- »

março 23, 2010

Insistência

Pior do que tomar um “não” na cara é ficar assim, à deriva, sem saber. E lá estava eu, plantada na frente do prédio da Mia, sem saber de porra nenhuma. Que inferno. Internamente, eu estava me odiando por ter me enfiado naquela situação ridícula, me arrastando de joelhos por uma garota às 4 da manhã em pleno sábado à noite, enquanto eu poderia estar com alguém menos...

...

Tentei achar a palavra, na minha cabeça, mas tudo o que me vinha à mente eram os significados que eu não queria naquela hora. “Menos perfeita”, suspirei, enfim. Como eu sou patética, pensei logo em seguida, me indignando comigo mesma. E eu era. Ainda assim, estava decidida a invadir aquela estrutura residencial superfaturada – mesmo –, caso o imprestável do porteiro não desse as caras nos próximos dez segundos... nove... oito... sete... seis... cinco... quatro...

_Olha, moça, não tem ninguém atendendo lá, não – ele disse, saindo da guarita.

Havia um certo sorriso de satisfação desgraçado no rosto do filha-da-puta do velhinho. Eu senti vontade de mandá-lo à merda naquele exato momento. Mesmo. E por pouco não o fiz, me esforçando para não demonstrar minha própria frustração, enquanto ele me encarava daquele jeito eu-não-te-disse. Argh. Ignorei-o. Voltei para o carro, me apoiando na janela do passageiro, e olhei emburrada para a Marina.

_Ela não está atendendo.
_São 4 da manhã, não é? – ela me respondeu com desaforo, como se já esperasse por aquilo, o que me irritou mais ainda.

Levantei novamente e dei um passo para trás, respirando fundo. Olhei para cima e apertei as mãos contra o rosto, irritada. Merda, mil vezes merda. Traguei mais uma vez e fiquei sem saber o que fazer por algum tempo, enquanto soltava a fumaça. Então, puxei o celular do bolso e procurei o nome da Mia nos meus contatos. Liguei, duas ou três vezes, e nada. Filha-da-mãe.

Sentei na calçada, meio metro a frente do carro, com os pés na rua, e apoiei os cotovelos nos joelhos. Com uma mão, eu segurava o cigarro e, com a outra, eu digitava a seguinte mensagem no celular: “Atende, Mia. Já estou aqui em baixo, poxa. Me deixa subir ou desce aqui. Vou ficar esperando... por favor, meu”. Isso é o cúmulo da humilhação, eu lamentava mentalmente, enquanto escrevia e tragava de novo o cigarro já quase no fim.

De repente, ouvi a porta do carro bater e logo a Marina apareceu em pé na minha frente. Olhei para cima e ela fez um gesto com as mãos, como se perguntasse o que eu estava fazendo ali. Respondi a verdade e ela imediatamente começou a discursar por minutos a fio sobre como aquilo era o fim do poço e como eu estava indo longe demais e como ela não ia – em hipótese alguma – ficar plantada lá esperando comigo até a Mia descer.

_Vai pra casa, Má. Eu pego um táxi, sei lá... Mas eu vou ficar.

15 comentários:

Mari disse...

O amor deixa a gente besta, mas é uma delícia! (;

Lu disse...

Agora sim...era o que faltava, a polícia (que existe só Higienópolis) passa e recolhe a FM...Meu, que dificil! Acho que de Fucking Mia, já há algum tempo passou pra Fucking herself, notou?

maspit disse...

ai caraio...

sissi disse...

Um dia descobrimos que apaixonar-se é inevitáveL... Um dia percebemos que as melhores prova de amor são as mais simples...
Mário Quintana

Ketty disse...

Mia desce logo!
Não seja idiota :\
:*

Liz M. disse...

Conto que hoje cheguei em casa esperando pelo post. Cheguei em casa brava, puta, revoltada, e vim aqui encontrar um pouco de sossego pra minha cabeça que tá voando longe longe.

Que pior... desce logo Mia! Pára de fazer doce. Mesmo que seja "só" ficção aproveita que você tem chance de se dar bem, de ser feliz. E aproveita que, enquanto ficção, você não tem que passar por umas poucas e boas que nós, meros mortais e reais, temos.

Tillya Morshan disse...

"Os melhores momentos da vida não ocorre quando respiramos, mas quando estamos perto das pessoas que nos fazem perder o fôlego."
è isso que a Mia tem feito com vc, tem lhe tirado o fôlego.

Mia, desce logo, deixa de bancar a toda-boa.

Noelly Castro disse...

ahh.. o amor mexeu com todo mundo.. antes era só sexo (6).. hehe
agora todos estão derretidos e poeticoss.. hehe é contagiante, é lindo.. ;p

adoro..

RrRRrr! ;*

Juliana disse...

Nossa FM.. isso que é gostar heim!!!E a Marina dece ter ficado c cara de "n acredito q ela ta fazendo isso!"rsrs

Tá ótimo!!!Qdo sera q vem o proximo post!?N sei pq mas eu acho q ela vai descer hehhe

Beeeejos

Anônimo disse...

Ah vamos Miaaa...desça e faça a alegria do povo! haha ou melhor, da FM.

Rayssa disse...

HAUHAU neah? vou dar um RT no que a #noellyhot disse rss..
maais eu nao quero ver amor nao AUHAUHUA
mia nao quer vir? noite ta fria...
ja que nao rola fucking mia, ahua bó fucking marina, bixinha merece, deixou a bia pra fikr ai esperando...

nossa sabe o que veio a minha mente? ahuah " ai hj eu vou na casa dela aiai falar do meu amor pra ela aiai ta me esperando na janela nao sei se vou me segurar..."
ai cohorror essa musica na minha cabeça kkk
bjos girls

#movimentoclaravolta rs

Anônimo disse...

ai ai... sabe o que eu queria? que a Mia viesse encontrar a FM tendo um lindo amanheçer e uma chuva fininha como pano de fundo e as duas se beijariam calma e docemente e é claro... o porteiro mala enxugando as lágrimas todo derretido, essa última parte pode pular...essas meninas mexem tanto comigo, aliás meninas mexem muito comigo...ai ai

Anônimo disse...

FM tá vendo o q é o amor hahaha

anni disse...

essa humilhação toda é a minha cara, tô adorando esses posts >.<

Gehh Santos disse...

O amor nos faz tomar atitudes no mínimo ridiculas...
Aiai...