- »

janeiro 27, 2011

Flashbacks urbanos

Os semáforos já haviam parado de funcionar, piscando inertes em meio à madrugada. Aquela luz amarela se acendia, toda cheia, num contorno redondo, e depois se apagava. Aí piscava de novo, forte. De repente, sabe. Diante dos meus olhos, incansável, a observava indo e vindo. Fechava as pálpebras, sentada confortável no banco de trás, e sentia que o mundo cintilava ali de fora para dentro de mim. Encostada na porta, o rosto no vidro frio, sonhando acordada com os detalhes daquela “volta” no banheiro escondido da Mia. Um segundo, e eu estava de novo contra a parede; os ladrilhos de um lado e ela do outro. O meu corpo latejava junto com o sinal, as luzes amarelas, piscando. A minha memória dela era intensa, vívida.

O carro andou, mas meu pensamento não se movia. Podia vê-la, maravilhosa, descendo na minha frente, no fundo da minha imaginação. Viramos a esquina; os lábios dela encostaram na minha barriga. Senti um arrepio. Abri os olhos e vi a cidade se mover do outro lado do vidro; aí, de repente, mais um beijo. Meu deus. Podia senti-la como se estivesse ali, comigo, mas permanecia sozinha. O táxi seguia pelas ruas escuras de São Paulo, nenhum ruído lá fora ou aqui; os nossos sons contra as paredes do banheiro enchiam os meus ouvidos, a minha cabeça, me enlouqueciam. Eu divagava. Mais uma esquina, mais um beijo; a língua dela corria do meu umbigo até mais... e mais embaixo. Suspirei, com a ponta do dedo entre os lábios. E me ajeitei no banco, desconsertada. Os olhos da Mia me observavam da altura das minhas pernas... me abaixei e beijei-a, lembrei; o meu cabelo deslizava pelos seus ombros descobertos e o seu gosto voltou à minha boca. Mais uma esquina, mais uma.

As suas mãos seguravam o meu rosto, de leve, perto do seu; sentia os meus joelhos contra o piso frio, abri os olhos. Reconheci a Augusta. Estamos chegando. Os meus dedos escorregavam por entre as coxas dela; ainda estávamos quarteirões demais para baixo. Passei a mão no meu pescoço, uma mancha discreta se escondia na lateral, por entre o meu  cabelo; tocando-a assim quase podia sentir a Mia me machucando de uma forma agradável. Ahh. Mais um semáforo, minhas pernas se apertavam.

A rua continuava, cinza e desabitada, porém de certa maneira bonita. Aí sorri. Que noite…, pensei, dando razão para o que ela me disse apoiada na janelinha do banheiro antes de começarmos tudo de novo, ...que noite, meu, incrível. Lembrava de cada palavra, cada movimento, por mais mínimo que fosse; cada segundo. E queria mais. Desesperadamente, queria mais. Daquilo, de tudo. Dela. Era sempre, sempre ela. Na minha cabeça, me invadindo daquele jeito. E, no entanto, acabaram-se as esquinas. Cessaram-se, então, também os beijos.
   
_Pode encostar aqui, vou descer ali perto do... – pedi ao taxista, apontando um bar cujo nome não me recordava, desistindo de dizê-lo.

Contei os reais no meu bolso e enfiei o troco atrás da calça ao sair. Entrei num boteco sujo pra cacete, como era de se esperar, e pedi um maço de cigarros para o dia seguinte – tendo esvaziado o meu atual, com a Mia, nas horas antes. Por que o sexo é diretamente proporcional à nicotina? Enfim, que seja. Saí novamente na calçada, jogando o plástico de um Lucky Strike na sarjeta, esperando para atravessar a rua. Coloquei um dos cigarros na boca, conforme passava pela linha desenhada no asfalto, entre as duas faixas. Um carro vinha ao longe, sem riscos.

Cheguei ao outro lado acendendo a ponta livre e guardei o isqueiro mais uma vez no bolso, enquanto caminhava em direção à Frei Caneca. A noite estava nublada, mas agradável, de um jeito bem paulistano. Um bêbado qualquer mexeu comigo – com uma cantada cretina, claro – e eu ignorei categoricamente. Segui andando. Virei a esquina em direção ao meu prédio, sem vontade alguma que a noite acabasse. Poucos metros antes do portão, peguei o celular e disquei.

_Você... – soltei a fumaça para o lado, ainda andando pela calçada – ...me deve um maço.
_Devo? – ela achou graça.
_Com juros.

37 comentários:

Nah disse...

Esse blog é viciante,quero sempre mais..rss

minduh disse...

ai, meu deus..

essa hora, esse calor... essas coisas.

Carol Spenser disse...

"Porque o sexo é diretamente proporcional à nicotina?" - isso que eu sempre me perguntei usahusah'

pra variar, mais um post genial. sério, ainda vou surtar lendo o que tu escreve Mel *-*

@a_lips disse...

Pra mim é proporcional as unhas.. Pqp não consigo parar de roer :(

Bom..bom o post!

Anônimo disse...

Gosteeei ! Vai ter mais? :) porfavoooor

Letícia disse...

Fico todo dia na espera de mais, mais e mais, viciei ! *--* Amo esse blog! (:

( the girl fucking Mia ) disse...

Vai, siiim... Provavelmente amanhã! ♥ Muito obrigada pelos comentários e pela paciência, lindas(os)!

Anônimo disse...

Eu que agradeço pelo post, lindaa !

Isa Gratão disse...

Tem gnt bisbilhotando a vida dos outros pra escrever seus post né?! Mel querida ficou ótimo o post de hoje. Esse jeito q vc escreve meio sensual não ao ponto de ser erótico, mas o que o erotismo fica só na nossa cabeça, fascina qualquer um. Parabéns

Amanda disse...

