- »

janeiro 04, 2012

O Clássico

Passei pelas cortinas na entrada da Hot Hot, uma balada elitista em pleno centro sujo paulistano, e caminhei por entre as pessoas superproduzidas, distraindo-se escandalosamente. Aquele caos queer da porra da cidade que nunca dorme. Não havia bebido uma dose sequer naquela noite – mas, em compensação, fumado meio maço no banco de trás do táxi, no caminho, para ver se me acalmava. Durante todo o percurso, pensei na Patti. Sozinha, me esperando; todavia incapaz de lhe enviar uma mensagem sequer e me destestando. Por isto, por tudo. Possibilidades estragadas. Inferno.

Desci do táxi sem saber porque direito estava ali, com uma curiosidade idiota e certo rancor da Clara, de mim mesma. Sei lá. Tudo o que eu não precisava era de outra pessoa que me influenciasse assim, que me tirasse do sério, me desvirtuasse o caminho. Não neste nível. Já me bastara o tempo que perdi correndo atrás da Mia. E, convenhamos, nossa história não era das melhores. Entrei na balada incomodada com a impossibilidade de voltar atrás. Mas entrei, embarquei na minha própria decisão, e dane-se.

Nem cinco minutos procurando-a. E a Clara estava lá, linda. Os shorts minúsculos, os cabelos morenos soltos. A camiseta branca vintage do Lynyrd Skynyrd, um cinto marrom largo, as pernas maravilhosas de fora e com um par de uggs, uma delas apoiada contra a parede. Tinha uma cerveja em mãos, estava conversando com um amigo e ainda sem me notar. A três metros, no máximo. Me arrependi de ter ido, merda, por um instante, agora que a via parada ali e dava-me conta do que eu estava fazendo.

Esta garota. Aquilo era uma péssima – ainda que maravilhosa, esplêndida, inegavelmente tentadora – idéia; e eu sabia. Ela sorriu ao me ver aproximar, caminhando na sua direção. Toda magnífica, argh. O amigo cumprimentou-me com a cabeça, brevemente, assim que me reparou ali. “Você veio!”, ela se surpreendeu. Estava animada. Cumprimentei-os de volta com um meio-sorriso, bem menos empolgado, e fui pro bar logo em seguida. Não sentia vontade alguma de ser bem educada, não assim.

Encarei o cara do outro lado como se estivesse prestes a cometer um erro muito grande. Respirei fundo e apoiei as mãos no balcão, séria. Pedi-lhe uma dose de whisky com energético e poucos segundos depois, a Clara parou ao meu lado, encostando com a lateral do corpo na parede. Não lhe disse nada, sequer a olhei. Pediu algo também para si, uma cuba libre, acho; e me encarou, genuinamente contente por eu estar ali. Tarde demais para voltar agora. Dei o primeiro gole, conformada. Tentava entender, na minha cabeça bagunçada, o que diabos eu estava fazendo lá.

_Você foi uma babaca comigo... – disse então, quebrando o silêncio e colocando o copo de volta ao balcão, aí a encarei com calma – ...sabia?!
_Eu... – ela me olhou surpresa, apagando imediatamente o sorriso da cara e voltando-se também de frente à bancada, constrangida, apoiando os braços da mesma forma – ...eu sei.
_E eu não deveria estar aqui – prossegui, ignorando-a já com o copo novamente em mãos, e enrolei antes de dar mais um gole –, mas estou. Agora eu é que vou ser uma imbecil completa com outra pessoa.

Ficamos em silêncio. Era verdade. Dei outro gole – agora que eu já estava lá, parada ao lado dela, sentia-me frustrada e irritada ao mesmo tempo. Enfiada numa merda de uma balada lotada e escura, mal ouvindo a minha própria voz. Argh, puta merda. Eu tinha umas também, como diria a minha mãe, que às vezes pareciam duas. Uma capacidade fora do normal de me arranjar problema para a cabeça, maldição.

