- »

janeiro 20, 2012

O Efeito Casimir

Sentia o coração acelerado, agora em silêncio total – entrando no meu quarto, as luzes apagadas e a Clara já deitada, acomodada na cama. Uma batida atrás da outra, merda. Atropelando-se, fortes. Isto não é certo, cara. Tomar no cu. Suspirei. A contragosto, doloridas, as lágrimas continuavam engasgadas na minha garganta. Não comigo, garota; não assim. Minha respiração acompanhava o ritmo acelerado do meu pulso, dificultando-me encher direito os pulmões. De raiva, imensurável frustração. E de um momento para outro, a minha cabeça parecia se esmagar com o pesar de toda a fumaça que eu respirara por horas na mesa de jogo, de todos os cigarros, os baseados, os copos de whisky e Coca com vodka, toda a confusão no corredor.

Bastaram dez minutos – entre estar lavando a louça remanescente da noite de apostas na cozinha a enfim a porta do meu quarto. O que diabos foi aquilo? Eu me deixava torturar pelas possibilidades, de repente. O que diabos...? Em meio ao breu, as pernas plenamente descobertas e cercada de travesseiros, a Clara me chamou. Como se confirmasse que era mesmo eu quem estava ali, parada há minutos. Estava em pé em frente à porta.

Por que, por que... diabos ela...?

Argh.
Alguns sentimentos são piores quando se está bêbada. Neste nível. E eu sentia o meu coração doer de dúvida. Contorcer-se e rasgar, repentinamente sufocado, sem ar – indignado e contrariado pela invasão recorrente da Mia à porra dos meus órgãos, ao meu corpo. Aos meus pensamentos, mas que inferno. Por que, cara..., lamentei, por que você não me deixa em paz?! Sentia uma raiva como nunca antes dela, da sua atitude. Por quê, caralho?! A minha cabeça corria a mil, imersa uma a uma nas suas palavras, tentando em vão processar a discussão e esforçando-se para lembrar de tudo o que eu havia lhe vomitado sem pensar nas conseqüências. Não queria lidar com aquilo, não mesmo.

Mas, de alguma forma, me via obrigada. Meio abruptamente, sentei na beira da cama e acendi um cigarro para me acalmar; com os pensamentos todos obcecados pela Mia. Maldita. E pelo que eu nunca deixara de sentir por ela. Presa para sempre neste rolo de merda, argh. Não, me contive no mesmo instante, isto não. Porque ela, não, não merecia mais nada de mim. Mais nada. Você bem sabe... tudo, garota, tudo o que eu te dei. E que nunca te importou a mínima. Tudo o que eu cedi de mim. Do meu foco, da porra da minha vida, da minha lealdade, das minhas traições, das minhas amizades..., traguei lentamente e as mãos da Clara passearam suaves pelas minhas costas, ...do meu coração, da minha frustração. Da minha dor.

É. Não dava a mínima para ela! Mas lá estava, de repente. Inconveniente. E agora você vem, né? Balancei a cabeça, indignada, soltando a fumaça junto com a minha raiva, fora de controle. Agora, né, porra?!, ri de nervoso. A Clara notou e perguntou se estava tudo bem, sentindo a tensão no ar, mas eu a ignorei, completamente voltada aos pensamentos. Por quê, hein?! Por que não veio meses antes, por que me colocou nesta, por que me fizera passar por tudo aquilo. E não pense por um segundo, desgraçada, que a culpa não é sua. Há muito tempo e com muito, muito custo me convenci de que não foi erro meu. E não foi.

Foi seu, garota.


Progressivamente os meus pensamentos iam à contracorrente, me sufocando. Ela, porém, me desarmava sem esforço. Ah, maldita. A minha respiração pesava, cada vez mais. Você não podia vir quatro, cinco meses antes? Continha as minhas lágrimas com certo esforço. É erro seu porque eu que tive que te esquecer, que me forcei a te esquecer. Que me forcei a não passar mais por esta merda, a não te esperar, a não te querer, sua filha-da-mãe. Dei mais uma tragada e amassei o cigarro contra a parede, num impulso. Não conseguia fumar, inquieta.

