- »

abril 29, 2010

Us.

O meu cigarro acabou e já não havia mais o que ser dito. Por hora, pelo menos, pensei. Vinte segundos de conversa e, de repente, toda a confusão dentro de mim havia se acalmado. A expressão no rosto da Mia também estava mudada. Ela sorriu para mim, tranquila. E eu me senti bem, aliviada, como se tivesse tirado um grande peso das minhas costas. 

_Bom, eu vou... Você sabe... – eu disse, me virando para a porta, num tom de despedida.

Ela acenou com a cabeça, ainda sentada na cama, indicando que compreendia. Uma das desvantagens de se morar no meio da zona mais famosa de São Paulo é, justamente, a rapidez que os namorados alheios levam para sair e comprar dez ou quinze gramas de maconha na rua ao lado. E voltar. Nós duas sabíamos, portanto, que não era a melhor das ideias ficar ali trocando ideia, como se não tivesse problema algum – e talvez não tivesse mesmo, caso não sentíssemos tanta culpa. Pois é.

Além de tudo, ainda havia a ressaca dupla pesando na minha consciência cabeça: do tipo que tem um par de pernas e roupa nenhuma no corpo, me esperando adormecida na minha cama. Esse fator, aliás, pesava mais para mim do que o retorno iminente do Fer ao apartamento – eu fazia questão que a Mia não descobrisse a respeito das garotas. Sob hipótese alguma.

Então, passado o nosso momento de comum-acordo sobre a situação em que nos encontrávamos, me virei para sair, me sentindo satisfeita. Antes de eu abrir a porta, no entanto, ouvi a Mia levantar apressada e surgir do meu lado em dois milésimos de segundo. Não entendi, mas antes que pudesse completar o meu pensamento, ela me pegou pela mão rapidamente como se receasse que eu saísse, como se... Sei lá. Como se não fosse mais me ver, no segundo em que eu passasse por aquela porta, e simplesmente me abraçou.

Assim, sem mais nem menos.

Não com o desespero com o qual correu para alcançar a minha mão, apenas... me abraçou. Como se fosse natural que o fizesse. Não por necessidade, puramente por querer. Senti uma vontade louca de lhe perguntar por que, então, o quis, mas apenas segurei ela de volta. Em silêncio. E a resposta veio alguns segundos depois:

_Senti saudades de ficar perto de você – ela disse, baixinho – Eu sei que é meio estranho, mas... sei lá. Só senti.

Meus braços apertaram-na ao redor da sua cintura e eu a segurei com mais força ainda. O abraço ganhou um significado diferente, outra intensidade, e eu vi toda a minha recém-conquistada paz de espírito escorregando para longe de mim. Fechei os olhos e apoiei a cabeça no seu ombro, afundando o rosto no seu cabelo. Eu sentia o meu coração ansioso, mas não era um sentimento bom. Era pesado. A realidade é que eu também tinha sentido saudade de estar perto assim dela – talvez mais ainda –, mas os segundos que passei ali, vulnerável, tornaram desnecessário que eu o falasse.

Quando as mãos dela começaram a afrouxar ao redor do meu corpo, era eu quem não estava pronta deixar ela ir. Mas, não, não demonstrei. Sorri de volta para ela e retomei o meu caminho para – onde mesmo? ah, para a porta. Girei a maçaneta e saí. Minha cabeça ainda estava meio abobalhada com a história toda, tentando assimilar os últimos segundos. Sem pensar direito, caminhei lentamente até o meu quarto, entrando antes de estar – de fato – preparada.

As garotas continuavam na cama, nuas, e eu fui subitamente atirada de volta à realidade. A Dani me olhou sonolenta por detrás do travesseiro, como se tivesse acabado de acordar, e ensaiou um sorriso. Fiquei olhando para ela, sem saber o que fazer, totalmente sem reação. Merda. Olhei para a Débora logo em seguida, deitada ao lado, e de repente tudo me pareceu uma imensa confusão na qual eu havia me metido sem perceber.

Droga, droga, droga. A última coisa que eu queria, naquele momento, era ter que lidar com aquilo. Com ambas. No entanto, eu não tinha muita escolha: tudo o que eu podia fazer era rezar – com o perdão da blasfêmia – para que eu não tivesse que comer ninguém tão cedo. 

20 comentários:

Xuhzin disse...

