- »

dezembro 31, 2010

Objeto complicado de desejo

Pior do que ser acordada de forma não-natural por um alarme inconveniente, é ser despertada com o dito cujo tremendo aos berros na sua orelha. Ótimo, resolvi fazer o celular de travesseiro agora. Levantei e fui direto para a cozinha. Café, café, café. Dormir tão cedo assim só me deixava com mais sono que o normal e, ainda por cima, sempre me dava aquele mau humor matinal rancoroso por ter desperdiçado tempo útil de vida na noite anterior. Pra quê dormir?!

Tomei café da manhã sozinha e estranhei a ausência do Fer vagando pelo apartamento com seu samba-canção e uma cara amassada de quem não quer ir trabalhar. A gente quase sempre se cruza de manhã, porra, pensei ao voltar pelo corredor vazio para me trocar. Coloquei uma regata branca, vesti meus jeans-de-todo-santo-dia, calcei um par de All Stars surrados e caí fora.

Meu trampo estava um tédio, como sempre. Passei a manhã toda consumindo café de uma forma nada saudável, enquanto tratava um pacote imenso de imagens num programa pé-no-saco desatualizado que meu chefe insistia em manter em todos os computadores do estúdio – apesar das minhas constantes sugestões de alternativas. O almoço serviu como uma trégua de exatos sessenta minutos, antes que eu me enfiasse de novo nas tais fotos.

Incontáveis ajustes de contraste depois, quando o relógio já se aproximava das três da tarde, recebi uma mensagem da Mia, perguntando se eu estava trabalhando. Respondi meio automaticamente e deixei o celular de lado, tentando voltar o foco à tela do computador.

Sem sucesso, é claro. Ela espera mesmo que eu vá encontrar ela agora?, olhei para o telefone e aí voltei a atenção para a foto da vez, são duas e cinqüenta numa terça-feira, mano, o que mais eu estaria fazendo?! Empurrei as costas contra o encosto da cadeira e pus-me a morder inconscientemente a ponta do dedo, de leve, enquanto minha cabeça viajava no mesmo rolo de sempre. Só falta... porra, só falta eu... virar o consolo pras... tardes vazias dela. Ótimo, revirei os olhos, indignada, virei brinquedo sexual.

Peguei o maço de cigarros na mesa e meti o isqueiro no bolso, levantando para fazer uma pausa, ainda imersa nos meus pensamentos aleatórios. Subi as escadas já escolhendo o meu cigarro, prendi um deles entre os dedos e guardei o maço no bolso, pegando o isqueiro, conforme atravessava a recepção. Fiz qualquer gracinha para a japonesa ultra-bem-humorada que ficava ali, enchendo o saco dela, para variar, e ao sair pela porta da frente, dei de cara com a Mia chegando na calçada.

Quê?!

_O que você está fazendo aí? – perguntei, meio desnorteada.
_Eu... – ela me olhou, igualmente surpresa, sorrindo – ...ia lá te chamar. Espera, o que você está fazendo aqui fora?!
_É, eu... eu vim fumar – disse, mostrando o cigarro na minha mão, e o coloquei na boca – senta aí comigo – sorri para ela, com o canto da boca, enquanto o acendia.

A Mia acenou com a cabeça, concordando, e sentou no degrau da entrada do estúdio. Abraçou os joelhos dobrados à frente de seu corpo, vestindo um shortinhos jeans e uma malha fina branca de mangas compridas e decote generoso. Meu deus..., observei-a se apoiar nas pernas, conforme eu agachava ao lado do degrau, apoiada na parede, na calçada. Babando. Como eu posso ficar tão retardada... a garota acabou de chegar, mano, eu balançava a cabeça, fugindo daquela minha atração absurda por ela e olhando para a rua.