Joguei-o pela janela aberta. Sequer me importava com o pedido repentino, com o drama todo, a situação com a Clara, o seu ciúmes. Não era novidade para mim, então foda-se. Poderia até esperar, antes, que o fizesse – certamente não previ a audácia, mas bem sabia que ela retia estes pensamentos dentro de si, que a detestava. Ela..., senti a minha cabeça confusa, ...e ela não..., passei ambas as mãos no rosto, frustrada, pensando na Mia. Pensando por que o que me incomodava, o que de fato me incomodava, nas suas palavras... era apenas uma.

“Nunca”. Uma palavra que lhe escapara. E que agora levava aos meus olhos as doloridas lágrimas até então engasgadas na minha garganta. Como não? Como não disse? Elas desciam lentas pela minha pele, indesejadas. O choro me causava dor de cabeça, ficava tensa. Não, espera. Não disse. Chorar, de fato chorar, me era extremamente desconfortável. A mim, que sempre contive as expressões mais óbvias de tristeza. “Eu nunca disse isto”, lembrei dela dizendo, contrariada. Respirava com pesar e tentava, num esforço desproporcional, reter as lágrimas. Não disse. Ela, ela não disse. Nunca disse – a Clara sentara ao meu lado e colocou, conforme as implicantes linhas molhavam o meu rosto, os braços ao meu redor. Internamente, eu não me conformava: Você é uma covarde, sabia? Ah, você é tão, tão covarde... Mia.

Porque dizer-me e só então era covardia. Das piores. E a Clara também disse, neste meio tempo, algo – mas eu, conturbada, não conseguia prestar atenção nela. Por um instante, a sua voz me parecia realmente longe, distante. Acho que perguntou se eu queria que ela fosse, não sei. Não a ouvi direito e não a respondi: ela ficaria. A minha confusão ressoava alto dentro da minha cabeça. Ainda que não disse, eu sei melhor. Me forcei a contrariar a (ainda que) mera sugestão do que ela “nunca dissera”. Você..., enxuguei as minhas lágrimas do rosto, com rancor, e me obrigando a acreditar no contrário, ...você nunca me amou.

E você não me ama agora
. Já chega.

32 comentários:

Jamile disse...

a mia ama a FM simmmmmmm =(

Anônimo disse...

UAU

bru disse...

intenso.

Dea disse...

ai, posso falar? a FM é muito marrenta. caralho, meu! pra que tantas paredes? ela construiu uma muralha da China, praticamente, ao seu redor. paredão anti-Mia. só que é um paredão transparente. ela vê tudo. tudinho! mas não se permite entrar em contato. tá, a Mia não falou que a amava? BIG-DEAL! eu até achava que ela tivesse falado, na verdade, de tão fofa que ela era. covardia não é sinônimo de nada dessas coisas que a FM tá falando. covardia é sinônimo de medo e pronto. só. a FM precisa de terapia, sério. qualquer dia vai contrair um tumor, tamanha é a raiva que ela usa para não se permitir.

Mel, eu te amo, tá? não briga comigo, hahahahahahahahaha! quero Skype :)

Ianca' disse...

Ah não :(
Sei que é justo esse momento dela, mas eu tava tão felizinha :/
Enfim, tadinha da FM! Chuta a Clara vai...

Anônimo disse...

Cruelmente intenso.

T disse...

Gosto de estar bêbada e encontrar um post novo.

Anônimo disse...

Casemir? Me sentindo burraldo pro nao sacar de imediato....bjs Ju T

Anônimo disse...

Pobre TGFM... Nada pior que esses mind games de Mia, a confusa. Mia gosta de duas pessoas na verdade. Essa historia ainda vai se ajeitar com um pouco convencional triangulo amoroso....
Texto cada vez melhor, se é que é possivel.
beijos
Ju T.

Anônimo disse...

Foda!!!

Anônimo disse...

Efeito Casimir, Teoria das Cordas...

toda nerdzinha vc, heim, mel.

hahahaha

Anônimo disse...

manda a mia tomar no cu.

Anônimo disse...

Wow, sofri junto com a FM agora.

c' disse...

gnt mas qe confusao qe a mia faz na cabeca da pessoa hein gnt.
tenho peninha dia mia pq de um certo modo ela gosta da fm. E tenho pena da fm pq a mia deixa qalqer um doido gnt. Qe confusao.

