- »

fevereiro 11, 2011

Ostras, ostras

A quinta-feira chegou e eu ainda não havia recebido notícia da Mia. Ou do Fer, por sinal. Aquilo estava acabando comigo. Só não tinha perdido a cabeça de vez, pois sabia que ele havia dormido em casa – e sozinho –, estava acordada quando ele chegou de madrugada. Não tinha conseguido dormir porra nenhuma, claro; fumei um cigarro atrás do outro e, ao ouvi-lo chegar, não me agüentei e abri a porta do quarto para perguntar como havia sido por lá. “Foi bem”, disse, cansado, e foi direto para a cama sem comentar o assunto. Ótimo. Mais uma série de cigarros começados e esmagados no cinzeiro antes do fim.

Nada na internet, nada pra fazer naquela merda de apartamento. E como a minha cabeça inquieta se recusou a pegar no sono, repetidamente, acabei acordando atrasada no dia seguinte. Perdi, então, o meu colega de apê – e o relatório completo do encontro – no café-da-manhã e ainda ganhei uma bronca do meu chefe. Óbvio. Aquela caminhava para ser a pior quinta-feira de todos os tempos. Contando com uma mensagem na madrugada anterior e uma de manhã, a Mia já havia ignorado dois SMS meus perguntando-lhe se estava tudo bem e, agora, eu me sentia uma neurótica descontrolada por tê-los sequer enviado.

Fora isso, a Marina se recusava a dar sinal de vida e a única mensagem recebida no meu celular era do Gui, completamente alheio à situação, lembrando-me do nosso combinado de ir ao Vegas naquela noite. Ao voltar do almoço, sem ter comido meio prato direito, e me deparar com a caixa de mensagens vazia, senti como se fosse a pessoa mais sozinha do mundo. Por que ninguém fala comigo, porra?!, empurrei o celular na mesa do computador, me deixando chatear por aquilo. Que inferno, mano. Estava quase ligando para o Fer para perguntar o que diabos estava acontecendo. Quase.

Atende, Marina, atende..., tentei mais uma vez algumas horas depois, numa insistência desesperada, e nada. Caixa postal. Larguei o telefone na mesa à minha frente, com desgosto, e subi para buscar a minha vigésima xícara de café do dia na cozinha. Aproveitando o rolê dos vícios e maus hábitos, já dei uma passadinha do lado de fora, em frente ao estúdio, e fumei mais um cigarro. Preciso comprar um maço novo..., encarei o box quase vazio nas minhas mãos, ...não posso esquecer, saindo daqui. Aí troquei três palavrinhas com a mina da recepção, acerca de nem-lembro-o-quê, e desci novamente.

Nada ainda no celular. Mas que droga.

O relógio já marcava quatro-e-vinte passadas, quando resolvi ligar de uma vez por todas para a Mia e perguntar o que diabos estava rolando. Não é como se me faltasse cara-de-pau, não é. Só que... Não. Não, meu, eu não posso fazer isso, repensei no mesmo instante, certa de que ela concluiria que eu estava surtando com a história toda. Tá. Mas eu estou surtando, porra. Por um lado, eu sabia que, caso eles estivessem bem novamente, seria o mesmo que sempre foi. Então, pra quê eu precisava confirmar a droga do crime? De uma forma ou de outra, a idéia de ligar para ela me incomodava. A questão é que, na verdade, aquela curiosidade lazarenta me comendo o estômago de fora pra dentro incomodava mais. Bem mais.

_Oi...? Mia?

15 comentários:

Letícia disse...

Aaaaaaah, suspense de novo! Assim é pra foder com meus pensamentos e mais pensamentos né, vou ficar na expectativa ou na imaginação do resto! KPSAOKSPAK Adoreei! (:

Loop disse...

Agora o estômago comido de curiosidade é o meu...
Porra, mel!!
Agora só tem post novo la pra segunda feira, faz isso não...rs
O post ta LINDO (como sempre);)

Gabriela disse...

ê ê, ansiedade

Ma disse...

Lindo, maas puuuuuuuuta que pariu! HAHAHAHA
Mentira que vc fez isso! :( mentira que vai passar o fim de semana fora e termina o post assim! Socorro, gente! Socooooorro! :(( Pooorra, meu! hahahahah
Tá! Ok! Bom fim de semana! Hahahaha
'hm. 4e20' haha

Beeeijos! ;*

'duuda disse...

ai meu deus, mel. tu não pode acabar o post justamente aí D:
posso vender mesmo meu rim, sério
hahahahaahah
beijo

R. disse...

oq aconteceu?? ela ligou, a mia surgiu?
mel nao faz isso com a gente!!

Anônimo disse...

AHHHHHH Mel, sua sádica genial!
Pô, agora sou eu aqui com a mesma "curiosidade lazarenta" (achei que só eu usasse esse palavrão)....
vai me deixar assim, Mel? Jura??
Bjs
JU T

jamile disse...

responde miaaaaa

Anônimo disse...

Nossa é muita crueldade parar nessa parte meu! Meu Deus eu que vou surtar desse jeito! Sério! Quero post mais rapido possivel se não é ataque na certa! Coração é fraco sabia?! Mas tá muito ótima, mesmo!

Thiago Galhardo disse...

olha a sacanagemmmm fiquei curioso aagora!!!!!!!!!!!

Isa Gratão disse...

Se no blog passado a ansiedade ja tomava conta de mim, imagine agora!? Muito bom Mel.

( Gih ;p) disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaaa que droga mel!!!! pq para de escrever no bom da história! puta falta de sacanagem!!!
Ok, ja te perdoei... cade o próximo post?
hauhuaah

Marina disse...

puta falta de sacanagem hahaha (a mto q ñ lia isso)
galera a meses acompanhando o blog e ainda ñ acostumou, ai ai!
sou da opinião q gente fraca tem q sofrer =x HOHOHO

Pathy disse...

Droga.. é a 2ª vez seguida que leio os posts atrasada!!
Onde eu ligo pra reclamar??!! hauhauahuahua

Deus.. esse suspense todo me mataaaaaa!! :D

Monica disse...

naum liga FM... PLMDDLS

vergonha alheia bateu forte akii

:S