- »

novembro 30, 2010

Opiniões em excesso

Sair com meus pais não tinha tanto segredo assim: uma calça jeans, um tênis simples e uma blusa mais menininha para parecer que eu estava arrumada – nunca falha, pensei. Voltei antes que o Fer pudesse terminar o seu cigarro, sentado no sofá ao lado do meu pai, dando uma consultoria técnica gratuita ao velho. Minha mãe se entretia em pé no canto esquerdo do cômodo, próxima à janela, observando a nossa respeitável coleção de CDs, re-organizada por mim e pela Lê na noite anterior.

_E aí? Vamos? – perguntei, animada.

Almoçar fora com os meus pais sempre significava comer decentemente – como há muito eu não fazia, é óbvio, morando sozinha e subsistindo de pizza, congelados, cerveja e macarrão. Sendo assim, eu estava bastante empolgada. O Fer levantou-se quase na mesma hora, apertando a mão do meu pai, como se já se despedisse, e veio na minha direção, dirigindo-se provavelmente ao corredor.

_Bom almoço para vocês – ele disse para mim, tocando no meu ombro, mas virou-se mais uma vez para apagar o cigarro na mesinha de centro e acabou fazendo um tchau rápido que estava faltando para a minha mãe, com a mão agora já livre.
_E esse casamento, hein, vocês dois?! – meu pai brincou e o Fer me olhou, rindo, conforme voltava na direção do corredor.
_É, você sabe, eu tento... – ele me abraçou, fazendo graça, virando mais uma vez para os meus pais – ...mas ela não me dá bola. O que eu vou fazer, né, meu, sua filha que não me quer – ele riu e eu revirei os olhos.
_Babaca... – ri também, tirando-o de cima de mim, enquanto meu pai se divertia com a cena – ...vamos embora, por favor?!

Eles acenaram que “sim” com a cabeça, ainda achando graça, e começaram a se dirigir até a porta. A Lê passou atrás de nós, levando o copo vazio de volta à cozinha, e cumprimentou meus pais rapidamente com um “oi” de longe, uma vez que não se conheciam. Me despedi do Fer num gesto breve com a cabeça e gritei para a Lê, agora na cozinha, que se ela fosse embora naquele meio tempo, era só avisar o Fer para ele fechar a porta depois. E, então, saímos os três juntos para o elevador.

(...)

_Você está saindo com aquela garota? – minha mãe perguntou, de repente, no meio da descida.
_Quê?! – me espantei, encarando-a.
_Aquela que estava na sua casa – ela disse, como se desaprovasse.
_Meu deus... – eu arqueei as sobrancelhas, sem acreditar naquilo.
_Vocês estão namorando? Fale a verdade – ela insistiu, intrometida.
_Não, mãe. Não estamos namorando, a Lê é minha amiga.
_Sei. Olha, eu não... não quero me intrometer na sua vida, você faz o que quer, você sabe... – ela começou um discurso não-agressivo, mas que eu já sabia bem antes, só pelo tom da sua voz, que seria interminável – ...a gente não liga, eu e o seu pai, você pode sair com meninas.
_“Posso”? – eu interrompi e ela me ignorou.
_Só que essa garota é meio... estranha. Você não achou, bem? – meu pai olhou para o outro lado, evitando ter parte na conversa, e minha mãe prosseguiu mesmo assim – sabe, eu não entendo porque essas garotas precisam andar como se fossem moleques, cortar o cabelo curtinho daquele jeito, usar aqueles... como chama mesmo? – ela me olhou, fazendo um movimento esquisito perto da orelha.
_Alargadores? ! – sugeri, conforme saíamos do elevador.
_É. É muito estranho. E com as tatuagens também, enormes, no braço... bom, você sabe minha opinião sobre tatuagens... – ela me olhou feio – ...fora que não tem necessidade! Se ela só colocasse um vestidinho, deixasse o cabelo crescer... você viu aquela roupa que ela estava usando?! Parecia um garoto! Com aquela calça larga, de regata... Ah, eu não gosto. Por que você não arruma uma garota mais... estilo a... aquela que você namorou... a... a Natália! Ou a Marina, ah, eu gostava tanto da Marina. Ou, então... como era mesmo o nome daquela bonitinha, bem? A que eu sempre comentava?
_Raquel – meu pai respondeu, a contragosto.
_Isso! Hein, por que você não sai com umas meninas assim? Sabe, mais femininas... Você é tão bonita, minha filha, não precisa namorar com uma menina que parece um moleque desse jeito.
_Mãe, a gente não está namorando – enfatizei, de novo, enquanto andávamos na calçada em direção ao shopping – eu sequer saí com a Lê, meu! Que parte de “nós somos amigas” você não entendeu?
_Ah! Você vai me dizer que ela chegou às oito da manhã para te visitar? Num domingo?!
_Nããão... – eu bufei, perdendo a paciência – ...mãe, eu não disse que ela não dormiu aí. Ela dormiu. Só que não comigo, ué. Caramba, viu! Eu não sei qual é o problema de vocês, pais, que não conseguem entender que nós, lésbicas, temos amigas. Aliás, eu tenho um monte de amigas e não é porque elas são mulheres que eu vou me interessar. Não funciona assim, não está todo mundo dormindo com todo mundo.

