ps.:Alias, adorei o post novo do Oh Baby Coffee ;p

Letícia Sampaio. disse...

MUUUUUUUUUUITO BOM! Ai, acho que esse foi o post mais esperado de todos os tempos, hahah *-*

Anônimo disse...

Nossaaa, eu... Me vi na cena! Sério! Adoro mesmo o jeito que você escreve.

Já me vi no lugar da Mia... Aiiin, posta mais! +_+

Érica disse...

Adoreii!!!
Fuckin Mia salvando meu sabado \o/ hehehe uhuuuuuuuu
Tá de parabéns como sempre Mel!

=********

disse...

Aaaaahhhh meu Deus, me emocionei com o diálogo elas, a Mia tá cute d+, a FM completamente tomada pelo amor e tudo sempre tão real... Dna. Melissa como sempre mandaste mto bem, texto hipnotizante e viciante, esperamos por isso há meses e ficou tão, tão, tão lindo e romântico ;*

Dea disse...

meu, eu me desliguei por algum momento, não entendi o post ou faltou alguma coisa? a Mia - linda, delícia, fofa - perguntou pra FM - safada, delícia, fofa - se ela encontrara a pessoa. a FM disse que "Sim". aí, de repente, a Mia fala pra ela "não fazer pergunta difícil". não entendi =( tou me sentindo boba...

mas todo o restante do post eu entendi muito e muito bem. foi tão lindoooooooooooo! vamos fazer um filme do Fucking Mia! =D

Rebecca disse...

"parecia que não tinha ar suficiente..." ounn
que coisa mais linda!

ela tá se soltandooo
(:

( the girl fucking Mia ) disse...

Deeea... Antes da Mia dizer isso, a protagonista falou: "aí tomei coragem e lhe devolvi a questão". Ou seja, ela perguntou a mesma coisa para a Mia e entããão a Mia respondeu que não queria perguntas difíceis hahaha

Awnn, obrigada pelos comentários LINDOS nesse post, meninas! ♥

Rayssa disse...

Claaaaaaaaaara T1t1t1
Tãão bom quando vc ta atrasada aqui e ai tem uma pah de posts e meu ainda falam da clara T1T1
Mia nunca te entendi TANTO baby çç' TeamMia *-*

E querida 1ª Anônima, com uma merda dessa eu nao saia da casa do pedrinho =)

ain ahuah Clara *-* #VoltaClara !!!

Anônimo disse...

Caralho! Essa história é phodástica.
Uma pergunta: teve o post sobre o 1º beijo delas? Não lembro de ter lido algo que a Mia foi no quarto dela e tals. Se alguém puder me dizer em qual post está, agradeceria.

P.S: li de madrugada caindo de sono, talvez por isso tenha perdido essa parte, sei lá.

( the girl fucking Mia ) disse...

Teve, sim!! :)

O post é o "4 a.m.", está nos arquivos de janeiro!! E o segundo beijo vem na série da Festa... dá uma olhadinha!

Obrigaaada pelos elogios (L)
Um beijo!
;*

Anônimo disse...

the girls fucking Mia

Obrigada! =D
Vou dar uma olhada. O sono me sabotou e perdi essa parte.

E continua a história, é demais! Só soube pq deixaram o link no blog da Morango e sinceramente, vale mesmo a pena ler. Mas desde que esteja realmente acordada p/ não perder nada claro. =p