- »

novembro 25, 2010

Sonolência

Por fim, não fomos à Clash. Após algumas horas de papo furado e muitos litros de cerveja, a Lê acabou capotada no meu sofá. Já eu me encontrava jogada sobre o outro encosto, bêbada e acabada de sono, assistindo não sei nem porquê – certamente por preguiça de desligar a porra da TV –  a um documentário lenga-lenga sobre aviões militares.

Minha imaginação estava, porém, longe. Passeando pelas curvas e pelo sorriso da garota que foi assunto para mais de horas de conversa com a minha amiga naquele sofá. Falar dela, assim, permear todas as coisas bonitas e aspectos tão confusos, me deixava num estado meio anestesiado. Pensando, sem perceber, nela e em tudo aquilo.  Contudo, depois de tanto dar voltas na mesma história e na mesma garota, sua mente uma hora se cansa de girar. Dá uma tontura, do nada.

E, em algum momento, vendo minha amiga desmaiada ao meu lado, criei coragem para levantar-me e apagar as luzes. Vagarosamente, coloquei os pés no chão, um por vez, derrubando algumas latinhas vazias que estavam largadas ao redor do sofá, num movimento lento e desajeitado. Que sono..., senti com pesar, ...caralho. Fiquei em pé. Aí andei até a TV e a desliguei, voltando logo em seguida até a lateral do sofá, ao lado da sapatão adormecida que ali jazia, e me curvei para falar com ela.

_Lê... – a cutuquei, de leve, acordando-a – ...tô indo pra cama.
_Tá... – ela murmurou, ainda meio inconsciente.
_Você vai dormir aí? Quer que eu arrume um colchão pra você lá no quarto?
_Não... – continuou sem abrir os olhos e engolindo as letras, sem querer, afundada na almofada – ...deixa eu aqui. Tô de boa.
_Beleza... – disse e desejei boa noite, sem ouvir resposta.

Sem muito ânimo, recolhi as latinhas no chão e levei todas as que consegui empilhar nos braços até o lixo da cozinha. Então, voltei e recolhi os pratos e talheres, deixando-os na pia. Lavo amanhã de manhã, pensei, sem vontade alguma de colocar as mãos na água fria. Apaguei todas as luzes – antes descalcei os tênis da Lê, que sequer acordou, deixando-os ao lado do sofá – e arrastei os meus próprios pés pelo corredor até fechar a porta meu quarto atrás dos meus calcanhares.  

Ai, que preguiça do mundo.

Observei as minhas coisas arrumadas no escuro, sentada tranqüila na beirada da minha cama. O cômodo parecia até outro sem minhas tralhas largadas pelo chão. O tempo continuava frio do outro lado da janela, mas o excesso de álcool e lasanha daquela noite havia me deixado com calor. Tirei o moletom que estava vestindo, substituindo-o por uma camiseta larga qualquer que havia pegado no armário.  

Deitei-me sem sono, agora apenas cansada, puxando o edredom gelado para cima dos meus ombros. Alcancei o meu celular no chão e pus-me a encarar por alguns segundos aquela tela acesa, ali meio ao escuro, clicando aleatoriamente para cima e para baixo com o polegar direito nos botões, vagando pela minha lista de contatos.  Passei três ou quatro vezes pelo nome da Mia.

Ah, Mia. Senti vontade de falar com ela.

E, claro, antes que percebesse, os toques sucessivos do seu telefone estavam cortando, suaves, o silêncio do meu quarto – ecoando como vibrações indiferentes na minha mente vazia, que sequer se deu conta do que estava fazendo. Ou do horário, não é. Acompanhava lentamente a borda da cama, envolta num lençol branco macio, com a ponta do dedo, sentindo a textura. E não percebi, em momento algum, que ela poderia, de fato, atender.

_Alô?! – ouvi sua voz sonolenta do outro lado da linha.
_... – arregalei os olhos, caindo atrapalhadamente na real, tentando entender o que se passava.
_Alô?! Você... – insistiu, baixinho – ...está aí?
_“Oi”...?
_Hm... – ela pareceu estar com preguiça, como se ainda dormisse – ...oi.
_Oi – repeti e apertei os olhos imediatamente, arrependida, assim que percebi que aquele era o terceiro “oi” de uma conversa de cinco segundos.
_Está tudo bem? – perguntou, lenta, provavelmente sem entender porque a acordei – aconteceu alguma coisa?!
_Está... não... eu só... – me enrolei para me justificar – eu... não sei, na verdade. Desculpa, não pensei direito... – eu ri, brevemente – ...não sei porque liguei.
_Ahm... – ouvia-a rir do outro lado – ...sei.
_Muito ridículo dizer que estava pensando em você...?
_Um pouco... – ela riu, de novo.
_Tudo bem, vai, não é como se eu tivesse alguma reputação a preservar mesmo... – ri, achando graça.
_Ah, é bonitinho até.

Sorri, sem dizer-lhe nada.

