- »

maio 14, 2010

R$ 4,10

Dei uma nota de cinco para o tiozinho do caixa e disse que ele poderia guardar o troco. Saí andando pela calçada, sem pressa, com um cigarro numa das mãos e o celular na outra. Nenhuma mensagem de volta, ainda. Entre uma tragada e outra, eu olhava para a tela para me certificar se o alerta de um novo SMS não teria passado despercebido por mim. Não. Nada, droga. E depois de dez segundos eu checava, de novo.

Obsessivamente.

Apesar dos passos lentos, cheguei no estúdio antes de terminar o meu cigarro – bad timing! – e fui obrigada a parar na porta por algum tempo. Por fim, joguei a bituca na rua e me preparei para voltar ao trabalho. Quando estava passando pelo corredor, meu celular vibrou. Minha cabeça foi a mil no mesmo segundo. Olhei apressada para a tela e me deparei com um SMS aleatório de um amigo meu, me convidando para um show naquela quinta. Eu era pura frustração feat. raiva. Decidi não responder, só de birra.

Trabalho, trabalho, trabalho – Mia, Mia, Mia. Quinze minutos de labuta depois e nada, resolvi desistir e parar de encarar meu telefone a cada segundo. Como diria minha avó: se você ficar espiando no forno, o bolo não cresce. Sendo assim, voltei aos meus afazeres rotineiros e entediantes. Pouco tempo depois, a sabedoria da "Nona" provou-se verdadeira – claro! – e o nome da Mia piscou na minha tela, de repente:

“Eu tb. Qria sair qqr dia com vc... pra qqr lugar, vms?”

Ô, se vamos, eu sorri na mesma hora, sentindo uma felicidade boba enchendo meu estômago de borboletas. Já a minha mente suja, ah, essa automaticamente pôs-se a formular uma lista imaginária de todos os lugares com uma cama disponível que eu conhecia. Não dá pra convidar ela pro motel, pensei. Grosseria, né. Chamá-la para passar o fim de semana na casa dos meus pais em Santo Amaro, convenientemente longe da Augusta e do Fernando, também parecia estranho.

Coloquei minha cabeça para pensar, urgentemente, em qualquer programa que soasse legal. Não queria pedir que ela desse as cartas, queria mostrar que eu sabia jogar. O problema era que todos os lugares que eu frequentava estavam abarrotados de conhecidos, meus e do Fer. E isso incluía todas as baladas e bares próximos do nosso apartamento... Exceto pelos LGBTs, onde eu também não gostava de ir acompanhada, muito menos de alguém tão significante – como a garota que há meses ocupava a minha cabeça. E o meu coração. Droga.

A questão – mesmo que não colocada dessa forma – era que aquele poderia ser o meu primeiro “encontro” com ela. E era ela. A Mia. E como todas as coisas relacionadas a ela, uma simples mensagem se tornou um grande problema para mim. Eu sabia que podia levá-la para qualquer lugar, ela não era do tipo que ligava. Mas, sei lá, eu queria que ela realmente se divertisse. E que quisesse sair comigo de novo. Então precisava fazer direito.

Um jantar? Não, sem graça. Sinuca? Ela não tá preparada para toda essa lesbiandade. Cinema? Hétero demais. Barzinho? Não, também não, puta coisa playboy. Boteco? Mano, não é possível que eu não consiga pensar em nada melhor. A tarefa começou a se revelar mais difícil do que o esperado. Até que, de repente, me lembrei da mensagem do meu amigo. A que eu ignorara meia hora antes. É, essa. E ela resolvia todo o problema. Porra, como não pensei nisso? 

Apressei-me em responder – tanto para ela, quanto para ele – e me senti aliviada.

Ok, talvez aquela fosse a resposta mais falsa do mundo, considerando que eu não estava sequer interessada na proposta do meu amigo para começo de conversa, mas, conforme descobri depois, aquela foi a sugestão perfeita. 

16 comentários:

Mari disse...

O interesse, o amor, a vontade e os sms, movem o mundo!

Ai que ansiedadeee.

;*

mabernardii disse...

'nao queria pedir que ela desse as cartas, pelo contrário: queria mostrar que eu sabia jogar'. foda demas *-*

Cris disse...

aiaiaai.. acabei de detonar uma barra de choco em segundos ... to muito ansiosa ...
Tenho vontade de gritar vai, vai ... mas o mistério me intriga e a história me dá um frio na barriga .. daí penso melhor e acho que o esperar será melhor... mas a ansiedade está me consumindo!!

Anônimo disse...

Segura coraçãooo !!!!!

Anônimo disse...

A frase final foi sacanagem! heheeheh

só para morreeeeeeermos de vontade esperando! haja coração...

Jackie disse...

Se fosse em campinas, já tava pensando em levar a mina no finos do taco né? hauhauah

Rafaela disse...

nossa, tô mto ansiosa pra tal festinha, vamos ver o que vai acontecer! \o/

Darkness disse...

o que vai dar isso heeeim? ;X

Lu disse...

Voltei e vi que o blog comeu meu comentário, ué?!
Bom, eu havia dito que este blog transmitia borboletas e as sentia... Neste momento, eu to sentindo com raiva dele... Ninguém mais achou estranho um post super legal só ter 5 comentários até o momento?! :/

anni disse...

noooooonaaaaa!!!!! *.*

PriscieAraujo disse...

Ahhh, essa alegria, euforia e expectativa... Que delícia!

Ela não quer que a Mia de as cartas, mas o fato é que, nesse momento, a Mia está meio que controlando a situação.
Sei que a Dani já virou assunto do passado só que, pra mim, se ela não tivesse ficado uma semana vivendo lá com a Devassa, talvez a Mia não estivesse tomando algumas iniciativas: Ter ido sentar na pia (eu sempre falo desse trecho...é gosto muito dele), ter ido lá no quarto e ter cobrado a aula.
Juro que fiquei procurando explicações para essa mudança de comportamento da Mia.

Bom, o fato é que depois que a Mia demonstrou real interesse a Devassa surtou, tá ansiosa como se fosse o primeiro amor da vida dela.

Ela ansiosa de lá e eu ansiosa daqui!

Anônimo disse...

Mel outra possivel sugestão de lugar para sair seria ir na casa da Mia ver UFC dessa vez sem as amigas, pra FM mostrar o quão bem ela sabe lutar como havia dito da ultima vez, relembrar e dar novas boas memórias ao sofá. Oque você acha?

Lu disse...

Concordo com a Pri: imagina o q passou pela cabeça da Mia durante este período da Devassa com a Dani! E justifica mm uma mudança de atitude...Bom pra nós! :)

Sharla disse...

Nossa, muito muuuito torturante e teen essa de esperar e esperar pela resposta. E o SMS que chega e nao é da mia é muito classico quando a gente realmente quer receber uma repsostas... maldito murphy

Mas pelo menos agora as coisas estão se encaminhando (6) que só ver pra onde vão ;P

matt. disse...

Talvez as coisas estejam se encaixando...

juliaprediger disse...

essa época de mensagens ansiosas, de preocupações mínimas com cada detalhe.. é a melhor :) lembro de todo o circo que eu montei quando a minha ex veio lá pra casa pela primeira vez hahaha =P