_Você não precisa ser... – comentou.
_Pois é – suspirei, estranhamente concordando com ela –, não “precisava”, né.

Aí me dei conta, não é culpa da Clara. Passei as mãos na cabeça, internamente revoltada com a minha babaquice inesgotável. Aquilo era demais, até mesmo para mim. Eu não tenho um puto de moral, porra. A Clara não tinha nada a ver com aquilo, eu tinha. E aceitar isto me doeu como nunca antes. Por livre e espontânea decisão, engoli seco. Parte de mim não podia acreditar que eu havia, de fato, largado a Patti sozinha a três quarteirões da minha própria casa.

_Mas você veio... – a Clara segurou um sorriso e me olhou.

Tá, ok. E agora o quê, esperteza? Não havia planejado esta parte do meu grande e impactante discurso. Era só isto, todo o meu argumento e que sequer parecia se estender mais a ela. Observei-a, me olhando de volta, os olhos serenos e amendoados, castanhos. Senti a curiosidade voltar, aos poucos. Como uma coceirinha, dessas sutis, que não incomodam tanto. Merda. A desgraçada da Clara ainda conseguia, com sua pinta filha-da-mãe de argentina, se inocentar de qualquer erro seu por mera existência num mesmo local que eu.

Ô droga, viu.
 
Bem no fundo, eu guardava uma amargura terrível dela. Por meses, dentro em mim – e ofuscada, de certa forma, pelo que eu sentia pela Mia na época. Mas estava ali, imersa. Fazendo par agora com a raiva que eu sentia de mim mesma, claro. O meu peito pesava, a respiração seguia acelerada. Encarei-a com certa grosseria, numa atitude inevitavelmente transparente. Cara... Como odiava garotas que me intrigavam assim, que me atraíam sem esforço algum. Contra todas as boas razões para eu não estar lá.

“É, vim...”, respondi irritada e num impulso contínuo, empurrei-a contra a parede cool da Hot Hot, em estampas psicodélicas. Apertei-a com o meu corpo, violentamente, num dos beijos mais rancorosos que já dei numa garota. Ah, foda-se também.

31 comentários:

Vitória Régia disse...

CAARAAALHO, JÁ IMAGINO AONDE ISSO VAI TERMINAR HAHAHHHAAHA

Marj disse...

Aiiii que raiva dessa FM, deixar a patti sozinha la e agora vai se atracar com a Clara, pqp hein u.u

Anônimo disse...

E eu toda inocente achando que ela ia mudar de ideia e correr pra encontrar a Patti...Me enganei...PQP F.M. PQP!

Anônimo disse...

"Ah, foda-se também" OOOOWW. FM representando mai suma vez hahaha

@carlitaelias disse...

E eu toda inocente achando que ela ia mudar de ideia e correr pra encontrar a Patti...Me enganei...PQP F.M. PQP! +1

Sinceramente, que raiva que me deu. Vou te contar, viu!? Que capacidade de estragar tudo tem essa F.M. Que capacidade!!

Beatryz Ramos disse...

Olha Clara, nada pessoal mas vc não tinha nada q aparecer agr q a FM tava de boa com a Patti! u.u

Anônimo disse...

E A PATTI PORRA? ):

Dea disse...

parece a primeira cena de sexo entre a Jolie e o Pitt, em Sr. e Sra. Smith, haha! foi lindo, ainda que eu esteja com raiva da FM. fdp, hunf. tou pensando na Patti sozinha, meu... ai da FM se ela nunca mais pegar uma mina por trauma, hahahaha!

( the girl fucking Mia ) disse...

Confiem em mim, meninas. Confiem em mim.

Dea disse...

vai rolar um threesome? hum... bem que podia, né? muahahaha!

Beatryz Ramos disse...

Já q a FM trocou a Patti deixa q eu vou la assistir o tal filme com ela! (: rs

( the girl fucking Mia ) disse...

