- »

maio 23, 2010

Mojo

_Ei, quer beber alguma coisa? – perguntei, assim que entramos.
_O que você vai tomar? – a Mia olhou direto nos meus olhos.
_Tequila.
_Tomo com você, então – ela levantou as sobrancelhas e sorriu.
_Essa é a minha garota... – eu ri.

O primeiro shot foi fácil. Sal. José. Limão. Colocamos nossos copos vazios de volta no bar e nos olhamos, rindo. O segundo veio logo em seguida, num impulso irracional – e corajoso – dela. E eu me obriguei a acompanhar. Para não ficar feio, né. Já o terceiro foi sugerido intimado pelo Gabriel uns quarenta minutos depois, um pouco antes da banda entrar no palco. Eu e a Mia combinamos de dividir o copo, já consideravelmente bêbadas. O nosso plano, todavia, acabou sendo descoberto e a mesa inteira reclamou da nossa covardia. Merda.

_Que se dane, vamos lá... – eu respirei fundo e virei tudo de uma vez.

E essas foram as minhas últimas palavras sãs da noite. O que se seguiu foi uma gritaria crescente, competindo com os músicos, Peixoto & Maxado, naquela zona divertida e caótica típica dos bares paulistanos. Entre as cinco ou seis conversas paralelas que rolavam simultaneamente, indo e vindo de um lado para o outro da mesa, me mantive constantemente virada para a Mia – já com uma das minhas mãos confortavelmente acomodada na sua perna e ocupada em entretê-la com as minhas histórias e o meu papo furado.

...e estava funcionando, surpreendentemente. Isto é, se não fosse pelo babaca sentado do outro lado dela – um dos colegas publicitários do meu amigo –, que insistia em puxar assunto, todo interessado na minha garota. Homens e sua ausência completa de percepção, argh. Odeio como as pessoas imediatamente pressupõem amizade entre duas meninas. Porra, não está vendo que ela veio comigo?! Aquilo me tirava do sério. Mesmo que as intenções dele se limitassem a uma simpatia excessiva na direção da Mia, eu só queria que ele vazasse.

Ainda assim, a atenção da Mia continuava em mim. Invariavelmente os seus olhos buscavam os meus no meio daquele caos. Ela se movia perigosamente, cada vez mais ao alcance das minhas mãos, da minha boca. Perto demais. Porra. Eu queria fazer aquilo direito. Dessa vez eu precisava fazer direito. Não sabia quando ia ter outra chance de estar sozinha assim com ela. A questão ou o problema é que eu não queria entrar só na sua boca – e em outras partes, por assim dizer –, isso eu já tinha feito antes e não duvidava da minha capacidade de fazê-lo de novo. Dessa vez, o que eu queria mesmo era entrar na sua cabeça, no seu coração. Entrar e ficar, sabe?

Isso, com certeza, requer um esforço maior. E aquele inconveniente estava me empatando. Mesmo que sem muito sucesso – afinal, a Mia não estava nem aí para ele. Mas ainda assim era um saco. Não entendo essa incapacidade biológica do sexo masculino de notar quando as minas simplesmente não estão afim. Toda a linguagem corporal da Mia o ignorava. Os meus olhos o fuzilavam. E o trouxa continuava lá, inabalado, se achando a pica das galáxias. Chega. Eu não estava disposta a aceitar muito mais daquilo. E como já estava no pique de tirar a Mia dali sair para fumar, sugeri que fôssemos dar uma volta lá fora sozinhas.

(...)

Pois é, o imbecil não captou a parte do “sozinhas”.

Inferno. 

17 comentários:

Thais disse...

24 horas depois... hahahaha
Nossa, ODEIO esse tipinho inconveniente, sempre tem uns seres que não percebem (ou fingem não perceber) quando as pessoas estão juntas ou querem ficar sozinhas!!!

disse...

"...Mas a questão é que eu não queria entrar só na sua boca...Dessa vez,o que eu queria mesmo era entrar na sua cabeça,no seu coração.Entar e ficar lá,sabe..."
Ahahahah,depois dessa declaração só digo isso para FM: Perdeu Playboy,teu ♥ agora e a tua vida agora são da Mia...

