- »

abril 12, 2010

Pequenas aberturas

“With your feet on the air and your head on the ground”, eu ouvia e não conseguia evitar senão acompanhar os Pixies, com uma cerveja na mão e a cabeça metida naquele ritmo viciante. Meus olhos, por outro lado, estavam exclusivamente na Dani. Eu me divertia, sentada sobre a mesa da cozinha, enquanto observava ela se debruçar frustrada no chão. Um dos seus brincos havia escorregado para debaixo da geladeira, numa fresta mínima e humanamente inatingível.

_Larga mão de ser menininha! – eu provocava, de propósito – Você não vai conseguir, já era... Tira o outro brinco e fica sem, meu.
_Sabe, você podia me ajudar... – ela resmungou.
_Não. Estou bem aqui... – eu ri – A vista está ótima.
_Vai se foder – ela retrucou e virou o corpo um pouco mais para o lado, a fim de me privar da minha “ótima vista” sobre ele.

Tomei mais um gole da cerveja e continuei cantarolando a letra, entretida com toda a situação. Eu estava me sentindo leve, me sentindo bem. Não só pelo fato da Dani estar de joelhos no chão – o que eu estava adorando, confesso –, mas também por motivos que eu não queria admitir. Nem para mim mesma e muito menos para ela. O fato é que, apesar da minha bebedeira fenomenal do dia anterior, eu me lembrava de cada segundo, de cada balada, de cada metro percorrido. Mais especificamente, de cada frase confessada.

Ciúmes. A palavra, por si só, me perturbava. Ainda que fora de contexto, ainda que cochichada após litros de tequila e uma hora de sexo, de um jeito ou de outro, me perturbava. Mais de um do que do outro: a Dani sempre foi uma das minhas garotas e ela mesma admitia isso. No entanto, ao longo dos anos, ela conseguiu – de uma forma realmente impressionante – me superar na filha-da-putice e na ausência completa de compromisso ou qualquer sentimento sincero de carinho. Ela nunca deu a mínima para nós duas. Me fazia bem saber que ela sentia alguma coisa por mim, seja lá o que fosse.

Só não fazia sentido.

A Dani já tinha me visto com inúmeras meninas. Ela sumia e ressurgia durante os meus namoros, sempre conversamos abertamente sobre nossos casos. Qual era a implicância repentina com a Mia? Não pode ter sido tão grave assim, eu pensava, enquanto olhava-a esticar aquele corpinho delicioso na minha frente. Eu não estava tão bêbada assim. Não a esse ponto, porra, na frente do Fer – tentei me convencer. Eu não daria tão na cara.

Infelizmente, em flashes esparsos de memória, o que eu me lembrava era que: sim, eu estava tão bêbada assim. Estava até pior, aliás. E a minha falta de descrição acarretava em um milhão de possíveis riscos, o que me incomodava bem mais do que o ciúme da Dani. Esse último me intrigava, como uma coceirinha boa atrás da orelha. Parte de mim – a curiosa, masoquista e irracional – tinha vontade de cutucar a leoa e ver até onde chegava aquela história.

_Desisto! – a Dani declarou em pé, irritada, após alguns minutos.

Eu ignorei o que ela tinha acabado de dizer, imersa nos meus pensamentos. E a chamei:

_Ei... O que você vai fazer essa semana?
_Nada, sei lá, vou estar na casa dos meus pais. Por que?
_Não quer ficar uns dias aí? – eu perguntei, sem pensar.

E sem mais nem menos, estava feita a proposta.

9 comentários:

Sabrina disse...

É, a moça nasceu sem o mecanismo pensar-antes-de-agir mesmo.

Team Dani total. ;)

Liz M. disse...

É (quase) sempre assim: ninguém admite, mas gosta de saber que tem uma certa pessoa ali... à espera.

e quanto mais "difícil", melhor.

c'est la vie!

Vanessa disse...

To adorando a trilha sonora

Anônimo disse...

Team Dani total. [2]

A Dani parece ser oq há de melhor! rsrsrs
E a Mia nunca me agradou muito mesmo!
To amaaando o blog!

Lu disse...

E viva a horta!

PriscieAraujo disse...

A Dani percebeu que a GFM está realmente apaixonada pela Mia, por isso o ciúmes. Está com medo de perder essa "coisa" que elas têm. A Mia se tornou uma ameaça!
Mesmo assim eu ainda tenho minhas dúvidas se ela vai aceitar o convite pra ficar ou não, até que ponto vale à pena entrar no meio disso tudo? Muito complicado!

Bêbado sempre acha que é super discreto, né? Incrível! Hahaha

Vixi, escrevi pra caramba, sorry! #meempolgay

Ah... #voltaclara (mas com aquela condição que coloquei lá da comunidade do Orkut)... hahaha ;)

Juliana disse...

~> Hummmmmmmm <~

anni disse...

fiquei com uma dani esse final de semana... mas prefiro essa daqui >.> ahahahahah

carine disse...

mesmo eu estando com um pouquinho de esperança, sei que ela vai voltar pra mia ._.L

é sempre assim, a gente nunca sossega, só quer o que não pode xD