- »

março 17, 2011

Maus modos, claro

_Me vê a da doze.

O cara do caixa me olhou, meio torto, enfadado com os bêbados de sábado à noite que lotavam o bar de caos e decibéis extras, completamente dispensáveis, e procurou a comanda da minha mesa. Colocou-a por fim sobre o balcão, sem dar a mínima para mim. Seu estúpido. Peguei-a para mim para analisar os pedidos – me sentia consideravelmente embriagada, com dificuldade em fixar na cabeça o que eu lia; mas não fora de mim o suficiente para já voltar para casa. Não queria encarar o merda do Fernando. Não tão cedo. o problema é que não conseguiria tolerar mais uma hora daquela baboseira romântica entre a Marina e aquela garota insuportável, ali na minha frente, na mesa. Estava prestes a ser grossa com as duas; bêbada e num estado de espírito lamentável – e, sendo assim, preferia evitar uma ceninha. Busquei no bolso os meus trocados bem pouco numerosos.

_Você precisava sair da mesa assim?! – a Marina encostou em mim, de repente; falando em tom de indignação e tirando a carteira do bolso, apoiada ao meu lado no balcão.
_Eu vou pagar as quatro Itaipavas, a dose e... me vê um maço também, pode ser o Lucky – me dirigi ao atendente atrás do vidro, ignorando-a.
_Hein?! Eu estou falando com você... – ela insistiu, daquele jeito Marina de ser; mas que inferno – Precisava?! – senti aquilo começar a me irritar, estava bêbada e o timbre da sua voz ecoava nos meus ouvidos – meu, você me largou falando sozinha lá, não falou nada, não avisou, deixou a gente com a maior cara de tacho... e... e agora vai embora?! Assim, do nada?! – ela continuou e eu comecei a perder a paciência, ouvindo-a reclamar.

Cara, eu não sei qual é a grande dificuldade em interpretar os sinais mais óbvios! Se eu levantei da mesa, é porque não quero ficar ali. Se fui até o caixa, é porque vou embora. Se não me despedi, é porque não quero prolongar essa porra. Se eu não estou sorrindo, é porque, não, não estou bem. E se você traz a droga da sua namorada para um encontro com a sua ex, você deveria esperar descontentamento. Cacete, é tão difícil assim?! Mas, não, a Marina tinha que insistir.

 _O que acontece com você hoje?! – ela se irritou.

Nada, que é isso... O meu dia foi ótimo.

_Hein?! Precisava dessa ceninha toda?!? A gente estava lá conversando, de boa, todo mundo... que saco, pô. Que que deu em você agora?!?
_Nada... – tentei segurar a minha grosseria, já nervosa, contando as moedas na minha mão; e as entreguei para o atendente. Aí vi ele derrubá-las para dentro da caixa registradora e notei que a Marina estava sozinha ao meu lado – ...cadê a sua namoradinha, hun?
_Meu... – ela me olhou, parecendo realmente não entender – ...qual é o seu problema?! Ela, ela só foi no banheiro, por...
_Ótimo – disse, interrompendo-a, pegando o maço no balcão – assim não preciso falar tchau.

Me virei, já para ir embora, querendo dar o fora logo dali; sentia aquele dia de merda entalando exponencialmente na minha garganta. Mas a Marina, claro, me segurou. Desgraçada.

_O que está acontecendo?!? – ela me encarou, me pegando pelo braço, antes que eu saísse andando.
_Mano... o que você acha?!?! – surtei com ela, tentando manter a minha voz baixa; irritada – eu não gosto dela, você sabe que eu não gosto!
_Espera, você... você está com ciúmes da Bia?!
_Ciúmes?!? – revirei os olhos, achando absurdo sequer ter que me explicar – Meu, ela te tratou que nem merda não faz duas semanas, porra, te fez sentir mal por minha causa, por vir me ver... e agora eu tenho que sentar aqui e ficar fazendo social, Marina?!?! Porra, meu. Você podia ter me avisado, né, caralho!! – me revoltei – Aí eu nem aparecia nessa merda desse bar...
_E o que eu ia fazer, hein, me diz?! Eu estava na casa dela... eu ia dizer o quê?! Ia sair, do nada?!?! – ela argumentou, discutindo de volta comigo, e aquilo me lembrou das nossas brigas; a pior época de quando estávamos juntas – Sério, me diz, você acha que eu não tenho vida, né?! Que tudo gira em torno desse seu mundinho... você realmente acha que todo mundo vai largar o que está fazendo, largar a casa, a comida, a namorada, o trabalho, os amigos...; só pra vir te ver, quando você decide ligar?!
_“Decide”?!? “Decide ligar”?!?! – fiquei indignada, conseqüentemente mais alterada ainda – eu não “decidi” te ligar, Marina... não, não! Não é como se, do nada, me deu na telha atrapalhar sua tarde de sábado, “maravilhosa”, com a merda da sua namorada... vai se foder, mano!! Você acha mesmo que eu “decidi” te ligar?! Que eu não tinha nada melhor pra fazer do que me enfiar numa porra de uma briga com o Fernando e com a Mia, justo hoje; que eu queria estar nessa droga dessa confusão de novo?!?
_Desculpa... eu sei, desculpa, desculpa – ela se apressou em voltar atrás, fechando os olhos em descontentamento; eu podia ver que estava mal consigo mesma por sequer ter sugerido aquilo.
_Desencana, eu vou embora... – disse, meio deixando de lado.

Enfiei o meu maço recém-comprado no bolso, indo em direção à saída do boteco. Não queria mesmo ter que me despedir, não ia esperar a tal da Bia voltar. Não que estivesse realmente brava com a Marina em si, não mais; mas já estava de saco cheio. Então, caí fora. E não olhei para trás – se olhasse, com certeza, a veria chateada consigo mesma por ter discutido comigo; a Marina era sensível com essas coisas, talvez até demais... mesmo quando carregava parte da razão –, só continuei andando. Atravessei a Augusta até o lado da Frei Caneca e segui andando.  

7 comentários:

FANNY disse...

a FM é muito foda com a Marina as vezes :S

Monica disse...

halleluijah..


ela protestou!

Anônimo disse...

aaai a marina ♥

Cintia disse...

A FM é tipo eu quando to bebada HSIUAH Sem contar que tem o lance de nunca querer voltar pra casa HSIUAH Ahh meu tá tenso essa situação hein?! Mas to adorando cada vez mais até as confusões.

Ianca' disse...

Eu gosto da Marina u.u
As vezes queria que a Mia parace de doce, senão eu viro a casaca na minha torcida tsc tsc

Anônimo disse...

NÃO fala assiiim com a Mariina! Pô FM, é a Marina néé!

A Marina é foooda sempre, hahaha *_*

Marina disse...

a Marina vai sempre ser melhor que tudo mundo nessa história *_*