Aí, sim... #DaniTeam ♥

Anônimo disse...

Fiquem quietas, meo. Vcs fariam igual! Tô com a FM na boa.

Anônimo disse...

Já quero a linda da Dani de volta... Aquelas... hahahaha

Anônimo disse...

Putz...esse post foi para tirar nossa fé...se bem que eu já esperava algo do tipo. Se a FM não fisesse uma merda, não seria ela.
Agora vamos esperar que essa história volte ao seu rumo normal, pq ela já teve seu mote para a tragédia.

Amanda disse...

E eu toda inocente achando que ela ia mudar de ideia e correr pra encontrar a Patti...Me enganei...PQP F.M. PQP! +1

Mas, ah, essa pinta argentina é uma ótima justificativa.. Só acho que devia ter mandado uma sms pra Patti. E acho que agora é a vez da FM ser a idiota com a Clara, porque uma vingançazinha nunca matou ninguém.

Daniela_D disse...

Eu tinha deixado a Clara na vontade e iria encontrar a Patti.

Muito legal o Blog, parabéns! Está empolgante!

Anônimo disse...

NOSSA, ñ tinha pensado nessa! VINGAAAAAAAAAAANÇA!! clara vai comer poeria..

'duuda disse...

MEU DEUS DO CÉUUU
pobre da patti, gente :~~
FM retomando sua podridão habitual, be careful, girls aouheoiauhohe

Anônimo disse...

Ah não, é muito filha da puta essa Devassa... Queria mesmo que ela tivesse ido encontrar a Patti :(

Anônimo disse...

Nao, nao, nao :( Poxa Mel, ta tudo errado hahaha

Anônimo disse...

Ah meu.... Desde o começo do post eu sabia que isso ia acontecer! U,U
ela podia ter mandado uma sms pra patti SIM, mas ela tava muito confusa né! E ela não está nem um pouco certa de ir se atracar com a Clara! Devassa estraga tudo! Aff
hehe muito ansiosa pelo proximo post!
Quero ver a casa desabar de vez! :D

Pathy disse...

e a Patti?!:(

Só digo uma coisa, sexo por vingança.. que nunca?! ah gente :S
HHAHAHAHAHHAH Acaba com ela FM, no bom sentido é claro!! hihihi

Ma disse...

Amei a filha-da-putice, amei. AHAHAH
(não to me colocando no lugar de ninguém da história.. pra evitar apego e dó de personagens hahaha só amei!)

Legal história não-certinha assim! HAHAH e TÁ BOA que ninguém nunca deu dessas ou levou uma dessas hahahahahah

"Ah, foda-se também."

Ianca' disse...

Tô tão estranha, nem sei o que sinto em relação a esse momento, euforia, raiva, decepção, PORRA FM hahahaha

Anônimo disse...

Talvez terapia resolva... talvez um trauma de infância bem cabuloso e reprimido justifique tamanha babaquice... ou talvez ela seja assim mesmo.

Torço para que a Clara repita a dose, talvez assim FM acorde pra vida (ou não).

Anônimo disse...

Enquanto a Mia não aparece eu prefiro mesmo a Clara, mas foi mancada com a Patti.

T disse...

Óbvio que a FM não encontrará mulher decente na Hot Hot... Ela tem que ir pro Milo, muito mais a cara dela. Rock, marijuana n' alcohol all night long.

Daniela_D disse...

Tem um porém! A FM já esteve com a Clara e passaram por coisas legais juntas. Por mais que a Clara tenha sido FDP, elas não tinham nada sério qndo aconteceu, isso é fato.
Mas ainda acho que ligar para Patti e desmarcar seria mais digno!

Rayssa disse...

Claaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaara *-----*

muuuito bom .6. HAHAHAHAHA

Anônimo disse...

Meu, tô puta aqui com a FM. CARALHO, viu?! PQP