Ówn,a FM tá apaixonada *_* e ela fica tão fofinha assim,que realmente acho que seu tempo de pegação e de "canalhices" estão por acabar.Até já imagino as duas morando juntas,com cachorro,querendo filhos,etc...ih,viajei legal;sei disso !
Bjo Mel

Mikaylla disse...

(suspiros)

PriscieAraujo disse...

Ela está se sentindo tão apaixonada e tem medo que a Mia não sinta o mesmo. Sabendo que ela tem um ego enorme essa coisa de querer entrar na cabeça da Mia chega a me parecer uma autodefesa, uma forma de assegurar que não será largada com o coração partido. É compreensível, afinal a Mia ainda está aprendendo e será absolutamente normal que depois queira sair pra novas experiências e aprendizados, acho que é justamente isso que a protagonista vai tentar evitar.

Como sempre vejo os fatos do ponto de vista da protagonista é muito difícil saber qual a intenção da Mia. Mas é isso que torna a história tão interessante, sempre posso aguardar as respostas mais improváveis dos outros personagens. Imagino que a Mia também esteja apaixonada, mas será que está mesmo? hm'

E esse cara chato, hein? Ele vai entrar pro time dos que bateram e ficaram reclamando em frente à porta do banheiro do Sonique.

Peixoto & Maxado ♥

Sharla disse...

nada melhor[ironic] do que um "acompanhante" fdp sem noção nesses momentos....

que vontade eh essa da gfm que nao da um chute nele lógo pra ele se afastar? hehehe

Andrea de Lima disse...

olha, nada contra, porque eu adoro Buenos Aires, mas experimenta esse idiota ser um argentino que, ao primeiro desviar dos seu olhos, fica insistentemente pedindo a sua namorada: SU TELEFÓN? mano do céu, e eu ainda encontro esse merda no BDZ até hoje!

matt. disse...

Depois de umas doses de tequila, acho que a GFM vai sair na porrada com o ''imbecil''.

Nina O. disse...

nao vou fazer comentarios com avaliações psicológicas da personagem, ate pq vc discorre sobre ela muito bem... ela tem vida propria...
so digo uma coisa pra FM -
amiga, tá na hora do "cigarro do desprezo" hahahahahahah
isso sempre funciona pra mim
;)

Nina O. disse...

hahaha Dê c exagerou ahhahahahah
louca! na minha parca percepção (nem gaydar eu tenho, meu!!!!)
se elas ficarem juntas e tranquilas vai ficar chaaato... entediante e enfadonho... vai perder todo o sentido da "problematica" auihaiuhauiahuaih
tá, eu comecei a beber cedo hj :P

Liz M. disse...

Não que eu seja má, não é isso... mas como eu queria poder bater num cara desses. COMO EU QUERIA!

Peixoto & Machado, coisas boas adquiridas com a Mel e cada vez mais presentes. Adoro muito!

Ela quer, ela quer que a Mia pense nela, ela quer a certeza que isso acontece. Só que, às vezes, nem é tão bom assim isso... ai ai ai!

Liz M. disse...

*corrigindo:

Peixoto & Maxado ^^

Sabrina disse...

No meu vocabulário isso chama "empata". Ô gente chata...

ja.webs disse...

maais <3

Anonima disse...

Vou ser criticada, mas acho que a FM só quer a mia porque é a unica que nao fica pagando pau pra ela...

Juliana disse...

Nooooooossa que mala!!!

Fora!!!!!!

Lu disse...

Pri, cê devia comentar todos os posts! Não via por esse ângulo... Aliás acho que penso como Team Mia (oh, céus q trição da minha parte!). Devassa quer entrar na cabeça da Mia por quanto tempo? Dá a impressão que há um jogo: conquistar e descartar 1o. e a outra, ainda encantada, se ferra! Meio deprê! Mas é isso aí, mais um comment pra ser desmentido! Exceto a parte da Pri comentar os posts!

Cármen disse...

A isto eu chamo um "empata-fodas"!
Pá, isso dos conjuntos que não gritam serem casais é mais do que verdade. A mim também me irrita que as intimidades entre pessoas do mesmo sexo sejam consideradas sempre como, no máximo, grandes amizades, enquanto que aquelas entre sexos opostos, à mínima confiança, sejam logo consideradas romance! Que porcaria...