- »

março 08, 2010

Portas destrancadas

_O que você quer? – perguntei, ao abrir a porta.
_Por que você está assim? – a Mia me olhou de volta, chateada.
_Meu, por que você está aqui?
_Eu quero falar com você.
_Não no quarto. No apartamento, Mia!

Ela me encarou por algum tempo, hesitante.

_O Fer... – suspirou – ...é o meu namorado.

Ouvi ela justificar, quase cochichando, sem confiança alguma no que estava dizendo. Seus olhos me observavam, vulneráveis, e ela respirou fundo. Tá. Mas você não é mais namorada dele, pensei. E de repente, fui tomada por um sentimento violento. Uma vontade imensa de estar com ela me subiu pela espinha e eu simplesmente a puxei na minha direção. Segurei-a pela parte de trás da cabeça, entrelaçando os meus dedos no seu cabelo, e a beijei com força. Ela me encostou contra a parede imediatamente e me beijou de volta, por intermináveis segundos.

Merda. Não posso. Eu a afastei, completamente confusa, e ela ficou me olhando sem entender. Eu abaixei a cabeça:

_Olha, eu não estou pedindo nada de você – murmurei –, mas também não espere nada de mim.
_O que você quer que eu faça? Eu não posso simplesmente terminar com ele... – ela sussurrou – Eu não posso, eu... Não dá para terminar tudo só porque...
_“Só porque” o quê? – retruquei, tentando esconder a tristeza que eu estava sentindo – É tão irrelevante assim?
_Você não entende, eu... Eu precisava vir. Eu não podia simplesmente dizer não! Ele ia... ia perceber que alguma coisa não estava certa...
_Porque não está mesmo, Mia! – argumentei, com raiva.

E me arrependi logo em seguida. Cruzei os braços e encostei na porta, olhando para o chão. Ficamos caladas. Ela me olhava, inquieta, ansiando por qualquer movimento meu. Mas eu não fiz nada. Eu tô entrando na boca do lobo, me frustrei. Inferno. E então a Mia me segurou pela mão, num gesto inesperado. Subi o olhar até o dela e ela sorriu. Havia um certo conforto em vê-la sorrir para mim. Puta que pariu. Ela é tão linda. Encarei-a de volta e, por algum motivo, tudo pareceu estar bem de novo.

_Acho que isso quer dizer que não vamos sair hoje, né? – ela riu.
_Vamos fazer o que você quiser – respondi, como se não pudesse evitar.
_Eu quero ficar com você – ela disse.
_Então é isso que vamos fazer.


12 comentários:

Mari disse...

Depois da treta, ai que fica bom! ahaha (6)

Anônimo disse...

ai vc me mata,mto bom!!

fabiana disse...

e assim caminha a humanidade com passos de pervesidade...Mia me surpreendendo...

Amanda P. disse...

Cara eu só dou risada nesse blog!!!
Adoroooo....
Meninas são sempre complicadas né....

Meninas, mulheres, garotas...vai entender!!!! rs rs rs...

E.............o sinal abriu, e um TAXI atropelou o Fer, e elas puderam ficar juntas pra sempre!!!.......

Ah que droga...que maldade!..rs
Volta pro AP Fer.....rs

Tatá disse...

hehe, valeu esperar o fds pra ler. 2 de uma vez! =)

Lu disse...

É valeu esperar!

Anônimo disse...

kkkk que delícia,me pego em várias situações parecidas com as que a mia vive, me vejo nela, e até já me inspiro nela rsrs.... adoro esse blog.

Cris. disse...

Cada vez melhor! *.*

Larissa disse...

mtoooo bom! =DD

Juliana disse...

Hhuhauaha adorei o taxi da Amanda!kkkkk
Melll e aí as duas pegam todas as compras e vão p/ casa da Mia! kkk


Adoooooro!

Posta maaaaaaaaaaais?!

Pú favôôô!!!!! rsrsrs ;p

Bjokas

Carla Andréa disse...

esse blog é vicianteee.. bom d+

fotógrafa/SP disse...

aiiii, emocionante...