Quer dizer... em tese, pelo menos.

_Hmm... – ela me olhou, ainda não convencida, mas eu a ignorei com uma careta – e, se não é com ela, com quem você está saindo, então?
_Ai, meu deus... – me enchi, olhando para o lado oposto.
_O quê? – ela questionou retoricamente, como se não entendesse o que havia feito de errado – eu só quero saber, oras. Não tenho direito?!
_Não é da sua conta, mãe... Não tô saindo com ninguém, pô. Com umas meninas aí, sei lá. Mas que saco.  
_Benzinho, deixa a menina em paz – meu pai se manifestou, enfim.

Salve, salve papai.

21 comentários:

R. disse...

"Eu não sei qual é o problema de vocês, pais, que não conseguem entender que nós, lésbicas, temos amigas... e não é porque elas são mulheres que eu vou me interessar."

ah como eu queria que as pessoas entendessem isso. amizade entre mulheres é possível! u.u

enfim, odeio conversa de pais, eles sempre fingem não estar julgando, mas eles sempre tão..

Clara disse...

hahah adorei, toda mãe deve ser assim, mesmo sem querer ou perceber...

Amanda disse...

Faço das palavras da R as minhas. É realmente tudo isso que ela falou acima.
E ah, não posso nunca na vida deixar de expressar meu amorzinho pela Marina. Acho que ela é linda e tem que aparecer mais!
A mãe da FM é uma graça, ri muito aqui.
E que bom que tu destacaste o em tese, porque é bem em tese mesmo.

=*

Ariqueiroz_ disse...

HAHAHAHA, vou responder pra minha mãe que to saindo com umas minas aí e que não é da conta dela pra ela me assassinar... Mas, é sempre a mesma coisa, aquela voz de inocente: quem é a da vez?

A FM devia responder: To saindo com a mina do Fer, IDSAUHDISUAHDSUIAHUIHAIUDHA

Cris Ferreira disse...

Sair com os pais igual a comer descentemente.. Eu bem sei o que é isso ae! xD A melhor parte de ir pra casa dos pais =x

Mano.. Eu queria que minha mãe me enchesse o assim! Acho que ia ser melhor do que as indiretas agressivas =\

Mas enfim.. Otemo! Como sempre! *-*
Sou só elogios pra essa autora!
(que me deve uma lição de pegação =x)

Criss Hush!!

francielli# disse...

mó comedia a maezona da FM.. amei o post ..adorei

- Tucca disse...

Mãe são todas iguais mesmo. Senti a minha aí haha'
Adorei os posts Mel, parabéns :D

Nah disse...

nha meu sonho é um dia minha mãe se meter na minha vida em relação a garotas,oaksaokaosk

Ianca' disse...