_Onde você tá? – sussurrou.
_Em casa... – continuei, com a cabeça apoiada no travesseiro, falando tranqüila – ...te disse que não ia sair. Como foi o lance com seus pais?
_Ah, foi legal – conversava comigo, lentamente – e você, conseguiu arrumar tudo?
_Sim – sorri.
_Hmm... – ouvia-a como se ela fosse adormecer a qualquer momento – ...que bom.
_Oi? – perguntei, sem entender a última parte.
_Oi...
_Oi – eu ri.
_Que bom que você ligou... – disse, baixinho, sonolenta.

Desejei-lhe, então, boa noite e ela me respondeu, doce. Não queria roubar-lhe muito mais do seu sono, portanto desliguei. Desligamos. Restou, depois, um sentimento discreto, um sentimento de conforto... algo, não sei, simpesmente bom.

23 comentários:

cigarrosdebaunilha disse...

Vou colocar as duas num potinho e guardar só pra mim. hahahah

@_poookk disse...

ain q bonitinho ela ligando de madrugada só pra falar com e Mia rsrsrs


Parabéns Mel cada dia melhor issaki

Luana A. disse...

Ah! Que lindinha as duas *-*

Cris Ferreira disse...

Ounn *-*

Um lado 'so cut' da nossa protagonista!! São tão fofas! *-*
Ai ai..

Criss Hush

Anônimo disse...

Q LINDAAAAAAAAS!!!!! (L)

Dê disse...

Aaaaaaaaaah é isso aee né Melissa... fazendo post fodástico às 16 hrs e partindo meu ❤ kkkkk já tava com vontade de ligar pro meu bebê, agora então tô fodida de vez... deu vontade de ligar pra ouvir a voz dela tbm but... lembrei que ela nem me quer :-( Bjo Mel.

P.s: Nonô, parei de escrever gnt (Jemtche) com "J" pq vc pediu tsá?! kkkk sua beeesha má, sem vergonha linda ;*

Guíh Romano disse...

Gente, admito, esse post me arrancou uma lágrima. Emoção misturado com saudade.
Eu fiz isso essa semana! Disse que não iria conseguir dormir sem pelo menos ouvir a voz dela!
Coisa már linda a nossa protagonista em um momento tão cute e apaixonado! (suspiros)
Mel?! Clap Clap pra você!

Anônimo disse...

Nossa, acabei de acordar e me deparo com dois posts, quer me matar do ♥ alkmsalksmlak.....
Muito bem então... continua bwhahahahahah.....

Nah disse...

Que coisaaa mais fofaaaaa <3

R. disse...

seu post me deu um calorzinho no <3

deu vontade de ter alguém pra fazer isso de novo :/

e é bom lembrar que cel na mão de bêbado pode dar coisa boa (e fofa) no final :]
se cuida :*

@CrazyQueen disse...

AIIIN *_*


QUE MEIIIGOOOO

to doida pro domingo chegar e os pais da FM virem visitar ela!!

Clara disse...

FM muito fofa nesses posts, toda apaixonadinha! Nem parece ela, mas é bonitinho..

'duuda disse...

aaaiii lindo lindo lindo *-*

Monica disse...

own

sei cmo eeh isso...

/linds!

bgs

- Tucca disse...

Olha a sacanagem da Mel fazendo esse tipo de post UEHUEHUEHUEHUEHUHE ' Lembro que essa semana acordei assustada com um pesadelo, e a primeira coisa que fiz foi ligar pra alguém muito especial e me senti imediatamente melhor ♥ Pena que ela tá pouco se fodendo pra mim HAHAHAHA' Mas enfim, muito bom! Como sempre: Parabéns Mel! :D

francielli# disse...

momento ternurinha ainn q lindo

Ianca' disse...

Tipo, o momento preguiça/cansaço eu vivo diariamente hahahahaha

ligandoi sem entender o porque? isso eu já me acostumei, passar de 3 oi's, fudeu de vez!
sabe, as vezes aquela voz, já causa um conforto *-*
Parabéns Melzinha <3

Pathy disse...

Todas, inclusive Eu, com saudadezinha de ligar pra outro alguém neh??!! rs.
Eu fazia isso sempre com mnh ex e era tão bom!! na verdade muiiiitooo bom!!

FM é tão bobinha romântica.. #Adorooo

Parabéns Melllss, excelenteee!! ♥

Catarina disse...

Own, gente, isso é tão minha vida. Toda vez me ligam e eu já tô dormindo. Não lembro de nada no dia seguinte. IUDSHADIUSHADIUASHDIUSHDSA. ):
A devassa é tão fofa.

Monique Alberton disse...

Ouuun, eu já disse que estou apaixonada pelas duas? .-. HAUSHAUSHAUS'

Lud disse...

a frase "sapatão adormecido que ali jazia" foi ótimo ..kk³ . acho o máximo isso, quem nunca teve uma ou mais amigas largadas na sala após uma noite regada a bebida e conversas ..

matt. disse...

Essas vozes sonolentas definem muito a minha vida. Ligar acordando pessoas é o que faço de melhor!

Ótimo post, Mel!

:*

Rayssa disse...

Own T1