- »

abril 26, 2010

A grama do vizinho

De repente, eu acordei. Olhei ao meu redor e as meninas continuavam dormindo tranqüilas, despidas, o quarto estava em perfeito silêncio. Era uma tarde preguiçosa de domingo. Demorei alguns segundos para entender o que, então, havia me feito abrir os olhos, mas logo aquela sensação horrível começou a subir pelo meu corpo. Um a um, senti meus órgãos adormecendo, formigando e depois se contorcendo. Ressaca... maravilha.

Fraca e ainda meio sonolenta, engatinhei até uma das beiradas da cama com certo esforço. Ao ficar em pé, senti a maior dor de cabeça da minha vida – ou uma forte candidata a... – e tropecei pelas roupas no chão até achar a minha calcinha, uma blusa qualquer e disposição suficiente. Parei na porta, me sentindo enjoada, e respirei fundo. Dei uma espiada na cama: as garotas continuavam dormindo, entrelaçadas, maravilhosas. A lembrança da noite anterior me fez sorrir.

Água, meu corpo reclamou. Totalmente esgotada da balada, arrastei-me pelo corredor e entrei na cozinha atrás de qualquer líquido que satisfizesse a conseqüencia agonizante da minha falta de controle alcoólatra. O Fer estava sentado à mesa, comendo os restos de um China In Box e rabiscando aleatoriamente num flyer promocional largado em cima da mesa.

Sem desviar sua atenção do seu desenho bobo, ele me cumprimentou com um “bom dia” preguiçoso, o que sugeria que ele também havia acabado de acordar. Cinco da tarde passadas e só nós dois acordados no apartamento inteiro. Senti uma vontade imprestável de me gabar contar-lhe sobre a noite anterior, mas me contive. Cura-ressaca primeiro, maldade com os amigos depois, eu ri comigo mesma e me dirigi à geladeira.

_Que é que você tá toda felizinha aí? – ele zombou ao notar o sorriso estampado na minha cara.
_Nada... – eu ri, de novo, e me abaixei para pegar uma garrafa.

Ele me olhou desconfiado e eu abri uma Coca-Cola ainda com a porta aberta, mandando goles e goles seguidos daquela maravilha gelada garganta abaixo. Nossa, como eu precisava disso, pensei. Havia álcool demais no meu sangue, me sugando toda a energia, me impedindo de desfrutar da companhia das minhas convidadas. Alguma medida eu precisava tomar – a.k.a. Coca-Cola.

Após a primeira leva de refrigerante, fechei a porta da geladeira e levei a garrafa comigo. Me virei na direção da mesa, avistando o meu pobre amigo sentado ali, todo indefeso, desavisado. Com toda a crueldade do mundo, me aproximei dele e puxei uma cadeira no lado oposto da mesa, sentando bem na sua frente.

_Então... – eu disse, sorrindo, com o meu ego super-inflado – ...adivinha quem eu comi ontem depois da balada.
_A Dani – ele respondeu o óbvio, logo em seguida, com descaso.
_Tá, e...?
_“E” o que?!
_“E” o que, não... “E” quem... – eu ri.
_Como assim? – ele perguntou confuso e, só após alguns segundos, a ficha caiu – desgraçada, sua filha-da-mãe desgraçada. Maaano... eu te odeio. Eu te odeio tanto. Meu... Na boa... Você tá falando sério?!
_Pode começar a fazer reverência... – eu ri, pegando um dos cigarros que estava sob a mesa.
_Você é minha ídola. Porra! – ele passou a mão no rosto, desacreditando no meu feito – eu te odeio tanto. Tanto, meu. Como diabos você consegue essas coisas?
_Mulheres são simplesmente melhores que homens.
_Aparentemente... – ele riu – cara, como eu te odeio.

Eu ri, me achando mais do que o usual, e tomei outro gole da Coca-Cola. O Fer sacudiu a cabeça, ainda pasmo, e riu também. Olhei para ele e foi então que eu me toquei. De repente, todo o meu ego murchou. Percebi que, na verdade, era eu quem tinha inveja dele e parei de sorrir, lentamente, sem conseguir evitar. Merda. Acendi o cigarro já quase esquecido na minha mão e encarei a mesa, tomada por um sentimento de derrota. Subi os olhos novamente e o observei, enquanto ele continuava rindo, inconformado. O quão errado é você querer as duas garotas da minha cama enquanto eu quero a que está na sua? Suspirei.