Caracoliz, e minha irmã acha que eu como todo mundo kkkkkkkkkkkk
Gente, esse post real,ente viiu, quer dizer que homossexual é tarado demais e incontrolável.. mó coisa de mãe isso aí..e é real!
Esperando, esperando, esperando o próximo ;*
Parabéns Mel

( a ausência da Mia nesses dois últimos me doeu tcs tcs )

@CrazyQueen disse...

num eh minha mãe que faz isso, mas minha prima acha que eu como todo mundo tbm o.o e minha irmã tbm

tsc tsc

amei amei, quisera eu que minha mãe fosse assim HUAHAUHAUAHUA

saudades de conversar com meu pai o.o


MTOOO bom o post... mas eu quero a Miiiiaaa de vooooltaa!

Gravatinha disse...

É si pá eu tenho uma mãe igualzinha a da FM...ela enche o saco manoo....fica querendo saber e se intrometendo com quem eu to saindo!!!

e qdo eu falo que vou sair com alguma menina ela ainda me fla: amiga no sentido figurado da coisa ou nao?

asuhiahauhsiauhsiuahsiuahishihsaihs

mas nao posso reclamar muito nao...é melhor assim

simplesmente perfeito o post como sempre
*-*

amei
beijos

Anônimo disse...

Às vezes eu acho o Fer tãaaaao fofo, que eu fico até com dó dele, tadinho :/ SUAHHSAHSHA

Monica disse...

haa

por um momento eu axeii q os pais da FM naum soubessem da sapatice dela..haaaa

impossíveel neah!

tah oteemo...mas a Mia tah fazendo maiis falta do q um episodio de The Big Bang Theory sem Penny [o de hj]

^_^

xoxo

Catarina disse...

Nossa, ri demais desse post.
Acho que pais são quase sempre assim mesmo. Minha mãe acha que é putaria. Enfim, conversas em família são bem tensas. D:

AI, MEL, EU NÃO AGUENTO PASSAR 5 DIAS SEM POST. ):

Dea disse...

com a minha mãe é diferente... ela não pergunta com quem eu tou saindo porque sabe da Isa, mas quando a Isa não aparece por uma semana, ela reclama: "cadê a Isa que não vem jogar buraco comigo? quando a Isa volta?". e minha madrasta é: "vocês pensam em ter filhos? quantos? como?", hahahahaha! ai ai, minha sorte é das grandes. e bem sei que essa sorte eu compartilho com você ;D

tou sentindo que ela vai acabar contando da Mia pros pais e serão eles os boca grande =X

;*

Marina disse...

Marina... sempre alegrando os nossos posts =D

Bú!! disse...

aaiaiai mel! Olha, que fica registrado que eu estarei ai esse fds e a gente VAI fazer alguma coisa, já falei com a Noelly que tenho dois niver pra ir (um sexta e outro sabado) mas a tarde estou livre!!

Beijoss

Rayssa disse...

Fer é muito lindo own T1T1 Fer vemk?

Cara,me amarrei na Devassa Mãe HAUHAUHAUHA nova Diva AHUHAUAHUHAUHA

Lud disse...

Adorei .. lembrei de mainha dando palpites e imitando as meninas que ue levava pra familia conhecer .. haha ..

Pathy disse...

Mães.. todas iguaisss!!! hauhauhauahua

Adoreiiii a Mãe da Devassaaaa.. huahauha
Eu já fui Salva pelo meu Paii uma vez.. \0/ \0/

P.S.: MIA, eu quero a Miaa!! =D
rs.

Dê disse...

Veeeeem cá, só eu tenho uma mãe que finge que ñ sou gay e que ignora tudo q está ligado ao assunto?! A real é q hje é tão normal qnto lamentável os pais falarem que aceitam numa boa a condição dos filhos mas veladamente repudiam as atitudes e os seus relacionamentos. Mto bom o post Mel e óh, vou entrar aqui sempre pra ver se tem post novo tá... i promise.