- »

dezembro 21, 2010

Boa amiga, péssima assalariada

_Você não vai, meu?! – abri os olhos, meio desnorteada, e vi as costas descobertas da Marina, atravessando a sala num jeans claro e de sutiã preto, indo em direção à cozinha enquanto falava comigo; o sol entrava insuportável pela varanda do apartamento e deixava um rastro de clarão incômodo até uma das pontas do sofá, vindo direto na minha cara...

Ô, cacete! Puta que pariu!, pulei imediatamente dali, me dando conta de que já era de manhã. Ai... Merda, merda, merda. Não só de manhã, ô desgraça maldita do caralho: era segunda-feira de manhã. Sua idiota, anta, estúpida, burra. Vesti os tênis de qualquer jeito, correndo, tentando me equilibrar em um pé só, conforme andava na mesma direção que a Marina havia ido, pensando na bronca que ia tomar por chegar atrasada após a semana mais patética de labuta da minha história como pior funcionária de lá. Eu tô fodida, pensei já arrependida de sequer ter dormido ali e terminei apressada de enfiar os cadarços para dentro, me apoiando na porta da cozinha.

_Que horas são?! – perguntei em voz alta para o vazio, sem ver a Marina por ali e nem obter resposta – ...Má?!
_Oi? – ouvi sua voz ao longe, vinda da área de serviço.
_Que horas são?! – gritei de volta, tentando arrumar o cabelo mais ou menos no reflexo do microondas e me atrapalhando para conseguir ver direito – por que você não me acordou antes, porra?! Eu preciso sair, meu. Tenho que pegar o busão até lá, demora pra caralho!
_Relaxa. Eu te levo antes de ir pra redação... – ela surgiu na porta que separava a lavanderia da cozinha, abotoando uma camisa semi-social branca com rendinhas discretas ao lado dos botões, e continuou falando tranqüila – ...são quinze pras oito.
_Nossa, Marina. Eu vou te matar, meu. Você disse que ia me acordar, cacete! – argumentei, rabugenta, enquanto me servia uma xícara de café – eu não posso me atrasar, não posso. Meu chefe já está puto porque eu fingi que tava doente semana passada, não fui trampar vários dias... e agora eles estão me enchendo de merda que nem mula de carga e eu tenho um bilhão de coisas para fazer, mano.
_Eu te chamei umas cinco vezes, ô esperta, você que não levantou – ela me olhou, indignada, achando graça.

Que seja, sua traidora. Revirei os olhos, brava, e a Marina começou a rir do meu mau-humor matinal. No fundo, era bom vê-la um pouco melhor. Na noite anterior, a conversa havia caminhado para os lados mais sujos, escuros e intensos das nossas vidas, havíamos falado de tudo. Muito além da tal Bia. Ou da Mia, no meu caso. A bad da Marina havia me contagiado, ficamos ambas numa viagem introspectiva bem pouco agradável, por horas a fio. Foi carregado. Em determinado momento, cheguei até a precisar levantar. Sair do sofá, andar pelo apartamento, e me livrar daquele peso todo.

Nunca lidei bem com conversas muito profundas – digo, realmente profundas. Talvez porque fizesse merda demais. E a Marina também não, a propósito. Gostávamos muito de conversar, mas nos conhecíamos bem demais para isso e o papo tomava rumos indesejados, acabávamos falando de qualquer memória, sentimento, que nos vinha à cabeça e entrávamos em contato com aspectos da nossa personalidade, da nossa vida, que não temos lá muito orgulho ou sequer vontade de lembrar. Era tenso – foi tenso, aliás. Todavia, uma vez que o assunto se encerrou, o sentimento que restou foi bom. Ficamos leves, aliviadas. E aí gastamos horas falando de futilidades, rimos, fofocamos, cantarolamos Gaylads junto à vitrola de vinil da Marina...

“My love, it's warmer than the sunlight
It's warmer than the breath of spring, yeah
My love, it's sweeter than the cherry tree
Oh baby, won't you come to me?”

...aí fizemos miojo, tomamos Coca e tagarelamos, a madrugada toda. Enfim, ficamos bem. E, agora, a Marina parecia muito mais feliz do que quando a encontrei, no dia anterior; parada na minha frente e se divertindo com o meu acesso de raiva sem fundamentos. Vê-la sorrir me dava uma sensação gostosa, admito, de ter cumprido a minha missão.

_Vamos?! – disse, apressada, terminando meu café de uma só vez.
_Pode acabar de se arrumar com calma... tem tempo ainda – ela ria.

Então, me rendi. Sosseguei. E aí tomamos café-da-manhã “como se deve”, já diria a Marina. Para a minha sorte, eu a havia viciado nos meus cereais favoritos enquanto ainda estávamos juntas e a mania felizmente perdurou pelos anos seguintes. Satisfeitas, terminamos nossas tigelas minutos depois, lavamos a louça, eu fui ao banheiro e então ela me deu carona até o estúdio – que, por ser no mesmo bairro, não era tão longe assim. Não fosse o trânsito paulistano, isto é.

_Bom trabalho, viu... – ela me abraçou, antes que eu saísse do carro, e me agradeceu pela noite anterior, de bom humor – ...obrigada por me resgatar ontem.
_Você é minha garota favorita. Sabia disso, né? – eu disse, já a desabraçando, e olhei para ela, sorrindo.
_Ai. “Você diz isso para todas...” – ela brincou.
_Vai à merda, Marina... – eu ri, enquanto ela me mostrava a língua, e desci do carro, me apoiando na janela aberta da porta, agora já fechada novamente – ...ei, e valeu pela carona, bobona!

