- »

fevereiro 03, 2011

Sintaxe complicada

“Eei...”, comecei a escrever no celular e logo me contive. Não queria me intrometer, o assunto era deles; eu não queria surtar com meias palavras ditas num café-da-manhã. Contudo, droga, não podia evitar. O nome da Mia figurava no campo do destinatário. A porra da ansiedade havia me tomado os pensamentos, invadido a minha cabeça, o meu corpo, à força e, para completar, eu não conseguia me livrar daquele enjôo maldito, doentio no estômago. Sentada à beira da cama, toda nua da cintura para baixo, com a mesma regata amassada de dormir – os cabelos soltos, bagunçados, e os olhos no seu nome na tela. Judiando cruelmente dos meus lábios, ansiosa pra porra.

Merda.

Tornei a digitar, sentindo uma necessidade brutal de tomar alguma atitude, agir, fazer qualquer coisa a respeito daquela história toda. Precisava completar a frase, as reticências imploravam por alguma verdade minha. “Eu te amo”. Não. Assim que olhei as palavras finalizadas, as apaguei imediatamente, num impulso covarde e previsível. Inferno. Me sentia exposta, exposta demais; me declarar assim trazia mais incômodo do que eu poderia me sujeitar. Então, hesistante, voltei atrás. Respirei fundo e encarei o meu quarto, as roupas jogadas pelo chão e o samba-canção do Fer, despido ao meu lado, no colchão. Diz alguma coisa, sua imbecil... você precisa dizer alguma coisa. E, naquele momento, qualquer frase pronta serviria.

“Mal posso esperar para te ver de novo”. Não. Ou “gosto tanto de você”. Não, também não é isso. Não era nada disso. Argh, como eu odiava não poder lhe dizer um simples não-quero-que-fique-com-ele. Como queria poder pedir para que ficasse. Que ficasse, afinal, comigo; que pensasse em mim, até o fim daquele dia, e só em mim; que deixasse o resto do mundo para lá, esquecesse de todos os horários marcados e conversas e namorados. Que fosse minha, não de outro, naquela quarta-feira.

Mas pedir, assim, me parecia hipocrisia. Pois é, hipocrisia. Porque antes de nós duas, existiam eles – e eu sempre, sempre soube. Não podia sequer fingir o contrário, já que dormia ao lado da porra da evidência. Desgraça. E os minutos se seguiam, aumentando, no pequeno relógio disposto no canto direito da tela. O Fer já havia deixado o apartamento há algum tempo e eu restava ali, com o interior todo embrulhado em nervosismo, sofrendo por antecipação. Antecipação por uma tarde que sequer acontecera ainda. Eu não entrei nessa sem saber, suspirei, forçando coerência goela abaixo. As minhas mãos podiam, sim, desde o começo, estar amarradas; mas os meus olhos sempre estiveram – inegavelmente – abertos. Eu sabia; e não me cabia agora pedir o contrário dela. Da vida dela.

Exato, então fica quieta. Passei a mão na boca, no queixo; e desci-a pelo pescoço, tentando controlar o meu nervosismo incabido. Todavia, mal me agüentava sentada ali. Impotente, desejando uma mudança qualquer de curso. “Estou pensando tanto em você”, digitei; a mais pura verdade. E quase que num gesto impensado, idiota, eu a enviei. Aí no segundo seguinte, claro, me bateu um desespero irracional, tomada por um arrependimento sem sentido. Merda, o que foi mesmo que eu escrevi?!, tentei lembrar ao observar, piscando na tela, uma mensagem automática. “Envio concluído com sucesso”.

Entrei, apressada, na caixa de saída e reli a frase. Ok. Aquilo me tranqüilizou, afinal: não havia sido tão ruim assim. Agora chega, respirei fundo mais uma vez e larguei o celular na cama, decidida a ir trabalhar. Levantei, forçando-me à distração cotidiana. Preciso de uma calcinha.

19 comentários:

Looop disse...

Hehhehe, chegou Mel salvando a noite!!
PARABÉNS...O post ta LINDO e o blog viciante!!!

Letícia disse...

cada dia me apaixono mais plelo seu blog, *-*

Nah disse...

dói mto gostar e não poder demonstrar..brilhante o post Mel ;)

Ma disse...

'Merda, o que foi mesmo que eu escrevi?!'
HAHAH bem nessas! Quero undo msg! Já! :(

Lindiiinho dilema de envia num envia! hahahaha
Mais um perfeito, Mel! *-*

Anônimo disse...

Pqp..tô na frente do celular..nesse dilema. e detalhe PELA PRIMEIRA VEZ tô no msm papel que a mia..de ficar com mina de amigo.

Anônimo disse...

Olha.. nem precisei ser paciente. Tu foi mais rápida com o novo post.
Sem palavras para descrever o quanto é ótimo.
Valeu! ;)

Monica disse...

aiaii

soh consigo me lembrar de Mr Brightside *-*

Carol Spenser disse...

velho, esse lance da FM ser meio que "a outra", ter certeza disso e não ter coragem alguma de sair dessa posição me lembra de uma época da minha vida em que rolou algo muito igual... e confesso que foi uma das melhores épocas da minha vida, nostalgia bateu com tudo aqui haha

enfim, mais um post excelente, parabéns Mel ♥

Marina disse...

FM é mto suscetível a qqr coisa q envolva a Mia #arg

Andrea de Lima disse...

essa cena me fez pensar numa coisa: como é a depilação da FM? hahahahaha! conta mais :D

Anônimo disse...

Concordo com a Monica

Ianca' disse...

A arte sapatão de enviar sms *-*
cada detalhe descrito me prende mais nesse blog sensacional!

Cintia disse...

Nossa comecei a ler recentemente, mas devoro tanto o teu blog que já reli outra vez do começo só enquanto esperava por posts novos HSIUAHS Numa curiosidade imensa de saber o que iria acontecer! Parabéns você escreve perfeitamente bem!

Anônimo disse...

Andrea de Lima : hahah tb tenho curiosidade de como a Mel imagina que seja haha
Mas sei lá, ela não tem cara de quem vai em salão HAHA eu imagino como tipo beeeem aparado e acertado dos lados.

Diddy Black disse...

"O nome da Mia figurava no campo do destinatário."

Passei só pra registrar sua criatividade literária total .-.

Hahaha, loucura neh XD
Bjos

Andrea de Lima disse...

é, eu penso numa depilação tipo assim mesmo. nada tãoooo depilado, mas sem aparecer nos cantos da calcinha. ai, meu, broxei com o que eu falei agora, hahahahahaha!

Pathy disse...

Porra, só eu tô lendo o post HOJE???
tem que ver isso aí em Mel!! huahauahua

E como sempre, SEnsacional!!

Amoo

Anônimo disse...

Hahahah realmente broxante ter que descrever a depilação que eu imagino que a FM tenha hahaha
Meeeel, quando tem mais? abstinência já meeu ! haha

Ana disse...

Melzinha, não faz a gente esperar tudo isso! :( Olha, eu sinceramente acho que vc devia lançar um livro.