_Quer? – ofereci o maço e ela recusou com um gesto, me olhando e sorrindo; então joguei-o na minha frente, na calçada, com preguiça de colocá-lo de novo no bolso, e traguei o meu cigarro.
_Você recebeu minha mensagem ontem? – ela me perguntou, baixinho.
_Recebi, sim... – olhei para ela e sorri.
_Como você tá? – ela apoiou a lateral do rosto nos joelhos, me observando, enquanto falava.
_Bem... – eu traguei mais uma vez, meio indiferente – ...e você? Está bem? Aconteceu alguma coisa?
_Tô, sim, eu só ia... visitar o meu irmão, aqui perto...

Sei, sei.

_...e também, sei lá, eu queria ver você. Não sei. Desde sexta, na verdade.
_Hum... – eu murmurei, pensativa, conforme a ouvia.
_Eu tenho... pensado bastante... em você, sei lá. Eu só queria te ver.
_E o Fer? Você falou com ele? Anteontem?
_Quê?! – ela levantou a cabeça, sem entender.
_Com o Fer... – traguei mais uma vez e olhei para ela – ...ele não foi na sua casa no domingo?
_Foi, mas... o que isso tem a ver?
_Nada. Só tô perguntando.
_Por que?
_Falou ou não falou?!
_Nós não... Eu não deixei ele subir, a gente se falou pelo interfone só. Foi, tipo, menos de cinco minutos. Eu... eu não queria... sei lá. Ainda tô brava com ele, sabe, ele não devia ter te mandado embora da festa, eu...
_Ele não me mandou fazer nada, eu que decidi sair.
_Não interessa... ele não deveria ter começado a briga!
_E você realmente acha que nós estávamos com a razão? Que o Fer estava errado?! – eu ri, indignada – mano, o que você faria se fosse o contrário? Se você visse ele dançando agarrado com uma mina daquele jeito?
_É diferente.
_Não é diferente.
_É, sim.
_Não é, Mia. Você só não entendeu isso ainda... – eu a encarei – ...é a mesma coisa. Para mim, para o Fer... é exatamente a mesma coisa. Você e todas as outras meninas do mundo. Você que não percebe isso, fica aí achando que é... festa, manja.
_Por que você está fazendo isso?! – ela se irritou comigo.

Não consegui responder. Fiquei quieta, olhando para baixo, enquanto fumava por algum tempo. E ela, mordida, encarava a rua. Então, retomei, falando baixinho.

_Ele... as... as intenções dele... são boas. Ele gosta de você, Mia.
_E você?! – me olhou.
_Eu... não estou falando disso. O Fer...
_Olha – ela me interrompeu, brava – na boa, eu não preciso de você para me dizer o que o Fernando sente por mim, eu sei muito bem. Caso você tenha se esquecido, nós somos namorados – argumentou, já se levantando – na boa, não sei o que eu vim fazer aqui.

6 comentários:

Anônimo disse...

Posts LINDOS :)
Adorei !

Ianca' disse...

aaah ¬¬
minha cara fazer isso

Monica disse...

aiaiaiii...adoro um drama...

a arte de foder td vem da sinceridadee... soh pode!

R. disse...

- concordo,pra que dormir?! quanto mais vc dorme, mais sono vc tem...

- ixi, a FM nao devia ficar pensando essas coisas da mia, quer dizer, eu acho q ela é mais do que brinquedo sexual pra mia

- fiquei triste com o final do psot :( mas eu acho que eu entendo o ponto de vista das duas, é dificil :/

(fui escrevendo o comentário conforme ia lendo o post)

Rayssa disse...

HAUHAU ain,arrasou huHAUHAUHA chupa Mia!!!
HAUHA ta,Curti a Devassa nesse post,psss mas segredo nosso x_x

Anônimo disse...

Ahhh, aqui o primeiro post em que a Mia visita a FM no trabalho. Sabia que era um post incrível. Ela tava toda mimimi e a FM toda ogra. A Mia super interessada, perguntando dos sentimentos da outra e a mulher fala do Fer. Tipo, pfff! Achei infantil da parte da FM.

PS. A Mia tem um irmão?!? Chocada! Ela é tão filha única pra mim...