- »

março 13, 2010

Enrolando

Eu me sentei, uma vez que o sofá ficou finalmente livre de todas as intermináveis peças de roupa, e coloquei um dos pés em cima da mesinha. A Marina me perguntou se eu não queria alguma coisa para beber. Pedi cerveja e ela disse que só tinha chá verde. Que nojo, eca. Resolvi me contentar com um cigarro e a boa companhia. Ela foi buscar um copo daquele líquido-gelado-zen-intomável e sentou ao meu lado, dobrando os joelhos, com os pés em cima do sofá. Olhei o vestido dela descendo delicadamente pelas suas coxas e me senti, realmente, nada confiável.

_Eu não me lembro de você assim quando a gente saía...
_Assim como?
_De vestidinho, cabelo preso, toda bonitinha aí... – olhei para ela.
_Você está querendo dizer que eu era um horror antes, é isso? – ela riu.
_Um horror, não. Jamais sairia com você se você fosse um horror.
_Eu não tenho tanta certeza... – ela brincou, tomando um gole pequeno do chá.
_Você sempre foi linda, Má, não é isso. Eu quis dizer que... sei lá, você está diferente - expliquei, com calma, e ela sorriu – e você parece feliz, acho que essa tal de Bia aí está te fazendo bem.
_É, acho que sim...
_Hum, então essa Bia é mesmo a sua nova namorada – eu concluí – e não só “uma menina”?!
_Não, sua imprestável – ela riu – não estamos namorando, ainda.
_“Ainda”?
_Ai, como você é chata... Meu deeeus...
_Hm... – hesitei – e eu? Eu te fiz feliz? Por um tempo, pelo menos?
_Fez, mas é diferente – ela respondeu, prontamente.
_Diferente por quê?
_Você foi minha primeira namorada.
_É, eu sei...
_Eu era completamente apaixonada por você e você... você sempre foi você.
_Eu sempre fui uma idiota, não é?
_É, algumas vezes – ela riu – mas o nosso namoro foi bom.
_Eu gostava. Eu sempre gostei de você e acho que nunca te disse isso – eu olhei para ela e peguei a sua mão com uma das minhas, com carinho, enquanto segurava o cigarro com a outra – fui boba de não te dar essa certeza quando estávamos juntas e depois que voltamos a nos falar, mas você é uma das garotas mais especiais que eu já tive. Eu nunca deveria ter estragado as coisas com você, te machucado daquele jeito. Meu, você é maravilhosa, mesmo. Eu é que eu sou péssima como namorada...
_É – ela riu junto comigo – talvez a gente devesse ter sido amigas desde o começo.
_Acho que ia dar mais certo – eu disse e levantei as sobrancelhas, com charme – isto é, amigas com alguns “benefícios”, claro...
_Não, não. Nada de benefícios para você – ela riu.

10 comentários:

fabiana disse...

Ainda bem q a F.M. se controlou ( quer dizer por enquanto)...ela precisa de alguém p desabafar se não ela explodeeee....

Anônimo disse...

eu gosto de como vc constroe as narrativas

Larissa disse...

Parece um dialogo q já tive com uma ex minha! rs

Tah mtoo bom, continua aí =)

;*

Mikaylla disse...

Vai pegar! rs

Rayssa disse...

Nossa eu ja vi essa conversa HAUHAUHA
dejavu (na a banda ékinha,talvez queen B hot³ ) total cohorror³

e mais please =] rs

Lu disse...

Fabiana, vc tá muito confiante o dialogo tá só começando...Imagina: ela tava desesperada pra falar com a Marina sobre a Mia! Viu a Marina, linda, já acendeu o cigarro, mas nada de falar da Mia... Cara a FM faz o James Bond parecer um moleque ramelento!

( the girl fucking Mia ) disse...

"Cara a FM faz o James Bond parecer um moleque ramelento!"

Maano, esse é meu comentário favorito de todos os tempos ;P hahahahahahaha

Juliana disse...

"Nada de benefícios" é o pior!!!kkkkk

Noelly Castro disse...

eu não quero que elas se peguem.. talvez eu seja a única.. hehe

tá tudo tão ótimo por aqui..

aww! RrRRrr! ;*

anni disse...

adorei a marina, mel! *.*