18 comentários:

Mikaylla disse...

:)

:(

Liz M. disse...

Me desculpe, mas ainda não me recuperei do post de ontem. Simplesmente está assombrando meus pensamentos.

Será que eu sou tão comum assim que é fácil achar alguém que compartilhe das mesmas visões, ideias e pensamentos que eu? Cada vez mais tenho medo de você, Mel. =P

Ale Leonhardt disse...

e por mais garotas que estiverem na cama da GFM, ela vai sempre querer a da cama do Fer...

:(

nada que a tequila não resolva momentaneamente

Rayssa disse...

ADOREI ela toda xoxada HAUHAUA
não é que eu curte o sofrimento alheio...tah eu curto =[
não gosto do povo feliz u.ú
Go teamMia x3

Anônimo disse...

kkkkkkkkk adorei ela azendo ciuminho no fer pq poo.. ele jah tem a mia o ano td, agora ela tem alguma coisa pra esnobar d volta!! XD
mais td xonadinha coitada.... ):

Sharla disse...

Acho que a solução pra isso é trazer uma terceira ou quarta garota junto...

anni disse...

hora de trocar, então...

Anônimo disse...

to com a anni! troca de casal JAH!!

maspit disse...

tenso :/

Anônimo disse...

A solução é o Fer, a Mia e "ela" se entenderem e formarem um casal triplo. Se é que me entendem.

Xuhzin disse...

ressaca moral ..'-' e amor nao correspondido sao as piores coisas pra se sentir apos uma noite de sexo D:
isso é um #FATASSO
'-'

aiai
queria ser a gfm ainda assim*¬*
ultimamente tenho adorado a ideia de um triangulo auhsauhsas

continuaaa

Juliana disse...

A ultima frase foi foda...... ai ai

Kd a Mia!?Até eu sinto um friu na barriga quando vc fala dela sabia!? Igual aquela parte da Mia sentada na pia. Não precisou dizer nada p/ vc, mesmo assim, perder a cabeça, e simplesmente nao conseguir ficar lá perto dela!
Hhauahuah adooooro isso aki!

Bjokas!

Anônimo disse...

venho todo o dia aqui, mais de uma vez por sinal, esperando um novo post

parabéns!

anni disse...

casal triplo jamais! nossa protagonista nao é bi!
só vim comentar de novo porque ameeei o título do post e nao falei antes... hahahah x)

PriscieAraujo disse...

A garota que ela deseja é a Mia e nada vai mudar isso até tê-la. Não adianta ter várias outras garotas, não adianta se gabar e nem tentar fugir.

Naquela tarde lenta quando a Mia se sentou na pia, ela fugiu pro quarto. Quando a Dani disse que ia sair e ela resolveu ir junto, no principio, me pareceu por ciúmes da Dani, mas agora tava pensando, será que não foi por medo de ficar em casa e quem sabe dar de cara com a Mia?

Na balada agregou mais uma a relação com a Dani, que já não estava dando conta de fazê-la parar de pensar na Mia. Levou as duas pra casa e nem assim conseguiu parar de pensar na Mia. Na manhã seguinte foi se gabar por ter dormido com mais duas garotas, mas os, malditos, pensamentos continuavam na Mia.

Depois de ter passado uma noite inteira em frente ao prédio que a Mia mora esperando uma oportunidade para conversar e não ter sido atendida (ok, isso feriu profundamente o orgulho dela), parece que agora a Mia está disposta a conversar. Será que não é à hora de deixar o orgulho de lado, parar de fugir e resolver tudo?

Enfim, viajei na história, por várias postagens. Vou parar por aqui! rs

Marcela disse...

Nadaaaaa..tem q esquecer a Mia..ficar c a Dani..a vida c a dani sera mais ..digamos.. bem aproveitada..rss

_babyblue disse...

Pow, cadê a Mia??? O Blog já tá virando fucking-anyone-else menos fucking-mia! Os sumiços dela me desanimam... bjs

Lu disse...

A cada texo me simpatizo mais com a FM! :)