Acho fantástica a maneira como tu descreves os sentimentos da FM e eu queria muito um postzinho especial onde a Mia narrasse pra que pudéssemos ver a história com o ponto de vista dela.
Elas são duas lindas, mas felicidade assim nunca dura tanto, né? Vamo ver...

=*

Looop disse...

Adoro quando o post vem assim, cheio de detalhes *.*
PARABÉNS pelo post, talento, criatividade...
Bj

Milk :D disse...

Com tanta frase linda fica dificil escolher qual eu vou tatuar

Beth Gibbons disse...

nossa, delícia, q detalhes...
amei..

Carol disse...

Adoooro!!!
Nuss...

Cogumela =) disse...

Que feio, jogando lixo no chão.
FM é minimamente responsável pelos alagamentos paulistanos.

=P

Ianca' disse...

Ca-ra-lho!

Andrea de Lima disse...

a Cogumela falou o que eu ia falar!a FM SEMPRE joga cigarros ou o plastiquinho no chão. feio, feio. sabemos que ela tem como desculpa uma quase-licença-poética, mas continua sendo feio. mas, de qualquer forma, post delicioso. até daqui a pouco ;*

Anônimo disse...

Mel, seu sobrenome é perfeição!

Dynha disse...

Poxa Mel... a cada "episódio" isso se torna mais viciante...
o Fucking Mia deveria virar um seriado... #FIKDIK...

'duuda disse...

ai gente, preciso parar de atualizar isso aqui toda hora, fico nervosa
hahahahaha
ta demais, mel, sério!
beijo

Anônimo disse...

Ontem fui no show do D2 e eu lembrei da nossa autora hahaha. Só eu e uma amiga sabíamos cantar ELA DISSE, aeae \o/. Balanço de amor é assim... ;)

Ma disse...

Só uma coisa: Apaixonada por 'Flashbacks Urbanos'.
Fim.

Ivett disse...

Valeu a pena esperar. =)

Andrea de Lima disse...

não entendo pq vc não coloca comentários no Oh baby. ou tem e eu não sei? :O whatever, entendi tudo agora. não precisa agradecer, viu? a piscina já foi o suficiente, hahahahaha! brincadeira. MESMO! imensamente lindo o post do beijo, meu. tão perfeito quanto o vídeo, cada qual na sua perfeita inocência.

besos e até qualquer dia ;*

( the girl fucking Mia ) disse...

Não tem, flor! :(

E não coloco por um motivo meio infantil: não tem muitos acessos no "Oh Baby, Coffee!" e acho desmotivante a falta de comentários em blogs.

Portanto, prefiro postar lá como se estivesse escrevendo só para mim mesma ou para as pessoas a quem se referem os posts...

Mas claro que preciso te agradecer, meu!! hahahaha Tirando eu e a dona musa inspiradora, você foi a maior colaboradora desse último! O que eu faria sem você? ♥ hahaha

Buenas... Considere o post de lá comentado (aqui). Obrigada, fofa! Até amanhã!!

Beijos!
;*


ps. E, PESSOAL, AGUARDEM UM POST AQUI NO FUCKING MIA AINDA HOJE... TÔ ESCREVENDO. ;)

Marina disse...

apologia a drogas, cigarro e bebida, bem bonito :P

( the girl fucking Mia ) disse...

E sexo, né... que absurdo. ;)

Marina disse...

e promiscuidade... como pude eskecer hahaha
alguem enganou a gente dizendo q postaria hoje Oo

( the girl fucking Mia ) disse...

Sem esquecer os palavrões e a homossexualidade, claro. ;) hahahahaha

E não enganei, eu bem tentei! Ontem, até bem de noitinha, mas não estava fluindo de jeito nenhum... retomei o post agora, vamos ver se sai! ;*

Marina disse...

eiii.. homossexualidade e palavrões são assuntos liberados pq m envolvem (H)

a intenção foi boa, mas eu não dormi esperando por ele =/
#pegadinhadomalandro, eu ñ dormi, pq ñ dormi, mas fikei esperando

Anônimo disse...

Os posts viraram semanais, quinzenais ou mensais? Quanta demora em postar.

Anônimo disse...

Ai ai realmente não podemos esquecer do sexo e homossexualidade *-* HAHAHAH

( the girl fucking Mia ) disse...

Marina, nesse caso... Preciso justificar que acho a liberdade de fumar, beber, consumir e dormir com quem quiser tão bonita quanto a homossexualidade e palavrões. Apesar de não fazer muitas das coisas que aparecem no blog, coloco todas essas categorias no mesmo nível, porque acho lindo mesmo o livre-arbítrio. E porque o que o conceito do que é um modo de vida "correto" me incomoda um pouco :)

Aiiin, desculpa se te deixei esperando :( o post novo acaba de entrar, espero que goste! :) :)

E, anônimo, a freqüência das postagens sempre foi de acordo com a minha inspiração e disponibilidade para escrever. Não leve a mal... please. :)

Obrigada a todos que leram/comentaram ♥

Anônimo disse...

( the girl fucking Mia ) levo a mal não. É que ficar determinado tempo sem ler tua história se torna um martírio p/ mim. Afinal, é foda!
Mas de boa, valeu. Vou tentar ser mais paciente. ;)

( the girl fucking Mia ) disse...

Aww, que fofa(o)! ♥
Vou tentar postar mais também... sorry :/

Marina disse...

Ihhhhhhhhhh eu jah vi essa história, janeiro no ano passado vc postou 30epokos posts em janeiro (se ñ m engano). Deixei acumular, passei um tepinho lendo td =P

Anônimo disse...

( the girl fucking Mia ) é fofa tá.
Façamos o que dissemos então, eu tento ser paciente e tu postar mais. Quites!

Beijão..