- »

maio 31, 2010

Garotas prendadas

Depois de cometer o nosso pequeno delito, eu e a Mia voltamos pelo mesmo lugar que entramos – por baixo da tal fita amarela –, agora nos sentindo um pouco mais dignas de estar ali, na cena do crime, junto aos outros desertores terroristas homicidas fumantes. Andei na frente, segurando-a atrás de mim pela mão, e fui direto para o bar do lado de dentro: todo aquele ar fresco do Itaim havia nos deixado ligeiramente mais sóbrias e isso era inaceitável, claro.

Mas nada de tequila, pensei... e, por sorte, a Mia concordou comigo. Não dissemos nada, apenas nos olhamos e rimos, conforme o nome da diaba apareceu no menu de bebidas. Só que, se não fosse ela, o que mais poderia ser? Não queria nenhuma daquelas batidas de mulherzinha, emperiquitadas com um bilhão de frescuras doces e cerejinhas e guarda-chuvinhas.

Não, nada atraente. Antigamente, garotas impressionavam pretendentes com suas habilidades culinárias e boas maneiras... mas aquilo era São Paulo, baby. E aqui se mostra valor mandando doses puras de destilados garganta abaixo. Isso, sim, é classe!

Preciso de whisky, concluí.

E meu desejo foi concedido – isto é, após anotarem uma taxa salgada na minha comanda. Tomei coragem e virei meu copo de Jameson assim que ele chegou, enquanto a Mia colocava sua boca maravilhosa ao redor de um shot adocicado de B52 – tá, ela já passou da fase de me impressionar há meses... No palco, a banda ia a toda velocidade e a pista de dança a acompanhava freneticamente, naquele ska gostoso. Eu já estava no pique de dançar desde que entramos, então, resolvi me enfiar no meio das pessoas... e arrastei a Mia comigo, lógico.

A ausência de espaço naquele bar lotado e a minha falta de vergonha natural alcoólica nos empurravam para perto uma da outra involuntariamente, o que funcionava bem a meu favor. No entanto, toda aquela heterossexualidade latente ao nosso redor quebrava um pouco o clima – quer dizer, para ela. Eu nunca me inibi por, bom, para falar a verdade, por nada e nem ninguém.

Ainda assim, o meu empenho em fazer a Mia se divertir era imenso. Ao final da terceira ou quarta música que dançamos juntas, ela já estava completamente na minha e eu totalmente em cima dela. Graças àquela platéia toda, eu não estava conseguindo beijo nenhum, porém ganhei vários sorrisos... e isso já me deixava feliz, mas não satisfeita. Eu queria mais.

E sabe como é: se todo o charme e tequila do mundo não for suficiente... um pouco de Peixoto & Maxado resolve o problema. Bom, resolveu o meu, pelo menos.

7 comentários:

juliaprediger disse...

dois posts! duplamente awesome :P

Rayssa disse...

Pooxa eu toda orgulhosa que tinha comentado nos 2 e aki nao apreceu u.u

wooon arrasou Mel -como sempre rs- *-*
encheu o TeamMia de orgulho x3

IPC; #Noellyhot veeeeenk,senta no capô 666'

Pri Araújo disse...

Bom, a história tá linda, perfeita, nem tem o que falar!

Agora, numa viagem total sobre esse post e os anteriores... Vendo de um ponto de vista não só sobre o envolvimento das personagens, é importante destacar como nós estamos cercados de discriminação o tempo todo. Os fumantes tendo que se espremer no curralzinho. Depois, elas se curtindo pra caramba e a Mia receosa por estar num lugar considerado ht.
Enfim, muitas pessoas dizem que estão em busca da felicidade, mas será que pra isso não é primordial o respeito às diferenças, a individualidade?

Lu disse...

Pri, não tinha visto este comentário! Viajou legal mesmo! Concordo: o respeito à individualidade é essencial e deve prevalecer diante da fragilidade da alma que busca a afirmação em grupo ou no outro. Mas, vc. acha q elas não se beijaram pq o local é ht ou pq a Mia ainda é comprometida com o Fer? Será q em SP no ano de 2010, teria algum problema elas se beijarem num bar ht?

Pri Araújo disse...

Lu, não acho que o fato de não terem se beijar esteja ligado ao Fer, afinal no post anterior elas já tinham se beijado, fora do bar e longe de todos, e pelo que parece os amigos que foram com elas não conhecem o Fer, então quanto a isso acho que não vejo empecilhos.

Não acho que teria problema de se beijarem no bar, no geral não tem mesmo, entretanto ainda existem alguns babacas que manifestam ao verem duas mulheres juntas, só que como a Mia ainda está saindo do armário acho que rola um pouco de insegurança.

matt. disse...

Esses HTs sempre atrapalham... ><

Larissa disse...

É simplesmente perfeito. *-*