QQQQ???? a GFM rezando pra Nao comer ngm D:???
omg
oq um abraço da mia nao faz
oq uma frase inesperada nao muda x-x

e oq significa a saudade da mia '-'
continuaaaa

fiktiva disse...

Maldade pular a parte da conversa, hein...

( the girl fucking Mia ) disse...

Não pulei nada, aquela FOI a conversa hahahaha releia... "Vinte segundos" ali, indicado no primeiro parágrafo! :)

Anônimo disse...

ela eh realmente apaixonada pela mia, da pra perceber na densidade do texto fica nitido!! sempre q ela aparece cada palavra tem um peso maior, vc faz isso tao bem.. td muda qdo a mia resurge!! q post LINDO, mel.. qro elas juntas logooooooo

Brubs disse...

Nossa... GFM rezando pra não comer ninguém... realmente o q uma paixão não faz com a cabeça de uma pessoa né?! hehe...
Mto bom o post! Como sempre, na verdade, cada vez melhor!
;D

matt. disse...

GFM está passando por sérias mudanças. Não a vejo tão promíscua como antes. ;O

Jaqueline disse...

Huuummm...alguem esta percebendo que balada, bebida e sexo não vão conseguir substituir o que ela quer de verdade.
Saindo da fase avacalhação indo pra regeneração.

Tatá disse...

" é o amoooooooooooooooooooorrrrrrrrrrrr que meeeeeeeeeeche com a miiiiiiiiinhaaaaa cabeeeeeçaaaaa e me deeeeeeixa assimmmmmmmmmmmm!"" 'XDD

Liz M. disse...

Só tenho uma coisa a dizer: se eu tivesse que descobrir quem escreve o roteiro da minha vida, minha primeira (e talvez única) aposta seria a Mel.

Sem mais, sem fôlego para mais - hoje.

Um beijo!

SexyCabritinha disse...

Gosh!
Sempre venho aqui pra ver se dou a sorte de pegar um post novo, pelo menos 2 por dia hahah
É extremamente desesperador pra mim, já que li praticamente blog todo em 1 madrugada, (acabei 7 da manhã) já que eu estava atrasadinha hahah
E sinto falta dos posts pequenos, com letrinhas de músicas e talz

(L)

Sabrina disse...

Eu falei que não tava em condições ontem... Devia ter ficado quieta :P

Às vezes um abraço diz tudo, mesmo que não esclareça nada...

Mikaylla disse...

AMEI esse!!! A frase final foi linda! rs
Bêjo

Hell disse...

Ai cara, fui Mia e GFM ano passado. Querer alguém que eu não podia ter, mas tava ali do meu lado o tempo todo. É foda!

Lu disse...

Achei que um beijo seria mais legal, mas aí o abraço foi tão caloroso e carragado de sentimentos tão diferentes...Adorei o abraço! Às vezes, qdo as duas estão juntas esqueço do imbróglio q estão metidas! Cadê a Amanda P. pra dar idéias pra se livrar do Fer? :)

Lika disse...

Eu acabei de entrar na mesma situação que a FM :S
a guria do meu amigo sabe q eu sou fica me pedindo selinho, e frescurinhas...
até disse q qr uma para uma das minhas festas...
CARALHO.. oq eu faço?? conheço ele desde piá...
mas ela é mto diferente..
tem alguma coisa que me chama sabe?!

Anônimo disse...

viciei muito aqui !!!
posta logo =)

Juliana disse...

que bunitinha as duas nesse simples abraço...mas é verdade..quando se gosta de alguem d vdd qdo se abraça essa pessoa, td ao redor some, e nada mais importa!

parabenssss

bjokass

Juliana disse...

Heeeeeyyyyy!!!Voltei do fds.. cuiroooosa p ler o proximo post, e pif! KADE?! rs

Bjaummm!!!

Cármen disse...

É isto que me atrai nos hedonistas... a capacidade de haver uma pessoa, no meio de toda a promiscuidade, que que faça o coração bater com seriedade. É raro e, por isso, especial. Bué engraçado.

Achei piada mesmo ao fim. xD "(...) para que eu não tivesse de comer (...)"
Eishhh, é cá uma obrigação! xD Até parece que a GFM não tem, no fundo, a capacidade de mandar aquilo tudo pó caralho. xD

Anônimo disse...

"Quando as mãos dela começaram a afrouxar ao redor do meu corpo, era eu quem não estava pronta ainda para deixar ela ir",

LINDO!