Anônimo disse...

Mia, tão linda mas tão filha da puta =\

Anônimo disse...

Pobre da FM, quando ela achou que tava bem... Tudo isso acontece.

Anônimo disse...

FM chorando... Apocalipse?????
cada vez mais perfeito!

B. disse...

Cada vez mais odiozinho da Mia...
Não é justo o q ela faz com a FM!
Usando as palavras da própria FM: Já chega!
Não quero q ela fiquei com a Clara, já chega de fdp na vida dela!
Mas uma Marina 2.0 seria uma boa...
Se bem q a FM tem uma quedona por fdp's, até pq ela tb é uma bela representante dessa classe!
Não levem isso p lado negativo, pois é possível ser fdp e ser booa!!
Eu, por exemplo, gosto de ser assim!!
XD
beijos e até o próximo!!

@carolcastr disse...

A Mia é foda... Mas claro q ela ama!!!!



Mais, mais, mais!!!

Juliana Nadu disse...

o óbvio tão óbvio!

Anônimo disse...

gente.....oq foi isso?
porra tava tudo ali......sempre teve ali.......soh a fm tentando disfarçar....e a mia?
A mia é aquela menina q todo mundo quer ter......pq é das compliacadas q gostamos mais......

Anônimo disse...

Sinceramente, ja esperava tudo isso da pessonagem oculta... E gostei muito da melancolia, da explosão q, é exatamente o q a Mia faz comnela... O + legal, é a raiva da pessonagem oculta, do fato d ñ ter o total controlhe sobre o q, sente pela mia. Ter raiva da Mia, pelo simpres fato dela afeta tanto, a sua parte + fragil.
+é o amor, "ninguem é feliz d amor, as pessoas sofrem de amor, no bom ou no mal sentido"... Coisa q concordo com a pessonagem oculta :)

Ana disse...

&uteMuuito bom o post, a Fm ; bem fexada para expor o q sente e se expos a para a Mia... E por ela ñ ter feito nada a respeito, Fm deduzil q Mia nunk ah amou.... Vendo o lado da Mia, axo q se podecemos ver o q ela pensa a respeito d toda essa situação, veriamos o arrempedimento d ñ ter dito nada na bosta daquele elevado, ou d ñ ter dito o quanto a Fm a mexe com ela, quando a Fm foi na ksa dela e ela escolheu o Fernando... + tenho certeza d quanto deve esta sendo torturante para a Mia, ver Fm com outra e principalmente a Clara a garota a qual Fm entrou na maior depre, a garota q talvez possa fazer Fm se apaixona.
A Mia.... A Fm t ama, e como t ama, mesmo tentando nega isso para si mesma. E toda a confusão, Fernado ou Fm, é Fm sempre foi ela... Bem la no fundo vc sab ;)

lu disse...

:(

Pronto! Tá lá, ela, juntando os cacos!
Me deprime...
Nos velhos tempos, esse dilema não chegaria ao final do post... por birra, ela já daria toda a atenção à Clara... e agora?

:(

Anônimo disse...

Pelo amor de deus posta a continuação Mell...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh (grito angustiante)

Célia Matos disse...

HáHáHá...morro de rir das analistas, cada uma mais doida que a outra.

Eleanor disse...

Depois desses posts fodas, ainda consigo pensar apenas em uma coisa: E A PATTI LINDA? :(

Thaynan disse...

Tá cruel!

Cadê o próximo??? =/

Ana Paula disse...

Comecei a ler domingo e me apaixonei perdidamente pelas personagens e já li todos os post e não vejo a hora de ler o próximo. Tá de parabéns Mel a sua história é absolutamente incrível :D

Anônimo disse...

Pooxa, eu chego no trabalho e abro o blog, todos os dias, na esperança de tar algo novo, e quando tem fico mó feliziinha aqui, tá demorando ta demorando. rs. tá lindo, parabéns ^^'

Pathy disse...

Depois desses posts fodas, ainda consigo pensar apenas em uma coisa: E A PATTI LINDA? :( +1


e Mel já pode postar o próximo :D

'duuda disse...

ta permitido chorar com a FM? :~~~~