No fim, cheguei dez minutos adiantada, é óbvio, né. Tempo suficiente para um cigarro. Puta, mano, que fim de semana interminável.

22 comentários:

Luana A. disse...

Não sei, não.. Mas eu sinto um climazinho entre a Marina e a FM. Será? HAHAHA

Pathy disse...

Aff.. achei que tinha rolado FlashBack!! rs.
Ainda bem que não.. ahuahauha
TeamMia ♥

Anônimo disse...

Meeeeeeeeeeew *-* me divirto com os posts!! e o fer e a mia?? o que sera que rolou??? posta maaaaaaaaaaaaais!!

Clara disse...

Sério guria, to completamente viciada nessa história.

Isa Gratão disse...

Acho q a Maria e a FM não vão fica de novo não, poruqe ai rola uma amizade forte.
Mas Mel cade o Marcos na história?

( the girl fucking Mia ) disse...

Isa, não posso comentar posts futuros hahaha mas aguarde... ;)

Amanda disse...

Marcos? Nossa, tinha esquecido desse homem. Acho que esse história merece não ter participação alguma de homens, já basta o Fer, né? Poxa...
E MEUDEUS, A Marina amor da minha vida ainda é jornalista? Ai, assim eu não resisto mesmo. Mas acho que no caso delas realmente já tem amizade demais e a Marina merece uma mulher melhor que a FM que, apesar de fofa, é uma putinha.
Adorei!

=*

Anônimo disse...

''vestir os tênis'' isso existe?

Vivi disse...

Curiosa pra saber da conversa do Fer com a Mia.. E que bom que não passou disso entre elas!:D

- Mel, espero um acontecimento beem equivalente ao nosso presente de Natal,hein!haha :*

Ianca' disse...

natal, aiai, cara, cadê a Mia? saudades daquela linda mano
e olha, sinto que tem um clima voltando a tona entra FM e Marina, queria ver, de verdade ^^

Ed disse...

Poxa, esses posts me deixam de um jeito, queria ter alguém assim para poder contar.... Fiquei pensando q realmente ia rolar uma recaida, mas é bom ver q não chegou a tanto, ainda torço pela nossa MIA...


Adoro de verdade a maneira q vc escreve, parabéns vc merece tdo o sucesso do mundo nos seus objetivos.

Feliz Natal MEuL


@Edflavia_ems

R. disse...

esqueci quem é marcos .-.

desculpa nao ter comentado logo mel, eu tava podre, passei 3h no hospital hoje... tive que tirar um raio-x da cabeça que ontem de madrugada desmaiei e bla bla

de volta ao post... acho que eu entendo elas desses pontos em que nós mesmos não gostamos de lembrar, mas conversas que fazem a gente abrir a válvula costumam ser aliviantes no final das contas
e estou curiosa pra saber como foi a conversa da mia com o fer, se tiver como postar antes do natal eu ficaria feliz ;)
bjs e se cuida :*

Anônimo disse...

Seria interessante um flashback entre elas ♥

Monica disse...

pensando aki em cmo eh bom ter algm responsavel com a Marina por perto :)

xoxo

lolacola disse...

Tenham um bom feriado e fica como presente este clip http://genero.tv/watch-video/20866/# , com David Lynch fazendo o 'soundtrack'.

:XXX

Stella disse...

mel, li seu post 'clã de vampiros urbanos' e achei fabuloso! não consegui comentar lá, por isso vim dizer aqui. uau, uau. é isso aí... me vi ali.

Anônimo disse...

Oii Mel... Cara, eu to viciada nisso como faz?! HSUAIHSUIAHUSI a historia lembra muitoo a minha... mais efiim , cheguei aqui atravez de uma amiga e agora eu nao saio mais acompanho desde o começo o quase chegando nos dias atuais, te add no tumblr e quando eu vi que voce me seguia tbm quase cai da cadeira...seguido de um infarte HSUIAHUISAHUIHSIA...contianua sempre esqcrevendo e eu vo ta sempre acompanhando Bjoo !

Marina disse...

ainda bem que tem mais gente q acha q não rola um remember entre Marina e FM
e ainda bem q não sou a única a não lembrar kem eh Marcos =x
acho q qdo ele surgir ou ressurgir na história rola dizer kem eh ele hahaha

Andrea de Lima disse...

comecei com um blog novo, Mel. sendo assim, eu, Dea, começarei a comentar logada nele. te ligo essa semana para o sorvete, já que você não estará presente no meu aniversário. posta logo o que há de vir, porque eu sei que já há.

beijos ;*

Ana disse...

Não me lembro como cheguei ao blog... Mas viciei rapidinho; li tudo em alguns dias. E, olha, nem sou lésbica, mas vc escreve tão bem que às vezes me dá um calor, uma vontaaade...

Anônimo disse...

Meeeeel, pô, já tem 9 dias q vc não posta, eu to quase morrendo de ansiedade, to até relendo a história de novo !
Não brinca com meus sentimentos assim não hahahah :(

Sleepy disse...

Do pouco que li deixa ver se percebi...
Es a girl fuckin'Mia mas estas completamente apanhada pela marina?!?!?
Assim é complicado, não???

Força a com o blog
Ta Brutal
Jokas